UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Fornecer conceitos complementares aos adquiridos no domínio das estruturas correntes de betão armado, introduzindo os fundamentos teóricos e práticos do método das escoras e tirantes e do betão pré-esforçado. Assim, pretende-se a conceção, modelação, análise, dimensionamento e pormenorização de vigas-parede, muros de suporte, e reservatórios e silos, bem como de vigas e lajes pré-esforçadas.

Conteúdos programáticos:

1. Estruturas laminares de betão armado
1.1 Modelos e métodos de análise: método das escotas e tirantes
1.2 Vigas-parede
1.3 Muros de suporte
1.4 Introdução aos reservatórios e silos.
2. Estruturas de betão pré-esforçado
2.1 Introdução ao pré-dimensionamento de vigas e lajes
2.2 As cargas equivalentes de pré-esforço
2.3 Dimensionamento do pré-esforço em vigas isostáticas
2.4 Etapas do processo de dimensionamento
2.5 Dimensionamento através das equações dos limites de tensões
2.6 Escolha do número de cabos e do seu traçado
2.7 Perdas de tensão do pré-esforço
2.8 Verificação dos Estados Limites Últimos
2.9 Referência à verificação dos Estados limites de Utilização de estruturas hiperestáticas
3. Estruturas de ductilidade melhorada
3.1 A razão das estruturas de ductilidade melhorada
3.2 Estruturas e peças estruturais em que a sua adoção é mais pertinente e recomendações

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Esta unidade curricular tem como objetivo apresentar estruturas aos alunos que, pelo seu comportamento estrutural, processos de dimensionamento, materiais que as constituem ou processos construtivos, se consideram especiais. Pretende-se que os alunos adquiram valências na conceção e análise de uma estrutura especial, nomeadamente adquirem a capacidade de seleção do tipo de estrutura mais adequada ao empreendimento em estudo, idealizem no seu comportamento estrutural, selecionem o material mais adequado bem como o método de análise para o seu dimensionamento, assim como obtenha a resposta da estrutura para as ações de projeto. O programa consiste numa introdução às estruturas especiais, onde se apresentam alguns exemplos de estruturas e identificam-se, de forma genérica, os problemas associados a cada uma.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Avaliação Contínua (AC) e/ou exame final. A AC é composta por dois trabalhos e por dois testes. A classificação dos trabalhos e frequência varia numa escala de 0 a 20 valores. Os alunos são aprovados quando a média do trabalho (10%) e dos testes (45 + 45%) seja superior a 9,50 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A Unidade Curricular tem duas componentes distintas. A componente teórica pretende transportar os conceitos teóricos das disciplinas de base para as estruturas especiais. A componente prática pretende que o aluno seja capaz de efetuar cálculos analíticos, utilizar folhas de cálculo e correr programas de cálculo automático, de forma a estarem habilitados a dimensionar as estruturas especiais sujeitas às diversas ações. Os conhecimentos são avaliados por trabalhos individuais ou em grupo, que dará a hipótese ao aluno de pesquisar profundamente um dado tema ou métodos, alargando desta forma os seus conhecimentos. Nos testes, o aluno tem oportunidade de mostrar todos os seus conhecimentos teórico-práticos de forma consolidada.

Bibliografia:

• Apontamentos dos docentes.
• Júlio Appleton. Estruturas de Betão, Edições Orion, 1.ª Edição, 2013.

Objetivos de aprendizagem:

Preparar e especializar licenciados que trabalhem e exerçam responsabilidades no âmbito da Indústria da Construção Civil e Obras Públicas, desde a concepção e projecto até à desconstrução de edifícios. Pretende-se transmitir conhecimentos, por forma a que no exercício das suas actividades estes profissionais possam aplicar os princípios Ambientais e de Sustentabilidade, como contributo para melhorar o desempenho global e os resultados das suas empresas, numa óptica de Planeamento e de Construção Sustentáveis.

Conteúdos programáticos:

1 - A Edificação e o Meio Ambiente
Os novos paradigmas sociais e a construção
A Cidade Sustentável
A Reabilitação Sustentável
Do Desenvolvimento Sustentável ao Ecodesenvolvimento
2 - Critérios Ambientais para uma Construção Sustentável
Implantação e integração no meio
Sistemas de otimização energética
3 - Materiais de construção de baixo impacto ambiental
Impacte ambiental materiais correntes
Novos materiais de construção
4 - Ciclo de vida da Edificação
Avaliação ciclo de vida material da construção
Avaliação ciclo de vida energético da construção

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos desta unidade curricular visam preparar e especializar licenciados que trabalhem e exerçam responsabilidades no âmbito da Indústria da Construção Civil e Obras Públicas, desde a conceção, ao desenvolvimento do projeto até à demolição ou reabilitação de edifícios. Pretende-se transmitir conhecimentos, por forma a que no exercício das suas atividades estes profissionais possam aplicar os princípios Ambientais e de Sustentabilidade no desenvolvimento da sua atividade profissional, numa ótica de Planeamento e de Construção Sustentáveis.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização uma prova escrita bem como no desenvolvimento de um trabalho de investigação. Será também avaliada a assiduidade do aluno, o seu interesse manifestado pela matéria através da sua participação activa e empenho em sala de aula.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Processo de avaliação contínua e individual com base na qualidade de resposta aos testes propostos, trabalho prático, na assiduidade e participação.
As metodologias adoptadas para esta Unidade Curricular serão baseadas em regime presencial, cujas aulas serão teórico-práticas com recurso a meios audiovisuais, textos e outros.
As aulas serão leccionadas a partir da análise, exposição e debate a partir de diversas fontes de informação relativas e relacionadas com as várias componentes de teor técnico, histórico ou teórico da matéria. Será dado grande ênfase à discussão e reflexão individual e em grupo, também a partir de exercícios lançados em aula onde o aluno colocará de forma aplicada os conhecimentos adquiridos a partir da componente teórica da disciplina e investigação individual.
Serão assim lançados dois momentos de avaliação consistindo num teste de aferição de conhecimentos adquiridos e num trabalho prático a desenvolver fora do regime presencial.
A avaliação é continua com dois momentos de avaliação a par da assiduidade do aluno, o seu interesse manifestado pela matéria através da sua participação activa e empenho em sala de aula.

Bibliografia:

[1] Thomas, Randall (2003) Sustainable Urban Design, an environmental approach, Writers, Spon Press, London
[2] Higueras, Ester (2006) Urbanismo Bioclimático, Gustavi Gilli, Barcelona
[3] Cabello, Francisco (2007) El impacto ambiental en la edificación, critérios para una construcción sostenible, Edisofer s.l., Madrid
[4] VA (2001)A Green Vitruvius, principios e práticas de projecto para uma Arquitectura Ssutentável, Ordem dos Arquitectos, Lisboa

Objetivos de aprendizagem:

Esta disciplina visa transmitir aos alunos as noções elementares sobre a gestão de projetos e empreendimentos, bem como as ferramentas associadas a essa gestão. Pretende-se abordar questões práticas relacionadas com a gestão que possibilitem uma melhor aproximação dos jovens engenheiros e arquitetos às práticas da construção civil, integrando conhecimentos de outras disciplinas.
Os alunos deverão ser capazes organizar e gerir uma equipa de projeto; coordenar a gestão de projeto e de empreendimentos nas suas diferentes fases; proceder ao adequado planeamento e controlo das equipas de projeto.

Conteúdos programáticos:

Introdução à gestão de projetos; Conceito de projeto e a sua gestão; Funções do gestor de projeto; Análise e gestão do risco; Gestão de projeto e estrutura organizacional; Organização da equipa de projeto; Liderança em gestão de projetos. Fases de um projeto/ empreendimento; Fase da análise de viabilidade; Fase da Estratégia; Fase da Pré-Construção; Fase da Construção; Fase da receção e ocupação. Informática aplicada à Gestão de Projetos.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos apresentados destinam-se a desenvolver competências e capacidade de aplicação de ferramentas que permitam ao aluno uma adequada integração em equipas de gestão de projeto, compreendendo as diferentes tarefas que o esperam durante o ciclo de vida de um projeto, de modo a desenvolver estratégias e abordagens ao problema de gestão de diferentes projetos na área da engenharia civil e da arquitetura. Para atingir estes objetivos são desenvolvidos os conceitos e as variáveis em gestão de projetos, o conjunto das funções do gestor de projeto e sua integração na estrutura organizacional. Também são identificadas as diferentes competências expectáveis para as diferentes fases de um projeto, desde a análise de viabilidade, a estratégia, a pré-construção, a construção e a receção e ocupação. Recorre-se ainda à ferramenta informática aplicada na gestão de projetos na afetação e planeamento de recursos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Avaliação contínua - A unidade curricular é lecionada com aulas teórico-práticas de exposição sobre os diferentes conteúdos programáticos apresentando diferentes ferramentas de trabalho, métodos de cálculo e técnicas de controlo, procedendo à sua aplicação em exercícios de simulação de problemas de gestão de projeto.
O aluno será capaz de desenvolver tarefas em matéria de gestão de projeto e organização e coordenação de equipas de trabalho adequadas. As ferramentas informáticas são também usadas nomeadamente para o desenvolvimento de um trabalho prático de planeamento e controlo relativo a uma situação real.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas são coerentes com os objetivos estabelecidos para o curso por causa do apoio ao estudo do desenvolvimento orientado, buscando estabelecer um paralelismo entre a teoria e a prática aplicada aos problemas reais que permitem que o aluno a desenvolver a sua atividade como um arquiteto dominando chave um problemas associados à gestão de construção, integrando o conhecimento das matérias ensinadas anteriormente e resolver problemas práticos de gestão e coordenação de equipas de projeto, usando diferentes instrumentos e técnicas de controlo de planeamento.

Bibliografia:

1. Rodrigues, J.C., 2003, Gestão de Empreendimentos – A Componente de Gestão da Engenharia, Edição IDTec, Coimbra.
2. Roldão, V.S., 2000, Gestão de projectos – Uma perspectiva integrada, Edição Monitor, Lisboa
3. Feio, Rui,2003, Gestão de Projectos com o Microsoft Project 2002, FCA – Editora de Informática, Lda..
4. Santo, F., 2002, Edifícios – Visão Integrada de Projectos e Obras, Ingenium Edições, Lisboa.

Objetivos de aprendizagem:

Transmitir a todos os Licenciados em Engenharia Civil os conhecimentos e procedimentos que os habilitem à prática de projecto (de pequena e média dimensão) na área das infraestruturas de Saneamento Básico e de Hidráulica Urbana (Sistemas de adução e de distribuição de água. Sistemas de drenagem de águas residuais e de águas pluviais).
Informação e familiarização com os aspectos normativos e aspectos construtivos.

Conteúdos programáticos:

1. Hidráulica Urbana. Abastecimento de Água. Drenagem de Águas Residuais e Pluviais.
2. Consumos. Caudais.
3. Abastecimento de Água. Adutoras Gravíticas e Elevatórias
4. Reservatórios. Capacidades.
5. Redes de Distribuição. Dimensionamento Hidráulico.
6. Drenagem de Águas Residuais e de Águas Pluviais. Câmaras de Visita.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os Conteúdos Programáticos apresentados cobrem as áreas de conhecimento essenciais e confirmam a coerência pretendida para atingir os Objectivos de Aprendizagem.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Metodologia expositiva, descritiva e demonstrativa recorrendo à resolução de casos de estudo adaptados aos diferentes sub-sistemas de Hidráulica Urbana: rede de transporte, reservatórios, rede de distribuição, redes de drenagem.
Avaliação: Duas provas escritas (10+10/20 ) a realizar nas duas últimas sessões do horário da disciplina com consulta de um prontuário fornecido.
Duração de cada Prova (2 horas).
Época de recurso: Exame escrito (20/20), com consulta de um prontuário fornecido durante a prova.
Duração da Prova (2 horas e 30 minutos).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objectivos formulados para a Unidade Curricular, dado que apostam na resolução de casos de estudos completos, devidamente orientados, de modo a que o aluno seja capaz de desenvolver, de forma autónoma, os procedimentos inerentes a um trabalho de projecto nesta área da Engenharia Civil.
Procura-se estabelecer um ambiente de trabalho análogo ao da prática aplicada a problemas reais, o qual habilite o aluno a resolver problemas de concepção e dimensionamento em projectos de sistemas de abstecimento de água e de drenagem de águas residuais.

Bibliografia:

[1] “Hidráulica Urbana”, M. Malafaya-Baptista, 2006
[2] Decreto-Regulamentar 23/95, 1995

Objetivos de aprendizagem:

Compreender os princípios e objectivos essenciais a um desenvolvimento sustentável do território.
Identificar os agentes e instrumentos da política habitacional bem como o papel que desempenham.
Compreender as causas e consequências dos principais problemas urbanos da actualidade, nomeadamente através da definição de tipologias de degradação urbana.
Descrever as principais estratégias de planeamento e a transformação/requalificação espacial, particularmente a regeneração urbana de centros históricos e de frentes de água, e os programas comunitários de apoio a essas intervenções.

Conteúdos programáticos:

Ordenamento, Níveis de Planeamento e Figuras de Plano. Direito Urbanístico e Políticas de Solos no Planeamento Municipal. Desenho Urbano: Componentes principais do sistema urbano, Rede viária urbana, A habitação. Loteamentos Urbanos. Estudo de Caso: Desenvolvimento dos conceitos para execução de um projecto de escala urbana – Plano de Urbanização, Plano de Pormenor e Loteamentos.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos estão em coerência com os objectivos formulados para a unidade curricular, dado que os tópicos incluídos no programa cobrem os principais aspectos do estudo.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A UC é leccionada com aulas teóricas de exposição das matérias enunciadas, com o recurso a elementos de observação e/ou de apoio experimental – aulas teórico-práticas dedicadas à resolução de situações concretas.
O processo de avaliação compreenderá uma avaliação periódica baseada nos seguintes elementos:
A. Prova de avaliação, composta por uma parte teórica e por uma parte teórico-prática.
B. Classificação obtida através da média aritmética dos vários trabalhos (incluindo relatórios de visitas de estudo).
C. Participação em sala de aula teórica-prática. A participação em sala de aula do aluno compreende não só o seu interesse e participação nas aulas, mas também a sua participação e desempenho em aulas-debate de temas propostos pelo docente, integrantes da matéria da disciplina, e preparados pelos alunos de forma autónoma.
A classificação final do aluno será calculada através da equação:
Classificação final = 0,35*(A) + 0,35*(A) + 0,2*(B) + 0,1*(C)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino estão em coerência com os objectivos da unidade curricular dado que a metodologia expositiva associada à análise de situações concretas, ao desenvolvimento de trabalhos sobre aspectos parcelares, permitem a compreensão dos desafios que se colocam à Engenharia Civil.

Bibliografia:

BRANCO-TEIXEIRA, M. - “Contextos de Referência nas Reconversões de Espaços Urbanos”, A Obra Nasce, UFP, pp. 78-93, 2004.
COSTA LOBO, M. et al. - Normas Urbanísticas: Princípios e conceitos fundamentais. Vol. 1, DGOT, UNL, Lisboa, 1990.
Decreto-Lei nº 136/2014 de 9 de Setembro, Regime Jurídico da Edificação e da Urbanização,
Lei nº 31/2014, de 30 de Maio - Lei de Bases Gerais da Pol. Púb. de Solos, de Ord. do Ter. e de Urbanismo.
Decreto-Lei nº 80/2015 de 14 de Maio , Regime Jurídico dos Instrumentos de Gestão Territorial.
Lei nº 58/2007 de 4 de Setembro, Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território.
MARQUES, T. SÁ - Portugal na Transição do Século: Retratos e Dinâmicas Territoriais, Edições Afrontamento, 2004.

Objetivos de aprendizagem:

Ao completar com sucesso esta unidade curricular os alunos devem ser capazes de:
1 - Desenvolver sinergias entre o projeto de arquitetura e as exigências de conforto acústico, térmico e de QAI dos edifícios;
2- Coordenar projetos e obras nos domínios da arquitetura, acústica, térmica e da qualidade do ar interior dos edifícios;
3- Realizar análise de desconformidades em edifícios e propor medidas de melhoria;
4- Aplicar em obras de construção nova e de reabilitação de edifícios, tecnologias e procedimentos legais direcionados para o conforto das edificações nos seguintes aspetos:
4.1- Qualidade do ar interior e necessidades de ventilação;
4.2- Condições de conforto acústico, tanto ao nível de isolamento aos sons aéreos como aos sons de percussão, bem como ao nível do tratamento de salas onde a boa audição do som é primordial;
4.3- Condições de conforto térmico maximizando o uso de metodologias de arquitetura bioclimática e de sistemas de energias renováveis.

Conteúdos programáticos:

1. Qualidade do ar interior: Introdução: características dos poluentes; impacte na saúde e bem-estar; fatores que afetam a qualidade do ar interior; A poluição no ambiente interior: Poluentes e principiais fontes emissoras; Efeitos na Saúde; Gestão da qualidade do ar interior; O RECS: objetivos e principais obrigações regulamentares.
2. Conforto acústico em edifício: Parâmetros e conceitos acústicos básicos; Acústica Ambiental; Isolamento Sonoro em Acústica de Edifícios; Acústica Arquitetural; Ruído na comunidade: normas e regulamentos.
3. Conforto Térmico em Edifícios: conforto térmico humano em edifícios; desempenho energético dos edifícios e arquitetura bioclimática; comportamento térmico de edifícios em regime permanente; certificação energética de edifícios.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

- Os pontos 1, 2 e 3 dos conteúdos programáticos permitem aos estudantes desenvolver uma eficaz sinergia entre o projeto de arquitetura e as exigências de conforto acústico, térmico e de qualidade do ar interior dos edifícios bem como permite coordenar projetos e obras nos domínios da arquitetura, acústica, térmica e da qualidade do ar interior dos edifícios.
- Os pontos 1, 2 e 3 dos conteúdos programáticos permitem aos estudantes realizar análise de desconformidades em edifícios e propor medidas de melhoria.
- O ponto 1 dos conteúdos programáticos permite aplicar tecnologias e procedimentos direcionados para a qualidade do ar interior e necessidades de ventilação;
- O ponto 2 dos conteúdos programáticos permite aplicar tecnologias e procedimentos direcionados para as condições de conforto acústico;
- O ponto 3 dos conteúdos programáticos permite aplicar tecnologias e procedimentos direcionados para as condições de conforto térmico.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Metodologias de ensino: Expositiva, interrogativa e demonstrativa. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e dos trabalhos de pesquisa realizados.
Sistema de avaliação: A nota final (NF) é obtida pela seguinte fórmula:
NF = 0,35 x A + 0,35 x B + 0,20 x C + 0,1 x D.
Em que: A – 1º Teste de Avaliação; B – 2º Teste de Avaliação; C - Trabalho temático; D – Desempenho (assiduidade/pontualidade/realização das tarefas propostas).
- Os resultados de aprendizagem 1, 2, 3, 4.1 e 4.2 são avaliados pelas componentes A, B, C e D;
- O resultado de aprendizagem 4.3 é avaliado pelas componentes B, C e D.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

- Os resultados de aprendizagem 1 e 2 são atingidos através da apresentação de soluções presentes em edifícios já projetados ou construídos;
- O resultado de aprendizagem 3 é atingido pela execução de trabalhos práticos e de pesquisa;
- O resultado de aprendizagem 4 é atingido através da exposição, interrogação e demonstração de várias técnicas sustentadas cientificamente e das regras da legislação em vigor.

Bibliografia:

R Harrison & R Hester (Editors) (2019). Indoor Air Pollution, Royal Society of Chemistry; 1ª ed., pp 239. ISBN-13: 978-1788015141.
- WHO handbook on indoor radon: a public health perspective. 2009.
- WHO guidelines for IAQ: selected pollutants. 2010.
- WHO guidelines for IAQ: dampness and mould. 2009.
IPQ (2002); NP 1037-1 - Ventilação e evacuação dos produtos de combustão dos locais com aparelhos a gás. Parte 1: Edifícios de habitação. Ventilação natural; Portugal.
Legislação-Acústica de Edifícios:
-DL 96/2008, de 9 de Junho– Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios
-DL 9/2007, de 17 de Janeiro– RGR com a Declaração de Retificação 18/2007, de 16 de Março e alterações constantes do DL 278/2007, de 1 de Agosto.
Legislação – Térmica de Edifícios:
-DL 118/2013 de 20 de agosto e respetivas alterações;
- Port. n.º 353-A/2013, de 4 de dezembro.
-Lei 58/2013, de 20 de Agosto
Patrício, Jorge (2018); Acústica nos edifícios; 7ª edição, Engebook; Portugal.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Nesta UC serão aprofundados os processos e operações que integram os sistemas de avaliação do impacte ambiental de projetos, bem como a avaliação ambiental estratégica de planos e programas.
As competências transversais adicionais que serão trabalhadas serão:
• Trabalho autónomo e em equipa;
• Capacidade de Organização e de Planeamento;
• Capacidade para tomar decisões;
• Capacidade de auto-aprendizagem;
• Capacidade de aplicação de conhecimentos;
• Capacidade de adaptação a situações novas;
• Capacidade de Comunicação Oral e Escrita.
No final da UC o aluno deverá:
• Conhecer os conceitos base dos processos de AIA e AAE;
• Conhecer a legislação aplicável a procedimentos de AIA e AAE;
• Conhecer metodologias para identificação, quantificação e mitigação de impactes;
• Experiência de aplicação prática de procedimentos de AIA e AAE.

Conteúdos programáticos:

1. Introdução
1.1 Ambiente e desenvolvimento sustentável
1.2 A Avaliação de Impactes
2. O procedimento de AIA
2.1 Conceito e definições
2.2. Fases do procedimento de AIA
2.3. A Participação pública
3. Definição e objetivos da AAE
3.1 Requisitos legais e regulamentares para AAE
3.2 A AAE em planeamento e formulação de políticas em Portugal
3.3 Componentes do modelo de pensamento estratégico em AAE
4. Aplicação prática da AAE
4.1 Fontes de informação
4.2 Referência e evolução
4.3 Alternativas estratégicas
4.4 Avaliação das diferentes opções e incerteza

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos cobrem os objetivos formulados para a unidade curricular incluindo os processos metodológicos da Avaliação de Impactes e a apresentando da legislação em vigor sobre esta matéria.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizados seminários temáticos com oradores externos.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e dos trabalhos de pesquisa realizados.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar uma visão global das questões da Avaliação de Impactes, bem como da legislação aplicável.
As metodologias de ensino estão em coerência com os objetivos da unidade curricular dado que a metodologia expositiva associada à análise de situações concretas e ao desenvolvimento de trabalhos sobre aspetos parcelares, permitem a compreensão dos desafios que se colocam aos futuros Mestres em Engenharia Civil.

Bibliografia:

1. Canter, L.W.. Environmental Impact Assessment. 2º Ed. Mc Graw-Hill, 1996.
2. DGOTDU & APA (2008). Guia da Avaliação Ambiental dos Pl. Munic. Ord.Território.
3. Morris, P. & Therivel, R.. Methods of Environmental Impact Assessment. 2º Ed. Spon Press, London and New York, 2001.
4. Legislação Portuguesa:
-DL152-B/2017, de 11 de dezembro; 4º alteração ao DL151-B/2013, de 31 de outubro, alterado pelos DL 47/2014, de 24 de março, e 179/2015, de 27 de agosto, e pela Lei n.º 37/2017, de 2 de junho.
-Port.395/2015, de 4 de novembro.
5. OCDE (2012), Aplicação da avaliação ambiental estratégica: Guia de boas práticas na cooperação para o desenvolvimento, OECD Publishing. http://dx.doi.org/10.1787/9789264175877-pt
6. Partidário, M.R. e Jesus, J. (2003). Fundamentos de Avaliação de Impacte Ambiental, Eds. U. Aberta, Lisboa
7. Partidário, M.R. (2012). Guia de melhores práticas para AAE - orientações metodológicas para um pensamento estratégico em AAE. APA, Lisboa. ISBN 978-972-8577-63-6

Objetivos de aprendizagem:

O objetivo principal desta disciplina é transmitir os conceitos fundamentais teóricos e práticos no domínio da análise, dimensionamento e/ou verificação de estruturas correntes em construção metálica e mista. O âmbito do estudo a realizar estende-se desde sua conceção, modelação e discussão, ao seu funcionamento orgânico e estrutural, bem como ao seu cálculo e pormenorização.
A disciplina que Estruturas Especiais (metálicas e mistas) pretende, deste modo, preparar os alunos dentro dos temas apresentados, com vista ao seu enquadramento profissional no desempenho de atividades específicas a estes ramos do conhecimento da Engenharia Civil, permitindo atingir as seguintes competências fundamentais:
- Conceber, analisar, dimensionar e/ou verificar estruturas metálicas de edifícios correntes;
- Associar peças estruturais mistas em estruturas metálicas, ou de betão armado e/ou pré-esforçado, de edifícios correntes.

Conteúdos programáticos:

1. Características das estruturas metálicas e âmbito de aplicação.
2. Tipos de estruturas metálicas.
3. Verificação segundo o EC3.
3.1. Bases para o dimensionamento
3.2. Verificação da segurança e métodos de análise de estruturas metálicas
3.3. Classificação das estruturas metálicas.
3.4. Estabilidade global e local de estruturas metálicas.
3.5. Estados limites de utilização.
3.6. Estados limites últimos.
4. Ligações - Comportamento e dimensionamento (aparafusadas e soldadas).
5. Vigas e pavimentos mistos.
6. Projeto geral de construções metálicas (cálculo e desenho de estruturas metálicas e mistas, seus elementos, ligações e pormenorização).

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos apresentados cobrem as áreas de conhecimento essenciais e coerentes para o atingir dos objetivos de aprendizagem formulados, dados os tópicos incluídos no programa.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Metodologia expositiva, descritiva e demonstrativa recorrendo à resolução de um casos práticos.
1 - Avaliação contínua
Baseia-se no modelo da avaliação contínua, numa vertente teórico-prática, com três componentes de avaliação, consistindo na realização de 2 testes escritos e um trabalho prático.
A nota final da unidade curricular resulta da média ponderada dos 2 elementos de avaliação, respetivamente, as seguintes percentagens: (i) Ficha escrita (30%); (ii) Trabalhos periódicos (35%); (iii) Trabalho final (35%).
2 - Exame de Recurso / Época Especial
Uma única prova, contendo todos os conteúdos da disciplina.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objetivos formulados para a unidade curricular dado que apostam no desenvolvimento do estudo orientado, de modo que o aluno seja capaz de desenvolver tarefas de forma autónoma.
Procura-se estabelecer um paralelismo entre a teoria e a prática aplicada a problemas reais que habilite o aluno a resolver problemas de conceção correntes na construção civil.

Bibliografia:

[1] Manual de dimensionamento de estruturas metálicas - Rui Simões - edição CMM
[2] NP EN 1993-1-2 - Eurocódigo 3 - Projeto de estruturas de aço - Parte 1.1 - Regras Gerais
[3] NP EN 1993-1-8 - Eurocódigo 3 - Projeto de estruturas de aço - Parte 1.8 - Projeto de Ligações
[4] EN 1994-1-1 - Eurocódigo 4 - Projeto de Estruturas Mistas Aço-Betão - Parte 1-1 - Regras Gerais

Objetivos de aprendizagem:

No final do semestre o aluno deverá ser capaz de:
-Distinguir os conceitos de Reabilitação, requalificação e destruição, incluindo as temáticas correspondentes de conservação e recuperação arquitectónica.
-Desenvolver a percepção para a reabilitação do edifício como instrumento de reabilitação da cidade.
-Garantir o indispensável alargamento crítico e fundamentação do desenho produzido e estabelecer sessões de debate/crítica colectiva.
- Sintetizar os conhecimentos e competências adquiridas, através de exposição gráfica, escrita e oral do projecto bem como na sua apresentação/debate.

Conteúdos programáticos:

Projecto de reabilitação de um edifício em contexto urbano real, propondo a manutenção ou reconversão arquitectónica e/ou funcional das estruturas existentes e fundamentando os conhecimentos em torno da temática da recuperação e reabilitação do espaço/edifício urbano construído. Os principais temas em que a disciplina se foca são: A Reabilitação do edifício como operação de renovação urbana; Reabilitação urbana e reutilização do edificado; Limites de transformação do objecto; Modificação do contexto vs alteração (radical) do contexto. Leitura do ambiente construído como instrumento de Reabilitação: O existente como resultado do processo de estratificação histórica e como guia de projecto; O projecto de Reabilitação como “intervenção de oportunidade”: Do “projecto desenhado” às “estratégias de intervenção”.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O capítulo 1 familiariza o aluno com os conceitos-base que, em articulação com os tópicos do capítulo 5, lhe permitirão responder às questões mais conceptuais do projeto de reabilitação do edifício (caso de estudo). É nestes conteúdos que o aluno encontra os instrumentos de leitura e interpretação do edifício e da sua transformação no tempo, identificando e definindo os termos da intervenção que propõe.
Os restantes capítulos alicerçam as matérias mais técnicas que o projeto também requer, sejam estas orientadas para o diagnóstico de problemas e suas soluções, para aspetos construtivos ou, mesmo, para princípios de intervenção.
Ao longo do semestre, a apresentação das várias fases da proposta constituem momentos de discussão que exploram a fundamentação teórica e fomentam o à-vontade «em público», enquanto testam a capacidade de passar a mensagem oral, por escrito e graficamente.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia desta UC assenta em aulas teóricas, articuladas com momentos de discussão coletiva, mas comporta também aulas tutoriais, de acompanhamento do aluno na elaboração do projeto de reabilitação de um edifício real a desenvolver ao longo do semestre.
O método de avaliação divide-se em duas componentes: a componente teórico-prática/prática-laboratorial que integra a apresentação final do projeto, dois exercícios temáticos de curta duração e a avaliação do desempenho do aluno ao longo do semestre; e a componente teórica que assenta num teste escrito.
A nota apurada resulta da classificação atribuída a estes vários momentos de avaliação que serão contabilizados em percentagens distintas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As sessões de exposição teórica e de debate constituem os momentos de transmissão da globalidade da informação disciplinar, organizando as noções-base que permitem ao aluno situar-se no corpus disciplinar e proporcionando-lhe o conhecimento adequado para alicerçar e fundamentar as suas opções de projeto, quer de caráter conceptual, quer técnico. Este exercício de projeto, sendo desenvolvido em paralelo e ao longo do semestre, possibilita o contacto com um cenário real de trabalho e, simultaneamente, o contexto de confronto e de teste da matéria de caráter expositivo lecionada. O acompanhamento tutorial, complementando esses conteúdos mais gerais, fornece uma informação mais específica suscitada por cada um dos projetos de grupo e adequada às distintas opções de reabilitação, permitindo responder às dificuldades e lacunas de compreensão de cada grupo de alunos, mas também explorar as potencialidades de cada um. Os dois exercícios de curta duração – um de análise do local de intervenção e outro de reconhecimento e solução de patologias – são desenvolvidos individualmente, em paralelo com o projeto, e orientados para auxiliar em fases concretas deste projeto, suscitando o debate intra-grupo e a conciliação dos conhecimentos que cada aluno recolheu. Estes momentos de discussão internos, mais tarde alargados à turma, constituem oportunidades de sintetizar matérias apreendidas e de testar a consistência dos argumentos de fundamentação da proposta, treinando também as competências expositivas orais e gráficas. As aptidões escritas são avaliadas, individualmente, na resposta ao teste e, por grupo, no texto que acompanha e justifica o projeto.

Bibliografia:

[1] ADDIS, B. – Building, 3000 years of design, engineering and construction, Barcelona, Phaidon, 2007
[2] APPLETON, J. Augusto – Reabilitação de edifícios antigos: Patologias e Tecnologias de Intervenção, Amadora, Ed. ORION, 2003.
[3] CHOAY, Françoise – A alegoria do património, Lisboa, Edições 70, 2000
[4] CÓIAS, V. – Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos, Lisboa, Argumentum, 2007
[5] GRIFFITHS, N. – Eco-House Manual, Sparkford, Haynes Publishing, 2012
[6] DE GRACIA, Francisco – Construir en lo construido, Madrid, Editorial Nerea, 1992
[7] TEIXEIRA, Gabriela Barbosa/BELÉM, Margarida Cunha – Diálogos de edificação, Porto, CRAT, 1998
[8] PAIVA, J.V./AGUIAR, J./PINHO, A. – Guia Técnico de Reabilitação Habitacional, Lisboa, LNEC, 2006

Objetivos de aprendizagem:

Dotar um edifício de boas condições de conforto acústico, tanto ao nível de isolamento aos sons aéreos como aos sons de percussão, bem como ao nível do tratamento de salas e saber cumprir os Regulamentos e Normas aplicáveis, de modo que o aluno seja capaz de realizar projectos acústicos de edifícios. Igualmente saber dotar de condições de conforto térmico e de qualidade do ar através da utilização da ventilação natural, aproveitando o mais possível as tecnologias solares passivas, bem como saber cumprir a regulamentação aplicável no acto do projecto térmico e de ventilação de um edifício.

Conteúdos programáticos:

Conceção e Dimensionamento de Sistemas de Ventilação Natural; Projeto de Sistemas de Ventilação Natural. Preparação dos dados iniciais para a execução do projeto térmico, Verificação dos Requisitos Térmicos Regulamentares; Cálculo das Necessidades Nominais de Energia; Projeto Térmico. Tratamento e Isolamento Acústico, Acústica de Exteriores, Ruído Aéreo em Acústica de Interiores, Ruído de Percussão em Acústica de Interiores, Acústica Arquitetural, Projeto Acústico,

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos estão em coerência com os objetivos formulados para a unidade curricular dado que os tópicos incluídos no programa cobrem os principais aspetos do estudo iniciando-se por recordar vários conceitos base e finalizando-se na execução dos projetos em si.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais de projeto. São propostos projetos sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizados seminários temáticos com oradores externos.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios/projetos propostos para elaboração individual e dos trabalhos de pesquisa realizados (35% da classificação final). Serão executados dois testes de avaliação (65% da classificação final).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino estão em coerência com os objetivos da unidade curricular dado que a metodologia expositiva associada à análise de situações concretas, ao desenvolvimento de trabalhos sobre aspetos parcelares e à execução de projetos, permitem a compreensão dos desafios que se colocam à Engenharia Civil.

Bibliografia:

- Viegas, João C. (2010); Ventilação natural de edifícios de habitação; LNEC;
- Ferreira, Miguel J. (2004); Caudais de ventilação recomendados para edifícios residenciais: Impacto ao Nível do Conforto Térmico e do Consumo de Energia para Aquecimento; Dissertação de em Construção de Edifícios, FEUP;
- NP 1037-1 (2002); IPQ;
- Santos, Carlos; Matias, Luís – Coeficientes de Transmissão Térmica de Elementos da Envolvente dos Edifícios, ITE 50, L.N.E.C., Lisboa, 2006;
- Rodrigues, António M. et al (2009) Térmica de Edifícios - Editora ORION;
- Ferreira, Miguel (2017); Isolamentos térmicos refletantes de baixa emissividade- Tese de Doutoramento; FEUP; Portugal;
- Legislação – Térmica de Edifícios: Decreto-Lei n.º 101-D/2020 (e correspondentes Portarias e Despachos relacionados);
- Patrício, Jorge (2018); Acústica nos edifícios; 7ª edição, Engebook; Portugal;
- R.R.A.E. -Decreto-Lei n.º 96/2008 de 9/6;
- R. G. R. - Decreto-Lei 9/2007 de 17/1.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

A disciplina de Coordenação Geral de Projetos envolve o conhecimento específico das necessidades para as várias especialidades que compõem o estudo e projeto de execução de edifícios, com vista à resolução dos problemas de compatibilidade através da coordenação dos diversos projetos. Os objetivos a atingir passam pela compreensão do conceito BIM e pela demonstração de capacidades na execução e coordenação de especialidades através da utilização de uma ferramenta comercial com potencialidades BIM.

Conteúdos programáticos:

1. Conceitos BIM
1.1. Explanação dos principais usos, intervenientes e fases de envolvimento. Software para corporização do conceito BIM.
1.2. O processo colaborativo em BIM. Casos de estudo e tendências. Conceitos de “BIM Execution Plan”, “Level of development” e “Level of detail” em modelos BIM.
1.3. Industry Foundation Classes (IFC) BIM: Exchange Requirement Models (ERM), Information Delivery Manual (IDM) e Model view definition (MVD).
2. Projeto de Estabilidade.
2.1. Definição do tipo de estrutura, compatibilização com a arquitetura, análise e dimensionamento dos vários elementos estruturais (fundações e superestrutura).
3. Projeto de Redes de Águas.
3.1. Projeto de Redes de Abastecimento de Água.
3.2. Projeto de Redes Prediais de Drenagem de Águas Residuais Domésticas.
3.3. Projeto de Redes Prediais de Drenagem de Águas Residuais Pluviais.
3.4. Definição da rede e materiais a aplicar, compatibilização com a arquitetura e dimensionamento dos seus vários órgãos.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos apresentados em cobrem as áreas de conhecimento essenciais e coerentes para o atingir dos objetivos de aprendizagem formulados dado que os tópicos incluídos no programa como o conceito BIM e a sua aplicação a casos de estudo.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Metodologia expositiva, descritiva e demonstrativa recorrendo à resolução de um caso de estudo, individual para cada aluno.
1 - Avaliação contínua
Baseia-se no modelo da avaliação contínua, numa vertente teórico-prática, com uma única componente de avaliação, consistindo na realização de um trabalho de aplicação e desenvolvimento, figurando uma situação real de projeto, com apresentação e defesa final, em cada área específica da unidade curricular.
A nota final da unidade curricular resulta da média ponderada das duas áreas de projeto considerando, respetivamente, as seguintes percentagens: (i) Projeto de Estabilidade (50%); (ii) Projeto de Redes de Águas (50%).
2 - Exame de Recurso / Época Especial:
Não há lugar à possibilidade de exames, como forma de avaliação pontual, dada a impossibilidade efetiva de levar a efeito um trabalho desta natureza no tempo corrente de um exame normal.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objetivos formulados para a unidade curricular dado que apostam no desenvolvimento do estudo orientado, de modo que o aluno seja capaz de desenvolver tarefas de forma autónoma.
Procura-se estabelecer um paralelismo entre a teoria e a prática aplicada a problemas reais que habilite o aluno a resolver problemas de conceção correntes na construção civil.

Bibliografia:

[1] EN 1990 Eurocódigo: Bases para o projecto de estruturas
[2] Eurocódigo 1 - Acções em estruturas (Parte 1-1: Acções gerais: Pesos volúmicos, pesos próprios, sobrecargas em edifícios)
[3] Eurocódigo 1 - Acções em estruturas (Parte 1-4: Acções gerais: Acções do Vento)
[4] EN 1998-1: Eurocódigo 8 – Projecto de estruturas para resistência aos sismos
[5] Mecânica das Estruturas – Apontamentos: Análise Sísmica de Estruturas, Leonel Ramos, 2013
[6] Projecto de estruturas de edifícios urbanos, UFP, João Guerra, 2010.
[7] Decreto Regulamentar n.º 23/95, de 23 de Agosto de 1995, “Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de distribuição de Água e de Drenagem de Águas Residuais”.

Objetivos de aprendizagem:

Esta disciplina visa dotar os alunos dos conhecimentos e ferramentas necessários à elaboração de uma dissertação, o que implica desenvolver aspectos metodológicos de trabalho científico e de pesquisa. O objectivo final prende-se com a elaboração do projecto de dissertação e programação dos trabalhos a desenvolver.

Conteúdos programáticos:

Metodologia e trabalho científico; Métodos e estratégias de estudo e aprendizagem; Tipologias de trabalhos científico; Estruturação do trabalho. Pesquisa e natureza do trabalho científico; Referências bibliográficas; Estrutura da bibliografia; Tipologias de pesquisa; Projecto de pesquisa; Recolha de dados. Pesquisa quantitativa e qualitativa. Normas de edição. Escrita e linguagem. Normativa editorial. Aspectos gráficos do trabalho científico. Elementos Gerais de Estilo. Aspectos práticos da apresentação oral e defesa da dissertação.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos apresentados destinam-se a desenvolver competências e capacidade de aplicação de ferramentas que permitem ao aluno desenvolver o seu projecto de tese, nomeadamente definir objectivos, estruturar e planear o trabalho de acordo com a metodologia seleccionada. Para tal, importa conhecer os diferentes métodos e estratégias de estudo e aprendizagem, as diferentes tipologias de trabalhos científicos e formas de estruturação do trabalho. Outros aspectos de relevo prendem-se com a revisão da literatura e a sua base de referências bibliográficas, a recolha de dados, a escrita e linguagem, bem como os aspectos práticos relacionados com a apresentação oral e defesa da dissertação.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A unidade curricular é leccionada com aulas teórico-práticas de exposição sobre as diferentes metodologias e abordagens ao trabalho de investigação recorrendo a recursos e ferramentas de trabalho e exercícios práticos para a sua aplicação imediata.
O processo de avaliação compreenderá uma avaliação periódica baseada nos seguintes elementos:
A. Elaboração e apresentação oral do Projecto de Dissertação.
B. Selecção de bibliografia e realização de resumos da bibliografia.
C. Participação em sala de aula teórica-prática. A participação em sala de aula do aluno compreende não só o seu interesse e participação nas aulas, mas também a sua participação e desempenho em aulas-debate de temas propostos pelo docente, integrantes da matéria da disciplina, e preparados pelos alunos de forma autónoma.
A classificação final do aluno será calculada através da equação:
Classificação final = 0,6*(A) + 0,3*(B) + 0,1*(C)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino estão em coerência com os objectivos da unidade curricular, dado que, a metodologia expositiva associada à análise de situações concretas, ao desenvolvimento de trabalhos sobre aspectos parcelares, permitem a compreensão dos desafios que se colocam aos futuros profissionais

Bibliografia:

Eco, U., 2003, Como se faz uma tese, Ed. 18 , Perspectiva
Alves, M., 2003,Como escrever tese e monografias, Editora Campus, Rio de Janeiro.
Pereira, A.; Poupa, C., 2004, Como escrever uma tese, monografia ou livro científico usando o Word, Edições Sílabo, Lisboa.
Universidade Fernando Pessoa, Manual de Elaboração de Trabalhos Científicos, UFP [Em linha]. Disponível em . [Consultado em 06/09/2012].

Objetivos de aprendizagem:

Nesta unidade curricular, enquanto contributo para a formação do futuro mestre pretende-se que o aluno compreenda e investigue diferentes temáticas – Segurança e Saúde no Trabalho e Segurança contra Incêndios em Edifícios – situando o trabalho no âmbito da recolha e classificação de informação de natureza legal e técnica de modo a assegurar uma correta articulação entre diversos temas: acidentes, avaliação de riscos, medidas preventivas, proteção coletiva e individual, coordenação da segurança no setor da construção civil, gestão dos procedimentos de emergência, combate a incêndios, evacuação de trabalhadores em caso de perigo grave e iminente e formação de trabalhadores.

Conteúdos programáticos:

Os acidentes no sector da construção civil e obras públicas; Legislação e Normas aplicáveis; Avaliação de Riscos e Medidas Preventivas; Equipamentos de proteção coletiva e individual; Coordenação da Segurança; Fiscalização da Segurança; Conceito de Segurança contra Incêndios; Enquadramento e Regime Jurídico da Segurança contra Incêndios em Edifícios; Metodologias, meios e equipamentos necessários à estruturação de projetos; Caracterização dos edifícios e recintos; Condições exteriores comuns; Condições Gerais de Comportamento ao Fogo, Isolamento e Proteção; Condições Gerais de Evacuação; Condições gerais das instalações e equipamentos; Condições gerais de autoproteção.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

1. Aulas Teórico-Práticas
1.1. Descrição:
Exposição dos pontos principais da matéria, sempre que possível com o recurso a elementos de observação, complementados com exercícios destinados à resolução de situações concretas. Neste processo, revela-se fundamental, o trabalho desenvolvido pelo aluno fora das aulas, através de uma forte interação com a plataforma de ensino à distância da UFP, onde são colocados diversos elementos de trabalho, numa continuação do processo desenvolvido em sala de aula.
1.2. Objetivo: o aluno deverá ser capaz de compreender e implementar planos e coordenar áreas de segurança em função da natureza específica da atividade económica desenvolvida e das condicionantes técnica-legais decorrentes do enquadramento legal. Neste contexto deve ser capaz de fundamentar teoricamente as conclusões alcançadas; bem como conseguir comunicar com clareza estes resultados por via oral, e escrita.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino será inicialmente expositiva e interrogativa. Quando os conteúdos forem conhecidos passar-se-á a uma metodologia de descoberta. Pretende-se uma estratégia que visa garantir o processo de reflexão crítica.
A avaliação compreende dois testes e dois trabalhos teórico-práticos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

1. Aulas Teórico-Práticas
1.1. Descrição:
Exposição dos pontos principais da matéria, sempre que possível com o recurso a elementos de observação, complementados com exercícios destinados à resolução de situações concretas. Neste processo, revela-se fundamental, o trabalho desenvolvido pelo aluno fora das aulas, através de uma forte interação com a plataforma de ensino à distância da UFP, onde são colocados diversos elementos de trabalho, numa continuação do processo desenvolvido em sala de aula.
1.2. Objetivo: o aluno deverá ser capaz de elaborar um Plano de Segurança contra Incêndios em função da natureza específica da atividade económica desenvolvida e das condicionantes técnica-legais decorrentes do enquadramento legal. Neste contexto deve ser capaz de fundamentar teoricamente as conclusões alcançadas; bem como conseguir comunicar com clareza estes resultados por via oral, e escrita.
1. Os acidentes no sector da construção civil e obras públicas [2 horas]
2. Legislação e Normas aplicáveis ao sector da construção civil e obras públicas [3 horas]
3. Avaliação de Riscos e Medidas Preventivas no sector da construção civil e obras públicas [4 horas]
4. Equipamentos de proteção coletiva e individual no sector da Construção Civil e Obras Públicas [4 horas]
5. Coordenação da Segurança no sector da construção civil e obras públicas [5 horas]
6. Fiscalização da Segurança no sector da construção civil e obras públicas [3 horas]
7. Caracterização dos edifícios e recintos [3 horas]
8. Condições exteriores comuns [4 horas]
9. Condições Gerais de Comportamento ao Fogo, Isolamento e Proteção [2 horas]
10. Condições Gerais de Evacuação [5 horas]
11. Condições gerais das instalações e equipamentos [5 horas]
12. Projeto de Segurança contra Incêndios [3 horas]
13. Condições gerais de autoproteção [2 horas]

Bibliografia:

[1] Miguel, A. S. (2014) – Manual de Higiene e Segurança do Trabalho, 13ª Edição, Porto Editora.
[2] Nunes, F. M. D. O. (2009). Segurança e Higiene do Trabalho – Manual Técnico. Cooptécnica Gustave Eiffel. 2ª Edição.
[3] Autoridade para as condições de trabalho (ACT). [Em linha]. Disponível em [consultado em 12/09/2015].
[7] Castro, C., Abrantes, J., (2009). Manual de Segurança contra Incêndio em Edifícios. Escola Nac. Bomb. 2ª ed. 464 pp. Sintra, ISBNv972-8792-16-6
[8] Coelho, António Leça (2010): Incêndios em Edifícios. Edições Orion, Lisboa, ISBN972-8620-16-5.
[9] Castro, F. e Roberto, P. (2010): Manual de Exploração de Segurança Contra Incêndio em Edifícios. Edição APSEI, Lisboa, ISBNv978-989-96514-0-1.

Objetivos de aprendizagem:

Ter conhecimento dos princípios dos sistemas de informação geográfica, a sua relação com a geografia e a herança cartográfica e topográfica. Apresentação do programa ArcGis - Configuração do ambiente de trabalho e definição de sistemas de coordenadas. Criar e usar bases de dados relacionais com e sem recurso a software SIG. Analisar as implicações da qualidade e validade dos dados. Verificar a qualidade dos dados. Planeamento e estruturação de um projecto SIG. Desenvolvimento de modelos de bases de dados para SIG. Análise de dados geográficos e atributos associados. Os SIG como sistemas de apoio à decisão. Aplicações temáticas

Conteúdos programáticos:

1. Conceitos Preliminares
2. Princípios de Informação Estruturada
3. Análise de Casos-Estudo
4. Desenvolvimento e Gestão de um Projeto SIG
5. Apresentação do Projeto

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma consolidar bases teóricas conceptuais e a potenciar a aplicação prática dos conceitos teóricos apreendidos. Sempre que seja adequado, serão analisados e interpretados projetos de modo a estimular o estudo prático orientado. O desenvolvimento das competências propostas decorrerá através de trabalhos ou exercícios realizados em sala de aula, análise e desenvolvimento de projetos em grupo e/ou individuais em sala de aula ou com base no estudo individual.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

testes, trabalhos
A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizados seminários temáticos com oradores externos.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e desenvolvimento de um projeto (caso-estudo).
Classificação final = 50% testes individal + 20% relatórios individuais + 10% projeto final desenvolvido em grupo + 10% apresentação de um seminário +10% desempenho

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Conceitos Preliminares - Entender projeção, escala, e coordenadas num SIG;
Princípios de Informação Estruturada e Análise de casos-estudo - Entender as aplicações das estruturas de dados vetorais e matriciais, representar a geografia e a natureza dos dados geográficos e compreender bases de dados relacionais;
Desenvolvimento e Gestão de um Projecto SIG - Capturar, armazenar, analisar e apresentar resultados da análise em SIG

Bibliografia:

• van Maarseveen, Martin; Martinez, Javier; Flacke, Johannes. 2019. GIS in Sustainable Urban Planning and Management : A Global Perspective
• CRC Press, Leiden, pp. 364: ISBN-13: 9781315146638 /9781138505551 - https://www.topfreebooks.org/gis-in-sustainable-urban-planning-and-management-a-global-perspective/
• Smith MJ, Goodchild MF, Longley PA. 2018. Geospatial Analysis, 6th edition. John Wiley & Sons.
• GIS Commons [online]. An Introductory Textbook on Geographic Information Systems. https://giscommons.org/
• Kennedy, M. (2009). Introducing Gographic Information Systems with ArcGis, Wiley.
• MATOS J. 2008. Fundamentos de informação geográfica. 5ª ed., Lisboa. Lidel, 405 p. ISBN 978-972-757-514-5

UNIDADES CURRICULARES ECTS