UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Nesta UC pretende-se: i) que os alunos adquiram conhecimentos gerais e capacidade de compreensão sobre a União Europeia e sobre a relação entre os níveis políticos nacional e europeu; ii) que desenvolvam uma visão fundada, crítica e construtiva da União Europeia, com aplicação nas suas vidas de cidadãos e de profissionais; iii) que desenvolvam a capacidade de recolher, selecionar e interpretar informação relevante; iv) que desenvolvam competências de comunicação oral e escrita.

Conteúdos programáticos:

UNIDADE LECTIVA I – Génese e evolução da União Europeia
1. O projeto europeu: passado-presente
2. Organizações internacionais e soberania: cooperação versus integração
3. O ‘motor’ da integração: etapas da integração económica
4. Dinâmica da integração: os alargamentos e o caso português
5. Dinâmica da integração: as revisões dos tratados
UNIDADE LECTIVA II – As instituições políticas: Portugal e União Europeia
6. O nível nacional: sistema político português
7. Organização do poder político: na União Europeia
7.1. Instituições e órgãos
8. Governação multi-nível: subsidiariedade; legitimidade democrática; eficácia
UNIDADE LECTIVA III: Políticas comunitárias e temáticas do debate europeu atual
9. Questões gerais sobre políticas comunitárias da actualidade
10. Temáticas do debate europeu.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O conhecimento e reflexão crítica sobre a política europeia e sua relação com o nível nacional requerem um conhecimento de base da história, instituições e políticas da União Europeia.
As competências de aplicação de conhecimentos pressupõem a aquisição de conhecimentos basilares sobre integração europeia.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teórico-práticas com diálogo e intervenções dos alunos como parte da aprendizagem.
Avaliação contínua: 2 testes escritos (50% + 50% da classificação final).
Debates livres sobre temas da atualidade europeia
O teste escrito visa um controle escrito da aprendizagem - a dimensão das turmas e a carga horária semanal (uma sessão) justificam essa opção.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A metodologia adoptada visa despertar o interesse e ajudar a consolidar os conhecimentos dos alunos.
Os testes pretendem produzir, com objectividade, indicadores das aprendizagens.

Bibliografia:

CAMPOS, J., PEREIRA, J. e CAMPOS, J-L (2014). Manual de Direito Europeu. 7ª ed. Coimbra: Coimbra Ed.
CARDOSO, C., et al. (2017). A União Europeia: História, Instituições e Políticas. 5ª ed. Porto: UFP
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA. https://www.parlamento.pt/Legislacao/Paginas/ConstituicaoRepublicaPortuguesa.aspx
FERNANDES, A-J. (2010). Introdução à Ciência Política. Teorias, Métodos e Temáticas. Porto: Porto Ed.
JONES, E., MENON, A. e WEATHERILL, S. (2014). The Oxford Handbook of the European Union. Oxford: OUP
Journal of Common Market Studies (B-On)
MATEUS, A. (coord.) (2015). Três décadas de Portugal Europeu. Balanço e Perspetivas. Lisboa: FFMS
WALLACE, H., POLLACK, M. e YOUNG, A. (2014). Policy-Making in the European Union. 7ª ed. Oxford: OUP

Objetivos de aprendizagem:

Esta unidade curricular procura desenvolver conhecimentos que permitam o aprofundar do enquadramento histórico da psicologia enquanto ciência ao longo dos últimos séculos:
OA1. Demonstrar familiaridade com conceitos e perspetivas teóricas históricas na área da psicologia;
OA2. Descrever e explicar os principais marcos de fundação da psicologia como ciência;
OA3. Descrever e explicar as principais correntes da psicologia;
OA4. Descrever e explicar o conceito de epistemologia;
OA5. Descrever e explicar a epistemologia da psicologia.

Conteúdos programáticos:

CP1. Introdução geral ao estudo da psicologia
1.1. Objecto
1.2. As origens da psicologia enquanto ciência
CP2. As grandes correntes da Psicologia no Séc. XX:
2.1. A Psicanálise de Freud e Carl Jung
2.2. O Behaviorismo de Pavlov, Thorndike, Watson e Skinner
2.3. O Modelo cognitivo-desenvolvimental de Jean Piaget e Vygotsky
2.4. A Psicologia da Gestalt de Wertheimer, Kohler e Koffka
2.5. A Abordagem Humanista de Carl Rogers
CP3. Introdução à Epistemologia da Psicologia
3.1. Bachelard e o novo espírito científico
3.2. O Neo-positivismo de Popper

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de matérias teóricas e metodológicas da história da psicologia, atingindo os seguintes objectivos: Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento histórico da Psicologia; Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia.
Unidade 2 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de teorias, conceitos e práticas de análise na área da epistemologia da psicologia atingindo os seguintes objectivos: Aquisição e desenvolvimento de competências académicas de recolha e organização de informação, de selecção de bibliografia relevante, de leitura crítica e compreensiva e de redacção de artigos científicos; Desenvolvimento de uma atitude crítica e auto-crítica e a adopção sistemática de valores éticos e deontológicos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá a exposição teórica-prática, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica à história e epistemologia da psicologia bem como debates temáticos e reflexões críticas.
Regime de Avaliação Contínua:
- 2 Frequências escritas, de duração de 90 minutos cada, com a ponderação de 40% cada, logo ponderação total de 80%;
- trabalho de investigação, escrito e respetiva apresentação e discussão em aula, incidindo numa temática inerente aos conteúdos programáticos, com uma ponderação de 20%.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de matérias teóricas e metodológicas da história da psicologia, atingindo os seguintes objectivos: Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento histórico da Psicologia; Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia.
Unidade 2 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de teorias, conceitos e práticas de análise na área da epistemologia da psicologia atingindo os seguintes objectivos: Aquisição e desenvolvimento de competências académicas de recolha e organização de informação, de selecção de bibliografia relevante, de leitura crítica e compreensiva e de redacção de artigos científicos; Desenvolvimento de uma atitude crítica e auto-crítica e a adopção sistemática de valores éticos e deontológicos.
Unidade 3 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de matérias teóricas e metodológicas da história da psicologia, atingindo os seguintes objectivos: Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento histórico da Psicologia; Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia.

Bibliografia:

1. Eysenck, M. W. & Keane, M. (2015). Cognitive psychology (7th ed.). Hove: Psychology Press.
2. Henley, T. (2018). An Introduction to the History of Psychology. Cengage Learning.
3. Lawson, R. & Graham, J. (2015). A History of Psychology. New York: Routledge.
4. Schultz, D. & Schultz, S. (2014). História da Psicologia Moderna. São Paulo: Trilhos.
5. Kuhn, T. (2009). Estrutura das revoluções científicas. Lisboa: Editora Guerra e Paz.
6. Starling, R. & Carvalho, K. (2016). Ciências do comportamento. Minas Gerais: Esetec Editores.
7. Woody, W. & Viney, W. (2017). A history of psychology. The emergence of science and applications. New York: Routledge Editions.

Objetivos de aprendizagem:

Competências genéricas: Comunicar, compreender e produzir mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais. Utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Adoptar a atitude introspectiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e económica da comunicação e as suas gramáticas específicas.

Conteúdos programáticos:

1. Situações socioprofissionais
1.1. Socialização
1.1.1. Apresentações e cumprimentos
1.1.2 Marcações e reservas
1.1.3 Viagens
2. Questões sociais atuais
2.1 Stresse, gestão de tempo
2.2 Amigos e família
3. Pesquisa sobre um dos temas: stresse, família, socialização, questões sociais atuais.
3.2 Redação uma comunicação
3.3. Apresentação oral

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Nota prévia: a disciplina é lecionada ao nível Upper-intermediate (B2), de acordo com o ‘Common European Framework of Reference’- CEFR
Esta unidade curricular pretende aprofundar o conhecimento e competências linguísticas e comunicativas dos alunos, com o fim de permitir consciência linguística sobre o funcionamento da língua. Visa ainda assegurar aptidões na área da comunicação, para melhorar a sua eficácia e fazer face a uma pluralidade de problemas e situações socioprofissionais. Pretende também o desenvolvimento de competências linguísticas previamente adquiridas, bem como a identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Avaliação contínua OU exame.
Aulas teórico-práticas, com ênfase nas competências instrumentais: dialogar, ouvir, ler e compreender mensagens em língua inglesa. A avaliação é contínua, constituída por dois testes escritos e por um trabalho oral, a apresentar no final do semestre. A nota final resulta da ponderação das várias prestações escritas e orais do estudante, bem como da sua participação nas atividades propostas. Assim sendo, os dois testes escritos correspondem a 50% (2 x 25%) (componente escrita) e a participação oral e apresentação do trabalho de projeto correspondem a 50% (componente oral).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

De forma a potenciar as competências específicas dos estudantes, a metodologia adoptada (com ênfase na avaliação contínua de conhecimento) incentiva as aquisições de tipo instrumental, designadamente comunicar oralmente e por escrito, identificar e compreender mensagens, utilizando a língua inglesa num conjunto de situações socioprofissionais, bem como no acesso ao conhecimento. As metodologias eminentemente práticas desta disciplina têm como objectivo levar os alunos a interpretar circunstâncias e fenómenos comunicacionais relativos aos diferentes contextos culturais e linguísticos, adquirindo experiência na recolha, identificação e interpretação de informação proveniente de diferentes contextos culturais, desenvolver deste modo a autonomia de trabalho em diferentes contextos culturais, levando a uma maior compreensão e adaptação a diferentes ambientes culturais em que a comunicação seja efectuada em língua inglesa

Bibliografia:

Redman, S. (2017) English Vocabulary in Use Pre-intermediate and Intermediate Book with Answers: Vocabulary Reference and Practice. Cambridge: C.U.P.
Doff, A; Thaine, C; Pucht, H; Stranks, J, et.al. (2015) English Empower Intermediate. Cambridge: CUP.
Eastwood, J. (2006). Oxford Practice Grammar – Intermediate. Oxford, Oxford University Press.
McCarthy, M. ; O'Dell, F. (2012) English Vocabulary in Use: Upper-intermediate. Cambridge: CUP.
Short, J. (2010) English for Psychology. Reding: Garnet Publishing.
Terry, P. & Philips, A. (2011) Progressive Skills in English- Level 3. Garnet Publishing.

Objetivos de aprendizagem:

1. Proporcionar conhecimento sobre os fundamentos epistemológicos da Ciência, bem como a capacidade de compreensão do seu lugar na sociedade;
2. Proporcionar conhecimento e compreensão sobre o método científico;
3. Proporcionar conhecimento dos diferentes paradigmas da Ciência, bem como a capacidade de aplicá-los à interpretação dos dados resultantes da investigação das Ciências Sociais;
4. Capacitar para a compreensão da pluralidade das Ciências Sociais e do seu lugar na interpretação da sociedade;
5. Proporcionar conhecimento sobre as teorias das Ciências Sociais e capacitar para, com recurso às mesmas, interpretar a realidade social e julgar a pertinência e limitações da aplicação de cada uma delas;
6. Capacitar para a compreensão teórica da dualidade Estrutura/Agência e para a sua aplicação prática à análise da realidade social.
7. Capacitar para comunicar os resultados da auto-aprendizagem, reflexão e interpretação acerca da realidade social.

Conteúdos programáticos:

1. A construção história das Ciências Sociais
O conhecimento popular.
O conhecimento religioso
O conhecimento filosófico
O conhecimento científico
2. A epistemologia e a Ciência
Os conceitos
A base ética da Ciência
Os valores da Ciência
3. O método científico
O conceito e os diferentes métodos.
4. Ciências Naturais vs Ciências Sociais
A problemática dos paradigmas
5. Da teoria à realidade empírica
Teoria, hipóteses, conceitos e sua operacionalização
6. As diversas Ciências Sociais
7. A dualidade estrutura/Agência
Perspectivas centradas na estrutura social
Perspectivas centradas na agência
8. A confluência das duas perspectivas

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os pontos 1 e 2 proporcionarão conhecimento sobre a História do pensamento científico, sobre os diferentes tipos de conhecimento e sobre os critérios de cientificidade. Cumprir-se-á, assim, o ponto 1 dos objectivos.
Os pontos 3 e 5 proporcionarão conhecimento sobre os fundamentos do método científico. Cumprir-se-á, assim, o ponto 2 dos objetivos.
Os pontos 4 e 6 centram-se na discussão em torno da Ciência e das diversas Ciências Sociais. Permitirão assim apresentar os diferentes paradigmas que enquadram a Ciência e as Ciências Sociais, a pluralidade destas e os seus particularismo, bem como a sua dimensão política e ideológica. Cumprirão assim os objetivos 3 e 4.
O ponto 7 apresentará as perspectivas teóricas que conferem mais importância à estrutura, bem como à agência. Assim se capacitará os alunos para a reflexão teórica sobre a dualidade estrutura/agência e sua aplicação prática das teorias ao estudo da sociedade. Cumprirão assim os pontos 5, 6 e 7.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Método expositivo e activo.
A leccionação da unidade curricular privilegiará a exposição teórica dos conteúdos programáticos que conferirão aos estudantes o conhecimento e a competência para posterior relfexão e participação em debate sobre as temáticas leccionadas.
Avaliação: 2 testes. A nota de cada um terá uma ponderação de 50% na nota final.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O recurso ao método expositivo será a melhor forma didática para transmitir aos alunos os conhecimentos referidos nos objectivos da unidade curricular. A posterior compreensão e a reflexão crítica dos alunos será estimulada pelo recurso ao método activo. Por este será solicitada aos alunos a participação em discussão sobre as temáticas contempladas no programa da unidade curricular.

Bibliografia:

Berberoglu, B. (2017). Social Theory. Classical and Contemporary. A Critical perspective, London: Routledge.
Dorsey, A. & Collier, R. (2018). Origins of Sociological Theory, Essex: ED-Tech Press.
Ferreira, J. (2013). Sociologia. Forte da casa, Forte da Casa, Escolar Editora.
Garcia, J. & Martins, H. (2019). Lições de Sociologia Clássica, Lisboa: Edições 70.
Giddens, A. (2013). Sociologia, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian.
Lemert, C. (2018). Social Theory. The Multicultural, Global, and classic readings, New York: Westview Press.
Ritzer, G. & Stepnisky, J. (2018). Modern Sociological Theory, London: Sage.
Santos, B. (1999). Um Discurso sobre as Ciências. Porto: Edições Afrontamento.

Objetivos de aprendizagem:

OA1. Compreender: (1) a filogenia e ontogenia do sistema nervoso e a fisiologia da comunicação neuronal; (2) a neurofisiologia das emoções, da dor, dos comportamentos e funções cognitivas; (3) as contribuições do ambiente e da genética em traços comportamentais, emocionais e cognitivos.
OA2. Compreender: (1) a importância das alterações das vias de neurotransmissão e outras alterações fisiológicas nas manifestações clínicas e orientação terapêutica de várias psicopatologias; (2) a fisiologia das drogas de abuso.
OA3. Aplicar os conhecimentos de forma crítica através da análise de exercícios práticos e de casos clínicos que poderão surgir em contexto profissional.
OA4. Desenvolver a capacidade de pesquisa bibliográfica, de seleção e organização de informação e o espírito crítico para encetar a investigação.
OA5. Desenvolver competências de comunicação oral e escrita.

Conteúdos programáticos:

CP1. Noções elementares da biologia e fisiologia do sistema nervoso (SN): filogénese e ontogénese do SN, componentes celulares, neurobiologia molecular e genética (impulso nervoso, neuroquímica e neuroendocrinologia). CP2. Processos psicofisiológicos: regulação de ritmos circadianos – o ciclo sono/vigília, psicofisiologia da motivação, psicofisiologia das emoções, perceção da dor – mecanismos básicos e motivacionais, psicofisiologia das interações sociais, psicofisiologia das funções cognitivas (atenção, aprendizagem e memória, processo de decisão, pensamento). CP3. Alterações das vias de neurotransmissão: psicofisiologia das perturbações do neurodesenvolvimento, das p. de humor, da ansiedade, p. psicóticas e das demências; psicofisiologia associada ao consumo de drogas de abuso.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O programa da UC foi elaborado, visando o aprofundamento de conhecimentos e de competências necessários ao exercício da psicologia no contexto clínico e da saúde. Assenta em 3 grupos de conteúdos programáticos (CP) definidos a partir dos 5 objetivos de aprendizagem (OA) que privilegiam as áreas de neuropsicologia, psicofisiologia e psicologia clínica. Observa-se coerência e correspondência entre os conteúdos programáticos e os OA da seguinte forma: CP1 – OA1 e OA3; CP2 – OA1 e OA3; CP3 – OA2 e OA3. Os objetivos OA4 e OA5 poderão ser atingidos em qualquer ponto do conteúdo programático, dependendo do tema escolhido pelo aluno para pesquisa bibliográfica e apresentação de seminário.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Durante as horas de contacto distribuídas em aulas teórico-práticas, tutoriais e outros serão apresentados de forma expositiva os conceitos que estão na base dos conteúdos programáticos. Os conhecimentos adquiridos serão aplicados na discussão de casos clínicos, na resolução de exercícios e problemas. São privilegiadas as metodologias de ensino participativa e ativa. As horas de não-contacto são dedicadas ao trabalho autónomo do aluno. O regime de avaliação da UC pode ser contínuo ou por exame final. Na avaliação contínua, e garantida a percentagem mínima de assiduidade definida nas normas regulamentares, são considerados os seguintes elementos: interesse e postura nas horas de contacto (10%), duas provas escritas (70%) e pesquisa bibliográfica e apresentação oral (20%). O aluno que não obtenha aprovação na avaliação contínua poderá realizar o exame escrito final (100%). Para a creditação dos ECTS, o aluno deverá obter classificação final igual ou superior a 9,5 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino adotadas são coerentes com os objetivos de aprendizagem (AO), permitindo ao aluno compreender as bases biológicas que suportam determinados processos psicofisiológicos, nomeadamente as capacidades cognitivas e as emoções, que podem ser moduladas farmacologicamente mas também por modulação ambiental, como por exemplo através de psicoterapias.
Os conteúdos programáticos serão inicialmente apresentados de forma expositiva e sistematizada, utilizando imagens e ilustrações exemplificativas sobre as células, o sistema nervoso e outros pontos do conteúdo programático. Os conhecimentos adquiridos serão aplicados na resolução de exercícios de caráter teórico-prático e na realização de debates temáticos orientados, convidando os alunos a participarem ativamente nas aulas. Nesta UC privilegiam-se, sempre que se justifique, as discussões e análises críticas de casos práticos/casos clínicos reais nos quais o aluno poderá relacionar os aspetos teóricos apreendidos com manifestações clínicas e abordagens terapêuticas utilizadas em diferentes psicopatologias. Serão apresentados trabalhos de investigação pertinentes na área da neuropsicologia, demonstrando-se a importância da metodologia experimental e das tecnologias de imagem atualmente utilizadas no estudo da atividade cerebral em diferentes contextos.
Serão realizadas fichas de trabalho individual e trabalhos em grupo que visam treinar as capacidades de pesquisa bibliográfica e de exposição oral.
As horas de não-contacto serão dedicadas ao trabalho autónomo do aluno, onde se pretende ver assegurada a leitura da bibliografia recomendada e a realização das atividades propostas (individuais e em grupo), de modo a aprofundar, consolidar e aplicar os conhecimentos e a desenvolver aptidões e competências nos domínios da psicofisiologia, neuropsicologia e psicologia clínica.
As diferentes metodologias utilizadas permitirão ao aluno atingir os OA propostos para a UC, objetivos que, na sua maioria, articulam conhecimentos, capacidades e competências. A coerência entre os OA e as metodologias de ensino (e de avaliação) adotadas concretiza-se do seguinte modo:
OA1, OA2 e OA3 – Métodos expositivo, participativo e ativo (prova escrita e participação ativa nas horas de contacto);
OA4 e OA5 – Orientação da pesquisa bibliográfica, seleção e organização da informação nas horas de contacto tutoriais (trabalho em grupo com apresentação oral e participação ativa nas horas de contacto).

Bibliografia:

1. Brandão, M.L. (2019). Psicofisiologia. (4ª edição). São Paulo: Editora Atheneu.
2. Eagleman, D. (2015). O cérebro – À descoberta de quem somos. (3ª edição). Alfragide: Editora Lua de papel.
3. American Psychiatric Association (2014). DSM-5: Manual de diagnóstico e estatística das perturbações mentais. Lxb: Climepsi.
4. Toy, E.C. & Klamen, D (2016). Case Files Psychiatry (5ª edição). New-York: McGraw-Hill
5. Saraiva, C.B., & Cerejeira J. (2014). Psiquiatria fundamental. (1ª edição). Lisboa: Lidel
6. Fenton, B.W., Shih, E. & Zolton, J. (2015). The neurobiology of pain perception in normal and persistent pain. Pain Management, 5(4), 297-317.
7. Fultz, N.E. et al (2019). Coupled electrophysiological, hemodynamic, and cerebrospinal fluid oscillations in human sleep. Science, 366, 628-631.
8. Gleitman, H. Fridlund, A.J. & Reisberg D. (2011). Psicologia. (9ª Edição). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Objetivos de aprendizagem:

O1) Adquirir um conhecimento básico dos principais modelos de compreensão dos processos do desenvolvimento da criança e do adolescente; (O2) conhecer e articular as principais teorias do desenvolvimento nestas etapas e posicionar-se criticamente face a elas. (O3) Identificar e compreender as caraterísticas do desenvolvimento percetivo, motor, cognitivo, emocional, linguístico, afetivo e da personalidade em cada grande etapa do desenvolvimento; (O4) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita; (O5) Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica bem como adotar valores éticos e deontológicos.

Conteúdos programáticos:

1ª Unidade – Psicologia do Desenvolvimento: Questões fundamentais
1.1. Psicologia do Desenvolvimento: Objeto, Métodos de investigação para o estudo do desenvolvimento; Modelos teóricos fundamentais.
2ª Unidade – Desenvolvimento na infância
2.1. Desenvolvimento no Período Pré-natal
2.1. Desenvolvimento físico e percetivo (conceitos chave)
2.2. Desenvolvimento cognitivo (abordagem operatória e do processamento da informação)
2.3. Desenvolvimento psicossocial (conceitos chave e principais abordagens teóricas)
3ª Unidade – Desenvolvimento na Adolescência
3.1. Desenvolvimento Físico e implicações psicológicas
3.2. Desenvolvimento Cognitivo, moral e da identidade (contribuições das neurociências, abordagem operatória e processamento da informação e outras abordagens teóricas)
3.3. Desenvolvimento Psicossocial (conceitos chave e principais abordagens teóricas).

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - São privilegiadas as matérias teóricas que servem de introdução ao estudo do desenvolvimento humano, permitindo, deste modo atingir os objetivos da unidade curricular.
Unidade 2 e 3: Os conteúdos programáticos privilegiam a abordagem de matérias teóricas específicas na área do desenvolvimento , permitindo atingir os objetivos da unidade curricular, mais especificamente: integrar conhecimentos, competências e capacidades para conhecer o desenvolvimento normal da infância à adolescência de uma forma holística tomando em linha de conta o contexto; identificar e compreender as caraterísticas e os padrões do desenvolvimento cognitivo, linguístico, percetivo, motor, social, afetivo e da personalidade em cada grande etapa do desenvolvimento; adquirir competências básicas de observação, assim como desenvolver uma atitude critica e adotar valores éticos e deontológicos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização e duas provas escritas (30% cada), na execução de um trabalho teórico-prático (10%), de grupo, na apresentação e discussão oral desse trabalho (20%), assim como na execução de tarefas teórico-práticas em sala de aula, e na pontualidade e a assiduidade do aluno (10%).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas que servem de introdução ao estudo do desenvolvimento humano, permitindo, deste modo atingir os objetivos da unidade curricular, mais especificamente: integrar conhecimentos, competências e capacidades quanto aos diversos teóricos do desenvolvimento e conhecer as principais técnicas e metodologias usadas na investigação da Psicologia do Desenvolvimento.
Unidade 2 e 3: Os conteúdos programáticos privilegiam a abordagem de matérias teóricas específicas na área do desenvolvimento , permitindo atingir os objetivos da unidade curricular, mais especificamente: integrar conhecimentos, competências e capacidades para conhecer o desenvolvimento normal da infância à adolescência de uma forma holística tomando em linha de conta o contexto; identificar e compreender as caraterísticas e os padrões do desenvolvimento cognitivo, linguístico, percetivo, motor, social, afetivo e da personalidade em cada grande etapa do desenvolvimento.

Bibliografia:

Craig, G. (2001). Desarrollo Psicológico (8th Ed.). México: Pearson Educación.
Papalia, D., Olds, S. W. & Feldman, R. D. (2001). O Mundo da Criança. Lisboa: McGraw-Hill.
Kail, R. (2004). A criança. S. Paulo: Pearson Prentice Hall.
Martorell, G., Papalia, D.E. & Feldman, R.D. (2019). O mundo da criança. McGraw-Hill. ISBN: 9788580556292
Siegler, R. S., Saffran, J., Gershoff, E., Eisenberg, N. (2020). How children Develop, 6th Edition. Publisher Worth Publishers, Macmillan Learning, ISBN 9781319184568
Slater, A. (ed.) & Bremner, J.G. (Ed.) (2017). An Introduction to Developmental Psychology, 3rd Edition. Wiley. ISBN: 978-1-119-02511-5
Sprinthall, N. A., & Collins, W. A. (2011). Psicologia do Adolescente. Uma abordagem desenvolvimentista. 5ª ed., Lisboa: FCG.
Nota: Outra bibliografia será fornecida no decurso das aulas

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

(i) Aquisição e integração de métodos, técnicas, conceitos e conhecimentos de investigação aplicados à Psicologia;
(ii) Aquisição e desenvolvimento de competências em relação à análise e interpretação dos dados;
(iii) Aquisição e desenvolvimento de competências básicas de investigação;
(iv) Selecionar métodos e técnicas apropriados e resolução de problemas práticos;
(v) Determinar características relevantes de indivíduos e de grupos através da realização de testes estatísticos;
(vi) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita.

Conteúdos programáticos:

Conceitos Estatísticos Básicos; Objectivo da Estatística; A medição em Psicologia; Estatística Descritiva e estatística inferencial; Classificação de Variáveis; Medidas de Tendência Central; Medidas de Dispersão. medidas de posição. Análise estatística bivariada: Correlação. Testes t. Qui-quadrado. Anova.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de matérias teóricas na área da análise descritiva e da análise inferencial de dados em Psicologia, permitindo, deste modo atingir os objectivos da unidade curricular, mais especificamente: aquisição e integração de métodos, técnicas, conceitos e conhecimentos de investigação aplicados à Psicologia; aquisição de competências em relação à análise e interpretação dos dados; aquisição e desenvolvimento de competências básicas de investigação.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino inclui a exposição teórica dos fundamentos teóricos de cada prova estatística e a elaboração de exercícios práticos de análise de dados. A avaliação será contínua, baseando-se na realização de duas provas práticas de análise de dados com recurso ao programa SPSS.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Exposição teórica de conteúdos sobre estatística descritiva, conceitos de probabilidade e inferência estatística, e aplicações em Psicologia; Resolução de exercícios práticos com o objetivo de demonstrar conhecimentos e competências para executar tarefas de análise descritiva e análise inferencial de dados; Dominar as principais técnicas e metodologias usadas na Estatística Descritiva e na Inferência Estatística.

Bibliografia:

Ho, R. (2006). Handbook of univariate and multivariate data analysis and interpretation with SPSS. Florida: Chapman & Hall.
Maroco, J. (2018-7ªed.). Análise estatística com utilização do SPSS. Lisboa: Ed. Sílabo
Martins, C. (2011). Manual de análise de dados quantitativos com recurso ao IBM SPSS : saber decidir, fazer, interpretar e redigir. Braga : Psiquilíbrios.
Pallant, J. (2005). SPSS Survival Manual : a step by step guide to data analysis using SPSS for Windows. Berkshire : Open University Press
Pereira, A. (2006 – 7ª ed.). SPSS. Guia prático de utilização. Ed. Sílabo
SPSS Base 11.0 : user's guide. (2001). Chicago : SPSS Inc.
Pestana, H. & Gageiro (2014-6ª ed.). Análise de Dados para Ciências Sociais.A Complementaridade do SPSS. Lisboa: Edições Sílabo
Reis, E. (2008). Estatística Descritiva. 7ª Edição. Edições Sílabo.

Objetivos de aprendizagem:

Conhecimento e capacidade de compreensão sobre as fases e características específicas da metodologia científica.
Aplicação dos conhecimentos e compreensão na elaboração de um trabalho científico.
Capacidade de recolher, selecionar e interpretar informação relevante, de forma a produzir um trabalho científico.
Competência para comunicar de forma escrita / oral de modo estruturado, organizado e abrangente a vários a públicos.
Competências de autoaprendizagem, especificamente na recolha e tratamento da informação.
Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridas, de forma a evidenciar uma abordagem profissional ao trabalho desenvolvido na sua área vocacional
Mostrar capacidade de recolher, seleccionar e interpretar informação relevante, particularmente na sua área de estudo, que os habilite a fundamentarem as soluções que preconizem e os juízos que emitem, incluindo na análise os aspectos sociais científicos e éticos relevantes

Conteúdos programáticos:

Metodologia do trabalho científico. Plágio académico. Leitura – Tipos de leitura; recolha e tratamento de informações. Produção escrita – As fases da composição: invenção, disposição, elocução. Tipologias textuais: contração textual (resumo, síntese); expansão textual (dissertação, comentário). Comunicação não verbal.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos apresentados cobrem as áreas de conhecimento essenciais e coerentes para atingir os objectivos, visto que visam as duas áreas principais: a metodologia do trabalho científico e o desenvolvimento das competências de leitura e escrita.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Num primeiro momento as aulas serão expositivas; depois serão eminentemente práticas, através da apresentação de exemplos e resolução de exercícios.
A avaliação será contínua, contemplando uma frequência, um trabalho e a participação: 12+6+ 2v

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Sendo uma unidade curricular transversal e de natureza prática, as metodologias de ensino referidas são coerentes com os objetivos da disciplina. O objetivo é que os alunos adquiram as competências genéricas desta unidade curricular.

Bibliografia:

Cunha, C. e Cintra, L. F. L. (1987). Nova Gramática do Português Contemporâneo. Lisboa, Edições João Sá da Costa.
Coutinho, C. P. (2018). Metodologia de Investigação em Ciências Sociais e Humanas. (2ª ed.). Lisboa: ALmedina.
Southern Institute of Technologie (2020). Guidelines for APA referencing and essay writing (rev). Southern Institute of Technologie.
Universidade Aberta (2020). APA 7th. Diretrizes para a realização de citações em texto e referências bibliográficas. The American Psychological Association
Eco, U. (2007). Como se faz uma tese em ciências humanas (13ª ed). Lisboa, Presença.
Guidelines for APA Referencing and essay writing (2020) Southern Institute of technology.
Lipson, C. (2008). Doing honest work in college. Chicago, The University of Chicago.
Lopes, E. J. M. (2016). “Plágio”. In Dicionário Crime, Justiça e Sociedade. Lisboa: Sílabo: 362-364.

Objetivos de aprendizagem:

Competências genéricas: Comunicar, compreender e produzir mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais. Utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Adoptar a atitude introspectiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e económica da comunicação e as suas gramáticas específicas.

Conteúdos programáticos:

Os items temáticos dos conteúdos programáticos visam como competências genéricas que os alunos comuniquem, compreendam e produzam mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais, devendo ser capazes de utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Para este efeito, nesta unidade curricular, os estudantes são incentivados a adoptar uma atitude introspectiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e económica da psicologia. É objectivo da unidade curricular levar os estudantes a melhorar as suas competências comunicacionais em inglês, de modo a que consigam utilizar esta língua na realização de diversos contactos interpessoais, em diferentes contextos socioprofissionais, de forma a permitir o desempenho profissional em contexto internacional. Com a componente de projecto, pretende-se melhorar o trabalho de equipa, com utilização de uma segunda língua, especificamente em inglês

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

1. Os diferentes ramos da Psicologia
1.2 A prática da psicologia
2. Personalidade
2.2 A genética e a personalidade
3. Projeto

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Avaliação contínua OU exame.
Aulas teórico-práticas, com ênfase nas competências instrumentais: dialogar, ouvir, ler e compreender mensagens em língua inglesa. A avaliação é contínua, constituída por duas apresentações orais e um teste escrito. A nota final resulta da ponderação das várias prestações escritas e orais do estudante, bem como da sua participação nas actividades propostas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

De forma a potenciar as competências específicas dos estudantes, a metodologia adoptada (com ênfase na avaliação contínua de conhecimento) incentiva as aquisições de tipo instrumental, designadamente comunicar oralmente e por escrito, identificar e compreender mensagens, utilizando a língua inglesa num conjunto de situações socioprofissionais, bem como no acesso ao conhecimento. As metodologias eminentemente práticas desta disciplina têm como objectivo levar os alunos a interpretar circunstâncias e fenómenos comunicacionais relativos aos diferentes contextos culturais e linguísticos, adquirindo experiência na recolha, identificação e interpretação de informação proveniente de diferentes contextos culturais, desenvolver deste modo a autonomia de trabalho em diferentes contextos culturais, levando a uma maior compreensão e adaptação a diferentes ambientes culturais em que a comunicação seja efectuada em língua inglesa.

Bibliografia:

Redman, S. (2017) English Vocabulary in Use Pre-intermediate and Intermediate Book with Answers: Vocabulary Reference and Practice. Cambridge: C.U.P.
McCarthy, Michael; O'Dell, Felicity. English Vocabulary in Use: upper-intermediate (2012). Cambridge: CUP.
Murphy, R. (2019). English Grammar In Use Book With Answers And Interactive Ebook. A Self-Study Reference And Practice Book For Intermediate Learners Of English. Cambridge, Cambridge University Press.
Collins UK.Short, J. English for Psychology(2012). ESAP.
Doff, A; Thaine, C; Pucht, H; Stranks, J, et.al. (2015) English Empower Intermediate. Cambridge: CUP.

Objetivos de aprendizagem:

a) Adquirir um conjunto de conhecimentos teórico-práticos acerca dos principais métodos de observação e investigação, com ênfase no método dos testes, no método do inquérito psicossocial e no método experimental;
b) Desenvolver capacidades e competências básicas de avaliação / investigação em Psicologia;
c) Interpretar reflexivamente a forma de administrar/ utilizar instrumentos de recolha de dados;
d) Conhecer e saber utilizar o método do inquérito psicossocial, adquirindo competências gerais no domínio teórico-prático das técnicas da entrevista e do questionário;
e) Adquirir conhecimentos sobre as principais características dos métodos correlacional, comparativo e experimental;
f) Saber como selecionar adequadamente os métodos a implementar no estudo de determinada problemática;
g) Conhecer as especificidades gerais de recolha, tratamento, e interpretação de dados em Psicologia.

Conteúdos programáticos:

Unidade Letiva 1. Ciência e Conhecimento (2 ECTS)
1.1. Formas de Conhecimento: Senso Comum vs. Ciência
1.2. Conhecimento Científico
1.2.1. Evolução e método
1.2.1.1. Contribuições de Kuhn e Popper
1.2.3. Definição e distinção de Metodologia, Método, Técnica e Instrumento
1.2.4.1. Abordagem psicométrica e impressionista
1.3. Fases da investigação científica
Unidade Letiva 2. Método do Inquérito Psicossocial (2 ECTS)
2.1. Pesquisa de Informação: O Inquérito Psicossocial
2.1.1 Definições e Distinção entre Inquérito, Painel, Questionário e Sondagem
2.1.2 Técnicas de Inquérito
2.1.2.1. Entrevista
2.1.2.2. Questionário
2.1.2.3. Observação

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Objetivos de a) a d) mais voltados para a aquisição de conhecimentos das bases do método, muito presentes nas unidades I e II.
Objetivos de e) a g) com uma maior ênfase sobre aspetos associados a desenhos de estudo mais específicos e presentes entre os conteúdos da unidade III.
Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de conhecimentos e o desenvolvimento de competências ao nível da investigação científica: integrar conhecimentos, competências e capacidades para uma actuação ética; demonstrar conhecimentos e competências para planear uma investigação científica.
Unidades 2 e 3 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de conhecimentos e o desenvolvimento de competências ao nível da investigação científica quantitativa / qualitativa: Planear uma investigação e distinguir os principais desenhos de estudo

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Método ativo, com alternância entre as vertentes expositiva, demonstrativa e outra mais participativa.
Prova Escrita de Avaliação (60%); Trabalho Prático Obrigatório - pares de alunos (40%)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Alternância da metodologia de ensino permitirá, em cada unidade letiva, que o aluno adquira conhecimentos expostos pelo docente, os debata e procure aplicar, através das vertentes mais prática e demonstrativa, ao longo das 3 unidades letivas.

Bibliografia:

Almeida, L. & Freire, T. (2003). Metodologia da investigação em Psicologia e Educação. Braga: Psiquilíbrios. (Biblioteca UFP)
Antoine, P. & Smith, J. (2016). Getting at experience: An outline of interpretative phenomenological analysis as a qualitative psychology methodology. Société Française de Psychologie.
Coutinho, C. (2015). Metodologia de investigação em ciências sociais e humanas : teoria e prática. Coimbra : Almedina, 2015.(Biblioteca UFP)
Coviello, N. (2018). Integrating qualitative and quantitative techniques in network analysis. Qualitative Market Research 8(1), 39-60.(B-ON)
Denzin, N. & Lincoln, Y. (2017). Handbook of Qualitative Research. London: SAGE.
Jervis, M. & Drake, M. (2014). The use of qualitative research methods in quantitative science: a revew.
Maia, R., et al. (2016). Dicionário Crime, justiça e sociedade. Lisboa: Edições Sílabo.
Pestana, M. & Gageiro, J.N. (2014). Análise de Dados para Ciências Sociais (...). Edições Sílabo.

Objetivos de aprendizagem:

Esta unidade curricular visa fornecer um quadro conceptual, interdisciplinar e global que visa o desenvolvimento de conhecimentos, capacidades e competências no domínio da psicologia diferencial e da personalidade.
Aptidões/Competências a desenvolver:
(i) Saber descrever, explicar os modelos e as teorias no domínio da psicologia diferencial e da personalidade;
(ii) Capacidade de análise as diferenças individuais no contexto do desenvolvimento psicológico diferencial;
(iii) Saber aplicar e integrar os determinantes das diferenças intra-individuais, inter-individuais e inter-grupais no desenvolvimento de estratégias de intervenção na família, a escola e o trabalho;
(iv) Capacidade de análise e resolução de problemas no âmbito do diagnóstico e intervenção nos contextos sociais de desenvolvimento diferencial;
(v) Capacidade de comunicação interpessoal e intergrupal
(vi) Demonstrar uma atitude de investigação e desenvolvimento auto-orientado

Conteúdos programáticos:

1ª Unidade. 1. Psicologia Diferencial e da Personalidade: introdução. 1.1. Objeto e objetivo da Psicologia Diferencial 1.2. Origem e desenvolvimento da Psicologia Diferencial. 1.3. Os métodos da Psicologia Diferencial.
2ª Unidade. 2. Inteligência. 2.1. Conceptualização: definições. 2.2. Abordagem psicométrica; abordagem desenvolvimentalista; abordagem cognitivista. 2.3. Teorias abrangentes do estudo da inteligência.
3ª Unidade. 3. Personalidade 3.1. Conceptualização: definições. 3.2. Teorias psicodinâmicas, humanistas, e sociocognitiva da personalidade 3.3. Teorias psicométricas da personalidade.
4ª Unidade. 4. Diferenças: origem e desenvolvimento 4.1. Origem das diferenças: individuais e de grupo 4.2. Contextos sociais de desenvolvimento diferencial: família, escola e trabalho 4.3. Personalidade e inteligência na educação e no trabalho.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas específicas dos fundamentos históricos da psicologia diferencial e da personalidade, permitindo compreender e integrar conceitos, modelos, teorias na área do estudo das diferenças individuais e de grupo;
Unidade 2 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas do estudo da inteligência, permitindo integrar conhecimentos e capacidades para uma análise e sistematização conceptual; saber identificar e compreender as diferenças individuais e de grupo no estudo da inteligência.
Unidade 3 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas do estudo da personalidade, permitindo integrar conhecimentos e capacidades para uma análise e sistematização conceptual; saber identificar e compreender as diferenças individuais e de grupo no estudo da personalidade.
Unidade 4 - Os conteúdos programáticos privilegiam o estudo da origem das diferenças individuais e de grupo.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova de avaliação, na execução de um trabalho prático, na apresentação e discussão oral desse trabalho, assim como na execução de tarefas teórico-práticas em sala de aula, e na participação do aluno.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1- Exposição teórica de conteúdos caracterizadores do domínio da psicologia diferencial e da personalidade; Apresentação e manuseamento de bibliografia fundamental; Debate individual e em grupo de casos para distintas problemáticas que constituem os pilares da psicologia diferencial e da personalidade;
Unidade 2- Exposição teórica de conteúdos caracterizadores das matérias teóricas relativas ao estudo da inteligência; Apresentação e discussão de casos práticos de estudo das diferenças (a nível do indivíduo, do grupo); Debate individual e em grupo de casos para distintas problemáticas do estudo das diferenças;
Unidade 3- Exposição teórica de conteúdos caracterizadores das matérias teóricas relativas ao estudo da personalidade; Apresentação e discussão de casos práticos de estudo das diferenças (a nível do indivíduo, do grupo); Debate individual e em grupo de casos para distintas problemáticas do estudo das diferenças;
Unidade 4 - Exposição teórico-prática de conteúdos que privilegiam o estudo da origem das diferenças individuais e de grupo, permitindo analisar a influência dos contextos sociais de desenvolvimento diferencial: família, escola e trabalho; Apresentação de estudos de caso; Análise individual e discussão em grupo da influencia dos contextos de desenvolvimento diferencial.

Bibliografia:

Almeida, L.; Guisande, M.A.; Ferreira, A. (2014). Inteligência: perspetivas teóricas. Coimbra: Almedina
Feist, J, & Feist, G. (2008). Teorias da personalidade. São Paulo: McGraw-Hill.
Goldstein, S. (2015). Handbook of Intelligence. NY: Springer.
Goleman, D. (2014). Inteligência Emocional: a teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente. Rio de Janeiro: Objectiva
Malykh, S. (2017). The role of personality traits and intelligence in academic achievement of Russian high school students. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 237, 1304 – 1309.
Meldrum, R. C. et al (2019). Could peers influence intelligence during adolescence? An exploratory study. Intelligence 72, 28–34.
Pervin L. A. (2010). Handbook of personality. ISBN: ISBN 0-89862-430-4

Objetivos de aprendizagem:

Os principais objetivos de aprendizagem a atingir são os seguintes:
i) desenvolver conhecimentos e capacidades de compreensão sobre o desenvolvimento psicológico durante a adultícia e a senescência;
ii) aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridas, de forma a evidenciarem uma abordagem profissional ao trabalho desenvolvido na área da Psicologia do Desenvolvimento do Adulto e do Senescente;
iii) desenvolver capacidades de recolha, de seleção e de interpretação de informação relevante no âmbito da Psicologia do Desenvolvimento do Adulto e do Senescente, que habilite os alunos a fundamentarem as soluções que preconizem e os juízos que emitem, incluindo na análise os aspetos sociais científicos e éticos relevantes;
iv) demonstrar competências de comunicação oral e escrita.

Conteúdos programáticos:

Unidade Letiva 1. Psicologia do Desenvolvimento: enquadramento epistemológico
1.1. Objeto de estudo, objetivos e principais conceitos e métodos em Psicologia do Desenvolvimento
1.2. Questões éticas
1.3. Perspetivas e modelos teóricos do desenvolvimento do adulto e do senescente
1.4. A transição para a adultícia
Unidade Letiva 2. Desenvolvimento do Adulto e do Senescente: avaliação e promoção
2.1. Desenvolvimento do eu e da identidade
2.2. Desenvolvimento cognitivo
2.3. Desenvolvimento académico, vocacional e da carreira
2.4. Desenvolvimento afetivo e social
2.5. Desenvolvimento sexual
2.6. Desenvolvimento moral e dos valores
2.7. Doença, morte e luto

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A unidade letiva 1 é introdutória e visa, sobretudo, traçar o cenário no qual os conteúdos da unidade letiva 2 terão que ser enquadrados; na unidade letiva 2 são abordados os principais domínios do desenvolvimento humano nas faixas etárias consideradas (adultez e senescência), procurando levar o aluno a não só a desenvolver conhecimentos mas também a ser capaz de exercitar a sua aplicação na área da Psicologia do Desenvolvimento do Adulto e do Senescente.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação que será contínua consiste na realização de uma avaliação escrita individual com a ponderação de 60%; um trabalho escrito de grupo (máximo 3 elementos)a ser apresentado e discutido em sala de aula. Este trabalho terá a ponderação de 10% (escrito) e 20% (apresentação oral) na nota final; 10% para os trabalhos solicitados na aula e colocados no cacifo digital.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A exposição descritiva e organizativa dos conteúdos programáticos visa o desenvolvimento de conhecimentos sobre a Psicologia do Desenvolvimento do Adulto e do Senescente, os quais são certificados na avaliação escrita e aplicados, em contexto de observação, na análise das principais áreas de desenvolvimento em situações reais, as quais são depois apresentadas ao grande grupo sob a forma de desdobrável.

Bibliografia:

Cavanaugh, J.C., & Blanchard-Fields, F. (2015). Adult development and aging (7th ed). USA: Cengage Learning.
Dabis, H., & Yates, J. (2014). Successful navigation of the stormy seas:What factors lead to a successful transition from the quarterlife crisis?. The Coaching Psychologist, Vol.10(1), 17-24. ISSN: 1748–1104
Demick, J., & Andreoletti, C. (Eds.) (2003). Handbook of adult development. New York: Springer Science and Business Media.
Fonseca, A. M. (2005). Desenvolvimento humano e envelhecimento. Lisboa: Climepsi.
Granja, M.B., & Mota, C. P. (2018). O trabalho como atividade principal no desenvolvimento psiquíco do indivíduo adulto. Avances en psicología latinoamericana, Vol. 36(1), 93-109. ISSN: 1794-4724
McLean, K.C., & Syed, M. (Eds.) (2015). The Oxford Handbook of Identity Development. Oxford: Oxford Library of Psychology.
Papalia, D.E., Olds, S.W. & Feldman, R.D. (2013). Desenvolvimento Humano (8ª ed.). Porto Alegre: Artmed.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

i) Adquirir conhecimentos da anatomia geral do sistema nervoso central e as funções dos seus principais subsistemas;
ii) Ser capaz de compreender as relações entre encéfalo, funções mentais e comportamento;
iii) Identificar eventuais défices na perceção, aprendizagem, atenção, memória e linguagem;
iv) Aplicar os conhecimentos adquiridos à análise de casos práticos
v) Conhecer os diferentes modelos teóricos, as situações paradigmáticas de lesão cerebral, aplicando-os ao longo dos processos de intervenção em Neuropsicologia.

Conteúdos programáticos:

I. Contextualização histórica e epistemológica
1.1. A relação corpo-mente: resenha histórica
1.2. Neuropsicologia contemporânea
1.3. Organização geral da anatomia cerebral
II. Neuropsicologia da linguagem e do reconhecimento
2.1. Afasias e disfasias
2.2. Perturbações da Leitura e da Escrita /Alexias e Dislexias
2.3. Perturbações da capacidade de cálculo/Acalculias
2.4. Perturbações do reconhecimento/Agnosias
III. Perturbações mnésicas, e da ação e da psicomotricidade e
3.1. Córtex pré-frontal e cingulado: a atividade mnésica
3.2. Síndromes mnésicas
3.3. Apraxias
3.4. Síntese sobre a Avaliação das Perturbações da Psicomotricidade
IV. Perturbações neurogenéticas e reabilitação
4.1. Quadros demenciais
4.2. Escalas e Protocolos de Avaliação
4.2.1. Perspetivas de Reabilitação Neuropsicológica
4.2.2. O papel do Psicólogo

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Objetivos a) e b) mais associados às duas primeiras unidades e objetivos c) e d) ligados sobretudo às duas últimas unidades.
Unidade 1 - Os conteúdos privilegiam a aquisição de conhecimentos sobre desenvolvimento e organização do sistema nervoso central, e os danos causados por lesão cerebral;
Unidade 2 - Aquisição de conhecimentos sobre comprometimento das funções da Linguagem, da Escrita e da Leitura, por lesão cerebral;
Unidade 3 - Aquisição de conhecimentos sobre comprometimento da capacidade de reconhecimento de estímulos visuais e auditivos, por lesão cerebral;
Unidade 4 - Aquisição de conhecimentos sobre comprometimento da ação e da motricidade, por lesão cerebral; Aprofundamento de conhecimentos da avaliação e da reabilitação neuropsicológicas;

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Duas provas escritas de avaliação - 50% cada uma
A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1- Exposição teórica sobre o desenvolvimento e a constituição do sistema nervo central: Apresentação geral do Sistema Nervoso Central: os níveis medular (substâncias branca e cinzenta), mielencefálico (vias, núcleos e formação reticular), metencefálico (protuberância anelar e cerebelo), mesencefálico (tecto e tegumento), diencefálico (hipotálamo, quiasma óptico e hipófise), telencefálico (córtex cerebral, hemisférios cerebrais, principais cisuras e circunvoluções, lobos cerebrais, sistema límbico, gânglios basais e tálamo); Assimetria cerebral.
Unidade 2 - Exposição teórica de conteúdos para caracterização da Neuropsicologia da linguagem: a particular implicação de áreas específicas do hemisfério esquerdo nos diferentes aspectos linguísticos, As afasias: Broca, Wernicke, de Condução, Global, Transcortical Mista, Transcortical Motora, Transcortical Sensorial, Sub-Corticais, Anomia e Surdez Verbal Pura, Alexias: Pura e com Agrafia, Dislexias e Disortografias. Áreas cerebrais implicadas;
Unidade 3 - Perturbações do reconhecimento: Agnosias Visuais para Objectos, apercepção e associação; Prosopagnosias; Agnosias Auditivas; Agnosias Somatossensoriais As diferentes áreas cerebrais implicadas; Avaliação das capacidades de reconhecimento;
Unidade 4 - Perturbações da acção e da psicomotricidade: A distinção entre Apraxia Ideomotora e Ideoacional; Apraxia Orobucal, Apraxia Cinética dos Membros; Apraxia de Condução; Áreas cerebrais implicadas;Perturbações neurogenéticas: Quadros demenciais; Avaliação e reabilitação em Neuropsicologia: Escalas e protocolos de avaliação; Reabilitação Neuropsicológica: Psicoterapia; reabilitação cognitiva; treino de competências Sociais.

Bibliografia:

Bigler, E. (2019). Neuroimaging and neuropsychology. Phisician's Field Guide to N, 421-434.
Borroni, B. et al. (2015). Italian frontotemporal dementia...Neurological Sciences 36(5), 751-757. (B-ON)
Ellis, A. & Young, A.W. (2017). Human Cognitive Neuropsychology. Hillsdale: LEA. (Biblioteca BFP 616.8)
Emilio, V. et al. (2016). Neuropsychology of frontal lobe epilepsy in children and adults: Systematic review and meta-analysis. Epilepsy & Behavior.
Haase, V. et al. (2016). Como a neuropsicologia pode contribuir para a (...) e/ou autismo? Pedagogia em Acção.
Hillis, A. (2013). The handbook of adult language disorders: integrating cognitive neuropsychology, neurology, and rehabilitation. London: Psychology Press (Biblioteca BRR 616.8)
Nunes, L. et al. (2019). Dicionário Enciclopédico comportamento e saúde mental. Lisboa: Pactor (Biblioteca BFP 616.89)
Rizzo, M., & Eslinger, P. (2004). Principles and Practice of Behavioral ... Philadelphia : Saunders.

Objetivos de aprendizagem:

OA1. capacidade para analisar, organizar e planear, conhecimentos gerais básicos no âmbito da Psicologia Cognitiva;
OA2. promover a aquisição e integração de conhecimentos, teorias e modelos explicativos dos seguintes processos psicológicos básicos: perceção, aprendizagem e memória;
OA3. promover a aplicação de saberes teórico-práticos relativos à estrutura e ao funcionamento dos processos cognitivos aquando do processamento da informação;
OA4. familiarizar o aluno com áreas recentes de investigação em Psicologia Cognitiva.

Conteúdos programáticos:

CP1. ASPECTOS HISTÓRICOS DA PSICOLOGIA COGNITIVA
1.1. Reinterpretação da Psicologia Experimental segundo o Cognitivismo
1.2. Os fatores históricos desencadeadores do cognitivismo experimental
1.3. As Ciências Cognitivas
CP2. PROCESSOS COGNITIVOS BÁSICOS
2.1. Perceção: Perceção Visual e Efeitos Contextuais
2.2. Aprendizagem: a Aprendizagem Básica, Processos de Aprendizagem e as Dificuldades de Aprendizagem
2.3. Memória: Operações da Memória, Processos da Memória e Perturbações da Memória.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

I. Aspectos Históricos da Psicologia Cognitiva
Conhecer a história da Psicologia Cognitiva. Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento histórico da Psicologia Cognitiva; Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva.
II. Processos Cognitivos Básicos
Conhecer alguns processos psicológicos básicos estudados pela Psicologia Cognitiva. Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá a exposição teórico-prática, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica à história e epistemologia da psicologia bem como debates temáticos e reflexões críticas.
Regime de Avaliação contínua:
- 1 avaliação escrita, com a ponderação de 80%;
- 1 trabalho de investigação, com respetiva apresentação e discussão em aula, incidindo numa temática inerente aos conteúdos programáticos, com uma ponderação de 20%.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

I. Aspectos Históricos da Psicologia Cognitiva
Conhecer a história da Psicologia Cognitiva. Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento histórico da Psicologia Cognitiva; Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva.
II. Processos Cognitivos Básicos
Conhecer alguns processos psicológicos básicos estudados pela Psicologia Cognitiva. Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva.

Bibliografia:

1. Anderson, J. R. (2015). Cognitive psychology and its implications (8 ed.). New York: Psychology Press.
2. Axmacher, N. & Rasch, B. (2017). Cognitive Neuroscience of Memory Consolidation. Cham: Springer.
3. Eysenck, M. W. & Keane, M. (2015). Cognitive psychology (7th ed.). Hove: Psychology Press.
4. Medin, D., Ross, B. & Markman, A. (2005). Cognitive Psychology. New Jersey: John Wiley & Sons.
5. Ramalho, J. (2009). Psicologia e Psicopatologia da Atenção. Braga: Edições APPACDM.
6. Sternberg, (2009). Psicologia Cognitiva. 4ª edição. Lisboa: Artmed Editora.
6. Power, M. & Dalgleish, T. (2015). Cognition and Emotion. (3rd edition). Hove: Psychology Press.

Objetivos de aprendizagem:

Motivação
1. Refletir, criticamente, sobre o conceito da motivação e das emoções, tal como é usado pelo senso comum e pela psicologia científica.
2. Conhecer e compreender as diferentes perspetivas sobre a natureza das motivações humanas e das emoções, propostas no passado e na atualidade pelos principais autores e escolas dentro deste domínio.
3. Dominar os conhecimentos fundamentais disponíveis, hoje em dia, acerca da natureza e funcionamento de algumas das principais motivações humanas e das emoções (básicas e outras).
4. Compreender e valorizar o contributo que as abordagens motivacionais e emocionais podem dar para as intervenções práticas dos psicólogos em diversos campos de aplicação.
Emoções

1. Apresentar a comunicação e as emoções como áreas de saber a integrar na formação de profissionais que lidam com o público.
2. Identificar os conceitos básicos destes conhecimentos.
3. Analisar as implicações destes conhecimentos para a prática profissional.
4. Relacionar

Conteúdos programáticos:

PARTE I
A Motivação
1. Conceito de motivação:
1.1. O ciclo motivacional;
2. Aspetos fisiológicos;
3. Tipos de motivação:
3.1. Motivações inatas/fisiológicas;
3.2. Motivações aprendidas/sociais;
3.3. Motivações combinadas;
4. Frustração;
5. Conflito:
5.1. Tipos de conflito;
6. Teorias de motivação:
6.1. Teoria de Maslow;
6.2. Teoria de Freud.
PARTE II
As Emoções
I – Compreender as experiências emocionais
1. Conceito de emoção:
1.1. Teorias da emoção;
1.2. Perspetivas contemporâneas das emoções;
2. Aspetos etológicos, fisiológicos e neuropsicológicos das emoções;
3. Aspetos psicológicos das emoções:
3.1. A experiência emocional;
3.2. A expressão das emoções e o comportamento relacional;
3.3. Funções individuais e sociais das emoções;
3.4. As emoções na interação social.
II - Emoções e Comunicação
1. Comportamento não verbal e a expressão das emoções
1.1. Decifrar as emoções;
1.2. Hipótese do feedback facial;
1.3. Facial Action Coding System (FACS);
1.4. Escala de Percepção do Sorriso.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos (CP) foram delineados em função dos objetivos de aprendizagem (OA) da unidade curricular:
CP1 corresponde aos OA1 (Parte I)
CP2 corresponde aos OA2 (Parte II)
No CP1 são abordadas as principais abordagens à motivação humana influentes na psicologia atual, juntamente com os seus antecedentes históricos e os seus campos de aplicação prática;
N CP2 são abordadas as emoções, tem sofrido considerável desenvolvimento nos últimos anos tornando-as um tema da psicologia de grande pertinência e vastas aplicações. Na base de toda a comunicação (verbal e não verbal) estão os processos não verbais na origem dos quais participam as emoções e a sua expressão. Vários são os contextos onde existem trocas comunicacionais. Torna-se, assim, necessário promover o desenvolvimento social e emocional dos indivíduos, sobretudo dos que profissionalmente lidam com situações de interação social como no caso dos psicólogos em sessão de atendimento de pessoas.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas Teórico-práticas:
- Apresentação dos conteúdos programáticos com recurso a projeções, explicações no quadro, exemplificações, casos práticos em vídeo
- Resumo e discussão de artigos científicos
- Elaboração de pequenos exercícios a serem resolvidos em sala de aula, esclarecimento de dúvidas
Avaliação:
Avaliação contínua
- Trabalho individual - 50%
- Trabalho em grupo - 50%

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Uma vez que a unidade curricular é constituída por aulas teórico-práticas, as metodologias de ensino serão diversificadas. Desta forma, a exposição das teorias e conceitos chave relacionada com a Psicologia da Motivação e das Emoções deverá ser sempre relacionada com aspetos práticos da atividade profissional do psicólogo. Através do método interrogativo os docentes poderão certificar-se da aquisição dos mesmos conceitos. Posteriormente os alunos poderão aplicar as aprendizagens efetuadas em casos da sua futura prática profissional, em pequenos trabalhos práticos e em trabalho autónomo de pesquisa.

Bibliografia:

Feldman, R. (2020, 14th ed.). Motivation and emotion. In Understanding Psychology (pp.296-306). McGraw Hill: New York. UFP
Barrett, L.(2017). How emotions are made: The secret life of the brain. New York: Houghton Mifflin Harcourt. B-on
Freitas-Magalhães, A. (2019). Facial expression of emotion. Encyclopedia of Human Behavior and Neuroscience and Biobehavioral Psychology. Oxford: Elsevier. B-on
Freitas-Magalhães, A. (2020, 50ª ed.). A psicologia das emoções: o fascínio da face humana. Porto: FEELab Science Books. UFP/B-on
Freitas-Magalhães, A. (2021). Facial Action Coding System 4.0:manual de codificação científica da face humana. Porto: FEELab Science Books.UFP/B-on
Freitas-Magalhães, A. (2021). A neurociência da emoção: o cérebro e a face. Porto: FEELab Science Books.UFP/B-on

Objetivos de aprendizagem:

Pretende-se que os alunos sustentando-se nos conhecimentos do secundário os desenvolvam e aprofundem. Saibam aplicar esses conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridas, de forma a evidenciarem uma abordagem profissional ao trabalho desenvolvido na sua área vocacional. Comprovem capacidade de resolução de problemas no ãmbito da sua área de estudo.Sejam dotados de competências que lhes permitam comunicar informação a especialistas e não especialistas.Tenham desenvolvido as competências que lhes permitam uma aprendizagem ao longo da vida.

Conteúdos programáticos:

Pretende-se que os conteúdos programáticos possam ir ao encontro das capacidades dos alunos nesta fase da sua vida escolar com vista a aquisição de competência superlativas no que concerne a temáticas como a Influência social ( normalização, conformidade, inovação e influência minoritária, obediência á autoridade, grupos de polarização e persuasão e mudança de atitudes)e O pensamento social ( atitudes, atribuição de causalidade, psicologia ingénua, crenças estereótipos e preconceitos, representações sociais e formação de de impressões).

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O conhecimento de temáticas como a influência social ou a cognição social, são temas centrais no ãmbito da disciplina. Só assim os alunos poderão compreender o alcançe e a importância da mesma no âmbito das ciência sociais para depois os poderem integrar e desenvolver na sua vida académica e prática.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia escolhida é sobretudo baseada em aulas magistrais focando cuidadosamente os aspectos que poderão ser importantes no ãmbito da disciplina com o fim de conseguir que os alunos alcancem patamares mais elevados na sua compreensão dos fenómenos psiocossociais. As aulas práticas com leitura de textos apropriados de autores clássicos poderão abrir caminho a uma ligação entre as componetes teóricas e práticas da unidade de crédito. Heverá dois momentos de avaliação (frequências).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A metodologia fundamental centrada nas aulas teóricas procura explanar os domínios do conhecimento no âmbito da disciplina aos alunos desta unidade curricular. Por outro lado a apresentação de casos práticos tem como objectivo a ligação dos conhecimentos adquiridos com a sua aplicabilidade.

Bibliografia:

Fiske S. & Taylor, S. (2001) Social Cognition. N.Y. McGRaw-Hill BFP 316.6 PSY
Bar-Tal, D., Grauman, C.F:, Kruglnasky, A, & Stroebe, W. (Eds) (2010) Stereotyping and Prejudice. Springer Verlag.
Diaz, M.C.(2016) Métodos y Técnicas de Investigacion en Psicologia Social. Madrid: Eudema.
Hewstone, M. Stroeb, W., Stephson,M. (2015). Introducing Social Psychology. London: Blackwell
Hogg, M., Vaugham, G., (2016) Social Psychology: An Introduction, Ny: Prentice Hall
Leyens, J. PH. (2016) Psicología Social. Lx: Ed 70
Morales, J.F. (2008) Psicología Social, Madrid: McGRaw-Hill
Moscovici, S. (1994) Psychologie Sociale. Paris: Puf. BFP 318.7 PSW
Turner, J.C. (2000) Social Influence. Milton Keynes : Open University Press
Vala, J. & Monteiro, M.B: (2018) Psicologia Social. Lx: Gulbenkian.

Objetivos de aprendizagem:

1) Conhecer as origens e evolução da Psicopatologia da criança e do adolescente enquanto campo de conhecimento e disciplina científica. Compreender referências histórico-antropológicas e epistemológicas, metodológicas e aplicadas e que são nucleares para a fundamentação conceptual e crítica na área vocacional e profissional.
2) Conhecer alguns quadros clínicos relevantes da psicopatologia da criança e adolescente no contexto desenvolvimental e estrutural a nível conceptual e aplicado à análise de casos.
3) Adquirir conhecimentos e competências de análise e diagnóstico multidmensional em Psicopatologia da criança e do adolescente e que promovem a interpretação e compreensão crítica e a resolução de problemas.
4) Desenvolver trabalho de leitura e pesquisa bibliográfica, competências de comunicação oral e escrita, capacidade de organização da informação, auto-aprendizagem, e a integração de princípios ético-deontoógicos na área disciplinar e aplicada ao campo psicossocial.

Conteúdos programáticos:

Unidade lectiva 1- Enquadramento histórico-epistemológico da Psicopatologia da criança e do adolescente: origens da formação desta disciplina cientifica. Marcos e noções básicas.
UL 2- Perturbações clínicas mais frequentes ao longo do desenvolvimento da infância e da adolescência. 2.1 Desenvolvimento, ciclos vitais e Psicopatologia. 2.2 P.s do Sono. 2.2 P.s Alimentares e da ingestão. 2.3 Ps. da Comunicação 2.4 P.s da Eliminação. 2.5 P.s do Comportamento e P. Hiperactividade/Défice de Atenção.
UL 3- Perturbações de Ansiedade. Perturbação de Ansiedade de Separação. Fobias escolares. Articulação à noção de Organização psicopatológica estrutural. Casos clínicos.
UL 4- Outras perturbações/quadros clínicos. (4.1) Quadros depressivos na criança e no adolescente. (4.2) Quadros psicóticos na criança e no adolescente; Perturbação do espectro do autismo. (4.3) Organizações estado-limite em crianças e adolescentes. (4.4) Desarmonias evolutivas na criança e no adolescente.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Na Unidade Lectiva 1 privilegia-se a aquisição de noções básicas e referências constituintes da Psicopatologia da Criança e do Adolescente, quanto às origens e evolução deste campo do conhecimento e disciplina científica. Este conhecimento histórico-epistemológico é estruturante de conhecimentos e competências de análise, fundamentação e diagnóstico fulcrais para a área vocacional e profissional, e ainda de análise crítica e sensiblização a questões éticas.
Nas UL 2, 3 e 4 promove-se o conhecimento dos principais quadros psicopatológicos da criança e do adolescente em diversas perspectivas e dimensões conceptuais e diagnósticas. São estruturadas bases teóricas da diversidade de tipologias da psicopatologia, treinadas competências de utilização de diversos modelos e bibliografias, e a análise de casos para a compreensão no contexto psicossocial em que surgem. Promove-se a reflexão compreensiva, a auto-aprendizagem e o amadurecimento de competências na área da formação em psicologia.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Metodologias diversas que promovem a assimilação, a compreensão e a articulação entre os conteúdos, assim como a sua aplicação, nomeadamente através de: Exposição oral dos conteúdos teóricos em aula, estudo do material de apoio na plataforma virtual (textos, sínteses temáticas, filmes ilustrativos), análise e debate de textos e de casos clínicos, exercícios de análise e resolução teórica e/ou teórico-clínica, participação em Fóruns (UV) para debate dos conteúdos programáticos, eventual observação clínica de consultas na CPP e respectiva discussão, articulação das observações aos conteúdos da UC.
A Avaliação realiza-se de forma contínua, através de provas escritas em dois momentos (40% + 60% respectivamente). No processo de ensino-aprendizagem fomenta-se a participação oral e o trabalho não-presencial de leitura e análise de textos da bibliografia do programa.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Na Unidade Letiva 1, a exposição descritiva e comentada, assim como a leitura e discussão de bibliografia e documentação de apoio pedagógico com os alunos, e ainda a visualização de filmes ilustrativos (casos, concepções, métodos) emblemáticos na história da Psicopatologia da criança e do adolescente permitem alicerçar o conhecimento acerca evolução de conceitos, abordagens teórico-práticas e modelos de diagnóstico neste campo.
Nas Unidades Letivas 2, 3 e 4, a exposição em aula pelo docente e o estudo bibliográfico pelos alunos acerca das perturbações da criança e adolescência, assim como a realização de exercícios e análise de casos clínicos, promovem o conhecimento das características clínicas e psicopatológicas das perturbações à luz de diferentes grelhas e modelos, a integração de noções diferenciais e a aquisição de competências de análise e diagnóstico. A análise de casos tem em conta material clínico do discurso verbal e não verbal, desenhos das crianças ou adolescentes, etc. A observação de consultas (na Clinica Pedagógica), se autorizada, proporciona optimizar a integração dos conteúdos.
A participação em fóruns na plataforma virtual e a elaboração de fichas de leitura contribuem para aprofundar os conhecimentos e competências.

Bibliografia:

A.P.A., DSM 5 (2014). Manual de diagnóstico e estatística das perturbações mentais. Lisboa:
Climepsi.
ESSAU, C. et al. (2017). Emotion Regulation and Psychopathology in Children and Adolescents.
Oxford: Oxford University Press.
LUYTEN, P., MAYES, L., FONAGY, P., BLATT, J.B., et al. (Eds, 2017). Handbook of Psychodynamic
Approaches to Psychopathology. NY: Guilford Publications.
GUENICHE, K. (2005). Psicopatologia descritiva e interpretativa da criança. Lisboa: Climepsi.
MARCELLI, D. (2005). Infância e Psicopatologia. Lisboa:Climepsi.
RUSTIN, Margaret & RUSTIN, Michael (Eds, 2019). New Discoveries in Child Psychotherapy
Findings from Qualitative Research. London: Routledge.
SALLIS, H., SZEKELY, E., NEUMANN, A. (2019). General psychopathology, internalising and
externalising in children and functional outcomes in late adolescence. Journ.of Child Psychol. and
Psychiatr. and Allied Discipl., V.60, 11 (2019).
STRECHT, P.(2012). Interiores. Assírio & Alvim, 2ªed.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

OA1. Familiarizar o aluno com áreas recentes de investigação no domínio da psicologia da cognição
OA2. Descrever e explicar os principais conceitos da psicologia cognitiva: a atenção, raciocínio, resolução de problemas e tomada de decisão
OA3. Descrever e explicar a linguagem, designadamente as teorias do desenvolvimento da linguagem, aquisição e processamento e as perturbações da linguagem

Conteúdos programáticos:

CP1: A cognição Humana
1.1. Definição e a sua relação com o behaviorismo
1.2. O estudo das representações mentais
1.3. A Atenção: o arousal, a atenção selectiva, a atenção sustentada e a atenção dividida
1.4. A Resolução de problemas
1.5. O Raciocínio
1.6. A Tomada de Decisão
CP2. A Linguagem
2.1. As teorias do desenvolvimento da linguagem
2.2. Aquisição e processamento
2.3. Perturbações da linguagem.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade I. Cognição Humana
Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento da cognição humana; Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva.
Unidade II. Linguagem
Conhecer alguns processos psicológicos básicos estudados pela Psicologia Cognitiva. Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá a exposição teórica-prática, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica à história e epistemologia da psicologia bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização de duas provas escritas de avaliação (com ponderação, para cada prova, de 40%) e na execução de um trabalho prático de investigação (com ponderação de 20%).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

I. Cognição Humana
Aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento da cognição humana; Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva. Resolução de problemas. Raciocínio. Tomada de Decisão.
Conhecer alguns processos psicológicos básicos estudados pela Psicologia Cognitiva. Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva.
II. Linguagem
Conhecer alguns processos psicológicos básicos estudados pela Psicologia Cognitiva. Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e conhecimentos sobre as principais especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia Cognitiva.

Bibliografia:

1. Anderson, J. R. (2015). Cognitive psychology and its implications (8 ed.). New York: Psychology Press.
2. Axmacher, N. & Rasch, B. (2017). Cognitive Neuroscience of Memory Consolidation. Cham: Springer.
3. Eysenck, M. W. & Keane, M. (2015). Cognitive psychology (7th ed.). Hove: Psychology Press.
4. Kemmerer, D. (2014). Cognitive Neuroscience of Language. New York: Psychology Press.
5. Sternberg, (2009). Psicologia Cognitiva. 4ª edição. Lisboa: Artmed Editora.
6. Power, M. & Dalgleish, T. (2015). Cognition and Emotion. (3rd edition). Hove: Psychology Press.

Objetivos de aprendizagem:

OA1. Demonstrar familiaridade com conceitos, métodos e técnicas da psicologia experimental
OA2. Conceber um estudo científico, bem controlado, num tema central da Psicologia Cognitiva
OA3. Formular hipóteses que possam ser testadas empiricamente
OA4. Selecionar o design experimental adequado aos objetivos do estudo
OA5. Dominar e aplicar os diferentes procedimentos de manipulação, controlo e registo das variáveis experimentais
OA6. Selecionar métodos de análise de dados apropriados em função do design experimental adotado
OA7. Analisar os resultados com o SPSS, um software de análise estatística
OA8. Descrever os resultados obtidos a partir de estatística descritiva e inferencial
OA9. Fazer inferências válidas a partir das análises efetuadas e tirar conclusões justificadas
OA10. Escrever relatórios das experiências realizadas no formato utilizado para publicar investigação psicológica
OA11. Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica e adotar valores éticos e deontológicos

Conteúdos programáticos:

CP1. Introdução à psicologia experimental_1.1. Raízes históricas; 1.2. Psicologia experimental e o método científico; 1.3. Alternativas à experimentação1.4. Ética na investigação experimental
CP2. Método_2.1. Fundamentos da experimentação; 2.2. Designs experimentais; 2.3. Controlo de variáveis externas.
CP3. Resultados_3.1. O papel da estatística inferencial; 3.2. Designs experimentais e a seleção de testes estatísticos.
CP4. Discussão_4.1. Interpretação de resultados e a obtenção de conclusões; 4.2. Escrita do relatório de investigação; 4.3. Normas da APA

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O programa foi elaborado tendo por referência o desenvolvimento de conhecimentos e de competências básicas no domínio da psicologia. Concretamente, assenta numa organização em 4 unidades de Conteúdos Programáticos (CP), definidos a partir dos 11 objetivos de aprendizagem (OA) previamente estabelecidos, onde se privilegia a introdução ao método experimental no estudo de determinantes cognitivos e sociais. Os CP foram selecionados de modo a permitir ao estudante ganhar experiência na condução de experiências, incluindo seleção de designs e planeamento do método, análise de dados comportamentais, considerações sobre validade, fidelidade e ética na investigação e preparação de relatórios escritos. Observa-se, deste modo, uma total coerência e correspondência entre os conteúdos programáticos e os OA, designadamente:
CP1 – OA1, OA2 e OA11;
CP2 – OA1, OA2, OA3, OA4, OA5 e OA11;
CP3 – OA1, OA2, OA6, OA7, OA8 e OA11;
CP4 – OA1, OA2, OA8, OA9, OA10 e OA11.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

No decurso das horas de contacto são privilegiadas as metodologias de ensino expositiva, participativa e ativa. As horas de não-contacto são dedicadas ao trabalho autónomo do aluno.
O regime de avaliação da UC pode ser contínuo ou por exame final (épocas de fim de semestre, recurso e especial). Na avaliação contínua, e garantida a percentagem mínima de assiduidade definida na Normativa Académica, são considerados os seguintes elementos: prova escrita (50%), participação ativa nas aulas com resolução das atividades propostas (10%) e preparação de uma experiência no programa SuperLab, com recolha e análise dados e redação de relatório (40%). O aluno que não obtenha aprovação na avaliação contínua poderá realizar o exame escrito final (100%). Para a creditação dos ECTS, o aluno deverá demonstrar a aquisição dos objetivos e competências definidos, obtendo uma classificação final igual ou superior a 9,5 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino adotadas encontram-se alinhadas com os objetivos de aprendizagem (OA) definidos para a UC, visando permitir ao estudante conhecer e explorar os fundamentos da psicologia experimental e facilitar o pensamento crítico na construção e avaliação de estudos experimentais, com vista a aplicar e construir conhecimentos nesta área de atuação (habilidades reprodutiva e produtiva, respetivamente).
Neste quadro, valoriza-se a articulação de metodologias de caráter expositivo, onde se fará a apresentação e o desenvolvimento dos conteúdos programáticos, com metodologias de teor mais prático e aplicadas em contexto laboratorial, nas quais se promoverão discussões críticas sobre os mesmos, análise de artigos científicos e realização de exercícios e de experiências no programa SuperLab. Pretende-se com esta articulação favorecer uma aprendizagem ativa que permita o aprofundamento dos tópicos em estudo bem como a integração da teoria com a prática, fornecendo um quadro compreensivo da terminologia, conceitos e métodos básicos de pesquisa experimental.
Concretamente, a metodologia expositiva, através da apresentação e sistematização das matérias, permitirá o desenvolvimento e o aprofundamento conceptual e teórico; já as metodologias participativa, através da observação e análise crítica de artigos científicos e da realização de exercícios, e ativa, através da condução, sob orientação, de trabalhos individuais (de construção de experiências em SuperLab, administração e interpretação dos respetivos resultados, e de redação de relatórios de investigação), permitirão o desenvolvimento de competências de conceção de um estudo quantitativo, incluindo: identificação da questão de investigação, revisão crítica da literatura relevante, formulação de hipóteses testáveis, identificação e seleção da amostra, seleção do design adequado, identificação dos métodos de análise de dados, análise estatística, interpretação dos resultados e elaboração do relatório de investigação. As horas de não-contacto serão dedicadas ao trabalho autónomo do aluno, onde se pretende ver assegurada a leitura da bibliografia recomendada e a realização das atividades propostas, de modo a lhe permitir adquirir, consolidar e aplicar os seus conhecimentos e a desenvolver aptidões e competências neste domínio.
A combinação entre estas diferentes metodologias permitirá ao aluno atingir os OA propostos para a UC, objetivos estes que, na sua maioria, articulam conhecimentos, capacidades e competências. Esta coerência entre os OA e as metodologias de ensino (e de avaliação) adotadas concretiza-se do seguinte modo: para todos os OA (1 a 11), o estudante será exposto primeiro ao método expositivo, seguido do métodos participativo (com realização de exercícios) e ativo (trabalho individual e de grupo).

Bibliografia:

American Psychological Association (2019). Publication manual of the American Psychological Association (7ª ed.). Washington, DC: Autor.
Cedrus Corporation (2014). SuperLab 5 manual. Disponível em https://www.cedrus.com/superlab/manual/superlab5-manual-rev-d.pdf
Davis, S. (2003). Handbook of Research Methods in Experimental Psychology. New York:
Blackwell.
Gozli, D. (2019). Experimental psychology and human agency. Cham: Springer
Kantowitz, B., Roediger, H., & Elmes, D. (2009). Experimental Psychology (9.ª ed.). Belmont: Wadsworth.
McGuigan, F. (1997). Experimental Psychology Methods of Research (7.ª ed.) New York: Prentice Hall.
Myers, A. & Hansen, C. (2012). Experimental psychology (7ª ed.). Belmont: Wadsworth.

Objetivos de aprendizagem:

Na unidade curricular de Psicometria pretende-se que os alunos adquiram conhecimentos sobre a perspectiva histórica da Psicometria, bem como sobre o processo de construção e validação de instrumentos de avaliação psicológica. Pretende-se, ainda, que os alunos adquiram conhecimentos sobre os processos de adaptação linguística e cultural destes, desenvolvendo competências práticas para desenvolverem esses processos. Paralelamente, pretende-se que desenvolvam uma perspectiva crítica sobre os instrumentos de avaliação psicológica.

Conteúdos programáticos:

1. Considerações gerais sobre Psicometria
1.1O desenvolvimento da Psicometria
1.2 Origens e evolução
2. O processo de elaboração de medidas e sua adaptação cultural e linguística
2.1 Considerações gerais sobre a elaboração de instrumentos de medida
2.2 A construção do questionário
2.2.1 O processo de resposta
2.2.2 Respostas abertas ou fechadas
2.2.3 A importância dos pressupostos
2.2.4 O formato dos itens
2.2.5 As instruções
2.2.6 A disposição gráfica
2.2.7 A extensão do questionário
2.2.8 O estilo de resposta
2.2.9 As qualidades psicométricas dos instrumentos de medição em Psicologia
2.2.9.1 A fidelidade
2.2.9.2 A validade
2.2.9.3 A estrutura factorial
3. Adaptação cultural e linguística de instrumentos psicométricos
3.1 Procedimento linguístico inicial
3.2 Análise cognitiva do questionário
3.3 A análise psicométrica do questionário traduzido

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

- Adquirir conhecimentos sobre a perspectiva histórica da Psicometria: Ponto 1
- Adquirir conhecimentos sobre o processo de construção de instrumentos de avaliação psicológica: Ponto 2
- Adquirir conhecimentos sobre a validação de instrumentos de avaliação psicológica: Ponto 2.
- Adquirir conhecimentos sobre os processos de adaptação linguística e cultural destes, desenvolvendo competências práticas para desenvolverem esses processos: Ponto 3
- Desenvolver uma perspectiva crítica sobre os instrumentos de avaliação psicológica: Pontos 1, 2 e 3

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

São adotadas metodologias expositivas e ativas/participativas, com exploração realizada pelos alunos a partir da realização de exercícios práticos e da promoção de debate crítico em sala de aula.
A avaliação adotada é contínua, consistindo em práticas específicas (que valem 50% da nota final) - trabalho esse que é sistematizado num relatório final - e numa prova oral de aferição de conhecimentos (que valem 50% da nota final).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

- Adquirir conhecimentos sobre a perspectiva histórica da Psicometria: Metodologias expositivas.
- Adquirir conhecimentos sobre o processo de construção de instrumentos de avaliação psicológica: Metodologias expositivas; promoção da análise crítica de instrumentos de avaliação psicológica; promoção de exercícios de role-play; e promoção de debate entre alunos.
- Adquirir conhecimentos sobre a validação de instrumentos de avaliação psicológica: Metodologias expositivas; promoção da análise crítica de instrumentos de avaliação psicológica; e promoção de debate entre alunos.
- Adquirir conhecimentos sobre os processos de adaptação linguística e cultural destes, desenvolvendo competências práticas para desenvolverem esses processos: Metodologias expositivas; promoção da análise crítica de instrumentos de avaliação psicológica; e promoção de debate entre alunos.
- Desenvolver uma perspectiva crítica sobre os instrumentos de avaliação psicológica: Promoção da análise crítica de instrumentos e realização de debates entre alunos.

Bibliografia:

Leslie A. Miller, & Robert L. Lovler (2019). Foundations of Psychological Testing. A Practical Approach (Fifth edition). SAGE.
European Organisation for Research and Treatment of Cancer (2017). EORTC Quality of Life Group Translation Procedure. https://www.eortc.org/app/uploads/sites/2/2018/02/translation_manual_2017.pdf
Hill, M.M., & Hill, A. (2002). Investigação por questionário. Edições Sílabo.
Moreira, J.M. (2004). Questionários: Teoria e prática. Almedina.
Pasquali, L. (2003). Psicometria: Teoria dos Testes na Psicologia e na Educação. Editora Vozes.
EORTC Quality of Life Group (2011). Guidelines for Developing Questionnaire Modules. https://www.eortc.org/app/uploads/sites/2/2018/02/guidelines_for_developing_questionnaire-_final.pdf
Izard, J. (2005).Trial testing and item analysis in test construction: Module 7. UNESCO - International Institute for Educational Planning. https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000214554

Objetivos de aprendizagem:

1- Conhecer as origens e evolução da Psicopatologia referenciando a diversidade e complementaridade de correntes e abordagens.
2- Compreender a relatividade do normal, do desvio e do patológico a partir de diversas perspectivas. Compreender o equilíbrio dinâmico entre a saúde e a doença, o processo dinâmico de descompensação e a questão estrutural.
3- Conhecer os quadros clínicos mais relevantes na psicopatologia do Adulto e do Senescente no plano teórico e em articulação a casos práticos.
4- Adquirir competências de análise em psicopatologia evidenciando a distinção de níveis e dimensões do ponto de vista conceptual e clínico.
5- Exercitar competências de observação e análise de casos clínicos à luz de diferentes grelhas e modelos aplicando os conteúdos programáticos.
6- Desenvolver trabalho de leitura conceptual e pesquisa bibliográfica, competências de interpretação, expressão oral e escrita, capacidade de selecção da informação e espírito crítico na área disciplinar.

Conteúdos programáticos:

1-Enquadramento da Psicopatologia: origens e evolução histórica e epistemológica até à actualidade e algumas noções básicas.
2-2.1 O "normal" e o "patológico". 2.2 Saúde mental: Descompensação, tipo de sintomas e Organizações psicopatológicas estruturais. 2.3 Casos clínicos.
3- Quadros Ansiosos. 3.1 Tipos de sintomas. 3.2 Neuroses. 3.3 P.s de Ansiedade; P. Obsessivo-compulsiva; P.s de Sintomas Somáticos; P.s de Trauma e F.s de Stress; Ps. Dissociativas.
4- Organizações Estados-limite (border-line). Perturbações Border-line e outras Patologias da Personalidade.
5-Depressões. Polimorfia. DSM 5: Perturbações Depressivas (adulto e senescente). E Ps. Bipolares. Ep. maníaco, hipomaníaco, e melancolia.
6-Psicoses. Perturbações Psicóticas.
7- Psicopatologia do Envelhecimento e Senescência. 7.1 Dinâmica do Envelhecimento. 7.2 Semiologia diferencial. Senilidade, depressão e demência. 7.3 Nosologia e nosografia dos quadros clínicos mais associados à senescência.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade Lectiva 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam a aquisição de referências constituintes da Psicopatologia do adulto e da senescência, a origem e evolução das concepções e teorias, práticas e métodos (observação, investigação, intervenção). Este conhecimento epistemológico é estruturante de competências e da realização dos objectivos programáticos.
Unidades Lectivas 2 a 6 - Promove-se o estudo dos principais quadros psicopatológicos do adulto à luz de diversas abordagens e dimensões (clínicas, nosográficas, fenomenológicas, psicodinâmico-estruturais), com aplicação a casos práticos (bibliografia, e observação de consultas).
Unidade Lectiva 7 - Promove-se a compreensão de envelhecimento e senescência, a distinção de noções semiológicas fundamentais, e conhecimento dos principais quadros psicopatológicos e nosológicos da senescência à luz de diversas dimensões, e aplicações a casos clínicos (bibliografia, e observação de consultas) promovendo a aquisição de competências.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá a exposição, análise e aplicação dos fundamentos conceptuais e metodológicos da psicopatologia do adulto e do senescente. Promove-se a aprendizagem dos conteúdos programáticos, a partir da exposição em aula pelo docente, da leitura e análise de bibliografias e da análise de casos clínicos com base na distinção de dimensões do funcionamento psicopatológico. Acresce a participação oral dos alunos, diálogo e exercícios sobre os conteúdos em estudo, trabalho não presencial sobre os temas abordados; e eventualmente a observação de A avaliação é contínua, baseando-se num teste escrito presencial e num trabalho sobre um tema do programa (monografia) realizado em grupo de três elementos. Estes dois elementos de avaliação contínua têm a cotação respectiva de 60% e 40%, uma vez que o teste presencial tenha a nota mínima de oito (8.0) valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade Letiva 1 e 2 serão alvo de exposição descritiva e comentada, no sentido de se organizar e orientar o estudo da psicopatologia nas suas diversas vertentes e dimensões, e assim alicerçar o conhecimento teórico e o desenvolvimento de noções aplicadas.
As Unidades Letivas 3 a 7 serão alvo de exposição descritiva dos principais quadros clínicos e perturbações psicopatológicas do Adulto e do Senescente, assim como análise de casos clínicos, no sentido de se promover conhecimentos e competências de compreensão e diagnóstico. A observação de consultas engloba posteriormente a sua discussão com o psicólogo da consulta e o docente, registo, análise à luz de diversas dimensões e modelos (fenomenológica, classificativa, psicopatológica e dinâmica) e elaboração diagnóstica, promovendo conhecimentos e competências de análise diferencial, compreensão de diferentes níveis, dimensões e diagnóstico em psicopatologia.

Bibliografia:

A.P.A.(2014). DSM 5-Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais. Lisboa: Climepsi.
Barnhill, J. (2018). DSM-5 Casos clínicos. Lisboa: Climepsi.
Correira, D.T. (2014).Manual de Psicopatologia. Lisboa: Lidel. 2ªed.
Firmino, H.,Simões, M., Cerejeira, J.(2016). Saúde Mental das Pessoas Mais Velhas. Lisboa: Lidel.
Lingiardi,V.& Mcwilliams, N. (2017). Psychodynamic diagnostic manual. (2nd ed.). NY:Guilford.
Charrier,P. & H.-Ambrosi (2006). Os estados-limite. Climepsi.
Matos, M. (2019). Mecanismos de defesa. In Nunes et al. (Coord.), Comportamento e Saúde Mental. Lisboa:Pactor.
Matos,M (2019).Neuroses vs. Psicoses. In Nunes et al. (Coord.), Comportamento e Saúde Mental. Lisboa:Pactor.
Nordgaard, L. & Parnas, J.(2012). The psychiatric interview:validity, structure, and subjectivity. In Eur Arch Psychiatry Clin Neurosci., 2012.
PEDINIELLI, J.-L. & BERTAGNE (2005).As neuroses. Climepsi.
PEDINIELLI, J.L. & GIMENEZ,G. (2007).As psicoses do adulto. Lisboa: Climepsi.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Nesta Unidade Curricular pretende-se que o aluno adquira e aprofunde os fundamentos da avaliação psicológica da criança e do adolescente nos seus pressupostos teóricos e práticos. O aluno deverá desenvolver competências básicas de avaliação psicológica, incluindo: procedimentos e posturas a adotar na realização da observação e da entrevista; a administração de provas psicológicas, cotação e interpretação de dados. Pretende-se ainda: (O1) o desenvolvimento de uma atitude crítica e autocrítica; (O2) desenvolvimento de competências académicas de recolha e organização de informação, de seleção de bibliografia relevante, leitura e escrita crítica compreensiva de relatórios (3) integração de princípios éticos da avaliação psicológica.

Conteúdos programáticos:

CP 1: Considerações sobre a avaliação psicológica na infância e adolescência
1.1.- Especificidades da avaliação do desenvolvimento infantil
1.2.- O setting da avaliação
1.3.- Dimensões do processo de avaliação psicológica
1.4.- Princípios Éticos na Avaliação Psicológica
CP 2. Metodologias e Técnicas de avaliação Psicológica
2.1.- A entrevista (Anamnese)
2.2.- Provas psicológicas
2.2.1.- Escalas de desenvolvimento – SGS-II
2.2.2.- Rastreio dos problemas emocionais e do comportamento - SDQ
2.2.3.- Avaliação do funcionamento intelectual - WISC
2.2.4.- Psicopatologia do desenvolvimento - Modelo ASEBA
2.3.- A observação
CP 3: Comunicação dos resultados da avaliação psicológica
3.1. Entrevista de devolução
3.2. A elaboração do relatório psicológico

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos (CP) foram delineados em função dos objetivos de aprendizagem (O) da UC, no sentido de promover o desenvolvimento de competências que permitam aos alunos a aquisição e integração de conhecimentos sobre o enquadramento da avaliação psicológica na infância e adolescência; Aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e metodologias de avaliação psicológica.
Assim,O1 corresponde a CP1 e CP3; O2 e O3 correspondem a CP2

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Expositivo, participativo, análise e discussão de casos, observação em contexto.
A avaliação contínua requer o cumprimento da assiduidade nas horas de contacto de acordo com Normativa Académica da Universidade Fernando Pessoa; Realização de 1 Ficha Técnica sobre um instrumento/metodologia de avaliação psicológica com apresentação e discussão oral (40%); 1 teste escrito (50%); participação pró-ativa nas atividades de observação e outras atividades propostas (10%), com um mínimo de 10 valores na avaliação final da UC.
(Nota: a não realização de um destes tipos de avaliação implica avaliação negativa na UC)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino (expositivas e participativas com discussão de casos e apresentação de trabalhos, assim como orientação na revisão crítica de literatura) pretendem promover nos estudantes a aquisição e integração de conhecimentos que permitam o enquadramento da avaliação psicológica na infância e adolescência; aquisição e desenvolvimento de capacidades de análise, de síntese e de integração de métodos, técnicas, conceitos, modelos, teorias e metodologias de avaliação psicológica aplicadas a casos práticos.
Assim considera-se que as metodologias adotadas são consistentes com os objetivos de aprendizagem.

Bibliografia:

Almeida, L., Simões, M., Machado, C., & Gonçalves, M.(Coords.) (2004). Avaliação Psicológica: Instrumentos val. pop. portuguesa. Coimbra: Quarteto.
APA, Board of Educational Affairs Task Force on Education and Training Guidelines for Psychological Assessment in Health Service Psychology (2020). APA Guidelines Educ. Train. Psychological Assessment. Retrieved from https://www.apa.org/about/policy/guidelines-assessment-health-service.pdf
Contini, N. (2018). Some conceptual links between psychopathol. develop., personality and psychological assessment children & adolescents. Cienc. Psicol. (12)1, 147-157
Enache, R. G. (2016). The role of interdisc. team psychological assessment and prevention of infancy child. disorders. Bul.Transilvania Univ. Brasov. S.Sciences,9,147-154.
Gonçalves, M., Simões, M., & Almeida, L. (2017). Psicologia clínica e da saúde: Instrumentos de avaliação. Pactor Ed.
Schaffer, J. B. &. Rodolfa, E.(2018). ICD–10–CM Casebook and Workbook for Students- WDC: APA

Objetivos de aprendizagem:

(i) Enquadrar histórica e epistemologicamente os modelos psicodinâmicos, humanistas e neo-humanistas e sistémicos da Psicologia;
(ii) Adquirir conhecimentos sobre os conceitos, teorias e técnicas propostos por estes modelos, fazendo a respectiva integração com diferentes especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia;
(iii) Desenvolver competências académicas de recolha e organização de informação, de selecção de bibliografia relevante, leitura crítica e compreensiva e de redacção;
(iv) Integrar aspectos éticos e deontológicos associados à intervenção psicológica.

Conteúdos programáticos:

São abordadas as conceções de funcionamento psicológico, segundo o modelo psicanalítico, psicodinâmico, humanista, gestalt, terapia focadas nas emoções e sistémico, bem como as suas características e implicações para a intervenção psicológica. São feitas análises críticas a estes modelos em termos da sua contribuição para a intervenção psicológica.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de matérias teóricas específicas na área da intervenção psicológica, permitindo, deste modo atingir os objectivos da unidade curricular como: enquadrar histórica e epistemologicamente os modelos psicodinâmicos, humanistas e sistémicos da Psicologia e adquirir conhecimentos de conceitos, teorias e técnicas propostos por estes modelos, fazendo a respectiva integração com diferentes especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia; desenvolver competências académicas de recolha e organização de informação e de redacção e, integrar aspectos éticos e deontológicos associados à intervenção psicológica.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova escrita de avaliação (70%), na execução um trabalho teórico-prático (30%, Role-Play), na apresentação e discussão oral desse trabalho, assim como na pontualidade e a assiduidade do aluno.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aulas teóricas com exposição e análise dos conteúdos com base na bibliografia fornecida pela docente, com participação activa dos alunos no debate, construção e compreensão dos conteúdos, recorrendo à pesquisa bibliográfica realizada pelos mesmos Participação activa dos alunos na apresentação, crítica e reflexão dos temas com o objectivo de aquisição e integração de diferentes abordagens e respetivos procedimentos básicos.
Aulas teórico-práticas com participação activa dos alunos na visualização e comentário de vídeos; realização, com a orientação da docente de trabalho teórico-prático (role play).

Bibliografia:

Corsini, R. & Wedding, D. (2019, 11th edition). Current Psychotherapies. Victoria:Thomson.
Rogers, C. (2004). Terapia Centrada no Cliente. Lisboa: Moraes Ed.
Sampaio, D. & Gameiro, J. (2002). Terapia Familiar. Porto: Afrontamento.
Greenberg, L. (2014). Terapia focada nas emoções. Lisboa: Coisas de Ler
Luyten, P. (2015). Unholy Questions About Five Central Tenets of Psychoanalysis That Need to be Empirically Verified. Psychoanalytic Inquiry, 35, 5-23.
Moore-Wagner, L. (2004). Gestalt therapy: past, present, theory, and research. Psychotherapy: Theory, Research, Practice, Training, 41 (2), 180–189. DOI 10.1037/0033-3204.41.2.180
Abbass, A.et al. (2012). Intensive Short-Term Dynamic Psychotherapy: A Systematic Review and Meta-analysis of Outcome Research. Harv Rev Psychiatry, 20 (2). DOI: 10.3109/10673229.2012.677347
Breunlin, D. & Jacobsen, E. (2014). Putting the “Family” Back Into Family Therapy. Family Process, 53, 462–475. DOI: 10.1111/famp.12083

Objetivos de aprendizagem:

a) Os alunos devem demonstrar possuir conhecimentos e capacidade de compreensão sobre Psicologia Clínica e da Saúde a um nível que corresponda e se apoie em livros de texto avançados;
b) Os alunos devem saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridas, de forma a evidenciarem uma abordagem profissional ao trabalho desenvolvido na área da Psicologia Clínica e da Saúde;
c) Os alunos devem mostrar capacidade de recolher, seleccionar e interpretar informação relevante, particularmente no âmbito da Psicologia Clínica e da Saúde, que os habilite a fundamentarem as soluções que preconizem e os juízos que emitem, incluindo na análise os aspectos sociais científicos e éticos relevantes;
d) Os alunos devem ser dotados de competências que lhes permitam comunicar informação, ideias, problemas e soluções, tanto a públicos constituídos por especialistas como não especialistas.

Conteúdos programáticos:

1. Psicologia Clínica, Psicologia da Saúde e Psicologia Clínica da Saúde: Emergência e evolução.
1.1. Breve resenha histórica.
1.2. Objecto de estudo e objectivos.
1.3. Convergências, divergências e subespecialidades.
2. Psicologia Clínica e da Saúde: Aspectos práticos.
2.1. Principais áreas, modelos e métodos de intervenção.
2.2. Avaliação, intervenção e investigação: Alguns aspectos éticos.
2.3. Os outros: Dos outros significativos aos cuidadores formais.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

- Desenvolver conhecimentos e capacidade de compreensão sobre Psicologia Clínica e da Saúde a um nível que corresponda e se apoie em livros de texto avançados: pontos 1.1., 1.2., 1.3., 2.1.;
- Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridas, de forma a evidenciarem uma abordagem profissional ao trabalho desenvolvido na área da Psicologia Clínica e da Saúde: pontos 1.3, 2.1., 2.2., 2.3.;
- Mostrar capacidade de recolher, seleccionar e interpretar informação relevante, particularmente no âmbito da Psicologia Clínica e da Saúde, que habilite a fundamentar as soluções preconizadas e os juízos emitidos, incluindo na análise os aspectos sociais científicos e éticos relevantes: pontos 1.3., 2.1., 2.2., 2.3.;
- Desenvolver competências que permitam comunicar informação, ideias, problemas e soluções, tanto a públicos constituídos por especialistas como não especialistas: pontos 2.1., 2.2., 2.3..

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Apresentação dos temas nas aulas, solicitando a intervenção dos alunos nestas através de questões (relativas a exemplos, implicações, conteúdos previamente abordados, etc.);
Indicação prévia de bibliografia sobre os temas e discussão destes nas aulas, estimulando a articulação com conhecimentos e experiências anteriores dos alunos;
Treino de competências ao nível da pesquisa bibliográfica;
Treino de competências de investigação científica;
Análise de extractos de filmes/livros, de forma a exemplificar/concretizar determinados pontos;
Apresentação oral e escrita (seguida de clarificações sempre que necessário; cf. TPC) por parte dos alunos;
Discussão de casos (cf. articulação com a CPP e HE-UFP);
Role-play.
A avaliação adoptada é contínua, consistindo em práticas específicas - trabalho sistematizado num relatório sinteticamente apresentado em aula, cuja estrutura é facultada pela docente (50% da nota final) e numa prova teórica escrita (50% da nota final).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

- Desenvolver conhecimentos e capacidade de compreensão sobre Psicologia Clínica e da Saúde a um nível que corresponda e se apoie em livros de texto avançados: Apresentação dos temas nas aulas; Indicação prévia de bibliografia sobre os temas e discussão destes; Treino de competências ao nível da pesquisa bibliográfica;
- Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridas, de forma a evidenciarem uma abordagem profissional ao trabalho desenvolvido na área da Psicologia Clínica e da Saúde: Análise de extractos de filmes/livros; Discussão de casos; Apresentação oral e escrita; Discussão nas aulas; Role-play;
- Mostrar capacidade de recolher, seleccionar e interpretar informação relevante, particularmente no âmbito da Psicologia Clínica e da Saúde, que habilite a fundamentar as soluções preconizadas e os juízos emitidos, incluindo na análise os aspectos sociais científicos e éticos relevantes: Treino de competências de investigação científica; Apresentação oral e escrita; Discussão nas aulas;
- Desenvolver competências que permitam comunicar informação, ideias, problemas e soluções, tanto a públicos constituídos por especialistas como não especialistas: Treino de competências de investigação científica; Discussão (casos/aulas); Role-play.

Bibliografia:

Barlow,DH(Ed.)(2014)The Oxford handbook of clinical psychology.Oxford UPress
Luo et al(2019)An evaluation of a positive psychological intervention to reduce burnout among nurses.Archives of Psychiatric Nursing,33,186-191
Macedo, AF, et al(2018)Psicologia na medicina.Lidel.
Monteleone,TV, & Witter,C(2017)Prática baseada em evidências em Psicologia e idosos...Psicologia:Ciência e Profissão,37,48-61
Parada,I,et al(2018)Ansiedade na adolescência e famílias.Um tratamento...RPCA,9(1),103-117
Plante,TG(2005)Contemporary clinical psychology (2nd ed.).Wiley
Ribeiro,J(2007)Introdução à psicologia da saúde.Quarteto
Turner-Cobb,J(2014)Child health psychology...Sage

Objetivos de aprendizagem:

(i) Promover a aquisição de conhecimentos de quadros concetuais no domínio da Psicologia da Educação;
(ii) Adquirir conhecimento fundamental no campo da Psicologia Educação;
(iii) Aplicar conhecimento básico do campo da Psicologia da Educação na análise de situações do campo educativo;
(iv) Conhecer os processos e estratégias de aprendizagem e de motivação e saber aplicá-los em diversos contextos
(v) Desenvolver competências reflexivas sobre os fenómenos psicológicos e suas implicações para a mudança no âmbito educativo à luz dos contributos da Psicologia da Educação..
(vi) Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita;
(vii) Desenvolver uma atitude crítica e autocrítica bem como adoptar valores éticos e deontológicos.

Conteúdos programáticos:

Unidade Letiva I: A Psicologia da Educação
1.1. Breve perspectiva histórica da Psicologia da Educação
1.2. A Psicologia da Educação no contexto da Psicologia e das Ciências da Educação
1.3.Definição,objeto e estatuto epistemológico da Psicologia da Educação
1.4. Metodologia e investigação em Psicologia da Educação
1.5. O psicólogo escolar e da educação
Unidade Letiva II: A aprendizagem e a motivação
2.1..Teorias da aprendizagem e teorias da motivação
2.2. Implicações pedagógicas das teorias
2.3. Ambientes de aprendizagem e de motivação
2.4. Estratégias de aprendizagem
2.5. Programas de treino da motivação
Unidade Letiva III: As necessidades educativas especificas
3.1. Carateristicas dos contextos inclusivos
3.2. A intervenção precoce
3.3. A educação especial
3.4. As necessidades educativas especificas
Unidade Letiva IV: Temas atuais
4.1. O bulliyng
4.2. Autoconceito, autoestima e autoeficácia
4.3. A sobredotação

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas que servem de introdução ao estudo da Psicologia da Educação, permitindo, deste modo atingir os objetivos da unidade curricular, mais especificamente: integrar conhecimentos, competências e capacidades quanto à definição, objeto e estatuto epistemológico assim como conhecer as principais técnicas e metodologias usadas na investigação nesta área; e à diferenciação entre o psicólogo escolar e da educação.
Unidades 2,3 e 4: para a consecução dos objetivos é priveligiada a abordagem de matérias teóricas específicas, permitindo integrar conhecimentos, competências e capacidades para conhecer as teorias, as implicações pedagógicas destas, a aplicação prática em diferentes contextos das diferentes estratégias assim como desenvolver competências reflexivas sobre os fenómenos psicológicos e suas implicações para a mudança no âmbito educativo à luz dos contributos da Psicologia da Educação.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova escrita de avaliação (60%), na execução de um trabalho teórico-prático, de grupo (10%), na apresentação e discussão oral desse trabalho (20%), assim como na execução de tarefas teórico-práticas em sala de aula (10%).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1- Os conteúdos programáticos da Unidades Letiva serão alvo de exposição descritiva e organizativa utilizando os métodos expositivo, ativo e participativo (privilegiando estes últimos) de forma a permitir conhecer e situar a Psicologia da Educação no contexto da Psicologia e das Ciências da Educação, considerando o seu objeto e o seu estatuto epistemológico, assim como promover a identificação de domínios e métodos da investigação nesta área.
Unidade 2 - Os conteúdos programáticos da Unidade Letiva serão alvo de exposição descritiva e organizativa utilizando os métodos expositivo, ativo e participativo (privilegiando estes últimos) de forma a permitir contribuir para uma maior compreensão da dinâmica dos processos de aprendizagem e motivação nos diversos contextos educativos e desenvolver uma atitude crítica e autocrítica bem como adotar valores éticos e deontológicos.
Unidade 3: Os conteúdos programáticos da Unidade Letiva serão alvo de exposição descritiva e organizativa utilizando os métodos expositivo, ativo e participativo (privilegiando estes últimos) de forma a permitir contribuir para uma maior compreensão das necessidades educativas especificas e dos contextos inclusivos e contribuir para construção dos mesmos; pretende-se ainda o desenvolvimento de competências de comunicação oral e escrita e desenvolver uma atitude crítica e autocrítica bem como adptar valores éticos e deontológicos. Visualização e análise de documentários considerados pertinentes.
Unidade 4: Os conteúdos programáticos da Unidades Letiva serão alvo de exposição descritiva e organizativa utilizando os métodos expositivo, ativo e participativo (privilegiando estes últimos) de forma a contribuir para a análise e interpretação de diferentes casos e situações à luz dos contributos da Psicologia da Educação; aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita e desenvolver uma atitude crítica e autocrítica bem como adotar valores éticos e deontológicos. Para a prossecução dos objetivos serão ainda efetuadas visitas de estudo, contacto com Psicólogos da Educação e estudos de caso.

Bibliografia:

Alderson, P. (2018). How the rights of all school students and teachers are affected by special educational needs or disability (SEND) services: Teaching, psychology, policy’. London Review of Education, 16 (2): 175–190. DOI https://doi.org/10.18546/LRE.16.2.01
Costa, A. R. (2012). Relações entre a Competência Percebida e o Talento a Matemática em alunos dos 8 aos 13 anos. https://dspace.usc.es/bitstream/10347/6126/1/rep_264.pdf
Dias, D. (2018). Psicologia da Aprendizagem. Lisboa: Editora Sílabo
Karimi-Aghdam, S. (2017). Zone of Proximal Development (ZPD) as an Emergent System: A Dynamic Systems Theory Perspective. Integr Psych Behav (2017), 51, pp76–93 DOI 10.1007/s12124-016-9359-1.
Miranda, G.L. & Bahia, S. (Org.) (2005). Psicologia da Educação. Temas de Desenvolvimento, Aprendizagem e Ensino. Lisboa: Relógio d’ Água
Woolfolk, A. (2000). Psicologia da Educação. Porto Alegre: Artmed.
Woolfolk, A. (2015).Educational Psychology . Pearson Education (US). ISBN: 9780133549928

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

(i) Adquirir conhecimentos e capacidade de compreensão das especificidades inerentes à avaliação psicológica do adulto e senescente;
(ii) Conhecer e compreender os objetivos, os pressupostos teóricos, as considerações práticas, as vantagens e os limites específicos das diferentes metodologias e técnicas de avaliação psicológica do adulto e senescente (ex.: entrevistas, observação directa, escalas de avaliação de comportamentos, testes psicológicos);
(iii) Saber selecionar as metodologias e técnicas adequadas na avaliação psicológica do adulto e do senescente;
(iv) Treinar competências básicas de aplicação, cotação e interpretação dos resultados de diferentes instrumentos usados na avaliação psicológica do adulto e senescente;
(v) Demonstrar capacidade de comunicação oral e escrita da informação obtida.

Conteúdos programáticos:

1.ª Unidade: Aplicações e especificidades da avaliação psicológica do adulto e senescente. Implicações da avaliação para a intervenção psicológica. O relatório de avaliação psicológica: especificidades relativas aos adultos e senescentes. Modelos e metodologias de avaliação psicológica do adulto e senescente: entrevistas(clínicas) e observação direta.
2.ª Unidade: Metodologias e instrumentos de avaliação psicológica do adulto: Avaliação comportamental. Avaliação da inteligência (ex.: WAIS, Matrizes Progressivas de Raven, etc.). Avaliação da personalidade: Testes de autorrelato. Testes projetivos.
3.ª Unidade: Metodologias e instrumentos de rastreio/avaliação psicológica do senescente: Avaliação cognitiva (incluindo despiste de demências) (ex.: MMSE; MOCA, BLAD). Avaliação neuropsicológica (ex.: BANC). Avaliação emocional (ex.: GDS-30, GDS-15). Avaliação funcional (ex.: IAFAI).

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - aquisição de conhecimentos e capacidade de compreensão das especificidades inerentes à avaliação.
Unidade 2 - caracterização e aplicação prática dos instrumentos e metodologias de avaliação psicológica do adulto, de forma a: compreender dos objetivos, pressupostos teóricos, considerações práticas, vantagens e limites específicos das diferentes metodologias e técnicas; selecionar e aplicar métodos e técnicas apropriados; demonstrar competências de aplicação, cotação e interpretação.
Unidade 3 - caracterização e aplicação prática dos instrumentos e metodologias de avaliação psicológica do senescente, de forma a: compreender os objetivos, pressupostos teóricos, considerações práticas, vantagens e limites específicos das diferentes metodologias e técnicas; selecionar e aplicar métodos e técnicas apropriados; demonstrar competências de aplicação, cotação e interpretação; Revelar capacidade de comunicação oral e escrita.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica, debates temáticos, reflexões críticas bem como observação de consultas na CPP. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova escrita de avaliação (60%), na execução de um trabalho prático(30%), na apresentação e discussão oral desse trabalho (10%), assim como na execução de tarefas teórico-práticas em sala de aula, e na pontualidade e a assiduidade do aluno.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Exposição teórica de conteúdos caracterizadores da área de actuação; Debate individual e em grupo de casos para distintas problemáticas que constituem solicitações de avaliação psicológica; Demonstrações; Exercícios práticos com o objetivo de demonstrar conhecimentos e competências básicas para executar tarefas de avaliação psicológica nos seus diferentes contextos de aplicação.
Unidade 2 - Exposição teórica de conteúdos para caracterização e aplicação prática da avaliação psicológica com adultos; Apresentação de casos reais (anónimos); manuseamento dos materiais usados na avaliação psicológica do adulto; Demonstrações; observações na CPP com o objetivo de ser capaz de integrar os conhecimentos teóricos e práticos adquiridos na administração de provas de avaliação psicológica; Revelar capacidade de comunicação oral e de redação de relatórios;
Unidade 3 - Exposição teórica de conteúdos para caracterização e aplicação prática da avaliação psicológica com senescentes; Apresentação de casos reais (anónimos); manuseamento dos materiais usados na avaliação psicológica do senescente; Demonstrações; observações na CPP com o objetivo de ser capaz de integrar os conhecimentos teóricos e práticos adquiridos na administração de provas de avaliação psicológica; Revelar capacidade de comunicação oral e de redação de relatórios.

Bibliografia:

Arslan, R. (2018). A Review on Ethical Issues and Rules in Psychological Assessment. Journal of Family, Counseling, and Education, 3(1), 17-29
Bornstein, R. (2017). Evidence-Based Psychological Assessment. Journal of Personality Assessment, 99(4), 435-445.
Cohen, R.J., & Swerdlik, M.E. (2018). Psychological testing and assessment: An introduction to tests and measurement (9th ed.). NY: McGraw-Hill.
Goldstein, G. Allen, D. & DeLuca, J. (2019). Handbook of Psychological Assessment (4th ed). USA: Academic Press
Gonçalves, M. et al. (2017). Psicologia clínica e da saúde: instrumentos de avaliação. Lisboa: Pactor
Simões, M. et al. (2017). Psicologia Forense: Instrumentos de avaliação. Lisboa: Pactor
Simões, M. R; Santana, I.; GEECD. (2015). Escalas e Testes na Demência. ed. 3, ISBN: 978-989-20-5611-1. Lisboa: Novartis.
Simões, M. (2012). Instrumentos de avaliação psicológica de pessoas idosas: investigação e estudos de validação em Portugal. RIDEP, 34, 9-33.

Objetivos de aprendizagem:

(i) Compreender o contexto ético-cultural no qual estão enquadrados.
(ii) Saber aplicar os conhecimentos ético-deontológicos adquiridos, de forma a evidenciar uma abordagem profissional ética ao trabalho desenvolvido na sua área da psicologia;
(iii) Saber recolher, selecionar e interpretar a informação relevante, particularmente na sua área de formação, que os habilite a fundamentarem eticamente as soluções que preconizam e os juízos que emitem;
(iv) Saber resolver problemas ético-deontológicos no âmbito da sua área de formação e saber construir e fundamentar a sua própria argumentação ético-deontológica

Conteúdos programáticos:

(Prof. Teresa Toldy)
1ª Unidade - Conceitos fundamentais para o desenvolvimento do raciocínio ético: 1. Definições gerais de “ética, “moral” e “deontologia”. 2. Papel da consciência e da liberdade nas decisões éticas. 3. A regra de ouro da ética e o respeito pelo outro. 4. Para uma ética do cuidar e da humanização.
(Prof. Susana Marinho)
2ª Unidade – A Ética e a Deontologia no Domínio da Psicologia:
CP 1. Os quatro princípios prima facie: Beneficência; Não-maleficência; Justiça; Autonomia;
CP 2. Processo de tomada de decisão ética;
CP 3. Código Deontológico da Ordem dos Psicólogos Portugueses; 3.1 Princípios gerais; 3.2. Princípios específicos;
CP 4. Estudos de caso: dilemas éticos e deontológicos em Psicologia.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de matérias teóricas específicas da ética, permitindo, deste modo atingir os objectivos da unidade curricular, isto é: integrar conhecimentos, competências e capacidades para uma actuação ética;
Unidade 2 - Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento da aplicação teórico-prática dos conhecimentos no domínio da deontologia, permitindo atingir os objectivos da unidade curricular, isto é: saber aplicar os conhecimentos ético-deontológicos adquiridos, de forma a evidenciar uma abordagem profissional ética ao trabalho desenvolvido na sua área da psicologia; saber recolher, selecionar e interpretar a informação relevante, particularmente na sua área de formação, que os habilite a fundamentarem eticamente as soluções que preconizam e os juízos que emitem; saber resolver problemas ético-deontológicos no âmbito da prática psicológica e saber construir e fundamentar a sua própria argumentação ético-deontológica.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova escrita de avaliação (50% da nota final), relativa à 1ª unidade, e um trabalho escrito com discussão oral (50% da nota final), relativa à 2ª unidade.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade I: Exposição teórica dos conceitos de ética, deontologia e moral, bem como da relação e diferença entre todos eles. Exposição teórica sobre a relevância do reconhecimento do sofrimentos do outro e do respeito pelo outro. Exposição teórica sobre os quatro princípios prima facie enfatizando a sua relevância para o exercício profissional dos psicólogos. Exposição da Declaração de Helsínquia enfatizando a sua relevância para a investigação e para as questões relacionadas com o consentimento informado. Os alunos fazem leituras individuais, discutidas em sala de aula, sobre as temáticas exploradas neste capítulo.
Unidade 2 - Apresentação da estrutura, princípios gerais, princípios específicos e diversas secções do código deontológico da Ordem dos Psicólogos Portugueses. Exposição da estrutura e etapas do processo de tomada de decisão ética. Realização de exercícios práticos sobre os fundamentos da ética e deontologia na Psicologia. Trabalhos de consolidação dos conhecimentos adquiridos (resolução de casos éticos e deontológicos na área da Psicologia).

Bibliografia:

Freitas e França. 2015.Identidade e o reconhecimento do outro no contexto dos direitos humanos. An. Sciencult. 6(1) 396-415
Taille, Y.2016. Moral e ética no mundo contemporâneo. Revista USP.110_ 29-42
Toldy, T. 2016. “Carol Gilligan: Cuidar numa voz diferente”, in M.L. Ferreira e F. Henriques (orgs.), Marginalidade e Alternativa: vinte e seis FILÓSOFAS para o séc. XXI( 133-142). Lx: Ed. Colibri
Chiattoni, H.B., Sebastiani, R.W.(2002).Ética e Bioética Psi.Saúde. Univ. Psychol. Bogotá,1(2),11-19.
Monteiro, K.C.(2007). O consentimento informado na pesquisa em psicologia hospitalar. Rev Epistemo-Somática,1(IV) 84-92
Ricou, M. (2014). A Ética e a Deontologia no exercício da Psicologia. Lisboa: OPP
Leach, Mark., M., Leong, Frederick, T.L (2010,) Intern.Dimensions Psychological Ethics. Ethics & Behavior - Vol. 20 (3/4) 175-178. DOI: 10.1080/1050842100379885

Objetivos de aprendizagem:

(i) Enquadrar histórica e epistemologicamente os modelos comportamentais e cognitivos da Psicologia;
(ii) Adquirir conhecimentos sobre os conceitos, teorias e técnicas de intervenção psicológica propostos por estes modelos, fazendo a respectiva integração com diferentes especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia;
(iii) Desenvolver competências académicas de recolha e organização de informação, de selecção de bibliografia relevante, leitura crítica e compreensiva e de redacção;
(iv) Integrar aspectos éticos e deontológicos associados à intervenção psicológica.

Conteúdos programáticos:

1ª Unidade – Modelos comportamentais. O paradigma do condicionamento clássico: exposição directa e exposição gradual e mediatizada; o paradigma do condicionamento operante: estratégias para diminuir e para aumentar a duração, intensidade e frequência de um comportamento; o paradigma da aprendizagem social: modelagem e prática comportamental; prevenção da recaída.
2ª Unidade – Modelos cognitivos. O paradigma do autocontrolo: estratégias de autocontrolo: de auto-observação, de controlo de estímulos e de controlo das consequências. O paradigma das aptidões de confronto: treino de inoculação do stress e treino de solução de problemas. O paradigma da reestruturação cognitiva: estratégias de disputa racional; estratégias de reestruturação cognitiva

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos privilegiam o aprofundamento de matérias teóricas específicas na área da intervenção psicológica, permitindo, deste modo atingir os objectivos da unidade curricular como: enquadrar histórica e epistemologicamente os modelos comportamentais e da Psicologia e adquirir conhecimentos de conceitos, teorias e técnicas de intervenção psicológica propostos por estes modelos, fazendo a respectiva integração com diferentes especialidades, domínios e contextos de aplicação da Psicologia; desenvolver competências académicas de recolha e organização de informação e de redacção e, integrar aspectos éticos e deontológicos associados à intervenção psicológica.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova de conhecimentos/prova oral (40%), na execução um trabalho teórico-prático escrito (60% - prática específica), assim como na pontualidade e a assiduidade do aluno.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

docente, com participação activa dos alunos no debate, construção e compreensão dos conteúdos, recorrendo à pesquisa bibliográfica realizada pelos mesmos. Participação activa dos alunos na apresentação, crítica e reflexão dos temas com o objectivo de aquisição e integração e modelos e técnicas de intervenção psicológica.
Aulas teórico-práticas com participação ativa dos alunos na visualização e comentário de vídeos.

Bibliografia:

Dobson, K. (2000). Handbook of cognitive-behavioral therapies. New York: The Guildford Press.
Neto, D. & Baptista, T. (2019). Psicoterapia Cognitivo-Comportamentais (Vol.1 Intervenções Clínicas). Lisboa: Edições Sílabo.
Gonçalves, O. (2014, 6ª edição). Terapias Cognitivas: Teorias e Práticas. Porto: Afrontamento.
Gonçalves, O. (1999). Introdução às Psicoterapias Comportamentais. Coimbra: Quarteto.
Ruggiero, G.M., Spada, M.M., Caselli, G. et al. (2018). A Historical and Theoretical Review of Cognitive Behavioral Therapies: From Structural Self-Knowledge to Functional Processes. J Rat-Emo Cognitive-Behav Ther 36: 378. https://doi.org/10.1007/s10942-018-0292-8
Lorenzo-Luaces, L., Keefe, J. R., & DeRubeis, R. J. (2016). Cognitive-Behavioral Therapy: Nature And Relation to Non-Cognitive Behavioral Therapy. Behavior Therapy, 47, 785–803. https://doi.org/10.1016/j.beth.2016.02.012

Objetivos de aprendizagem:

Esta unidade curricular visa fornecer um quadro conceptual, interdisciplinar e global que visa o desenvolvimento de conhecimentos, capacidades e competências no domínio da psicologia do trabalho, em contexto organizacional.
Aptidões/Competências a desenvolver:
(i) Analisar e integrar os fatores psicológicos na análise dos sistemas de trabalho
(ii) Organizar, planear e aplicar estratégias de intervenção psicológica nos contextos de trabalho
(iii) Selecionar métodos e técnicas apropriados de avaliação do comportamento do Homem no trabalho
(iv) Capacidade de análise e diagnóstico psicossocial nos contextos de trabalho
(v) Capacidade de comunicação interpessoal e intergrupal
(vi) Demonstrar uma atitude de investigação e desenvolvimento auto-orientado

Conteúdos programáticos:

1ª Unidade. 1. Psicologia do trabalho e das organizações: fundamentos históricos do quadro teórico e do projecto de intervenção. 1.1. Desenvolvimento da sociedade industrial. 1.2. Evolução das formas e processos de trabalho. 1.3. O projecto da psicologia do trabalho e das organizações: paradigmas de análise
2ª Unidade. 2. Psicologia do trabalho e das organizações contemporânea: relações e evoluções. 2.1. Da ciência psicológica à psicologia do trabalho. 2.2. O estudo do homem no trabalho: elementos de análise e reflexão. 2.3. Processos de análise nas organizações: do indivíduo ao grupo. 2.4. Metodologias de investigação em psicologia do trabalho e das organizações
3ª Unidade. 3. Abordagens e aplicações aos contextos de trabalho: 3.1. A gestão de pessoas nas organizações: modalidades de estudo. 3.2. Promoção e prevenção da saúde e da qualidade de vida no trabalho. 3.3. Processos de análise – o indivíduo e o grupo – nas organizações

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas específicas dos fundamentos históricos do projecto da psicologia do trabalho e das organizações, permitindo compreender e integrar conceitos, modelos, teorias na área dos fundamentos do quadro teórico do projecto da psicologia do trabalho e das organizações;
Unidade 2 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas e práticas específicas da psicologia do trabalho e das organizações, permitindo integrar conhecimentos, capacidades e competências para uma actuação técnica e ética; saber avaliar e intervir nas características psicossociais da actividade de trabalho no contexto de trabalho.
Unidade 3 - Os conteúdos programáticos privilegiam a aplicação prática dos modelos e teorias, permitindo aplicar métodos, técnicas de avaliação e intervenção nos sistemas de trabalho e, mais concretamente, no comportamento do Homem no trabalho; mostrar autonomia e conduta responsável na prática profissional.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova de avaliação, na execução de um trabalho prático, na apresentação e discussão oral desse trabalho, assim como na execução de tarefas teórico-práticas em sala de aula, e na participação do aluno.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1- Exposição teórica de conteúdos caracterizadores do projecto específico da psicologia do trabalho e das organizações; Apresentação e manuseamento de bibliografia fundamental; Debate individual e em grupo de casos para distintas problemáticas que constituem os pilares da psicologia do trabalho; Demonstrações; Exercícios práticos com o objetivo de demonstrar conhecimentos e competências na compreensão da especificidade da intervenção na psicologia do trabalho e das organizações;
Unidade 2- Exposição teórica de conteúdos caracterizadores das matérias teóricas e práticas específicas da psicologia do trabalho e das organizações área de actuação; Apresentação e discussão de casos práticos de avaliação e intervenção na relação de trabalho (a nível do indivíduo, do grupo e da organização); Debate individual e em grupo de casos para distintas problemáticas que constituem a gestão e do desenvolvimento do Homem no trabalho; Demonstrações; Dominar as principais técnicas e metodologias de avaliação psicológica no contexto de trabalho;
Unidade 3 - Exposição prática de conteúdos para caracterização de diferentes temáticas de aplicação da psicologia do trabalho e das organizações; Apresentação de estudos de caso; Análise individual e discussão em grupo das análises respectivas para cada caso; simulação de técnicas de observação e análise do comportamento individual e em grupo; de modo a revelar competências de avaliação e intervenção nos sistemas de trabalho e, mais concretamente, no comportamento do Homem no trabalho; mostrar autonomia e conduta responsável na prática profissional.

Bibliografia:

Barros, C. (2017). Fatores psicossociais de risco no trabalho de hoje (pp 141-159). In M.M. Roxo (Coord.). Trabalho sem fronteiras ? O papel da regulação. Coimbra : Almedina. ISBN 978-972-40-7051-3
Barros, C., Cunha, L., Oliveira, A., Baylina, P., & Rocha, A. (2017). Development and Validation of a Health and Work Survey Based on the Rasch Model among Portuguese Workers. J Med Syst, 41 (79), 1-9.
Clot, Y. (2016). A função psicológica do trabalho. Petrópolis: Editora Vozes.
Gomes, J., Cunha, M., Rego, A., Cabral-Cardoso, C., & Marques, C (2008). Manual de Gestão de Pessoas e do Capital Humano. Lisboa: Edições Sílabo
Guérin, et al. (2021). Concevoir le travail, le défi de l'ergonomie. Toulouse: Éditions Octarès
Leplat, J. & Cunny, X. (1983). Introdução à psicologia do trabalho. Lisboa: FCG

Objetivos de aprendizagem:

1) Perspetivar os fundamentos psicológicos dos sistemas jurídicos, bem como os processos psicológicos presentes nas relações entre os indivíduos e esses sistemas, relacionando a psicologia e o direito, aplicação dos conhecimentos psicológicos aos processos judiciais e a psicologia no sistema penal
2) Refletir sobre os modelos, técnicas e estratégias mais eficazes, desde uma abordagem profissional
3) Desenvolver a capacidade para selecionar e interpretar informação relevante para formular soluções para situações complexas, fundamentando as mesmas do ponto social, científico e ético.
4) Desenvolver a capacidade de comunicar informação, ideias, problemas e soluções a especialistas e leigos
5) Desenvolver competências que permitam aos alunos uma aprendizagem ao longo da vida, de um modo fundamentalmente auto-orientado ou autónomo, especialmente centrados na prevenção e intervenção na criminalidade.

Conteúdos programáticos:

Módulo 1. Psicologia e Justiça
Módulo 2. O psicólogo ao serviço do sistema de justiça
Módulo 3. Psicologia Jurídica da Família
Módulo 4. Psicologia prisional
Módulo 5. Psicologia da tomada de decisões judiciais

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos privilegiam a aprendizagem de matérias teóricas em psicologia jurídica, permitindo, deste modo atingir os objetivos da unidade curricular: integrar conhecimentos, competências e capacidades para uma atuação técnica e ética; demonstrar conhecimentos e competências para executar tarefas na interface entre a Psicologia e o Direito; dominar as principais técnicas e metodologias usadas na psicologia jurídica;

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização de um exercício prático escrito (prática específica), e numa prova oral de aferição de conhecimentos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Exposição teórica de conteúdos caracterizadores da área de atuação; Apresentação e manuseamento de materiais usados na avaliação forense; Debate individual e em grupo de casos para distintas problemáticas que constituem solicitações judiciárias; Demonstrações; Exercícios práticos com o objetivo de demonstrar conhecimentos e competências para executar tarefas na interface entre a Psicologia e o Direito; Dominar as principais técnicas e metodologias usadas na avaliação e intervenção psicológica forense; Revelar capacidade de comunicação oral e escrita dos conteúdos periciais; Mostrar autonomia e conduta responsável na prática forense.

Bibliografia:

Agulhas, R. & Anciães, A. (2014). Casos práticos em Psicologia Forense. Enquadramento Legal e Avaliação Pericial. Lisboa: Edições Sílabo.
Gonçalves, R. A. (2002). Delinquência, Crime e Adaptação à Prisão. Lisboa: Quarteto.
Oliveira, J. L. A. P. & Crepaldi, M. A. (2018). Relação entre o pai e os filhos após o divórcio: revisão integrativa da literatura. Actualidades en Psicología, 32,124, 91-109.
Calleja, N. G. (2019). Translating research into practice: Designing effective reentry services for adolescent offenders. Aggression and Violent Behavior, 44,18-23.
Andrade, F. S. (2019). A tomada da decisão judicial criminal à luz da psicologia: heurísticas e vieses cognitivos. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, 5(1), 507-540.
Matos, M., Gonçalves, R. & Machado, C. (2011). Manual de Psicologia Forense: Contextos, práticas e desafios. Braga: Psiquilibrios Edições.
Matos, M.(2014). Vitimas de Crime e Violência: práticas de intervenção. Braga: Psiquilibrios.