UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

São objetivos desta u.c. fornecer bases de compreensão do funcionamento do organismo humano, ao nível molecular, celular, tecidular, orgânico e sistémico. O estudo desta disciplina deverá permitir ao aluno conhecer os aspetos mais importantes da Anatomofisiologia Humana que lhe possibilitem, posteriormente, relacionar os conceitos fundamentais na área da Fisioterapia.
PRÁTICA
O1. Compreender a organização do corpo humano.
O2. Identificar e distinguir as estruturas que compõem o sistema tegumentar.
O3. Entender a anatomia geral do sistema esquelético.
O4. Distinguir articulações, estruturas e movimentos associados.
O5. Entender a anatomia geral do sistema muscular.
O6. Reconhecer a interação do sistema músculo-esquelético.
O7. Compreender funcionamento do sistema nervoso.
O8. Aplicar os conhecimentos do sistema tegumentar e músculo-esquelético na interacção com o sistema nervoso.

Conteúdos programáticos:

Introdução ao estudo da Anatomia e Fisiologia. Organização do Corpo humano - Níveis de organização do corpo humano. Divisões da Anatomia. Planos de referência. O Sistema Tegumentar - Estrutura e funções da epiderme, derme e hipoderme. Efeitos do processo de envelhecimento sobre o sistema tegumentar. O Sistema Esquelético - Anatomia Geral do Sistema Esquelético – descrição, classificação, estrutura e funções dos ossos do esqueleto. Articulações e Biomecânica do movimento corporal - Estrutura, função e tipos de articulações. Tipos de movimentos articulares. O Sistema Muscular - Anatomia Geral do Sistema Muscular – descrição, classificação, estrutura e funções dos músculos. Tónus Muscular. Contracção e Relaxamento Muscular. O Sistema Nervoso - Divisões do Sistema Nervoso. Componentes do Sistema Nervoso Central e Sistema Nervoso Periférico - estrutura e funções. Sinapses – estrutura e transmissão do impulso nervoso. Arco reflexo. Tipos de reflexos. Esplancnologia. Angiologia.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A construção dos conteúdos programáticos, com a abordagem dos aspectos morfológicos e funcionais do organismo humano, contando com informação teórica, teórico-prática e prática dos temas abordados, incluindo a utilização de recursos didácticos apropriados, como exposições em power-point e manipulação de modelos anatómicos, devidamente adequada ao processo de aprendizagem da disciplina de Anatomofisiologia I no plano curricular da licenciatura de Fisioterapia.
PRÁTICA
CP1 – Movimento. Visa atingir O1, O3 a O6.
CP2 - Sistema tegumentar. Visa atingir O2, O7 e O8.
CP3 - Sistema esquelético. Visa atingir O3, O6 e O8.
CP4 – Articulações. Visa atingir atingir O4, O6 e O8.
CP5 - Sistema muscular. Visa atingir O5, O6 e O8.
CP6 - Sistema nervoso. Visa atingir O2, O7 e O8.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A CT consiste em aulas expositivas, descritivas e demonstrativas dos tópicos definidos nos conteúdos programáticos. A componente PL consta de sessões de ensino em que serão observados, interpretados e manipulados modelos anatómicos adequados. O regime de avaliação é de avaliação contínua. Serão realizadas 2 avaliações escritas teóricas a CT e 2 avaliações práticas a PL. O aluno será declarado aprovado a cada componente se obtiver uma classificação final igual ou superior a 09,50 valores. A classificação final resulta da ponderação de 80% CT e de 20% PL.
PRÁTICA:M1Utilização da plataforma e-learning para disponibilizar material didático.M2Material disponibilizado para situações práticas.M3Atividades de pesquisa autónoma.M4Desenvolvimento da síntese dos conteúdos.M5Utilização de vídeos.Avaliação:2 testes escritos(16%) e 4 fichas de trabalho(4%).Aprovação: média>9,5 e classificação>7,5 em cada.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A metodologia de ensino centrada na informação teórico, teórico-prática e prática dos temas abordados, incluindo a utilização de recursos didácticos apropriados, como vídeos e manipulação de modelos anatómicos, está devidamente adequada ao processo de aprendizagem da disciplina de Anatomofisiologia Humana no plano curricular de Fisioterapia.
PRÁTICA
M1 - Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático que será disponibilizado ao aluno: todos os objetivos.
M2 - O material disponibilizado servirá de apoio para os estudos baseados em situações práticas que se introduzirá como ferramenta de ensino-aprendizagem: O4, O6 e O8..
M3 - Atividades de pesquisa autónoma que serão baseadas em questões de desenvolvimento e pesquisa: O1 a O3, O5 e O7.
M4 - Desenvolvimento de actividades de síntese dos conteúdos básicos, após exposição oral, onde os alunos terão um envolvimento pro-ativo; todos os objetivos.
M5 - Utilização de vídeos de demonstração de fenómenos ligados às estruturas estudadas para promover a discussão dos fundamentos fisiológicos a elas inerentes: O4, O6 e O8.

Bibliografia:

Seeley, R, Stephens, T. & Tate, P., 2011, Anatomia & Fisiologia, 8ª ed., Lusodidacta, Portugal.
Tortora, G & Grabowski, S, Principles of Anatomy and Physiology, 7th ed. Harper Collins College Publishers USA.
Guyton, A. & Hall, J., 2006, Textbook of Medical Physiology, 11th ed., Elsevier Saunders, USA .
Gray´s textbook of Anatomy

Objetivos de aprendizagem:

OA 1 - Conhecer os métodos e ferramentas básicas para o estudo da biofísica e biomecânica.
OA 2 -Saber os fundamentos da cinética e cinemática.
OA 3 -Aplicar conceitos sobre cinética e cinemática em análises de actividades humanas quotidianas.
OA 4 -Mostrar como executar uma análise de dados experimentais ou de dados publicados na literatura para estudar aspetos da locomoção humana.
OA 5 -Apresentar as técnicas de análise quantitativa de estados de equíbrio estático e dinâmico.
OA 6 -Determinar forças e momentos de forças em estruturas do sistema músculo esquelético.
OA 7 - Conceptualizar elasticidade e deformação mecânica.
OA 8 -Mostrar a importância da análise da resposta reológica do sistema músculo esquelético na prevenção de lesões.
OA 9 -Introduzir noções básicas sobre electricidade.
AO 10 – Entender os mecanismos físicos inerentes à condução do sinal nervoso.
AO 11 – Relacionar as medidas de bioimpedância com os valores métricos sobre composição corporal.

Conteúdos programáticos:

CP I - Introdução
Notas introdutórias e metodologia do estudo físico.
CP II - Cinética linear e rotacional)
Noções básicas.
Análises biomecânicas de sistemas em equilíbrio e em movimento de translação.
Aplicações especiais momentos de forças e alavancas biomecânicas.
CP III - Cinemática Linear
Aquisição de dados cinemáticos.
Cinemática unidimensional: a caminhada.
Movimento angular: caracterização.
Ângulos articulares dos membros.
CP IV - Propriedades mecânicas - Elasticidade e deformação
Noções básicas
Considerações reológicas das estruturas esqueléticas e musculares
CP V - Eletricidade e biopotenciais.
Noções básicas e sua aplicação.
Condução nervosa.
Análise de bio-impedâncias.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

CP I - visa atingir OA: 1, 2, 3 e 4.
CP II - visa atingir OA: 1, 2, 3, 4, 5 e 6.
CP III - visa atingir OA: 1, 2, 3, 4 e 5.
CP IV - visa atingir OA: 1, 7 e 8.
CP V - visa atingir OA: 1, 9, 10 e 11.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

M1 - Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático que será disponibilizado ao aluno.
M2 - O material disponibilizado servirá de apoio para os estudos baseados em problemas que se introduzirá como ferramenta de ensino-aprendizagem.
M3 - Atividades de pesquisa autónoma que serão baseadas em questões de desenvolvimento e pesquisa.
M4 - Desenvolvimento de actividades de síntese dos conteúdos básicos, após exposição oral, onde os alunos terão um envolvimento pro-ativo.
M5 - Recorrer-se-á, ainda, à utilização de vídeos de demonstração de técnicas para o estudo do movimento de modo a promover a discussão dos fundamentos físicos a elas inerentes.
Avaliação
A) 2 testes (T)
Cada teste terá um peso de 30% na classificação final.
B) 2 questionários (Q)
Os questionários serão realizados ou em sala de aula ou através da plataforma de elearning da UFP.
Cada questionário terá um peso de 20% na classificação final.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

M1 - Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático que será disponibilizado ao aluno.
Para a prossecução de todos os objetivos.
M2 - O material disponibilizado servirá de apoio para os estudos baseados em problemas que se introduzirá como ferramenta de ensino-aprendizagem.
Para a prossecução dos AO 2 a OA 5 e OA 9;
M3 - Atividades de pesquisa autónoma que serão baseadas em questões de desenvolvimento e pesquisa.
Para a prossecução dos OA 3 a OA 5, OA 10 e OA 11;
M4 - Desenvolvimento de actividades de síntese dos conteúdos básicos, após exposição oral, onde os alunos terão um envolvimento pro-ativo.
Para a prossecução de todos os objetivos.
M5 - Recorrer-se-á, ainda, à utilização de vídeos de demonstração de técnicas relevantes em fisioterapia para promover a discussão dos fundamentos físicos a elas inerentes.
Para a prossecução de OA 4, OA 5 e OA 10.

Bibliografia:

1 - Hamill, J.; Knutzen, K. M.; Bases Biomecânicas do Movimento Humano, Ed. Manole, 3ª Ed. 2012.
2 - Sérgio Barreira. Matemática aplicada às ciências Farmacêuticas. Escolar Editora , 2015.
3 - Gomes, L.R.; Biofísica para Ciências da Saúde, Ed. Universidade Fernando Pessoa, 2012.
4 - da Silva M. M., Marques de Carvalho, R. S., de Freitas, M. B. (2019). Bioimpedância para avaliação da composição corporal: uma proposta didático-experimental para estudantes da área da saúde. Revista Brasileira de Ensino de Física, vol. 41, nº 2, e20180271

Objetivos de aprendizagem:

São objectivos desta unidade curricular:
1) transmitir a importância do estudo da embriologia, histologia e citologia na formação do fisioterapeuta;
2) compreender a morfologia numa perspectiva funcional;
3) proporcionar as bases para a interpretação crítica da histopatologia e citopatologia.

Conteúdos programáticos:

Tecidos básicos: tecido epitelial, tecidos conjuntivos (tecidos conjuntivos propriamente ditos, tecido adiposo, tecido cartilagíneo, tecido ósseo), tecido muscular e tecido nervoso. Sistema cardiovascular: características gerais e organização. Sistema respiratório: características gerais e organização histológica (traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos). Pele e anexos: estrutura e funções. Sistema digestivo e organização geral: i) cavidade oral – organização histológica; ii) organização geral do tubo digestivo - histofisiologia do esófago, estômago, intestino delgado e intestino grosso.
Bases da embriologia humana: folhetos germinativos, desenvolvimento e diferenciação, seus derivados; fases e processos do desenvolvimento embrionário geral: 1ª, 2ª 3ª e 4ª semanas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Em cada um dos temas do programa curricular, serão apresentados e discutidos conhecimentos básicos, importantes para a sua formação académica, dando particular ênfase à estreita relação entre as alterações morfológicas e as alterações funcionais, quer a nível celular quer a nível tecidular. Estes aspectos são fundamentais para a sua ação, enquanto fisioterapeuta, facultando-lhe o espírito crítico necessário para poder aplicar correctamente os conhecimentos adquiridos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A UC tem um total de 4 créditos ECTS sendo as horas de contacto distribuídas por componente teórica (CT, 30 horas), prática laboratorial (PL, 30 horas), Orientação tutorial (OT, 7.5 horas) e outras (O, 7.5 horas).
A CT consiste em aulas expositivas, descritivas e demonstrativas dos tópicos definidos nos conteúdos programáticos. A componente PL consta de sessões de ensino em que serão observadas e interpretadas laminas histológicas. O regime de avaliação é de avaliação contínua. Serão realizadas 2 avaliações escritas teóricas a CT e 2 avaliações práticas a PL. O aluno será declarado aprovado a cada componente se obtiver uma classificação final igual ou superior a 10 (dez) valores. A classificação final resulta da ponderação de 75% CT e de 25% PL.
Na Orientação Tutorial e Outras (OT/O) o aluno é orientado no seu estudo e na gestão dos tempos letivos. É incentivada a correta utilização da bibliografia recomendada e promovido o desenvolvimento de métodos de pesquisa científica.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Na CT serão lecionados os conteúdos programáticos recorrendo ao apoio de dispositivos multimédia. Serão expostos e debatidos em sala de aula os conceitos teóricos relevantes, passando pela discussão baseada em “questões problema”. Estas diferentes abordagens pedagógicas, visam desenvolver no aluno a capacidade de criar o seu próprio modelo de aprendizagem, adaptado a cada conteúdo programático.
Será orientado o estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada.
A PL é estruturada em articulação com a CT e consiste numa aula semanal. Atendendo às características próprias da unidade curricular, os alunos, serão incentivados a desenvolverem um tipo de estudo contínuo (recorrendo à consulta de livros de texto e atlas de embriologia e histologia disponíveis na Universidade Fernando Pessoa) de forma a estimular a auto-aprendizagem.
As sessões de OT consistem em momentos de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar corretamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica relativos a temas descritos no programa da unidade curricular, fomentando a leitura científica, contacto com nomenclatura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica bem como a motivação para elaboração de apresentações científicas com metodologia de revisão.
As sessões O são livres e destinam-se a possibilitar ao aluno esclarecer estratégias de apresentação científica dos resultados da pesquisa efetuada no âmbito da Unidade curricular.
Serão realizadas reuniões periódicas entre os docentes da Unidade Curricular de forma a promover a constante articulação da equipa.
As metodologias de ensino empregues, incluem desde o estudo de manuais teóricos à transmissão de experiências pessoais e profissionais, passando pela discussão de conhecimentos em aula, baseada em “questões problema”. Estas diferentes abordagens pedagógicas, visam desenvolver no aluno a capacidade de criar o seu próprio modelo de aprendizagem, adaptado a cada conteúdo programático.

Bibliografia:

GARTNER, L.P. (2020). Textbook of Histology. 5th ed, Elvesier.
KIERSZENBAUM, A.L. & TRES, L. (2019). Histology and Cell Biology: an introduction to pathology. 5th ed, Saunders.
PAWLINA W. & ROSS M.H. (2018). Histology: a text and atlas – with correlated cell and molecular biology. 8th ed, LW&W.
MESCHER, A. (2021). Junqueira’s Basic Histology: Text and Atlas. 16th ed, McGraw-Hill Medical.
SADLER, TW. (2018). Langman’s medical embryology. 14th ed, Williams & Wilkins.
• Serão ainda colocados ao dispor do aluno os recursos pedagógicos da Unidade Curricular todas as semanas (Plataforma Canvas). The student will also have access to pedagogical resources of the curricular unit every week (in the Canvas platform).

Objetivos de aprendizagem:

Pretende-se que o aluno domine as técnicas de investigação e de produção com vista à correcta execução do trabalho científico e desenvolva competências estruturantes de natureza teórico-prática que lhe permitam conhecer e aplicar estruturas discursivas utilizáveis na sua área de formação.
Para dotar os alunos das competências específicas a desenvolver no âmbito desta unidade curricular, existe uma correspondência direta entre os conteúdos de cada capítulo lecionado e as competências específicas a desenvolver.

Conteúdos programáticos:

I - A terminologia médica
1.1. Objeto, conceito, termo
1.2. Importância e características da terminologia médica
1.3. Termos médicos e respetivos constituintes
1.4. Tipos de termos médicos
1.5. Etimologia dos constituintes que integram os termos médicos
1.6. Processos de formação de palavras
II – Metodologia do trabalho científico
1.O texto científico
1.1 – Bases de dados
1.2. O plágio
1.3. Etapas de um trabalho científico
1.4. Recolha de informação
1.5. Fichas de leitura
1.6. Normas para a elaboração de uma referência bibliográfica
1.7. Plano de trabalho e organização da informação recolhida
1.8. Redação (linguagem, citações, notas de rodapé)

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos incidem na eficaz aquisição e utilização da terminologia médica bem como na metodologia do trabalho científico com vista à produção textual.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Desenvolver-se-ão diferentes atividades de leitura, escrita, compreensão e produção discursivas inerentes ao desenvolvimento da competência de comunicação, direcionado para a área de formação dos alunos. Dar-se-á prioridade a atividades que instiguem a participação efetiva dos alunos, tais como trabalhos individuais, de pares e em grupo e a resolução de problemas práticos simulados tendo em conta as competências a desenvolver.
Avaliação
2 frequências (50% + 50%)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objetivos formulados para a unidade curricular dado que apostam no desenvolvimento de estudo orientado e na participação ativa do aluno de modo a que este experimente e adquira ferramentas que otimizem a sua expressão no campo da comunicação científica e da terminologia específica do curso.
Pretende-se o desenvolvimento das capacidades produtivas, críticas, relacionais e avaliativas de questões gerais.

Bibliografia:

Cohen, B. J., & Jones, S. A. (2021). Medical Terminology: An Illustrated Guide: An Illustrated Guide. Jones & Bartlett Learning.
Dicionário de Termos Médicos (2020). https://www.infopedia.pt/dicionarios/termos-medicos
Dicionário de Língua Portuguesa (2020) https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa
Collins, C. Edward (2008). A Short Course in MedicalTerminology. Philadelphia, Wolters Kluwer Health / Lippincott Williams &Wilkins.
Lopes, E. J. M. (2016). “Plágio”. In Dicionário Crime,Justiça e Sociedade. Lisboa: Sílabo: 362-364.
Manual de elaboração de trabalhos científicos daUniversidade Fernando Pessoa. [Em linha]. Disponível em http://ufp.ufp.pt.[Consultado em 11/09/2014].Pitney, W. P., J, M., S, P., K. (2020), QualitativeResearch in the Health Professions. Chicago: Slack Incorporated.Severino, A. (2000). Metodologia do trabalho científico. SãoPaulo, Cortez.

Objetivos de aprendizagem:

Pretende-se que o aluno conheça as bases históricas, o processo de evolução e os padrões de prática que regulam a profissão. O aluno deverá adquirir um conhecimento básico da estrutura, movimento e funções do corpo humano que lhe permita compreender as técnicas de Mobilização dos Tecidos Moles, Técnicas de Mobilização Articular e Ergonomia. O aluno deverá ser capaz de identificar e executar as diferentes técnicas, conhecer as suas indicações e contra-indicações, assim como integrar o conhecimento, formulando um raciocínio clínico adequado.

Conteúdos programáticos:

TP: 1. Introdução à profissão 2. Princípios de Ergonomia 3. Princípios de mobilização dos tecidos moles 4. Princípios de mobilização articular. P: I Ergonomia: 1. Ergonomia e avaliação postural 2 Instrumentos de avaliação ergonómicos 3. Ergonomia da marcha II Mobilização dos tecidos moles: 1. Técnicas de massagem clássicas 1.1 Técnicas superficiais 1.2 Técnicas profundas 1.3 Aplicações práticas 2. Massagens de drenagem 2.1 Massagens de drenagem clássicas 2.2 Drenagem linfática de Leduc 2.3 Aplicações práticas 3. Técnicas miofasciais 3.1 Técnicas miofasciais superficiais 3.2 Técnicas miofasciais profundas III Mobilização articular: 1. Mobilização articular fisiológica e acessória 1.1 Ombro 1.2 Cotovelo 1.3 Punho 1.4 Mão 1.5 Coluna 1.6 Coxa 1.7 Perna 1.8 Pé.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

TP: A transmissão de conhecimentos para fomentar a discussão sobre a fisioterapia enquanto profissão, possibilita-se que os alunos adquiram a capacidade de analisar criticamente este processo e fomentar o futuro desenvolvimento profissional. Os conhecimentos de base do movimento humano, da estrutura e da função do corpo humano para analisar as disfunções do movimento e da postura. Os conceitos teórico-práticos de base das técnicas/estratégias terapêuticas de Mobilização dos Tecidos Moles, Técnicas de Mobilização Articular e Ergonomia possibilitam que o aluno desenvolva a capacidade de compreender a fundamentação científica das mesmas. P: A demonstração prática das diferentes técnicas de avaliação, seleção e execução de procedimentos inerentes aos conteúdos de Mobilização dos Tecidos Moles, Técnicas de Mobilização Articular e Ergonomia permite-lhes desenvolver capacidades de execução técnica e desenvolvimento de diferentes estratégias de intervenção para um Raciocínio clínico adequado.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota final será calculada tendo em conta 70% da nota final da prática e 30% da nota final da componente teórico-prática.
TP: as temáticas abordadas serão transmitidas de forma expositiva e/ou em formato de discussão dos temas no seio de grupos de alunos com uma análise geral final para todos os discentes. A avaliação dos conhecimentos será efetuada através de duas avaliações escritas (50%+50%).
P: Os temas abordados na aula serão expostos de forma demonstrativa de modo que os alunos apliquem na prática os conhecimentos de avaliação, planificação e execução das técnicas e métodos de fisioterapia adequados. Pretende-se igualmente criar as condições propícias de aprendizagem das competências práticas para que os alunos saibam aplicar os conhecimentos teóricos e práticos adequados das técnicas e métodos de fisioterapia para o tratamento de pacientes segundo um raciocínio clínico.
Para avaliação dos conhecimentos serão efetuadas duas avaliações práticas continuas (50%+50%).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

TP: A transmissão de forma expositiva da evolução histórica da fisioterapia e dos seus padrões de prática permite que os alunos adquiram conhecimentos sobre o processo construtivo e evolutivo da profissão. Posteriormente este conhecimento servirá de alicerce para os alunos analisarem de uma forma critica este processo, no formato de discussão de grupo, de modo a incentivar no futuro uma participação ativa dos alunos no desenvolvimento da profissão.
A transmissão de forma expositiva e interativa das bases das diferentes técnicas de Mobilização dos Tecidos Moles, Técnicas de Mobilização Articular e Ergonomia e das suas indicações e contraindicações permite-lhes um conhecimento aprofundado formulado num raciocínio clínico adequado.
P: a forma demonstrativa/interativa dos conhecimentos inerentes à avaliação, planificação e execução das técnicas e métodos de fisioterapia adequados de Mobilização dos Tecidos Moles, Técnicas de Mobilização Articular e Ergonomia permite aos alunos desenvolver capacidades manuais e de raciocínio clínico essencial a uma futura prática em contexto real.

Bibliografia:

1. www.apfisio.pt
2. Bridon, F. (1993). Méthodes Passives de Rééducation. Paris, Encycl. Méd. Chir.Kínésiothérapie-Rééducation Fonctionnelle, 26-070-A-10, 12p.
3. Cassar, M. (2002). Manual de masaje terapêutico. Editora McGraw-Hill.
4. Deliberato, P.C.P. (2001) Fisioterapia Preventiva, Manole.
5. Foley, P. (2002) Active & Passive Movement Testing.New Your, McGraw-Hill.
6. Monet, J. e Stevenin, P. (1993). Mobilisation Passive Manuelle. Paris, Enc. Med. Chir.
7. Edmond, SL. (2008).Mobilização/ Manipulação Articular. Lusociência.
8. Grandjean, E. (1998). Manual de Ergonomia- Adaptando o trabalho ao homem, Bookman.
9. Leduc, A., Leduc, O. (2000). Drenagem linfática : teoria e prática. 2ª ed. Manole.
10. Perry, J & Burnfield, J.M.(2010) Gait Analysis: Normal and Pathological Function. Monitoring. 2nd Edition. Jama.

Objetivos de aprendizagem:

Esta é uma disciplina básica cujo conteúdo programático visa a compreensão dos processos patológicos gerais, bem como da resposta fisiológica e patológica aos diversos mecanismos de agressão celular, abrangendo a etiologia, a patogénese, as alterações morfológicas, as alterações funcionais e o seu significado clínico.
Assim, na disciplina de Patologia I, procura-se proporcionar aos alunos uma melhor compreensão das relações dinâmicas dessa resposta do organismo aos diversos mecanismos de agressão celular com os aspectos clínicos e o desenvolvimento do raciocínio metódico e organizado para compreender conceitos fundamentais na área de Fisioterapia.

Conteúdos programáticos:

Introdução ao Estudo da Patologia I. Agressão celular e adaptação: Definições; Causas; Patogénese; Alterações morfológicas: Degenerescência, necrose.
Acumulações intracelulares;Patogénese da infiltração lipídica. Proteínas. Glicogénio.Pigmentos endógenos e exógenos. Mecanismos de Adaptação celular: Atrofia; Hipertrofia; Hiperplasia; Metaplasia; Displasia. Inflamação aguda e crónica; alterações celulares; mediadores, padrões morfológicos; efeitos sistémicos. Regeneração e reparação; processos; tecido conjuntivo;processo de cicatrização por primeira e por segunda intenção; reparação. Alterações vasculares: Edema;Hiperémia e congestão; Hemorragia; Trombose; Coagulação intravascular disseminada. Embolia: pulmonar, sistémica; diferentes etiologias. Hipertensão Arterial. Enfarte agudo do miocárdio e angina; estável e instável. Choque.
Alterações genéticas básicas. Alterações do sistema imune. Tumores; definição; classificação; benignos e malignos; patogénese do cancro.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A construção dos conteúdos programáticos, com a abordagem dos aspectos morfológicos e funcionais do organismo humano, contando com informação teórica e discussão dos temas programáticos, incluindo a utilização de recursos didácticos apropriados é adequada ao processo de aprendizagem da disciplina de Patologia I.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Interrogativo, expositivo e demonstrativo.Exposição oral de conteúdos programáticos; estimulação da participação activa dos alunos, com conteúdos audiovisuais.
Avaliação: 2 provas escritas de avaliação sobre os conteúdos leccionados. O aluno deve obter nota mínima de 10 valores. Deverá ser cumprido o regime de faltas previstas no regulamento da UFP.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A construção dos conteúdos programáticos, com a abordagem dos aspectos morfológicos e funcionais do organismo humano, contando com informação teórica e discussão dos temas programáticos, incluindo a utilização de recursos didácticos apropriados é adequada ao processo de aprendizagem da disciplina de Patologia I.

Bibliografia:

1. Robbins & Cotran. (2017). “Patologia: Bases Patológicas das Doenças”, 10ª ed., Saunders/Elsevier
2. GUYTON et HALL, Fundamentos de Fisiologia, 13ª edição, Elsevier
3. SEELEY R, STEPHENS T & TATE P. Anatomia e Fisiologia (10. Edição) McGraw-Hill
4. Vander, Sherman, and Luciano´s , Fisiologia Humana, 12ª edição, Guanabara Koogan
5. Russell,P., 2000, Fundamentals of Genetics, 2nd ed., Addison Wesley Longman, Inc., USA.
6. COTRAN RS, ROBBINS SL. Patologia estrutural e funcional (1996) Guanabara Koogan

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Conhecer o sistema musculo-esquelético e principais sistemas orgânicos.

Conteúdos programáticos:

Terminologia Anatómica.
Sistema musculo-esquelético: ombro e axila; braço; antebraço; mão
Vascularização e enervação do membro superior
Coluna Vertebral
Sistema musculo-esquelético: região glútea e coxa; perna; pé
Vascularização e enervação do membro inferior
Sistema Cardiovascular
Sistema Linfático
Sistema Respiratório
Sistema Digestivo
Sistema genito-urinário
Anatomia geral do sistema nervoso central
Nervos cranianos e sensibilidades especiais
Fisiologia do sistema nervoso: principais vias neuroanatómicas

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Conteúdos programáticos de acordo com os objectivos

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teóricas e aulas práticas
Avaliação teórica-prática e prática em dois momentos cada uma.
Nota mínima de 10 valores em cada componente.
Ponderação da nota final: 60% teórica e 40% prática.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aquisição de conhecimentos teóricos e práticos

Bibliografia:

Moore; Anatomia Orientada para a Clínica. Guanabara Koogan.
Seeley; Anatomy and Physiology. McGraw-Hill.
Sobotta; Atlas de Anatomia Humana.
Netter; Atlas de Anatomia Humana.

Objetivos de aprendizagem:

A unidade curricular visa o estudo dos principais processos metabólicos e a comunicação celular, assim como o relacionamento dos vários orgãos envolvidos na manutenção do equilíbrio metabólico do nosso organismo. Pretende-se que os alunos compreendam os aspectos fundamentais da Bioquímica e do metabolismo das principais biomoléculas e da (bio)química e fisiologia do sistema endócrino. Introduzir-se-ão algumas situações clínicas relacionadas com as várias vias metabólicas estudadas, procurando-se sempre desenvolver nos alunos o espírito crítico e de análise de problemas.

Conteúdos programáticos:

Programa Teórico-Prático: Metabolismo: metabolismo dos hidratos de carbono, metabolismo lipídico, metabolismo dos aminoácidos, inter-relações metabólicas; Digestão e absorção gastrointestinal; Sistema endócrino. Programa Prático: realização de diversos trabalhos laboratoriais de aplicação dos vários conceitos teóricos que visam a aprendizagem de técnicas de identificação, isolamento, caracterização, separação e quantificação de vários tipos de moléculas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos que integram a unidade curricular vão de encontro às necessidades que são estabelecidas nos objetivos. A unidade curricular visa o estudo dos principais processos metabólicos, assim como do relacionamento entre os órgãos envolvidos na manutenção do equilíbrio metabólico. Os alunos deverão ter capacidade de compreensão e aquisição de conhecimentos na área da Bioquímica estrutural e metabólica e do sistema endócrino.
Pretende-se também que os alunos adquiram e desenvolvam competências empíricas ao contactar com novas metodologias laboratoriais.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Nas aulas teórico-práticas procede-se à exposição dos conceitos teóricos relevantes e orientação do estudo dos alunos. As aulas teórico-práticas incluem ainda a discussão detalhada, com resolução de exercícios, sobre os principais temas, incluindo a análise de doenças de metabolismo, seus sintomas e relação com a(s) causa(s), e tratamentos possíveis. É utilizada também a metodologia por simulação pedagógica, isto é, o processo de ensino/aprendizagem é realizado em condições próximas da realidade laboratorial. Os alunos resolverão casos práticos, semelhantes às situações que irão ter na sua vida profissional, os quais permitirão, recorrendo a diversas técnicas analíticas, desenvolver o seu espírito crítico. A classificação da componente teórica tem um peso de 80% na classificação final, sendo baseada na classificação obtida em 2 testes escritos. A avaliação laboratorial pesará 20 % na nota total. Serão exigidos 10 valores a cada um dos componentes para aprovação à disciplina.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A complexidade dos temas abordados exige uma exposição cuidada capaz de colocar em evidência os pontos comuns das várias vias metabólicas estudadas e do sistema endócrino e de identificar a informação que, pelo seu detalhe, pode tornar o estudo mais difícil de manejar. A utilização de exercícios de aplicação e a apresentação de estudos de caso permite focar o estudo nos grandes princípios unificadores, e criar uma estrutura coerente de conhecimento capaz de suportar a aquisição de competências imediatas e possibilitar um posterior aprofundamento.

Bibliografia:

1) Devlin T.M., 2006, “Textbook of Biochemistry with clinical correlations”, 6.ª edição, Wiley-Liss.
2) Leal F., Lopes Cardoso I., 2013, “Casos Clínicos em Bioquímica”, edições Universidade Fernando Pessoa.
3) Lopes Cardoso I. et al., 2014, “Trabalhos Laboratoriais de Bioquímica”, 3ª edição, edições Universidade Fernando Pessoa.
4) Lopes Cardoso I., Leal F., 2013, “Manual de exercícios de Bioquímica”, edições Universidade Fernando Pessoa.
5) Nelson D.L., Cox M.M., 2008, “Lehninger Principles of Biochemistry”, 5.ª edição, W.H. Freeman and Company.
6) Mckee T. et al., 2008, “Biochemistry: the molecular bases of life”, 4.ª edição, McGraw-Hill.
7) Silva P.J., "Uma panorâmica geral das vias metabólicas", disponível online em homepage.ufp.pt/pedros/bq/integracao.htm

Objetivos de aprendizagem:

Dar a conhecer as ferramentas básicas indispensáveis para orientação de um leque variado de situações relacionadas com a saúde humana que ocorrem no dia a dia e que devem aprender independentemente do seu campo de actuação. Tem ainda como objectivo ensinar as atitudes que deverão saber executar na sua missão de promover a saúde no seu todo, adquirindo nomeadamente as seguintes competências:
- Saber efectuar medidas básicas de socorrismo adequadas às situações emergentes mais usuais.
- Reconhecer o material indicado para as diferentes situações.
- Desenvolver estratégias de comunicação

Conteúdos programáticos:

Esta disciplina visa dotar os futuros profissionais de saúde com conhecimentos básicas sobre saúde em geral, de modo a que possam tomar as atitudes necessárias para enfrentar situações correntes, na sua missão de promover a saúde no seu todo. Tópicos: noções gerais de socorrismo; suporte básico de vida; gestos relacionados com o diagnóstico; gestos relacionados com o tratamento: gestos relacionados com situações específicas do dia-a-dia profissional; DST; Medidas Universais de Protecção; relações humanas, técnicas de comunicação, ética, deontologia.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O conteudo programático desta disciplina pretende disponibilizar conhecimentos que permitam utilizá-los pelos discentes na sua futura atividade profissional

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Escrita + Expositiva + Qualitativa/Quantitativa

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Utilizando uma metodologia assente numa aprendizagem prática e uma avaliação contínua dos conhecimentos, os alunos ficam aptos a aplicar esses conhecimentos da sua futura atividade profissional

Bibliografia:

1. Carneiro AV. Técnicas Médicas Essenciais. Lidel 1999.
2. Carneiro AH, Nunes F, Lopes G, Santos LA, Campello G. Manual de Suporte Básico de Vida. Edição do Conselho Português de Ressuscitação, 2004.
3. European Ressuscitation Council (2006). Basic Life Support & Automated external Desfibrillation. 2ª Edição
4.Harrison. Medicina Interna. 16ª Edição (tradução brasileira). McGraw Hill, 2006.
5. Merck Manual, Merck Sharp and Dohme, 2006
6.Way KW, Doherty GM. Cirurgia. Diagnóstico e Tratamento. 11ª Edição (tradução brasileira). McGraw Hill e Guanabara Koogan 2003.
7. Cline B. Emergências Médicas. McGraw Hill, 2000.
8. Serra, L. (2001). Critérios Fundamentais em Fracturas e Ortopedia. 2ª Edição. Lidel.
9. Website: www.erc.edu
10. Material fornecido pelos docentes

Objetivos de aprendizagem:

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objectivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

Conteúdos programáticos:

1. Situações socioprofissionais
1.1. Viajar
1.2. Socialização
1.3. Importância do inglês na área da saúde
2. Saúde
2.1. Ambiente Hospitalar
2.2. Corpo Humano
2.3. Problemas de Saúde
2.4. Diálogos Médico-paciente
3. Trabalho de Projeto

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os items temáticos dos conteúdos programáticos visam como competências genéricas que os alunos comuniquem, compreendam e produzam mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais, devendo ser capazes de utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Para este efeito, nesta unidade curricular, os estudantes são incentivados a adoptar uma atitude introspetiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e profissional na área da saúde.
É objetivo da unidade curricular levar os estudantes a melhorar as suas competências comunicacionais em inglês, de modo a que consigam utilizar esta língua na realização de diversos contactos interpessoais, em diferentes contextos socioprofissionais, de forma a permitir o desempenho profissional em contexto internacional. Com a componente de 'Trabalho de Projeto', pretende-se melhorar o trabalho de equipa, com utilização de uma segunda língua, especificamente em inglês.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teórico-práticas, com ênfase nas competências instrumentais: dialogar, ouvir, ler, compreender e produzir mensagens em língua inglesa. Avaliação contínua OU exame. A avaliação contínua é constituída por dois testes escritos e por um trabalho oral, a apresentar no final do semestre. A nota final resulta da ponderação das várias prestações escritas e orais do estudante, bem como da sua participação nas actividades propostas. O exame é constituído por 2 partes: escrito e oral. A oral é obrigatória sempre que o aluno obtiver 7,5 ou mais na componente escrita.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

De forma a potenciar as competências específicas dos estudantes, a metodologia adoptada (com ênfase na avaliação contínua de conhecimento) incentiva as aquisições de tipo instrumental, designadamente comunicar oralmente e por escrito, identificar e compreender mensagens, utilizando a língua inglesa num conjunto de situações socioprofissionais, bem como no acesso ao conhecimento.
As metodologias eminentemente práticas desta disciplina têm como objetivo levar os alunos a interpretar circunstâncias e fenómenos comunicacionais relativos aos diferentes contextos culturais e linguísticos, adquirindo experiência na recolha, identificação e interpretação de informação proveniente de diferentes contextos culturais, desenvolver deste modo a autonomia de trabalho em diferentes contextos culturais, levando a uma maior compreensão e adaptação a diferentes ambientes culturais em que a comunicação seja efectuada em língua inglesa.

Bibliografia:

Glendinning, E.H. & Howard, R. (2007). Professional English in Use: Medicine. Cambridge, Cambridge University Press.
Glendinning, E.H. & Holmström, B. (2005). English in Medicine – 3rd Edition. Cambridge, Cambridge University Press.
Grice, T. (2007).Oxford English for Careers: Nursing 1. Oxford, Oxford University Press.
Murphy, R. (2019). English Grammar In Use Book With Answers And Interactive Ebook. A Self-Study Reference And Practice Book For Intermediate Learners Of English. Cambridge, Cambridge University Press.

Objetivos de aprendizagem:

Dotar os alunos de conhecimentos que lhes permitam conhecer as terminologias e conceitos teóricos, que lhes permitam desenvolver um raciocínio eficaz e compreender os procedimentos aplicados nos Métodos de Avaliação e Exercício Terapêutico.
O aluno no final deverá ser capaz de avaliar, identificar e executar as diferentes técnicas de fisioterapia associadas aos sistemas neuromuscular e esquelético e aplicá-las em diferentes contextos e casos clínicos. O aluno, deverá conhecer as suas indicações e contra-indicações de cada técnica e formular um raciocínio adequado que lhes permitam reconhecer em contexto clínico, avaliar e aplicar as técnicas aprendidas.

Conteúdos programáticos:

TP: 1.Introdução ao processo de avaliação e reabilitação terapêutica 1.2 A anamnese 2. Estratégias de avaliação 2.1 Avaliação postural aplicada, palpação e avaliação da sensibilidade 2.2A resposta motora e o teste muscular, avaliação goniométrica e perimétrica 3. Movimento, bioenergética e controlo motor 3.1 A contração muscular 4.Treino 4.1 Princípios e fundamentos do treino 4.2 Princípios e adaptações ao treino de força, 4.3 Treino Aeróbio, 4.4 de Flexibilidade, 4.5 de Equilíbrio/proprioceptividade 5. Treino funcional. P: I. Exercício Terapêutico: 1. Exercício na reabilitação 2. Treino aeróbio 3. Treino de força 4. Treino de flexibilidade 5. Treino equilíbrio/propriocetivo 6. Treino funcional 7. Treino de marcha II. Métodos de Avaliação Terapêutica: 1. A anamnese 2. Estratégias de avaliação 2.1 Avaliação postural aplicada 2.2 Palpação 2.3 Avaliação da sensibilidade, 2.4 Resposta motora e o teste muscular, 2.5 Goniometria, 2.6 Perimetria 3. Avaliação aplicada E: Estágio de observação.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

TP: Introdução de conceitos teórico-práticos básicos acerca das estratégias de avaliação e intervenção terapêuticas, objetivando o desenvolvimento da capacidade de fundamentação científica das mesmas. Neste sentido, procura-se dotar os alunos de conhecimentos e terminologias, relevantes para a avaliação e tratamento de pacientes nas áreas dos Métodos de Avaliação Terapêutica e Exercício Terapêutico. Procedimentos para registo clínico de pacientes e constituição de relatório clínico. P: A demonstração prática e o treino das diferentes técnicas abordadas nos Métodos de Avaliação Terapêutica e Exercício Terapêutico, permite-lhes desenvolver capacidades de execução técnica e de diferentes estratégias de intervenção. O conhecimento das indicações e contraindicações das diferentes técnicas de avaliação e abordagens terapêuticas. E: O estágio observacional permite que o aluno desenvolva a capacidade de posteriormente identificar, em contexto real, os procedimentos aprendidos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota final será calculada tendo em conta 70% da nota final da prática e 30% da nota final da componente teórico-prática.
TP: Compreende aulas expositivas e/ou em formato de discussão com a apresentação de estudos de caso. A avaliação compreende duas provas escritas (50% + 50%) onde são avaliados terminologia, conceitos teóricos e o raciocínio clínico aplicados nos Métodos de Avaliação Terapêutica e Exercício Terapêutico. P: Compreende aulas demonstrativas e prática repetida das técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia usadas na prática dos Métodos de Avaliação Terapêutica e Exercício Terapêutico. A avaliação é continua e compreende duas provas práticas (50% + 50%) com casos clínicos enquadrados em diferentes contextos, valendo um total de 60% da nota final. E: Incluí um estágio observacional, o qual vale 10% da nota final.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

TP: Os diferentes temas e a apresentação de estudos de caso na aula serão transmitidas de forma expositiva e/ou em formato de discussão de modo a permitir a aquisição, por parte do aluno, de conhecimentos teórico-práticos dos princípios, terminologias, anatomia, biomecânica e fisiologia específicos usados no âmbito dos Métodos de Avaliação Terapêutica e Exercício Terapêutico.
P: Os temas abordados na aula serão expostos de forma demonstrativa e repetidamente praticados de modo que os alunos sejam capazes de executar os conhecimentos de avaliação, planificação e execução das técnicas e métodos de fisioterapia usados pelos Métodos de Avaliação Terapêutica e Exercício Terapêutico em diferentes contextos e casos clínicos que culminarão no estágio de observação (E).

Bibliografia:

1. Voight, M. et al. (2007).Musculoskeletal interventions: Techniques for therapeutic exercise. McGraw-Hill.
2. Bandy, WD e Sanders, B. (2003). Exercício terapêutico: Técnicas para intervenção. Guanabara Koogan.
3. Heyward, VH. (2006). Advanced Fitness Assessment and Exercise Prescription. Human Kinetics
4. Hislop HL. et al (2008). Daniels and Worthingham: Provas de função muscular: Técnicas de exame manual. 8ª ed. Lusodidacta.
5. Palmer, LM. e Epler, ME. (1998). Fundamentals of musculoskeletal assessment techniques. 2ª ed. Lippincott Williams & Wilkins,.
6. Petty, NJ. et al (2008). Princípios de intervenção e tratamento do sistema neuro-músculo-esquelético : um guia para terapeutas. Lusodidacta.
7. Kendall, FP. et al. (1995). Músculos : provas e funções com postura e dor. 4ª ed. Manole
8. Petty e Moore (1998). Neuromuscoloskeletal Examination and Assessment.Churchill Livingstone
9. Boron, W., Boulpaep, E. (2016). Medical Physiology, 3rd Edition. Elsevier.
10. Artigos científicos

Objetivos de aprendizagem:

São objetivos da unidade curricular conhecimentos na área da Cardiologia, Oncologia, Pediatria e Infecciologia aplicados à Fisioterapia.

Conteúdos programáticos:

Cardiologia
Oncologia: Nomenclatura (tumores benignos e malignos); Características das neoplasias benignas e malignas; Conceitos básicos do estadiamento e classificação TNM; Estudo epidemiológico do cancro.Bases da cirurgia oncológica, radioterapia e quimioterapia. Novas estratégias terapêuticas: terapias alvo e imunoterapia
Pediatria
Infecciologia: (i)conceitos básicos de infecciologia; (ii) prevalência, sintomas, transmissão e prevenção das infeções de origem bacteriana, fúngica, parasitária e viral mais importantes para a prática da profissão de fisioterapeuta.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos permitem aos alunos obter os conhecimentos necessários para utilizarem no desempenho da sua atividade profissional.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Avaliação contínua. Os alunos serão avaliados a cada módulo da disciplina individualmente e a nota final será a média aritmética da avaliação individual dos módulos de Oncologia, Pediatria, Cardiologia e Infecciologia. Se a média aritmética for igual ou superior a 10 valores os alunos são considerados aprovados à UC. No caso de a média aritmética ser inferior a 10 valores o aluno é remetido para exame à totalidade da UC.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A avaliação contínua permite um acompanhamento e avaliação contínuos do desempenho e aprendizagem dos alunos.

Bibliografia:

Barroso et al., 2014. "Microbiologia Médica" - vol 1 e 2. LIDEL
Lúcio Lara Santos et al. 2011, Oncologia Oral. Lidel

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

O objetivo é proporcionar um ambiente ativo e estimulante de aprendizagem em contexto clínico, que facilite o desenvolvimento da capacidade de análise crítica e do raciocínio clínico. Pretende-se que o aluno no estágio desenvolva a capacidade de:
a) Compreender o funcionamento e dinâmica do serviço;
b) Estabelecer relações terapêuticas, compreendendo a inter-relação entre os diferentes membros da equipa de saúde;
c) Desenvolver estratégias de educação para a saúde;
d) Prestar cuidados globais na comunidade;
e) Compreender a organização e priorização dos cuidados;
f) Aplicar as metodologias de registo das práticas de Fisioterapia preconizadas na Instituição;
g) Integração dos conceitos referentes à prática baseada na evidência;
h) Integrar os conhecimentos de ética e de deontologia profissional na prática dos cuidados, desenvolvendo a sua consciência e a sua identidade.

Conteúdos programáticos:

O Ensino Clínico I será dividido em 5 unidades letivas.
I. Fisioterapia no ambulatório: Cuidados gerais ao doente; Exame neuromúsculo-esquelético; Intervenção clínica.
II. Fisioterapia em contexto de grupo: Exame neuromúsculo-esquelético; Estratégias de educação e intervenção em contexto de grupo.
III. Fisioterapia na Senescência: Avaliação músculo-esquelética e antropométrica; Estratégias de educação e intervenção na senescência.
IV. Avaliação Neuromusculoesquelética: Rationale sobre parâmetros isocinéticos; Neurofisiologia, biomecânica e princípios biológicos do treino; Desenho e aplicação de protocolos.
V. Fisioterapia em Saúde ocupacional em contexto empresarial e escolar

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A observação e intervenção orientada em contexto clínico real permitirá aos alunos aperfeiçoar capacidades de execução técnica e o desenvolvimento de diferentes estratégias de avaliação e intervenção. Permitirá também que o aluno desenvolva a capacidade de escolher quais as melhores práticas a serem executadas no caso clínico, desenvolvendo a sua capacidade de reflexão crítica e de raciocínio clínico.
O facto de diversas componentes serem desenvolvidas na comunidade permite englobar pais, professores e cuidadores no processo de intervenção, assim como o contacto com equipas multidisciplinares de intervenção.
Pretende-se ainda desenvolver a capacidade de pesquisa e gestão de informação de forma a que o aluno desenvolva uma prática baseada na evidência e de estudo auto-orientado.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O Ensino Clínico I será dividido nas seguintes unidades letivas: Fisioterapia no ambulatório, Fisioterapia em contexto de grupo, Fisioterapia na senescência; Avaliação Neuromusculoesquelética, Fisioterapia na saúde ocupacional. As valências serão desenvolvidas em contexto clínico real e através de aulas de carácter expositivo e prática orientada de pesquisa de informação.
A avaliação será contínua, sendo contabilizado o desempenho do aluno em estágio e o relatório clínico de cada uma das valências.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Nos diferentes módulos de estágio o aluno terá a possibilidade de contactar com contextos clínicos reais, através da intervenção orientada desenvolvida nos diversos locais. Esta intervenção em contexto clínico real vai permitir desenvolver no aluno a capacidade de análise crítica, do raciocínio clínico, da capacidade de prestar cuidados de fisioterapia de forma a englobar o cliente, a família, o grupo e a comunidade e de desenvolver uma atitude crítico-reflexiva.

Bibliografia:

1. Kisner C., Colby L.A. (1998). Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. São Paulo: Manole.
2. O´Sullivan S, Schmitz TJ (2004). Fisioterapia. Avaliação e tratamento. 4ª ed. Manole
3. Bandy, W. D., Sanders, B. (2003). Exercício terapêutico: técnicas para intervenção. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.
4. Petty, N. J. (2007). Exame e avaliação neuro-músculo-esquelética: um manual para terapeutas 3ª ed. Loures: Lusodidacta.
5. Petty, N. J.; Moore, A. P. (2008). Princípios de intervenção e tratamento do sistema neuro-músculo-esquelético: um guia para terapeutas. Loures: Lusodidacta.
5. Artigos Cientificos

Objetivos de aprendizagem:

A unidade curricular tem como objectivos a aquisição de conhecimentos de farmacologia e a adaptação destes conhecimentos à prática do fisioterapeuta:
O1. Conhecer o papel do Fisioterapeuta na área da Farmacologia e Terapêutica;
O2. Aquisição de conhecimentos de Farmacologia dos principais grupos farmacoterapêuticos
O3. Conhecimento geral de parâmetros farmacocinéticos clínicos
O4. Conhecimento e aprendizagem da comunicação dos efeitos adversos
O5. Interligação dos vários grupos de fármacos para a possibilidade de interacções medicamentosas
O6. Adequação da linguagem para a promoção da adesão do doente à terapêutica
O7. Adquirir conhecimentos na área da farmacologia que lhe permitam conceber e desenvolver ações de educação e saúde, assim como, integrar equipas técnicas multidisciplinares
O8. Identificar as reacções adversas e compreender o papel da farmacovigilância
O9. Ter capacidade de trabalho autónomo com pesquisa de informação usando fontes de informação de farmacologia

Conteúdos programáticos:

CP1. Noções gerais de farmacologia, fármaco versus medicamento.
CP2. Vias de administração e formas farmacêuticas.
CP3. Ciclo geral de fármacos no organismo. Farmacocinética básica (absorção, distribuição, metabolização e excreção) e farmacocinética clínica.
CP4. Farmacodinamia e mecanismos gerais de acção dos fármacos.
CP5. Fármacos com acção no sistema nervoso central: sedativos e hipnóticos, psicoestimulantes e drogas de abuso.
CP6. Relaxantes musculares.
CP7. Fármacos utilizados no controlo da dor: opióides, anti-inflamatórios não esteroides e paracetamol.
CP8. Aspectos particulares da farmacologia na grávida, na criança e no idoso.
CP9. Interacções medicamentosas, reacções adversas a medicamentos e farmacovigilância.
CP10. Fontes de informação sobre fármacos.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos da unidade curricular de Farmacologia e Terapêutica Geral proporcionam aos estudantes da licenciatura de Fisioterapia aquisição de competências científicas, técnicas e interpessoais que permitam desenvolver intervenções do fisioterapeuta na área da Farmacologia e Terapêutica.
Os conteúdos de farmacologia geral e ainda o estudo dos diversos grupos farmacoterapêuticos (conteúdos programáticos CP1 a CP8) permitiram atingir os objetivos O1, O2, O3, O4, O5, O6 e O7. A exposição de matéria sobre efeitos adversos e interacções medicamentosas, assim como fontes de informação de fármacos (conteúdos programáticos CP9 e CP10), permitem ao aluno atingir os objectivos O8 e O9.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Metodologia de ensino
M1: Exposição e debate dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula.
M2: Orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada e na resolução de exercícios propostos.
M3: Discussão de problemas e casos clínicos relevantes.
M4: Utilização da plataforma de e-learning para armazenar e disponibilizar material didático ao aluno.
Avaliação
Os alunos serão avaliados com dois testes escritos, com uma ponderação de 50% cada um para o cálculo da nota final.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A constante interacção entre o docente e o aluno nas aulas de exposição permitirá a adequação do aluno aos objectivos propostos. Para além disso, a utilização de um conjunto de materiais de estudo criado propositadamente, assim como as sessões de apoio para esclarecimento de dúvidas, permitem um elevado nível de ajustamento entre as metodologias utilizadas e os objetivos da unidade curricular.
M1: Exposição e debate dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula – Visa atingir O1 a O8.
M2: Orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada e na resolução de exercícios propostos – Visa atingir O9.
M3: Discussão de problemas e casos clínicos relevantes – Visa atingir todos os objectivos.
M4: Utilização da plataforma de e-learning para armazenar e disponibilizar material didático ao aluno – Visa atingir todos os objectivos.

Bibliografia:

1. Rang and Dale's pharmacology, JM Ritter, RJ Flower, G Henderson, YK Loke, D MacEwan, HP Rang (Eds), 9th edition, Elsevier, 2019.
2. Terapêutica Medicamentosa e suas Bases Farmacológicas (Manual de Farmacologia e Farmacoterapia), S Guimarães, D Moura, P Soares da Silva (Eds), 6ª edição, Porto Editora, 2014.
3. Basic & Clinical Pharmacology, Bertram G. Katzung, Todd W. Vanderah (Eds), 15th edition, McGraw-Hill Education, 2020.
4. Pharmacology for the Physical Therapist. Erin E. Jobst, Peter C. Panus, Marieke Kruidering-Hall (Authors) 2nd edition, McGraw-Hill, 2020.
5. Goodman & Gilman´s The Pharmacological Basis of Therapeutics, LL Bruton, R Hilal-Dandan, BC Knollmann (Eds), 13th edition, McGraw-Hill Education, 2018.

Objetivos de aprendizagem:

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objectivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

Conteúdos programáticos:

1. Anatomia Humana
1.1. Sistemas do Corpo
1.2. Terminologia médica
2. Fisioterapia
2.1. Exploração do campo de fisioterapia
2.1.1 Natureza do serviço
2.1.2 Leque de terapias
2.1.3 Equipamentos e exercícios
2.2 Terminologia médica
3. Trabalho de Projeto (condições e tratamentos específicos)

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os itens temáticos dos conteúdos programáticos visam como competências genéricas que os alunos comuniquem, compreendam e produzam mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais, devendo ser capazes de utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Para este efeito, nesta unidade curricular, os estudantes são incentivados a adoptar uma atitude introspetiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e profissional na área da saúde.
É objetivo da unidade curricular levar os estudantes a melhorar as suas competências comunicacionais em inglês, de modo a que consigam utilizar esta língua na realização de diversos contactos interpessoais, em diferentes contextos socioprofissionais, de forma a permitir o desempenho profissional em contexto internacional. Com a componente de 'Trabalho de Projeto', pretende-se melhorar o trabalho de equipa, com utilização de uma segunda língua, especificamente em inglês.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teórico-práticas, com ênfase nas competências instrumentais: dialogar, ouvir, ler, compreender e produzir mensagens em língua inglesa. Avaliação contínua OU exame. A avaliação contínua é constituída por um teste escrito e por um trabalho oral, a apresentar no final do semestre. A nota final resulta da ponderação das prestações escritas e orais do estudante, bem como da sua participação nas actividades propostas. O exame é constituído por 2 partes: escrito e oral. A oral é obrigatória sempre que o aluno obtiver 7,5 ou mais na componente escrita.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

De forma a potenciar as competências específicas dos estudantes, a metodologia adoptada (com ênfase na avaliação contínua de conhecimento) incentiva as aquisições de tipo instrumental, designadamente comunicar oralmente e por escrito, identificar e compreender mensagens, utilizando a língua inglesa num conjunto de situações socioprofissionais, bem como no acesso ao conhecimento.
As metodologias eminentemente práticas desta disciplina têm como objetivo levar os alunos a interpretar circunstâncias e fenómenos comunicacionais relativos aos diferentes contextos culturais e linguísticos, adquirindo experiência na recolha, identificação e interpretação de informação proveniente de diferentes contextos culturais, desenvolver deste modo a autonomia de trabalho em diferentes contextos culturais, levando a uma maior compreensão e adaptação a diferentes ambientes culturais em que a comunicação seja efectuada em língua inglesa.

Bibliografia:

Eastwood, J. (2011). Oxford Practice Grammar – Intermediate. Oxford, Oxford University Press.
Glendinning, E.H. and Holmström, B. (2005) English in Medicine – 3rd Edition. Cambridge: Cambridge University Press.
Glendinning, E.H. and Howard, R. (2007). Professional English in Use: Medicine. Cambridge, Cambridge University Press.
Grice, T. (2007).Oxford English for Careers: Nursing 1. Oxford, Oxford University Press.
Milner, M. (2006). English for Health Sciences. Boston, Thomson.
Ribes, R. and Ros, P.R. (2006). Medical English. Heidelberg, Springer.

Objetivos de aprendizagem:

O objetivo desta unidade curricular é para aprofundar o conhecimento teórico e prático, no que diz respeito às técnicas terapêuticas, essenciais para uma melhor performance na Fisioterapia. Os alunos devem adquirir este conhecimento de modo a aplicarem corretamente estas técnicas em diferentes casos clínicos, para uma melhor obtenção de resultados.

Conteúdos programáticos:

1- Termoterapia, Fototerapia e Eletroterapia
1.1-Conceitos de Termoterapia, Fototerapia e Eletroterapia
1.2-Termoterapia e Crioterapia
1.3-Fototerapia
1.4-Eletroterapia
2.Contenção elásticas
2.1-Ligadura funcional do membro superior
2.2-Ligadura funcional do membro inferior
2.3-Método de McConnell
2.4-Kinesiotaping
3. Hidroterapia
3.1 Propriedades físicas da água
3.2 Método de Halliwick
3.3 Método de Bad Ragaz
3.4 Classes de Hidroterapia: prescrição de exercício terapêutico em classes
3.5 Métodos de relaxamento de Hidroterapia

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Téorico-prático: A introdução de conceitos básicos teóricos e práticos das técnicas / estratégias de avaliação e métodos terapêuticos utilizados nos Métodos e Técnicas de Fisioterapia III permite ao aluno desenvolver a capacidade de compreender as bases científicas das mesmas. Nesse sentido, busca proporcionar aos alunos conhecimentos específicos e terminologia de anatomia, biomecânica e fisiologia, relevantes para a avaliação e tratamento de pacientes nas áreas de Termoterapia, Fototerapia e Eletroterapia, Contenções Elásticas e Hidroterapia.
Prática: A demonstração prática e formação das várias técnicas e procedimentos relacionados com o conteúdo dos Métodos e Técnicas em Fisioterapia III, permite-lhes desenvolver habilidades de implementação técnica e desenvolvimento de diferentes estratégias de intervenção.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A pontuação final é calculada levando em consideração os 70% da prática final e 30% da componente teórico-prática final.
Aulas teórico-práticas: Inclui aulas expositivas e / ou formato de discussão com a apresentação de estudos de caso. A avaliação é composta por provas escritas onde são avaliados a terminologia, os conceitos teóricos e o raciocínio clínico aplicados na Termoterapia, Fototerapia e Eletroterapia, Contenções elásticas e Hidroterapia.
Prática: Inclui aulas demonstrativas e prática repetida das técnicas de avaliação e tratamento fisioterapêutico utilizadas nas práticas de Termoterapia, Fototerapia e Eletroterapia, Contenções Elásticas e Hidroterapia. A avaliação é composta por testes práticos com casos clínicos enquadrados em diferentes contextos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórico-práticos: Os diferentes temas e apresentação de estudos de caso em sala de aula serão transmitidos em formato expositivo e / ou de discussão para permitir a aquisição pelo aluno de conhecimentos teóricos e práticos dos princípios específicos, terminologia, anatomia, biomecânica. e fisiologia utilizada no contexto da Termoterapia, Fototerapia e Eletroterapia, Contenções Elásticas e Hidroterapia.
Prática: Os tópicos abordados na aula serão expostos de forma demonstrativa e repetidamente praticada para que os alunos possam realizar as habilidades de avaliação, planeamento e implementação de técnicas e métodos de fisioterapia utilizados pela Termoterapia, Fototerapia e Eletroterapia, Contenções elásticas e Hidroterapia em diferentes contextos e casos clínicos.

Bibliografia:

1- Robertson, Val; Ward, Alex; Low, John; Reed, Ann (2009). Eletroterapia Explicada: Princípios e prática. 4ª Ed. Elsevier.
2-Kitchen, S., Bazin, S. (1998). Electroterapia de Clayton. 10ªEd. Manole
3- Kesson, M. e Atkins, E. (2002). Orthopaedic Medicine. Butterworth-Heinemann Ltd. London
4- Ombregt, L. e Bisschop, P. (2001). Atlas de exame ortopédico das articulações periféricas. Editora Manole. Brasil.
5-Ruoti, RG. Morris, DM. e Cole AJ. (2000). Reabilitação Aquática. Manole.
6- Knott, M.B.S., Voss,D.E. (1980). Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva. Editora Panamericana.

Objetivos de aprendizagem:

Esta unidade curricular tem por objetivo proporcionar conhecimentos sobre o funcionamento normal das estruturas constituintes do aparelho locomotor. O aluno deverá adquirir e demonstrar conhecimentos de Cinesiologia, ser capaz de executar uma análise cinética e cinemática completa do movimento humano e integrar esse conhecimento sob a forma de um raciocínio clínico adequado de modo a identificar padrões de movimento normais e patológicos.

Conteúdos programáticos:

Componente Teórica
1. Noções elementares de cinesiologia
2. Controlo neuromotor do movimento
3. Sistema ósseo
4. Articulações
5. O músculo esquelético
6. Cinesiologia segmentar – Biomecânica do membro superior:
7. Cinesiologia segmentar – Biomecânica da coluna vertebral:
8. Cinesiologia segmentar – Cintura escapular e pélvica
9. Cinesiologia segmentar – Biomecânica do membro inferior:
Prática
1. Introdução à cinesiologia
2. A artrologia na cinesiologia
3. A miologia na cinesiologia
4. Estratégias e instrumentos de análise cinemática
5. Identificação das estruturas, desequilíbrios musculares e análise cinemática da, glenoumeral, cotovelo, punho, mão, escápula, coluna vertebral, cintura pélvica, anca, joelho, tornozelo, pé e análise da marcha

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórica: Os conceitos de Miologia, Artrologia, Anatomia e Biomecânica são integrados no estudo do movimento humano através do desenvolvimento dos conceitos de Cinesiologia, possibilitando que os alunos desenvolvam a capacidade de compreender as diferenças entre o movimento normal e o movimento patológico dos diferentes segmentos corporais.
Prática: A demonstração prática e o treino das diferentes técnicas de técnicas de palpação, avaliação e de análise cinesiológica usadas na prática fisioterapia, permite aos alunos desenvolver capacidades de análise cinética e cinemática do movimento humano e integrar esse conhecimento sob a forma de um raciocínio clínico adequado, permitindo que o aluno desenvolva a capacidade de posteriormente distinguir em contextos reais, padrões de movimento funcionais de patológicos

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota final será calculada tendo em conta 50% da nota final teórica e 50% da nota final da componente prática.A avaliação será continua compreendendo momentos formais de avaliação teórico-pratica.
Teórica: Compreende aulas expositivas e/ou em formato de discussão com a apresentação de estudos de caso. A avaliação compreende duas provas escritas (50%+50%) onde são avaliados terminologia e conceitos teóricos na Cinesiologia.
Prática: Compreende aulas demonstrativas e prática repetida das técnicas de palpação, avaliação e de análise cinesiológica usadas na prática fisioterapia. A avaliação compreende duas provas práticas (50% + 50%) com casos clínicos enquadrados em diferentes contextos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórica: Os diferentes temas e a apresentação de estudos de caso na aula serão transmitidas de forma expositiva e/ou em formato de discussão de modo a permitir a aquisição, por parte do aluno, de conhecimentos teóricos, princípios e terminologias integrados no estudo da Cinesiologia.
Prática: Os temas abordados na aula serão expostos de forma demonstrativa e repetidamente praticados de modo que os alunos sejam capazes de executar uma análise cinética e cinemática do movimento humano e integrar esse conhecimento sob a forma de um raciocínio clínico adequado, permitindo que o aluno desenvolva a capacidade de posteriormente distinguir em contextos reais, padrões de movimento funcionais de patológicos.

Bibliografia:

1. Muscolino, JE. (2011). Kinesiology: The Skeletal System and Muscle Function. 2ª ed, Elsevier Mosby.
2. Lippert, L. (2003). Cinesiologia clínica para fisioterapeutas. 3ª ed, Guanabara. Rio de Janeiro.
3. Voight, M. et al. (2007).Musculoskeletal interventions: Techniques for therapeutic exercise. McGraw-Hill.
4. Kapandji , IA. (1997). Physiologie articulaire, Volume I, II e III. 5ª ed, Manoile..
5. Tixa, S. (2000). Atlas de anatomia palpatória do pescoço, do tronco e do membro superior. 1ª ed, Manole
6. Tixa, S. (2000). Atlas de anatomia palpatória do membro inferior. 1ª ed, Manole.
7. Knudson, DV e Morrison, CS. (2002). Qualitative analysis of human movement. 2ª ed, Human Kinetics.

Objetivos de aprendizagem:

Contribuir para a formação global, que permita avaliar o doente como um todo
Analisar a aplicabilidade dos conhecimentos a situações específicas
Estimular a capacidade de investigação e trabalho em equipa
NEUROLOGIA:
O1 – Adquirir conhecimentos básicos sobre síndromes, d. neurológicas e provas do exame neurológico
O2 - Reconhecer e interpretar alterações semiológicas
O3 - Adquirir conhecimentos gerais sobre patologias neurológicas
REUMATOLOGIA:
04 – Aprofundar conhecimentos sobre anatomofisiopatologia do sistema músculo-esquelético
05 – Adquirir conhecimentos gerais sobre patologias reumatológicas
PATOLOGIA GENITO URINARIA E OBSTETRICIA
06 – Fornecer os fundamentos de reabilitação do pavimento pélvico no tratamento e prevenção da incontinência urinária
PATOLOGIA ORTOPÉDICA E TRAUMATOLÓGICA
07 – Aprofundar conhecimentos básicos sobre anatomofisiologia do sistema osteoarticular aplicado à Orto-Traumatologia
08 – Adquirir conhecimentos gerais sobre patologias ortopédica

Conteúdos programáticos:

NEUROLOGIA
CP 1. Anatomofisiologia do SN; exame neurológico; síndromes e doenças neurológicas
CP 2. D. vascular cerebral
CP 3. D. inflamatórias/desmielinizantes
CP 4. D. neurodegenerativas
CP 5. D. da medula espinhal
CP 6. D. neuromusculares
REUMATOLOGIA
CP 7. Introdução e classificação das doenças reumáticas. Artrite Reumatóide
CP 8. Artropatias seronegativas
CP 9. Osteoartrose. Osteoporose
CP 10. D. tecido conjuntivo
CP 11. Artropatias microcristalinas, infeciosas e reativas
CP 12. Síndromes de Dor Crónica. Fibromialgia
PATOLOGIA GENITO-URINÁRIA E OBSTÉTRICA
CP 13. Anatomofisiologia da pelve e períneo
CP 14. Disfunções do pavimento pélvico. Incontinência urinária
CP 15. Gravidez e parto
ORTO-TRAUMATOLOGIA
CP 16. Patologia ortopédica e traumática da coluna vertebral
CP 17. Traumatologia do membro superior
CP 18. Patologia ortopédica do membro Superior
CP 19. Traumatologia do membro Inferior
CP 20. Patologia ortopédica do membro Inferior

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos (CP) foram delineados em função dos objetivos de aprendizagem (O) dos 4 módulos da unidade curricular, no sentido de promover junto dos alunos a aquisição de conhecimentos sobre as doenças, limitações e a dependência que lhes podem advir, e desenvolver as competências dos futuros fisioterapeutas no estabelecimento de planos individualizados para cada doente, encarado no seu todo, integrados em equipas multidisciplinares. Assim:
CP1 - O1 e O2
CP2, CP3, CP4, CP5, CP6 – O3
CP7 - O4
CP8, CP9, CP10, CP11, CP12 – O5
CP13, CP14, CP15 – O6
CP16, CP17, CP18, CP19, CP20 – O7 e O8

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Metodologia expositiva e participativa, com recurso a iconografia variada – slides, neuroimagem, vídeos, fotografias, discussão de casos, pesquisa bibliográfica, observação de cirurgias ortopédicas. Em cada módulo a avaliação é contínua, com um teste escrito cotado de 0 a 20, podendo ser a classificação ponderada pela assiduidade, participação e postura nas aulas. A avaliação final da UC com nota positiva requer média ponderada dos 4 módulos igual a 10, com exigência de notas mínimas parciais de 10 em pelo menos 3 módulos, podendo ser aceite uma nota de 8 num dos módulos, desde que a ponderação final seja 10. A ponderação resulta da carga horária semanal: Neurologia (38%), Ortopedia (38%), Reumatologia (14%) e Génito-Urinária e Obstétrica (10%). Irão a exame de final de semestre os alunos que não atingirem o resultado acima, devendo incluir conteúdos de cada módulo, exceto se for obtida nota negativa em 1 ou 2 módulos, caso em que serão avaliados por exame apenas nesses módulos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teórico-práticas, caracterizadas por metodologias expositivas mas também pelo desenvolvimento de dinâmicas de caráter mais participativo, facilitam a aquisição e o relacionamento de conceitos e a aplicabilidade dos conhecimentos no âmbito de atuação do fisioterapeuta, nomeadamente ao nível da identificação, avaliação e intervenção, promovendo o desenvolvimento de competências relacionadas com a construção de um raciocínio adequado e estruturado, com ligação à prática profissional. Deste modo, considera-se que o carácter amplo das metodologias de ensino adotadas, com recurso à apresentação, análise e discussão de temáticas nas aulas, à observação de meios complementares de diagnóstico, à observação de cirurgias, à discussão de casos clínicos, bem como a orientação em reflexões críticas e na pesquisa e leitura de bibliografia específica, está de acordo com a aprendizagem dos aspetos práticos gerais das patologias principais de diferentes sistemas do organismo, sendo coerentes com os objetivos definidos para esta unidade curricular.

Bibliografia:

Sá MJ (2014). Neurologia Clínica. Compreender as Doenças Neurológicas (2ª edição).
Vanderah T and Gould DJ (2015). Nolte's The Human Brain: An Introduction to its Functional Anatomy, 7th ed. Elsevier.
Fauci AS, Braunwald E, Kasper DL et al (2016). Harrison’s Principles of Internal Medicine. 19th ed. McGraw Hill.
Queirós MV. Reumatologia. Clínica e Terapêutica das Doenças Reumáticas Vol. 2-4 Lidel 2002.
Stephenson R; O’Connor L. (2004). Fisioterapia Aplicada à Ginecologia e Obstetrícia. 2ªEd. Manole. São Paulo.
Critérios Fundamentais em Fraturas e Ortopedia (3ª Edição), Luís M. Alvim Serra, Edições Lidel 2.
Rockwood and Green's Fractures in Adults (7th ed) Ed Robert W. Buchholz, Charles M. Court-Brown, James D. Heckman, Paul Tornet pp. 2174 Philadelphia: Lippincott, Williams & Wilkins, 2010
Campbell's Operative Orthopaedics (12th Ed), By S. Terry Canale, MD and James H. Beaty, MD
Encyclopédie Médico-Chirurgicale. Techniques chirurgicales - Orthopédie-Traumatologie, Ed. Masson.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

A Bioestatística propõe-se introduzir e desenvolver o conhecimento de técnicas de análise estatística, apresentando exemplos relevantes e situações realistas para ilustrar os conceitos. Procura-se ainda desenvolver no aluno o espírito crítico e de análise, relativamente aos resultados obtidos, de forma a estabelecer o grau de confiança nos mesmos.

Conteúdos programáticos:

Conceitos estatísticos básicos. Estatística descritiva: classificação de variáveis, distribuições de frequência, medidas de tendência central, de partição, de dispersão, de assimetria e de curtose. Correlação e Regressão linear. Variáveis aleatórias discretas e contínuas, função massa de probabilidade, densidade de probabilidade e de distribuição. Algumas distribuições de probabilidade teóricas para v.a. discretas e contínuas. Estimação por intervalo de confiança: valor médio, variância, proporção populacional, RR e OR. Dimensionamento de amostras. Ensaios de hipóteses paramétricos e não paramétricos: procedimento envolvido em ensaios de hipóteses, análise de erros, testes mais comuns.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A Bioestatística é um instrumento auxiliar da investigação científica em saúde. Os conteúdos programáticos selecionados são os de análise de dados exploratória e de inferência de qualquer investigação quantitativa, necessários para interpretar os resultados dos artigos de investigação e apresentar os seus próprios resultados.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Exposição e explicação oral dos conteúdos programáticos, com o apoio de meios audiovisuais.
Apelo a uma participação ativa por parte dos alunos, através de uma metodologia interrogativa.
Resolução de exercícios e leitura crítica de artigos.
A percentagem mínima de frequência das aulas teórico-práticas desta unidade curricular é de 50%, de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor na UFP.
A avaliação é periódica com dois testes, ambos com uma ponderação de 50%.
As datas das provas de avaliação serão marcadas no início do semestre.
A falta de comparência a uma prova de avaliação implica a classificação de zero para efeitos de cálculo da classificação final e a não atribuição dos ECTS da unidade curricular.
Os alunos que em avaliação contínua apresentem classificação final inferior a 10 valores são considerados não aprovados e têm direito a realizar um exame de fim de semestre e um exame de recurso, de toda a matéria da unidade curricular, em data a estipular pela UFP.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar os conceitos apreendidos. Deste modo, numa fase inicial, a exposição e explicação oral possibilitam a abordagem e compreensão dos conteúdos programáticos. As aulas privilegiam os métodos ativos e participativos, com vista a manter a atenção dos alunos e a desenvolver a sua capacidade crítica. A resolução de exercícios conduz a uma maior motivação dos alunos na aplicação e consolidação dos conhecimentos adquiridos. O apelo ao sentido crítico dos alunos na análise dos resultados potencia a sua capacidade de interligar os conhecimentos e interpretar adequadamente os resultados obtidos. A leitura crítica de artigos, com foco nas secções de materiais e métodos e de resultados, permite perceber como se escreve sobre os métodos de análise de dados e como se interpreta o resultado desses métodos através dos indicadores estatísticos obtidos.

Bibliografia:

[1] Daniel, WW; Cross, CL (2013) Biostatistics: A Foundation for Analysis in the Health Sciences, 10th ed., John Wiley and Sons.
[2] Dawson, B; Trapp, RG (2004) Basic & Clinical Biostatistics, 4th ed., Lange Basic Science – McGraw-Hill. [Dawson, B; Trapp, RG (2003) Bioestatística Básica e Clínica, 3ª ed., McGraw-Hill.]
[3] Schork, MA; Remington, RD (2000) Statistics with Applications to the Biological and Health Sciences, 3th ed., Prentice Hall.
[4] Gouveia de Oliveira, A (2014) Bioestatística Descodificada – Bioestatística, Epidemiologia e Investigação, 2ª ed., LIDEL.
[5] Loura, LCC; Martins, MEG (2012) Dossiê XIII - Estatística Descritiva com Excel – Complementos. ALEA - Instituto Nacional de Estatística. http://www.alea.pt/html/statofic/html/dossier/doc/dossie13a.pdf.

Objetivos de aprendizagem:

No Ensino Clínico II pretende-se que o aluno desenvolva a capacidade de;
a)Dominar os conhecimentos adquiridos, o funcionamento e dinâmica do serviço onde o aluno se insere;
b)Estabelecer relações terapêuticas com a equipa pluridisciplinar;
c)Desenvolver estratégias de educação para a saúde;
d)Prestar cuidados globais na comunidade;
e)Executar com correção as metodologias de tratamento e normas aprendidas;
f)Demonstrar conhecimentos teóricos e ser capaz de os integrar na prática clínica;
g)Compreender a organização e priorização dos cuidados;
h)Aplicar as metodologias de registo das práticas de Fisioterapia preconizadas na Instituição;
i)Demonstrar uma atitude crítico-reflexiva perante as práticas, desenvolvendo o raciocínio clínico;
j)Integrar os conhecimentos de ética e de deontologia profissional na prática dos cuidados, desenvolvendo a sua consciência e a sua identidade.

Conteúdos programáticos:

O Ensino Clínico II será dividido em 5 unidades letivas:
I. Fisioterapia no ambulatório: Cuidados gerais ao doente; Exame neuromúsculo-esquelético; Intervenção clínica.
II. Fisioterapia em contexto de grupo: Exame neuromúsculo-esquelético; Estratégias de educação e intervenção em contexto de grupo.
III. Fisioterapia na Senescência: Avaliação músculo-esquelética e antropométrica; Estratégias de educação e intervenção na senescência.
IV. Avaliação Neuromusculoesquelética: Rationale sobre parâmetros isocinéticos; Neurofisiologia, biomecânica e princípios biológicos do treino; Desenho e aplicação de protocolos.
V. Fisioterapia em Saúde ocupacional em contexto empresarial e escolar: Avaliação músculo-esquelética e antropométrica; estratégias de educação para a saúde.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A demonstração prática e o treino das diferentes técnicas de avaliação e procedimentos inerentes aos conteúdos adquiridos em contexto clínico, permite-lhes desenvolver capacidades de execução técnica e desenvolvimento de diferentes estratégias de intervenção.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

De forma a ser possível objetivar, tanto quanto possível, a Classificação Final do Ensino Clínico II, corresponderá à avaliação de todas as unidades letivas, para tal o aluno deverá entregar um relatório detalhado no final de cada componente, sendo a avaliação final calculada a partir do relatório e avaliação continua.
Em conformidade com o Regulamento Pedagógico da Universidade Fernando Pessoa, o aluno é considerado Aprovado à disciplina Estágio se obtiver uma classificação mínima de 10 valores

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A intervenção em contexto clínico decorrerá em diferentes contextos clínicos de modo que os alunos sejam capazes de executar os conhecimentos de avaliação, planificação e execução das técnicas e métodos de fisioterapia aprendidas.

Bibliografia:

Petit, N. J. (2007). Exame e avaliação neuro-músculo-esquelética : um manual para terapeutas 3ª ed. Loures : Lusodidacta.
Petit, N.J. e Moore, A.P. (2008).Princípios de intervenção e tratamento do sistema neuro-músculo-esquelético : um guia para terapeutas. Loures: Lusodidacta.
Artigos Científicos

Objetivos de aprendizagem:

A imagiologia aplicada é uma disciplina que visa preparar os alunos para a aprendizagem das patologias que podem e/ou são diagnosticadas pelos métodos imagiológicos disponíveis e fazer a ligação do diagnóstico com a terapêutica mais adequada. Saber integrar os conhecimentos e aplica-los na prática clínica e de investigação de forma auto-orientada e autónoma.

Conteúdos programáticos:

1. Radiologia convencional e métodos de pesquisa (RX)
a. Radioscopia
b. Mamografia
c. Densitometria
2. Ecografia
3. Tomografia axial computorizada (TAC)
4. Método de imagem por ressonância magnética (RM)
a. Sistema osteoarticular
b. Coluna vertebral
c. Tórax, abdómen e pélvis
d. Crânio

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A integração de conceitos da imagiologia aplicada, permite uma melhor integração do conhecimento teórico com a prática clínica. Capacitando o aluno para lidar com questões cada vez mais exigentes e complexas, quer do ponto de vista clínico como profissional, tornando-o cada vez mais autónomo do ponto de vista técnico e científico.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Compreende aulas expositivas e/ou em formato de discussão com a apresentação de estudos de caso,
A avaliação será contínua através das avaliações escritas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas expositivas e/ou em formato de discussão com a apresentação de estudos de caso, permitem dotar os alunos de aptidões específicas e essenciais à fisioterapia na leitura da imagem, contribuindo para a sua maior autonomia clínica e científica.

Bibliografia:

Higgens, Charles B.; Hevig ; Adams, Cleyde. (2006). Magnetic Ressonance imaging of the body; 3ª Ed: Lippincott-Raven. Philadelfia.
Monnier, JP et collaborateurs (1984).Radiodiagnostic. 3ª Édition Masson
Sousa, Luis Aires ; Joao Martins Pisco. (2006). Noções Fundamentais de Imagiologia, Edições Lidel 1ª Edição

Objetivos de aprendizagem:

Pretende-se com esta unidade curricular que o aluno seja capaz de avaliar um paciente do foro neuromusculoesquelético baseando-se num raciocínio lógico e fundamentado.
Após o término da unidade curricular o aluno deverá ser capaz de identificar e executar as diferentes técnicas abordadas na área da terapia manual e da prescrição do exercício clínico, conhecer as suas indicações e contraindicações, assim como integrar o conhecimento formulando um raciocínio clínico adequado dentro da Fisioterapia Neuromsculoesquelética. O raciocínio clínico deverá ser fundamentado pelos conceitos teórico-práticos adequados para a seleção de procedimentos de avaliação e tratamento.
Serão abordados diferentes métodos de avaliação e tratamento do sistema neuromusculoesquelético para que o aluno seja capaz de estruturar o seu próprio conhecimento.

Conteúdos programáticos:

Componente Teórico-Prático:
1.ASPECTOS GERAIS DA AVALIAÇÃO NEURO-MÚSCULO-ESQUELÉTICA
2.AVALIAÇÃO SUBJECTIVA DO PACIENTE DO FORO NEURO-MÚSCULO-ESQUELÉTICO
3.AVALIAÇÃO OBJECTIVA DO PACIENTE DO FORO NEURO-MÚSCULO-ESQUELÉTICO
4.PRINCIPIOS GERAIS DE INTERVENÇÃO NEURO-MÚSCULO-ESQUELÉTICA
5.MECANISMOS DE DOR
6.FUNÇÃO E DISFUNÇÃO DA ARTICULAÇÃO
7.PRINCÍPIOS DE TRATAMENTO DA ARTICULAÇÃO
8.FUNÇÃO E DISFUNÇÃO DO MÚSCULO
9.PRINCÍPIOS DE TRATAMENTO DO MÚSCULO
10.FUNÇÃO E DISFUNÇÃO DO NERVO
11.PRINCÍPIOS DE TRATAMENTO DO NERVO
12.BASES DA TERAPIA MANUAL
Componente Prático:
1.AVALIAÇÃO NEUROMUSCULOESQUELÉTICA:
1.1.Membro Superior
1.2.Membro Inferior
1.3.Coluna
2.TERAPIA MANUAL E EXERCÍCIO CLÍNICO:
2.1.Membro Superior
2.2.Membro Inferior
2.3.Coluna
3.CADEIAS MUSCULARES:
3.1.Cadeias do Tronco
4.NEURODINÂMICA CLÍNICA:
4.1.Neurobiomecânica
4.2.Fisiopatologia: Tensão Neural Adversa

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Tendo em conta os objetivos da unidade curricular foi selecionado um conjunto de temáticas que visam dotar os alunos de competências relativas à avaliação e tratamento de pacientes do foro neuromusculoesquelético.
A abordagem dos conteúdos teórico-práticos relativos à avaliação, disfunção e tratamento de cada um dos componentes do sistema neuromusculoesquelético, bases da terapia manual e da prescrição do exercício clínico, permitirá que os alunos desenvolvam capacidade de argumentação relativa à seleção e aplicação de procedimentos de avaliação e tratamento.
A abordagem dos conteúdos práticos relativos à avaliação e tratamento neuromusculoesquelético, cadeias musculares, neurodinâmica clínica e prescrição de exercício clínico permitirá que os alunos desenvolvam competências práticas relativas à execução de procedimentos de avaliação e tratamento adequadas aos pacientes do foro neuromusculoesquelético.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Componente teórico-prático:
Os conteúdos selecionados para este componente serão abordados de forma expositiva em aulas teórico-práticas, estimulando a participação ativa dos alunos sempre que possível e recorrendo a exemplos práticos que facilitem a sua compreensão.
Componente prático:
As temáticas propostas serão abordadas em aulas práticas onde serão demonstradas as técnicas de avaliação e tratamento, cadeias musculares, neurodinâmica e exercício clínico, que serão praticadas pelos alunos sob supervisão e correção constante.
Avaliação:
A avaliação do componente teórico-prático será através de um teste escrito que abordará os componentes lecionados e a avaliação do componente prático será através de testes práticos onde os alunos terão de demonstrar competências de execução das temáticas abordadas. Devido à predominância do componente prático, a ponderação na nota final do componente teórico-prático é de 30% e do componente prático é de 70%.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A abordagem expositiva dos aspetos teórico-práticos com participação ativa dos alunos permite a aquisição de conhecimento relativo aos fundamentos dos processos de avaliação e tratamento neuromusculoesquelético. A demonstração prática e prática supervisionada subsequente dos alunos permite a aquisição de competências práticas relativas aos procedimentos de avaliação, tratamento neuromusculoesquelético, cadeias musculares, neurodinâmica clínica e prescrição de exercício clínico. O componente teórico-prático correlacionará os seus conteúdos com o componente prático e o componente prático será baseado no componente teórico-prático, resultando na integração do conhecimento, permitindo a formulação de um raciocínio clínico adequado e fundamentado dentro da avaliação e tratamento neuromusculoesquelético.

Bibliografia:

1- Petty, N.J. (2007). Exame e Avaliação Neuro-músculo-esquelética – um manual para terapeutas. Lusodidacta. 3ª Edição. Loures
2- Petty, N.J. e Moore, A.P. (2007). Princípios de Intervenção e Tratamento do Sistema Neuro-músculo-esquelético – um guia para terapeutas. Lusodidacta. Loures
3- Shacklock, M. (2006). Neurodinâmica Clínica. São Paulo. Editora Elsevier
4- Maitland, G. (2007). Manipulação Vertebral. Editora Elsevier. 7ª edição. Rio de Janeiro
5- Kesson, M. e Atkins, E. (2002). Orthopaedic Medicine. Butterworth-Heinemann Ltd. London
6- Ombregt, L. e Bisschop, P. (2001).Atlas de exame ortopédico das articulações periféricas. Editora Manole. Brasil.

Objetivos de aprendizagem:

Unidade curricular que visa promover a compreensão de alguns dos aspetos de natureza psicológica na prática de Fisioterapia.
(i) Compreender a pessoa como um todo, na qual a doença é apenas um dos aspetos, refletindo assim sobre os conceitos de saúde e de doença numa perspetiva psicossocial;
(ii) Compreender a importância dos aspetos desenvolvimentais desde o nascimento até à senescência, proporcionando aprendizagens facilitadoras da aplicação destes conhecimentos à prática profissional;
(iii) Conhecer e ser capaz de identificar alguns dos fatores psicológicos envolvidos no adoecer corporal.

Conteúdos programáticos:

Unidade Letiva 1.
Psicologia da Saúde: Enquadramento Epistemológico
Conceito e Contexto
Contributos da Psicologia
Abordagem Ecológica do Desenvolvimento Humano (Bronfenbrenner)
Modelo Biopsicossocial de Saúde e de Doença (Engle)
Unidade Letiva 2. Crenças de Saúde e Cognições de Doença
Fatores Psicológicos e Sociais ligados à Saúde e à Doença
Modelos de Compreensão dos Comportamentos de Saúde e de Doença
Unidade Letiva 3.
Tarefas de Desenvolvimento e Transições de Vida
Estudo do Desenvolvimento Epigenético
Doença e Hospitalização como Life-Events
Unidade Letiva 4.
Comunicação e Relação Terapêutica em Fisioterapia
Conceito de Cuidador na Perspectiva da Complexidade
Comunicação e Relação Terapêutica
Cuidados paliativos
Comunicação: Perícias e Estratégias de Comunicação Interpessoal; Comunicação de Más Notícias/Conspiração do Silêncio/Lidar com a Incerteza/Gestão da Esperança
A Comunicação na Equipa Interdisciplinar
Autocuidado dos Profissionais

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Sendo esta unidade uma disciplina de segundo ano, a integração dos conteúdos programáticos com os objetivos da aprendizagem é conseguida através de temáticas básicas que sustentam a dimensão psicológica na prática da physiotherapy e que servem de suporte para posteriores aprendizagens. Os conteúdos contemplam uma vertente teórica essencial à compreensão do indivíduo no seu contexto e na condição específica de adoecer, mas assumem uma dimensão prática para o desenvolvimento de competências transversais como são as competências de comunicação e relacionais.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia utilizada será sustentada na exposição teórica, na realização de role-playings e no trabalho de pequeno grupo. A avaliação consistirá em: 1.Realização de uma frequência final de semestre (que englobará questões de escolha múltipla e questões de desenvolvimento) que terá uma ponderação de 60% na nota final da unidade curricular. A obtenção de uma classificação igual ou inferior a 6 valores (nota mínima) implica, obrigatoriamente, a realização de exame de recurso no final do semestre. 2. Realização, em pequenos grupos (2 a 3 alunos), de um trabalho escrito (sob a forma de Poster e de desdobrável) a ser apresentado e discutido em sala de aula. Este trabalho terá a ponderação de 40% na nota final.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O método expositivo sustenta parte da dimensão mais teórica dos objetivos, mas é complementada com uma dimensão prática mais presente nos role-play e no trabalho de grupo. Estas duas metodologias facilitam o contacto com a dimensão comunicativa e relacional que deve ser básica num fisioterapeuta.

Bibliografia:

Freitas-Magalhães, A. (2019). Facial expression of emotion. In V. S. Ramachandran (Ed.), Encyclopedia of Human Behavior (Vol. 2, pp. 173–183). Oxford: Elsevier/Academic Press.
Freitas-Magalhães, A. (2016).Neuropsychophysiology of pain in the human face. In A. Freitas-Magalhães, (Ed.), Emotional expression: The brain and the face (Vol. 8, pp. 28–128). Porto: FEELab Science Books.
Freitas-Magalhães, A. (2020). A face da dor - estudos básicos e aplicados usando o FACS 3.0. Porto:FEELab Science Books.
Freitas-Magalhães, A. (2019). Facial brain: The maestro of emotion. Porto: FEELab Science Books.
Freitas-Magalhães, A. (2020). The neuroscience of pain: Brain, face and emotion. Porto: FEELab Sciences Books.
Freitas-Magalhães, A: (2020, 50th Ed.). The psychology of emotions. Porto: FEELab Science Books.
Freitas-Magalhães, A: (2020, 30ª Ed.). Inteligência facial. Porto: FEELab Science Books.
Ogden, J. (2004, 2ª ed.). Psicologia da saúde. Lisboa: Climepsi Editores.

Objetivos de aprendizagem:

O aluno deve:
- Demonstrar conhecimento do processo de desenvolvimento ao longo do ciclo vital.
- Descrever o desenvolvimento motor de forma estruturada referindo as diferentes fases ou períodos.
- Identificar e analisar factores que afectam o desenvolvimento, de forma a compreender a variabilidade do processo.
- Conhecer as diferentes formas de avaliação do desenvolvimento psicomotor.

Conteúdos programáticos:

História da Psicomotricidade. Abordagem da Ontogénese da Motricidade: Período Pré-embrionário; Período Fetal; Período Embrionário; Período Fetal; Período Neo-Natal. Desenvolvimento motor. Origem e desenvolvimento da linguagem. Distúrbios psicomotores e deficiências.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento das aprendizagens sobre o desenvolvimento motor e suas perturbações na área da fisioterapia (avaliação e intervenção).

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Teste escrito (80%) + Trabalho com apresentação oral (20%)
nota mínima em cada componente de avaliação tp = 8 valores

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento do desenvolvimento motor e psicomotor na prática profissional do fisioterapeuta;

Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e metodologias aplicadas à avaliação e intervenção ao longo da ciclo da vida.

Bibliografia:

Cordovil, R., João Barreiros (2014). Desenvolvimento Motor na Infância. Lisboa:FMH ed.
Fonseca, V. (2005). Desenvolvimento Psicomotor e Aprendizagem. Lisboa: Âncora ed
Fonseca, V. (1998). Psicomotricidade: filogénese, ontogénese e retrogénese. Ed. Artes Médicas (2ª edição) - Porto Alegre
Fonseca, V. (1995). Manual de observação psicomotora; significação psiconeurologica dos factores psicomotores. Ed. Artes Médicas - Porto Alegre.
Fonseca, V. (1998). Psicomotricidade: filogénese, ontogénese e retrogénese. Ed. Artes Médicas
Gallahue, D. Ozmun, J. (2005). Compreendendo o desenvolvimento motor bebês, crianças adolescentes e adultos. Phorte Editora
Vários (2001). O Mundo da Criança. Mc GrawHill Portugal 8º ed.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Teórico-prática: Dotar os alunos de conhecimentos que lhes permitam conhecer as terminologias, conceitos teóricos e identificar potenciais factores de risco no desporto, em situações neurológicas, em situações pediátricas e em geriatria, sendo capazes de elaborar um plano de avaliação, tratamento e prevenção para as diversas áreas, demonstrando a sua aplicação em diferentes situações clínicas.
Estágio: Os alunos, deverão ser capazes de avaliar, identificar e executar as técnicas de fisioterapia até então aprendidas e aplicá-las na prática clínica. Os alunos, deverão conhecer as suas indicações e contraindicações de cada técnica e formular um raciocínio clínico adequado que lhes permitam avaliar e tratar pacientes em situações clínicas reais de uma forma cada vez mais autónoma.

Conteúdos programáticos:

A. I. Clínica Integrada no Desporto: 1. Estudos de caso no Desporto, 2.1-2.10 Avaliação e tratamento: Entorse da Tibio-társica, Ligamentoplastia do LCA, Tendinopatia do Rotuliano e Osgood-Schlatter, Fasceíte Plantar, Rotura muscular do tricípete sural e do tendão de Aquiles, Epicondilites e epitrocleites, Conflitos no ombro, Lesões na coluna vertebral II. Clínica Integrada em Neurologia: 1-6. Metodologias de avaliação e intervenção num doente com Acidente Vascular Cerebral, Traumatismo Crânio Encefálico, Lesão Vértebro- Medular, Esclerose Múltipla, Doença de Parkinson e Lesões periféricas. III- Clínica integrada em Pediatria: 1. Desenvolvimento Motor da criança, 2. Torcicolo Muscular Congénito, 3. Paralisia Braquial Obstétrica 4. Displasia da anca, 5. Deformidades dos pés. IV. Clínica Integrada em Geriatria: 1. Estudos de caso de doentes Geriátricos, 2. Teorias do envelhecimento, 3. Alterações na senescência, 4. Avaliação funcional multidimensional. B. Estágio.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórico-prática: A introdução de conceitos teórico-práticos nas áreas do Desporto, Neurologia, Pediatria e Geriatria possibilita que o aluno desenvolva a capacidade de compreender a fundamentação científica de diferentes estratégias em diferentes áreas de intervenção da fisioterapia, permitindo que os alunos desenvolvam a capacidade de posteriormente identificar, em pacientes reais, durante o estágio, as práticas adequadas de acordo com um raciocínio clínico adequado em áreas chave da fisioterapia.
Estágio: Confrontado com diferentes situações clínicas, os alunos, deverão demonstrar conhecimento das diferentes técnicas de avaliação e tratamento, suas indicações e contraindicações e formular um raciocínio clínico adequado que lhes permitam avaliar e tratar pacientes em situações clínicas reais. Neste sentido, prepara o aluno para uma prática clínica cada vez mais autónoma.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota final será calculada tendo em conta 70% da nota final da prática e 30% da nota final da componente teórico-prática.
Teórico-prática: Compreende aulas expositivas e/ou em formato de discussão com a apresentação de estudos de caso. A avaliação compreende duas provas escritas (50%+50%) onde são avaliados a terminologia, conceitos teóricos e o raciocínio clínico aplicados na Clínica Integrada no Desporto, Neurologia, Respiratória e Geriatria.
Estágio: Compreende prática clínica supervisionada onde os alunos deverão aplicar as técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia aprendidas até então, em casos clínicos reais e em diferentes contextos. A avaliação compreenderá a prestação prática do aluno (75%) e a elaboração de um relatório final de estágio (20%) com a análise aprofundada de um dos estudos de caso (5%).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórico-prática: Compreende aulas expositivas e/ou em formato de discussão com a apresentação de estudos de caso em formato de discussão de modo a permitir a aquisição, por parte do aluno, de conhecimentos teórico-práticos da terminologia e raciocínio clínico aplicados na Clínica Integrada no Desporto, Neurologia, Pediatria e Geriatria.
Estagio: Através da prática clínica supervisionada os alunos deverão aplicar as técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia aprendidas até então, em casos clínicos reais e em diferentes contextos, formulando um raciocínio clínico adequado que lhes permitam avaliar e tratar pacientes em situações clínicas reais de uma forma cada vez mais autónoma.

Bibliografia:

1. Lieber, R.I. (1992 ) Muscle structure and function : implications for rehabilitation and sports medicine. USA: Williams & Wilkins.
2.Spirduso, W. (2004) Dimensões Físicas do Envelhecimento. Editora Manole Brasil.
3.Chiarello, B. Driusso, P.(2007) Fisioterapia Gerontológica. Editora Manole Brasil.
4.Stokes, M., Stack, E. (2011). Physical management for neurological condition. 3nd ed. Churchill Livingstone.
5.Sá, M.J. (2013).Neurologia Clínica. Compreender as Doenças neurológicas. 2ªed.Ed. UFP
6. Tecklin, J. S. (2008). Pediatric physical therapy. 4th ed. - Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins.

Objetivos de aprendizagem:

(i) Integrar conceitos, teorias e conhecimentos na área de integração europeia;
(ii) Desenvolver competências de interação que permitam aos alunos participar em sala de aula nos debates sobre fenómenos políticos contemporâneos e a participação portuguesa no processo europeu;
(iii) Selecionar métodos de gestão de informação capazes de orientar os alunos em leituras selecionadas sobre os assuntos europeus;
(iv) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita;
(v) Desenvolver competências de análise crítica e síntese sobre os fenómenos políticos contemporâneos e o processo de integração europeia.

Conteúdos programáticos:

CONTEÚDOS
UNIDADE LECTIVA I – Génese e evolução da União Europeia
1. O projeto europeu: passado-presente
2. Organizações internacionais e soberania: cooperação versus integração
3. O ‘motor’ da integração: etapas da integração económica
4. Dinâmica da integração: os alargamentos e o caso português
5. Dinâmica da integração: as revisões dos tratados
UNIDADE LECTIVA II – As instituições políticas: Portugal e União Europeia
6. O nível nacional: sistema político português
7. Organização do poder político: na União Europeia
7.1. Instituições e órgãos
8. Governação multi-nível: subsidiariedade; legitimidade democrática; eficácia
UNIDADE LECTIVA III – Políticas comunitárias e temáticas do debate europeu atual
9. Questões gerais sobre políticas comunitárias da actualidade
10. Temáticas do debate europeu.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

I – Com a apresentação do processo de integração europeia pretende-se motivar os alunos para o conhecimento dos fenómenos políticos contemporâneos, bem como promover a leitura crítica fundamentada sobre o processo de integração europeia.
II – A apresentação das instituições políticas europeias visa a compreensão do modelo institucional da União Europeia (UE), bem como promover uma leitura crítica da integração europeia, na dimensão institucional.
III - O conhecimento e reflexão crítica sobre a política europeia e sua relação com o nível nacional sustentam-se num conhecimento de base da história, instituições e políticas da União Europeia.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teórico-práticas com diálogo e intervenções dos alunos como parte da aprendizagem.
Avaliação contínua: 1 teste escrito + trabalho.
O teste escrito visa um controle escrito da aprendizagem - a dimensão das turmas e a carga horária semanal (uma sessão) justificam essa opção. O trabalho complementa as aprendizagens de forma mais ativa. Os alunos em avaliação continua terão que cumprir os dois quesitos.
Percentagens dos elementos de avaliação: teste (75%) + trabalho (25%).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A metodologia adotada visa despertar o interesse e ajudar a consolidar os conhecimentos dos alunos.
O teste e trabalho pretendem produzir, com objetividade, indicadores das aprendizagens.

Bibliografia:

1 CARDOSO, C., et al. (2017). A União Europeia: História, Instituições e Políticas. 5ª ed. Porto: UFP
2 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA
https://www.parlamento.pt/Legislacao/Paginas/ConstituicaoRepublicaPortuguesa.aspx
3 JONES, E., MENON, A. e WEATHERILL, S. (2014). The Oxford Handbook of the European Union. Oxford: OUP
4 Journal of Common Market Studies (B-On)
5 MATEUS, A. (coord.) (2015). Três décadas de Portugal Europeu. Balanço e Perspetivas. Lisboa: FFMS
6 RAMOS, C.T., VILA MAIOR, P. e LEITE I.C. (eds.) (2020). O Parlamento Europeu e as Eleições Europeias: Ensaios sobre Legitimidade Democrática. Óbidos: Aletheia
7 TEIXEIRA, C.P. (2017). O Sistema Politico Português. Uma perspetiva comparada. Cascais: Principia
8 WALLACE, H. et al. (2020). Policy-Making in the European Union. 8ª ed. Oxford: OUP

Objetivos de aprendizagem:

O Ensino Clínico III inclui-se na perspetiva de aprendizagem em contexto da prática clínica real. Como tal, pretende-se que o aluno no estágio desenvolva a capacidade de prestar cuidados de fisioterapia selecionando e executando os procedimentos terapêuticos adequados, identificando as suas indicações e contraindicações. Neste contexto pretende-se que o aluno desenvolva uma consciência contributiva para o reforço da identidade e desenvolvimento profissional.

Conteúdos programáticos:

a. Cuidados gerais ao doente
b. Avaliação neuromusculoesquelética (goniometria, testes musculares parâmetros tais como, análise postural e ergonómica, análise da marcha; perimetria; avaliação sensorial, avaliação do tónus, avaliação segundo diversos métodos: Cyriax, Maitland, Mulligan, conceito de Bobath)
c. Intervenção clínica de modalidades terapêuticas, exercício terapêutico, correspondentes aos conteúdos programáticos lecionados até ao momento
d. Educação e aconselhamento ao doente/cliente e família
e. Participação em trabalho com uma equipa multidisciplinar
f. Elaboração de um documento atualizado em formato escrito - dossier de estágio que contemple os relatórios de doente/cliente
g. Participação em atividades de formação na clínica pedagógica e noutras instituições externas

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A demonstração prática e o treino das diferentes técnicas de avaliação e procedimentos inerentes aos conteúdos adquiridos em contexto clínico, permite-lhes desenvolver capacidades de execução técnica e desenvolvimento de diferentes estratégias de intervenção e quais as melhores práticas a serem executadas no paciente, formulando um raciocínio clínico adequado.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota final do Ensino Clínico III será dada com os seguintes fatores de ponderação: Performance do aluno (40%) e Dossier de Estágio (45%) e apresentação do Estudo de Caso (15%).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A intervenção em contexto clínico será em diferentes casos clínicos de modo que os alunos sejam capazes de executar os conhecimentos de avaliação, planificação e execução das técnicas e métodos de fisioterapia aprendidas.

Bibliografia:

Petty, N.J. (2007). Exame e avaliação neuro-músculo-esquelética : um manual para terapeutas 3ª ed. Loures : Lusodidacta.
Petty, N.J. e Moore, A.P. (2008). Princípios de intervenção e tratamento do sistema neuro-músculo-esquelético : um guia para terapeutas. Loures: Lusodidacta.
Artigos Científicos

Objetivos de aprendizagem:

Objectivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)
(i) Compreender o contexto ético-cultural no qual estão enquadrados.
(ii) Saber aplicar os conhecimentos ético-deontológicos adquiridos, de forma a evidenciar uma abordagem profissional ética ao trabalho desenvolvido na sua área da fisioterapia;
(iii) Saber recolher, selecionar e interpretar a informação relevante, particularmente na sua área de formação, que os habilite a fundamentarem eticamente as soluções que preconizam e os juízos que emitem;
(iv) Saber resolver problemas ético-deontológicos no âmbito da sua área de formação e saber construir e fundamentar a sua própria argumentação ético-deontológica

Conteúdos programáticos:

1ª Unidade - Conceitos fundamentais para o desenvolvimento do raciocínio ético: 1.1. Definições de ética, deontologia e moral.1.2 A regra de ouro da ética. 1.3. Comunicação e humanização
2ª Unidade – Deontologia profissional:
2.1. Os quatro princípios prima facie: 2.1.1 Beneficência; 2.1.2. Não-maleficência; 2.1.3. Justiça; 2.1.4. 2.2. Processo de tomada de decisão ética; 2.3. Qualidade em Fisioterapia e Princípios e Responsabilidades Éticas dos Fisioterapeutas; 2.3. Apresentação de casos clínicos e aplicação dos Padrões de Qualidade e Princípios e Responsabilidades Éticas dos Fisioterapeutas da Associação Portuguesa de Fisioterapeutas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Un. 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de matérias teóricas específicas da ética e da bioética, permitindo, deste modo atingir os objetivos da unidade curricular, isto é: integrar conhecimentos, competências e capacidades para uma atuação ética.
Un. 2 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento da aplicação teórico-prática dos conhecimentos no domínio da deontologia, permitindo atingir os objetivos da unidade curricular, isto é: saber aplicar os conhecimentos ético-deontológicos adquiridos, de forma a evidenciar uma abordagem profissional ética ao trabalho desenvolvido na área da fisioterapia; saber recolher, selecionar e interpretar a informação relevante, particularmente na sua área de formação, que os habilite a fundamentarem eticamente as soluções que preconizam e os juízos que emitem; saber resolver problemas ético-deontológicos no âmbito da sua área de formação e saber construir e fundamentar a sua própria argumentação ético-deontológica.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será periódica, baseando-se na realização de duas provas escritas (a primeira, de índole teórica e a segunda, de índole teórico-prática, consistindo na resolução de um dilema), assim como na participação do aluno em tarefas teórico-práticas em sala de aula. A nota final basear-se-á ma média simples das duas provas escritas (50%+50%)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1- Exposição teórica dos conceitos de ética, deontologia e moral, bem como da relação e diferença entre todos eles. Abordagem teórica da necessidade de empatia com o sofrimento dos outros. Exposição teórica sobre os quatro princípios prima facie enfatizando a sua relevância para o exercício profissional dos fisioterapeutas. Leituras de textos fundamentais. Exercício teórico de consolidação dos conhecimentos adquiridos na unidade 1.
Unidade 2 – Exposição da estrutura e etapas do processo de tomada de decisão ética. Apresentação da estrutura, princípios gerais, princípios específicos e diversas secções dos Padrões de Prática da Associação Portuguesa de Fisioterapia. Exercício teórico de consolidação dos conhecimentos adquiridos na unidade 2 (resolução de um dilema ético em fisioterapia).

Bibliografia:

Associação Portuguesa de Fisioterapeutas (2015). Qualidade em Fisioterapia: http://www.apfisio.pt/wp-content/uploads/2018/11/Qualidade_em_Fisioterapia.pdf
Associação Portuguesa de Fisioterapeutas (2021). Princípios e Responsabilidades Éticas dos Fisioterapeutas: http://www.apfisio.pt/wp-content/uploads/2021/04/Princ%C3%ADpios-e-Responsabilidades-%C3%89ticas-dos-Fisioterapeutas.pdf
EaD UNIVALI/EDUCON • SUPERIOR DE TECNOLOGIA, Moral e Ética: https://www.unitins.br/bibliotecamidia/Files/Documento/AVA_634274281944622778aula_6___apostila___inf_e_soc___tads_t2007.pdf
Motta, O.J.R. e Paulo, A.J.S. (2020). Bioética E O Principialismo de Beauchamp e Childress: Noções, Reflexões E Críticas. Braz. J. Hea. Ver 3 (2) 2436-2448.
Zanon, A. (2020). O princípio da alteridade de Lévinas como fundamento para a responsabilidade ética. Perseitas, 8. pp. 75-103.
Toldy,T. & Estrada,R.(2017),"A vulnerabilidade como lugar ético: sobre De Profundis, Valsa Lenta, de José Cardoso Pires",in:Didaskalia,11: 235-242.

Objetivos de aprendizagem:

Dotar os alunos de conhecimentos e capacidade de compreensão ao nível da análise dos componentes do movimento normal/funcional humano integrando os conhecimentos de neuroanatomia, biomecânica e neurofisiologia e aplicando-os na avaliação e tratamento de doentes neurológicos (adultos e crianças).
O aluno no final deverá ser capaz de avaliar, identificar e executar os diferentes métodos/ técnicas/abordagens de fisioterapia e aplicá-las nos contextos e casos clínicos de doentes neurológicos e pediátricos. O aluno deverá conhecer as indicações e contra-indicações de cada método/técnica/abordagem e formular um raciocínio clínico adequado que lhes permitam avaliar e tratar os pacientes.

Conteúdos programáticos:

Teórico-prática: Divisão funcional do Sistema Nervoso; Sistema somatosensorial, Visão e Equilíbrio; Estruturas do SN e relevância; CPG´s; Reorganização do SNC após lesão e consequências; Neuroplasticidade. Prática: I.Intervenção em Adultos com Disfunções Neurológicas: Métodos/estratégias de avaliação e intervenção em doentes com alteração do tónus; Conceito de Bobath; Outras abordagens terapêuticas: Carr & Shepherd, CIMT, BrunnstrÖm, Perfetti, Margareth Johnstone, Rood . II.Intervenção em Crianças com Paralisia Cerebral e outras condições: Métodos e técnicas de e avaliação, Conceito de tratamento do Neurodesenvolvimento – Bobath .III. Equitação Terapêutica

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórico-prática: O aprofundamento de conceitos teórico-práticos abordados possibilita ao aluno compreender a fundamentação científica que baseia a intervenção terapêutica em doentes neurológicos (adultos e crianças). Prática: A prática dos métodos de avaliação/procedimentos dos conteúdos de Intervenção em adultos com disfunções neurológicas, Intervenção em Crianças com Paralisia Cerebral e Equitação Terapêutica permite ao aluno desenvolver capacidades de execução técnica e diferentes estratégias de intervenção. O conhecimento das indicações e contra-indicações destas abordagens permite-lhe desenvolver capacidade de formular um raciocínio clínico adequado e executar, em contexto real, as melhores práticas no paciente neurológico.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota final será calculada tendo em conta 70% da nota final da prática e 30% da nota final da componente teórica-prática.
Teórica-prática: Compreende aulas expositivas e/ou em formato de discussão dos temas propostos. A avaliação compreende duas provas escritas (50% + 50%) onde são avaliados os pressupostos teórico-práticos e fundamentação científica que baseiam a intervenção do fisioterapeuta em adultos com disfunções neurológicas, em Crianças com Paralisia Cerebral e outras disfunções e na Equitação Terapêutica.
Prática: Compreende aulas demonstrativas e prática repetida das técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia usadas na prática da intervenção em adultos com disfunções neurológicas Intervenção em Crianças com Paralisia Cerebral e outras disfunções práticas (50% + 50%) com casos clínicos enquadrados nos diferentes contextos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórico-prática: O formato expositivo e/ou em discussão de temas permite a aquisição/aprofundamento, por parte do aluno, dos pressupostos teórico-práticos e fundamentação científica que baseiam a intervenção do fisioterapeuta em adultos com disfunções neurológicas, em Crianças com Paralisia Cerebral e outras disfunções e na Equitação Terapêutica. O formato de discussão de temas sobre os pressupostos teórico-práticos e fundamentação científica que baseiam as diferentes intervenções permite ainda desenvolver nos alunos a capacidade de análise crítica sobre as melhores práticas clínicas a ter em doentes neurológicos e pediátricos e potenciar o estudo sobre os conteúdos debatidos.
Prática: A forma demonstrativa/interactiva das aulas permitindo uma prática repetida e orientada dos conhecimentos inerentes à avaliação, planificação e execução das técnicas e métodos de fisioterapia usados na intervenção em adultos com disfunções neurológicas, em Crianças com Paralisia Cerebral e outras disfunções e na equitação terapêutica permite aos alunos desenvolver capacidades manuais e de raciocínio clínico essenciais a uma futura prática clínica em contexto real.

Bibliografia:

1. Carr, l. J. (2005). Definition and classification of cerebral palsy. Dev. Med. Child Neurology.47:508-510
2. Edwards, S. (2002). Fisioterapia Neurológica. Lusociência.
3. Gjelsvik, B. E., Syre, L. (2016). The Bobath Concept in Adult Neurology. Second edition.Thieme
4. Palisano, R. J. (2004) Movement sciences: transfer of knowledge into pediatric therapy practice. The Haworth Press.
7. Sá,M (coord.) (2013). Neurologia clínica. Compreender as doenças neurológicas. 2ª ed.Edições Fernando Pessoa
8. Silva C. H.; Grubits, S. (2004) Discussão sobre o efeito positivo da equoterapia em crianças cegas. PSIC - Revista de Psicologia da Vetor Editora, Vol. 5, nº.2, 2004, pp. 06-13
9. Tecklin, J. S. (2008). Pediatric physical therapy. 4th edition. Philadelphia, Lippincott Williams & Wilkins.

Objetivos de aprendizagem:

OA1- Compreender o papel da epidemiologia na prática clínica e na saúde pública e das medidas profiláticas, a nível individual e coletivo;
OA2- Descrever as medidas de saúde e doença, saber calculá-las e aplicá-las de forma correta;
OA3- Descrever os principais desenhos epidemiológicos, indicar a sua correta aplicabilidade e interpretar seus resultados. Saber diferenciar na prática os principais desenhos epidemiológicos;
OA4- Conhecer os passos de uma investigação epidemiológica. Diferenciar os tipos de erros mais comuns; compreender o conceito de validade dos dados; explicar o conceito de variável de confusão. Reconhecer os erros mais comuns em estudos epidemiológicos;
OA5- Definir os conceitos e as aplicações mais comuns de associação estatística e de causalidade. Compreender o significado dos diferentes postulados no estudo da causalidade.

Conteúdos programáticos:

CP1. Importância da epidemiologia na saúde. História e conceito. Objetivos e usos da epidemiologia. História natural da doença. Profilaxia e medidas profiláticas. Epidemiologia na prática clínica e na saúde pública.
CP2. Medir saúde e doença: medidas de frequência (prevalências; probabilidade de incidência e taxa de incidência); medidas de associação (OR, RR e r).
CP3. Tipologia de investigação epidemiológica: Estudos experimentais, quase-experimentais e observacionais (descritivos e analíticos). Atuação profissional baseada na prova científica (evidência).
CP4. Planeamento dos estudos - alguns desafios: erros sistemáticos; erros aleatórios; confundimento. Validade da informação.
CP5. Inferência causal. Modelos e critérios de causalidade.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

CP1. Importância da epidemiologia e da profilaxia na saúde.
Visa atingir OA1
CP2. Medir saúde e doença.
Visa atingir OA2
CP3. Tipologia de investigação epidemiológica.
Visa atingir OA3
CP4. Planeamento dos estudos.
Visa atingir OA4
CP5. Inferência causal.
Visa atingir OA5

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

M1 - Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático (textos de apoio desenvolvidos pelo docente, artigos científicos ou outros de utilização livre e fichas de trabalho) que será disponibilizado aos alunos.
M2 - O material disponibilizado servirá de apoio para os estudos baseados em problemas que se introduzirá como ferramenta de ensino-aprendizagem.
M3 - Atividades de pesquisa autónoma que serão baseadas em questões de desenvolvimento e pesquisa.
M4 - Desenvolvimento de atividades de síntese dos conteúdos básicos, após exposição oral, onde os alunos terão um envolvimento pró-ativo.
Avaliação
Será constituída por 2 provas de avaliação sumativas, com ambas as componentes (T+TP, de igual ponderação). A primeira avaliação terá uma ponderação de 60% e a segunda avaliação uma ponderação de 40% da nota final. O aluno deverá obter média final igual ou superior a 9,5 valores. A percentagem mínima de frequência nas aulas é a estabelecida no Regulamento Pedagógico.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

M1 - Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático (textos de apoio desenvolvidos pelo docente, artigos científicos ou outros de utilização livre e fichas de trabalho) que será disponibilizado aos alunos. Para a prossecução de todos os objetivos.
M2 - O material disponibilizado servirá de apoio para os estudos baseados em problemas que se introduzirá como ferramenta de ensino-aprendizagem. Para a prossecução dos OA2 e OA3
M3 - Atividades de pesquisa autónoma que serão baseadas em questões de desenvolvimento e pesquisa. Para a prossecução dos OA1, OA4, OA5
M4 - Desenvolvimento de atividades de síntese dos conteúdos básicos, após exposição oral, onde os alunos terão um envolvimento pró-ativo. Para a prossecução de todos os objetivos.
A. Aulas Teórico-Práticas
A.1. Descrição: Combinam a dimensão teórica com a dimensão empírica no sentido de conjugar, sempre que possível, as conceções teóricas com a aplicabilidade prática.
A.2. Objetivo: Desenvolver aprendizagens contextualizadas em torno de questões fulcrais.
A aplicação das metodologias de ensino adotadas para a componente teórico-prática visa melhorar especificamente a capacidade de resolução de problemas, o treino dos cálculos implícitos e a identificação dos conceitos em cenário real. Adicionalmente, pretende-se também melhorar a interpretação e a análise crítica de resultados e da literatura científica, estimular os hábitos de pesquisa e a autoaprendizagem.
A abordagem dos temas articulando momentos de intervenção estruturada por parte dos docentes com períodos de apreciação coletiva em torno das questões em estudo e, de trabalho individual, pretende acentuar o facto de o desenvolvimento de aptidões e competências ser um processo holístico e contínuo de aprendizagem com um forte contributo de empenho e reflexão pessoal.

Bibliografia:

1. Gordis L. Epidemiology. 6 th ed., Elsevier Saunders, 2018. ISBN: 9780323552295.
2. Greenberg RS et al. Medical Epidemiology: Population Health and effective health care, 5th ed., McGraw Hill, 2015.
3. International Epidemiological Association. A Dictionary of Epidemiology. Porta M (Editor). 6th ed., Oxford University Press. 2014. ISBN-13: 978-0199976737.
4. Friedman, GD. Primer of Epidemiology, 5th ed. McGraw-Hill, 2004.
5. Beaglehole, R; Bonita, R; Kjellström, T. Basic Epidemiology, 2nd ed., WHO, 2006.
6. Hernández-Aguado, I; Gil, MA; Delgado-Rodriguez, M; Bolumar-Montrull, F. Manual de Epidemiologia y Salud Publica para Licenciaturas y Diplomaturas en Ciencia de la Salud, 2ª ed., Editorial Médica Panamericana, 2011.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Conferir aos alunos a capacidade de:
OA1. Identificar problemas económicos;
OA2. Perceber a forma de tomar decisões em Economia;
OA3. Distinguir entre problemas no âmbito da Macroeconomia e da Microeconomia;
OA4. Perceber a utilidade da utilização do modelo da procura e da oferta de mercado;
OA5. Aferir da utilidade/aplicabilidade dos conceitos e modelos da Economia na Saúde;
OA6. Ser capaz de fazer análise comparada dos sistemas de saúde;
OA7. Compreender os modelos alternativos de reforma de saúde;
OA8. Analisar criticamente a gestão das organizações de saúde.

Conteúdos programáticos:

CP1. O Estudo da Economia: Objeto e análise das decisões a tomar
1.1. Escolha e Escassez
1.2. Custo de oportunidade e análise marginal
1.3. Macroeconomia versus Microeconomia
CP2. Procura, Oferta e Equilíbrio de mercado
2.1. Procura de mercado
2.2. Oferta de Mercado
2.3. Equilíbrio de Mercado
CP3. Aplicabilidade e utilidade dos conceitos e modelos da Economia na Saúde
CP4. O Estado de Welfare e a generalização do direito à saúde: o Serviço Nacional de Saúde
CP5. O modelo gestionário e as suas implicações para as políticas e sistemas de saúde
CP6. Modelos de análise estratégica e Estratégia Organizacional em Organizações de Saúde

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Por CP:
1. Introduzir o conceito de “Problema Económico” e entender a Economia como Ciência, tendo por base a sua terminologia, modelos e hipóteses subjacentes. Diferenciar Macro de Microeconomia
2. A abordagem do modelo da procura e da oferta pretende constituir um exemplo de sustentação das decisões empresariais na teoria económica com o objetivo de procurar um referencial de análise consistente que identifique as relações causais entre decisões e resultados e permita prever em que circunstâncias é que uma determinada decisão produz um dado resultado
3. Aplicações e estudos de caso dos pontos 1 e 2
4. Compreender a evolução histórica para chegarmos à situação atual do SNS
5. Perceber as formas de financiamento da saúde em Portugal, identificar as suas lacunas e desafios futuros. Procurar a eficiência e eficácia na alocação de recursos
6. Interpretar os modelos de Estratégia Organizacional abordados, utilizando os diversos fatores que influenciam a estratégia em organizações de saúde

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

M1. A exposição dos conteúdos teóricos é feita com recurso a exemplos de forma a melhor perceber as aplicações práticas dos conceitos. Estes recursos são todos disponibilizados aos estudantes.
M2. A avaliação é contínua com a realização de 2 testes:
- o 1.º teste incide na avaliação dos CP1, CP2, e CP3 (com um peso de 50%);
- o 2.º teste incide na avaliação dos CP4, CP5, e CP6 (com um peso de 50%).
A não realização de um momento de avaliação resulta numa classificação de 0 valores. O aluno ficará aprovado à unidade curricular se a classificação final for igual ou superior a 9,5 valores, caso contrário, será remetido para a época de exame de final de semestre.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Dada a natureza essencialmente teórica da matéria privilegia-se a exposição teórica com análise e discussão teórico-prática dos aspetos abordados.

Bibliografia:

Mankiw, N.G. (2014). Introdução à Economia. Tradução da 6ª edição Norte-americana. Cengage Learning.
Mata, J..Economia da Empresa. 9ª Edição. Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.
Samuelson, P. A. e Nordhaus, W. A. (2011). Economia. 19ª Edição. Mcgraw Hill/Bookman.
Morais, L. (2012). Liderança e estratégia – Casos de inovação nas organizações de saúde. Lisboa: Escolar Editora.
Mintzberg, H. et al. (2006). O processo da estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados, 4ª ed., Porto Alegre: Bookman.
Porter, M. e Lee, T. (2013). The Big Idea: The Strategy That Will Fix Health Care, Harvard Business Review.
Shortell, S. e Kaluzny, A. (2000). Health care management: organization design and behaviour, 4th. Columbia: Delmar.
Cordeiro, Silvério. (2010). Estruturas Organizacionais Emergentes de Parcerias Público-Privadas. Lisboa: Universidade Lusíada Editora.
Barros, P. (2013). Economia da Saúde: Conceitos e Comportamentos. 3ª Edição. Coimbra: Edições Almedina.

Objetivos de aprendizagem:

Compreender e integrar a dinâmica do serviço, estabelecer relações terapêuticas adequadas e a inter-relação entre os profissionais de saúde;
Integrar os conhecimentos de ética e de deontologia profissional na prática dos cuidados;
Desenvolver estratégias de educação/promoção para a saúde;
Demonstrar conhecimentos TP e integra-los na prática clínica, utilizar fontes de informação relacionadas com a prática;
Desenvolver a sua atividade sempre orientado e supervisionado pelo Docente Orientador, utilizando o método individual de trabalho;
Elaborar o exame do utente adequado e planear, executar e avaliar os cuidados (princípios da Fisioterapia baseada na evidência) demonstrando uma atitude crítico-reflexiva;
Gerir eficazmente o tempo e recursos disponíveis para a intervenção do utente;
Melhorar o raciocínio clínico de acordo com a experiência clinica;
Produzir um registo organizado, lógico, legível com linguagem técnica apropriada e
efetuar uma autorreflexão ao Ensino Clínico

Conteúdos programáticos:

Intervenção clínica em diferentes contextos: clínica, comunidade.
Intervenção clínica nos diferentes foros: músculo-esquelético, respiratório, neurológico, pediátrico.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Ao possibilitar a prática clínica pretende-se que o aluno no ensino clínico adquira um raciocino clínico fundamentado de forma a ser capaz de selecionar e executar as diferentes técnicas referentes às diferentes unidades letivas de forma adequada a cada caso clínico. O aluno deverá identificar as indicações e contraindicações das técnicas selecionadas.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Compreende prática clínica supervisionada onde os alunos deverão aplicar as técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia aprendidas, em casos clínicos reais e em diferentes contextos. A avaliação compreenderá a prestação prática do aluno, a elaboração de um dossier de estágio e com a análise aprofundada de estudos de caso.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Através da prática clínica supervisionada os alunos deverão aplicar as técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia aprendidas, em casos clínicos reais e em diferentes contextos, formulando um raciocínio clinico adequado que lhes permitam avaliar e tratar pacientes em situações clinicas reais de uma forma cada vez mais autónoma.

Bibliografia:

Petit, N.J. (2007). Exame e avaliação neuro-músculo-esquelética : um manual para terapeutas 3ª ed. Loures : Lusodidacta.
Petit, N.J. e Moore, A.P. (2008). Princípios de intervenção e tratamento do sistema neuro-músculo-esquelético : um guia para terapeutas. Loures: Lusodidacta.
Artigos Científicos

Objetivos de aprendizagem:

Dotar os alunos de conhecimentos e capacidade de compreensão e análise crítica da intervenção do fisioterapeuta em diferentes populações com condições específicas.
O aluno no final deverá ser capaz de avaliar, identificar e executar os diferentes métodos/ técnicas/abordagens de fisioterapia e aplicá-las nos contextos e casos clínicos de populações com condições específicas. O aluno deverá conhecer as indicações e contra-indicações de cada método/técnica/abordagem e formular um raciocínio clínico adequado que lhes permitam avaliar e tratar os pacientes com condições específicas.

Conteúdos programáticos:

I. Intervenção do Fisioterapeuta na Saúde da mulher. II. Fisioterapia do Pavimento Pélvico. III Reabilitação vestibular. IV Fisioterapia em condições de Pediatria

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O aprofundamento de conceitos teórico-práticos abordados possibilita ao aluno compreender a fundamentação científica que baseia a intervenção terapêutica em populações com condições específicas.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota final será calculada tendo em conta que cada temática (4 no total) vale 25% da nota final.
Compreende aulas expositivas e/ou em formato de discussão dos temas propostos. A avaliação compreende quatro provas escritas (25%+25%+25%+25%) onde são avaliados os pressupostos teórico-práticos e fundamentação científica que baseiam a : I. Intervenção do Fisioterapeuta na Saúde da mulher. II. Fisioterapia do Pavimento Pélvico. III Reabilitação vestibular. IV Pediatria

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O formato expositivo e/ou em discussão de temas permite a aquisição/aprofundamento, por parte do aluno, dos pressupostos teórico-práticos e fundamentação científica que baseiam: I. Intervenção do Fisioterapeuta na Saúde da mulher. II. Fisioterapia do Pavimento Pélvico. III Reabilitação vestibular. IV Pediatria. O formato de discussão de temas sobre os pressupostos teórico-práticos e fundamentação científica que baseiam as diferentes intervenções permite ainda desenvolver nos alunos a capacidade de análise crítica sobre as melhores práticas em populações com condições específicas.

Bibliografia:

1. Abrams, P., Andersson, K. E., Birder, L., Brubaker, L., Cardozo, L., & Chapple, C. (2010). Fourth International Consultation on Incontinence Recommendations of the International Scientific Committee: Evaluation and treatment of urinary incontinence, pelvic organ prolapse, and fecal incontinence. Neurourology Urodynamics, 29(1), 213-240.
2. Baracho, E. (2012). Fisioterapia aplicada à saúde da mulher. Editora Guanabara-Koogan
3. Bo, K. (2007). Evidence-based physical therapy for the pelvic floor: bridging science and clinical practice: Elsevier Health Sciences.
4. Herdman, S. (2000). Vestibular Rehabilitation. Contemporary perspectives in rehabilitation, USA.
5. WHO (2018). WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Geneva: World Health Organization; 2018. Licence: CC BY-NC-SA 3.0 IGO.
6. Tecklin, J. S. (2008). Pediatric physical therapy. 4th ed. - Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins.

Objetivos de aprendizagem:

Pretende-se facultar aos alunos ferramentas teóricas e práticas, com vista a um raciocínio clínico abrangente na área específica da Reabilitação Cardiorrespiratória.
Assim o aluno, no final, deverá desenvolver competências que lhe permitam ser capaz de identificar e executar as diferentes técnicas de Fisioterapia Cardiorrespiratória, prescrição de exercício em contexto cardiorrespiratório e educação do doente nas mais variadas situações e casos clínicos. Considera-se crucial que o aluno seja capaz de formular para cada caso, um raciocínio clinico adequado à avaliação e tratamento dos pacientes, não perdendo nunca de vista as indicações e contraindicações das técnicas pelas quais tomou opção.

Conteúdos programáticos:

1. Componente Teórica: Anatomofisiologia do sistema cardiorrespiratório, Mecânica ventilatória, Funções do coração e avaliação, Resposta fisiológica ao exercício,Patologia cardíaca e Respiratória,Exames complementares de diagnóstico,Avaliação e classificação do paciente cardiorrespiratório,Ventilação mecânica não invasiva, abordagem do Fisioterapeuta em cuidados intensivos.
2. Componente Prática:
2.1 Avaliação e tratamento em grupos específicos
a. Avaliação do candidato a um PRR
b. Testes laboratoriais/testes de terreno
c. Desempenho funcional, Capacidade de exercício
e. Casos clínicos
2.2 Prescrição do exercício e programas de reabilitação cardiorrespiratória
a. Avaliação do candidato a um PRCR
b. Desenho de PERCR
c. Prescrição de exercício
d. Casos clínicos
2.2 Fisioterapia Respiratória
a. Reeducação Manual da Ventilação,Técnicas de Mobilização Torácica, Técnicas de higiene intra e extra torácicas, Ortóteses Respiratórias,Aspiração de secreções

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos foram definidos em função dos objetivos e competências a serem adquiridos pelos estudantes. Os conteúdos programáticos incluem as principais abordagens multiobjectivo bem como técnicas específicas de avaliação e tratamento específicas que conferem ao aluno ferramentas para avaliação e tratamento no domínio da reabilitação cardiorrespiratória.
A demonstração da coerência entre os objetivos da unidade curricular e os conteúdos programáticos dividem-se entre a ação na componente prática (reconhecer, identificar, aplicar, desenvolver, etc.) e o conhecimento e compreensão de conteúdos na componente teórica.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota final será calculada tendo em conta 70% da nota final da prática e 30% da nota final da componente teórica-prática.
Teórica-prática: Compreende aulas expositivas e/ou em formato de discussão com a apresentação de estudos de caso. A avaliação compreende duas provas escritas (95%) e avaliação contínua (5%) onde são avaliados terminologia, conceitos teóricos e o raciocínio clínico aplicados nas temáticas lecionadas.
Prática: Compreende aulas demonstrativas e prática repetida das técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia usadas na prática das temáticas, Avaliação e tratamento em grupos específicos Prescrição do exercício e programas de reabilitação cardiorrespiratória e Fisioterapia respiratória.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino a aplicar nesta UC pautam-se principalmente pela adoção de estratégias de ensino/aprendizagem, centradas no aluno. Estas, visam genericamente estabelecer contextos de aprendizagem baseados no estudo e trabalho individual do aluno assim como na reflexão crítica e trabalho em equipa integrado numa equipa clinica.
A demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos da unidade curricular baseia-se na convicção que a sala de aula constitui para o aluno, o seu espaço laboratorial, individual, de experimentação e desenvolvimento das atividades expositivas e práticas que lhe são propostas, para além de canal de comunicação e partilha em contexto clinico e de turma.
As competências cognitivas são desenvolvidas através da exposição participativa e da resolução de exercícios na prática.
As competências de comunicação são adquiridas através de dinâmicas de grupo e das apresentações orais.

Bibliografia:

1.Heyward, V.H. (2006). Advanced Fitness Assessment and Exercise Prescription. 5th ed. Human Kinetics
2.Margareta, N. (2001) Biomecânica Básica do Sistema musculoesquelético. Edições Gunabara Koogan S.A
3. Deturk, W. (2007). Fisioterapia Cardiorrespiratória:baseada em evidências. Artmed
4. Couto, A. e Ferreira, J.M.R. (2004). Estudo Funcional Respiratório – Bases Fisiológicas e Aplicação na Prática Clínica. Lidel.
5. Postiaux, G .(2004). Fisioterapia Respiratória Pediátrica. Artmed

Objetivos de aprendizagem:

-Identificar as característias estruturais dos organismos eucariotas e procariotas
-Identificar os factores que influenciam o crescimnto dos microorganismos
-Vírus
-Princípios de genética microbiana
-Identificar e descrever os mjecanismos de infecção
-Antimicrobianos

Conteúdos programáticos:

O programa da disciplina de Microbiologia Geral irá abordar os conceitos base e fundamentais sobre o mundo microbiológico. Será dada especial ênfase à interdependência dos diversos conceitos de microbiologia estrutural, microbiologia funcional, relação parasita-hospedeiro e antimicrobianos.
-Identificar as característias estruturais dos organismos eucariotas e procariotas
-Identificar os factores que influenciam o crescimnto dos microorganismos
-Vírus
-Princípios de genética microbiana
-Identificar e descrever os mjecanismos de infecção
-Antimicrobianos

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos estão totalmente de acordo com o objetivo da unidade curricular. A carga horária de cada um dos conteúdos está também adequada à apredizagem dos objetivos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Forma de execução pedagógica: Exposição e debate dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula, orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada. Brainstorming sobre questões pertinentes relacionadas com a matéria exposta em sala de aula. Relativamente à componente laboratorial a aprendizagem resulta da excução labotorial dos trabalhos que reforçam a aprendizagem teórica.
Avaliação contínua.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino (exposição teórica, debate e orientação do estudo autónomo e trabalho laboratorial) estão totalmente de acordo com o objetivo da unidade curricular. A carga horária de cada um dos conteúdos está também adequada à apredizagem dos objetivos.

Bibliografia:

(1) Ferreira, W.F.C. and Sousa, J.C. – Microbiologia (vol. 1) – LIDEL, 2010
(2) Prescott, L., Harley, J.P., Klein, D.A. – Microbiology – McGraw-Hill, 6ª edição, 2004
(3) Sousa, J.C. – Antibióticos volume 1 – Edições UFP, 2016.
(4) Sousa, J.C., Cerqueira, F., Abreu, C. – Microbiologia. Protocolos laboratoriais, 2ª edição– Edições UFP, 2012.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Em Estágio o aluno deverá ter sempre presente a perspectiva de que os cuidados podem/devem englobar o cliente, a família, o grupo e a comunidade para que se torne um Fisioterapeuta capaz na área da prestação e da gestão dos cuidados. O aluno deverá ser capaz de identificar e executar as diferentes técnicas, conhecer as suas indicações e contra-indicações, assim como integrar o conhecimento formulando um raciocínio clínico adequado e baseado na melhor evidência disponível para atingir os objetivos estabelecidos. Dentro deste paradigma o aluno deverá desenvolver estratégias de educação e promoção da saúde, nos vários contextos clínicos.

Conteúdos programáticos:

Compreender o funcionamento/dinâmica do serviço; Estabelecer relações terapêuticas; Desenvolver estratégias de educação e promoção da saúde; Prestar cuidados globais, demonstrando compaixão e empatia; Executar com correção as normas aprendidas; Integrar os conhecimentos teóricos na prática clínica, gerindo eficazmente o tempo e recursos disponíveis; Compreender a priorização dos cuidados; Aplicar metodologias de registo adequadas; Demonstrar capacidade de relacionamento e comunicação com o paciente/família/elementos da equipa pluridisciplinar; Demonstrar atitude crítico-reflexiva nas práticas; Fomentar o desenvolvimento do raciocínio clínico; Integrar a ética e a deontologia profissional na prática dos cuidados; Desenvolver competências ao nível do diagnóstico diferencial, sendo igualmente capaz de definir prognósticos adequados.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórico-práticas: Ao transmitir conhecimentos e fomentar a discussão sobre as metodologias de investigação científica, normas de elaboração de projecto de investigação e metodologia descritiva e indutiva de análise de dados possibilita-se que os alunos adquiram a capacidade de analisar criticamente este processo e fomentar o futuro desenvolvimento profissional na elaboração do seu projecto de graduação final.
Estágio: Ao possibilitar a prática clínica pretende-se que o aluno no estágio adquira um raciocínio clínico fundamentado de forma a ser capaz de seleccionar e executar as diferentes técnicas referentes às diferentes unidades lectivas de forma adequada a cada caso clínico. O aluno deverá identificar as indicações e contra-indicações das técnicas seleccionadas.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Compreende prática clínica orientada, onde os alunos deverão aplicar as técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia aprendidas, em casos clínicos reais e em diferentes contextos. A avaliação compreenderá a prestação prática do aluno, a elaboração de um dossier de estágio, com a análise aprofundada dos diversos estudos de caso. A avaliação final inclui igualmente a ponderação relativa à classificação das diversas supervisões (avaliação dos dossiers clínicos e das reuniões de supervisão).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Através da prática clínica supervisionada os alunos deverão aplicar as técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia aprendidas, em casos clínicos reais e em diferentes contextos, formulando um raciocínio clínico adequado que lhes permitam avaliar e tratar pacientes em situações clínicas reais de uma forma cada vez mais autónoma.

Bibliografia:

Petty, N. (2007). Exame e Avaliação Neuromusculoesquelética – Um Manual para Terapeutas, 3ª edição, Loures: Lusodidacta.
Petty, N. e Moore, A. (2007). Princípios de Intervenção e Tratamento dos Sistema Neuromusculoesquelético – Um Guia para Terapeutas, 2ª edição, Loures: Lusodidacta.
Hicks,CM (2006) Métodos de Investigação para Terapeutas Clínicos – Concepção de Projectos de Aplicação e Análise, Lusociência – Edições Técnicas e Científicas.
Análise de diversos artigos científicos

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

a)Compreender e integrar-se no funcionamento/dinâmica do serviço
b)Desenvolver a capacidade de comunicação com as diversas situações/intervenientes, considerando os seus valores, nível educacional e religião
c)Integrar os princípios de ética/deontologia profissional
d)Demonstrar conhecimentos teóricos atualizados e integrá-los eficazmente na prática clínica
e)Demonstrar competências na avaliação e determinação de diagnóstico, assim como planear/executar as intervenções terapêuticas, integrando a melhor evidência científica disponível em condições médico-cirúrgicas
f)Gerir de forma eficaz o tempo e recursos disponíveis
g)Melhorar o raciocínio clínico para minimizar erros e promover os melhores resultados
h)Empoderar o utente para atingir o mais alto nível de funcionalidade e o seu envolvimento nos próprios cuidados
i)Produzir um registo organizado com linguagem técnica apropriada que assegure a correta transmissão dos aspetos relevantes da informação do utente

Conteúdos programáticos:

Ao possibilitar a prática clínica pretende-se que o aluno no ensino clínico adquira um raciocino clínico fundamentado de forma a ser capaz de selecionar e executar as diferentes técnicas referentes às diferentes unidades letivas de forma adequada a cada caso clínico. O aluno deverá identificar as indicações e contraindicações das técnicas selecionadas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Intervenção clínica em diferentes contextos: clínica, comunidade.
Intervenção clínica nos diferentes foros: músculo-esquelético, respiratório, neurológico, pediátrico.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Compreende prática clínica supervisionada onde os alunos deverão aplicar as técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia aprendidas, em casos clínicos reais e em diferentes contextos. A avaliação compreenderá a prestação prática do aluno, a elaboração de um dossier de estágio, com a análise aprofundada dos diversos estudos de caso. A avaliação final inclui igualmente a ponderação relativa à classificação das diversas supervisões (avaliação dos dossiers clínicos e das reuniões de supervisão).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Através da prática clínica supervisionada os alunos deverão aplicar as técnicas de avaliação e tratamento em fisioterapia aprendidas, em casos clínicos reais e em diferentes contextos, formulando um raciocínio clinico adequado que lhes permitam avaliar e tratar pacientes em situações clinicas reais de uma forma cada vez mais autónoma.

Bibliografia:

Petty, N. (2007). Exame e Avaliação Neuromusculoesquelética – Um Manual para Terapeutas, 3ª edição, Loures: Lusodidacta.
Petty, N. e Moore, A. (2007). Princípios de Intervenção e Tratamento dos Sistema Neuromusculoesquelético – Um Guia para Terapeutas, 2ª edição, Loures: Lusodidacta.
Hicks,CM (2006) Métodos de Investigação para Terapeutas Clínicos – Concepção de Projectos de Aplicação e Análise, Lusociência – Edições Técnicas e Científicas.
Análise de diversos artigos científicos