UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

O ensino/ aprendizagem de Anatomia Humana é estrutural num curso da área médica, alicerce fundamental para uma melhor compreensão das Unidades Curriculares profissionalizantes.
Fornece as bases do raciocínio médico, promotor do desenvolvimento de competências relacionadas com a observação, descrição e adopção de terminologia anatómica e médica conveniente.
Esta Unidade Curricular tem por objectivo a transmissão e consequentemente a aquisição de conhecimentos sólidos relativos à anatomia do corpo humano e suas implicações funcionais.

O aluno deverá ser capaz de pronunciar e definir os termos anatómicos usados. Deverá ainda ser capaz de descrever anatomicamente, localizar e relacionar estruturas anatómicas relacionadas com os capítulos: Introdução à Anatomia Humana, Osteologia Geral, Artrologia Geral e Miologia Geral.

Conteúdos programáticos:

Introdução ao estudo da Anatomia Humana
História da anatomia
Divisões da anatomia
Terminologia anatómica
Posição e Planos anatómicos
Termos de relação e comparação
Termos de lateralidade e termos de movimento
"Osteologia Geral"
Anatomia humana geral da locomoção e introdução ao estudo da osteologia
Características gerais do esqueleto humano
O osso e a cartilagem
Osteologia do esqueleto axial e apendicular
"Artrologia Geral"
Introdução ao estudo da artrologia
Classificação das articulações (estrutural / funcional/ biomecânica)
Movimentos e eixos de movimento
As articulações da cabeça e da coluna vertebral
As articulações do tórax
As articulações dos membros superiores e inferiores
"Miologia Geral"
Introdução ao estudo da miologia
Origem e inserção, forma geral e acções dos músculos esqueléticos
Miologia da cabeça e do pescoço
Miologia do dorso , toráx e abdómen
Miologia dos membros superiores e inferiores

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas destinam-se a permitir aos alunos adquirir conhecimentos básicos no domínio da Anatomia. Para a obtenção de conhecimentos sólidos e extensos de Anatomia Humana e de acordo com os conteúdos programáticos entendeu-se ser mais eficiente iniciar o programa pela Introdução ao Estudo da Anatomia Humana, onde se pretende a aquisição de conhecimentos referentes à história da Anatomia e terminologia anatómica, passando pela interiorização de definições e conceitos estruturais para o cumprimento dos objectivos propostos.
O Sistema Locomotor será apresentado em 3 capítulos: Osteologia geral, Artrologia Geral e Miologia Geral. Inicia-se com o estudo das estruturas esqueléticas de suporte e articulações-parte passiva do Sistema Locomotor, seguindo-se o estudo dos meios activos- estruturas musculares.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A componente teórica (CT) e teórico-prática (CTP) consiste em aulas expositivas de 50 minutos iniciadas por uma apresentação do sumário e finalizadas com uma síntese do tema e uma sessão de esclarecimento de dúvidas.
A componente prática (CP), estruturada em articulação com a componente teórica consiste em aulas semanais de 110 minutos. Consta em ensino tutorial aberto à participação dos alunos e trabalho laboratorial com modelos anatómicos.
A avaliação de cada componente é contínua e tem em consideração: assiduidade, pontualidade e atitude do aluno em sala de aula. Consiste ainda em 2 momentos de avaliação escrita de conhecimentos.
A nota final será uma nota quantitativa de 0-20 valores. Os alunos aprovam com classificação igual ou superior a 10 valores.
Os alunos com nota inferior a 10 valores na CP repetem a CP da unidade curricular no ano lectivo seguinte.
Os alunos com nota inferior a 10 valores na CT e CTP terão acesso ao exame final da Unidade Curricular.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A CT desenvolve os capítulos: Introdução à Anatomia Humana, Osteologia Geral, Artrologia Geral e Miologia Geral.
Nas sessões teóricas e teórico-práticas serão lecionados os conteúdos programáticos recorrendo ao apoio de dispositivos multimédia. Serão expostos e debatidos os conceitos teóricos relevantes em sala de aula e orientado o estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada. A aquisição, compreensão e aplicação de conhecimentos através de aulas presenciais será privilegiada.
Na primeira aula será apresentado o guião das aulas teóricas com a planificação das aulas por semana, os objectivos gerais e específicos por aula e competências a adquirir.
A organização geral da unidade curricular (distribuição de conteúdos programáticos, orientação pedagógica e monitorização de objetivos e qualidade )
é da responsabilidade da Prof. Doutora Augusta Silveira. Serão realizadas reuniões periódicas com os docentes da componente prática de forma a acompanhar e promover a constante articulação entre as componentes.
A avaliação contínua da CT terá em conta a assiduidade e a pontualidade do aluno e a sua atitude em sala de aula.
Consta ainda de 2 momentos de avaliação escrita de conhecimentos cuja prova é composta por perguntas de escolha múltipla, verdadeiros e falsos e perguntas abertas.
A nota final terá em conta todos os parâmetros de avaliação, e será uma nota quantitativa de 0-20 valores.
Os alunos são aprovados com classificação igual ou superior a 10 valores. Os alunos com nota inferior a 10 valores terão acesso ao exame final da Unidade Curricular, realizado em data a definir pela Universidade na época destacada para esse fim.
A CP desenvolve os capítulos: Introdução à Anatomia Humana, Osteologia Geral, Artrologia Geral e Miologia Geral.
Atendendo às características próprias da disciplina, os alunos, serão incentivados a desenvolverem um tipo de estudo contínuo ( livros de texto e atlas de anatomia e uso de modelos anatómicos disponíveis nos laboratórios Universidade Fernando Pessoa) de forma a estimular a auto- aprendizagem.
A avaliação contínua da CP decorrerá semanalmente sendo solicitado ao aluno a exposição de temas já lecionados e de acordo com o sumário previsto para a aula.
Será tida em consideração a assiduidade e a pontualidade, a sua motivação e empenho e a sua capacidade de dinamização.
Os estudantes são incentivados a expor oralmente tópicos do programa. As exposições orais têm também o objetivo de promover o estudo contínuo e desenvolver a capacidade de comunicação.
Haverá 2 momentos de avaliação escrita de conhecimentos em formato de gincana, para identificação de estruturas anatómicas em imagens e modelos anatómicos.
A nota final será uma nota quantitativa de 0-20 valores. Os alunos são aprovados com classificação igual ou superior a 10 valores. Os alunos com nota inferior a 10 valores terão de repetir a CP da unidade curricular no ano lectivo seguinte.

Bibliografia:

Stranding, S. (2020). Gray’s Anatomy, 42 th edition , Elsevier.
Drake, R.L., Vogl, W., Mitchell, A. (2019). Gray´s Anatomy for students, 4nd edition. Elsevier.
Pina,J. A. E. (2017) Anatomia Humana Da Locomoção, 5ª edição,Lidel Edições Técnicas Ltda.
Friedrich Paulsen & Jens Waschke (2018) Sobbota; Atlas of Human Anatomy. 24th edition, Elsevier
Netter,F.H. (2018) Atlas of Human Anatomy , 7th edition, Elsevier.
Vanputte, C.; Regan, J.; Russo, A.; Seeley, R. (2020) Seeley’s anatomy & phisiology. 12th edition, McGraw-Hill.

Objetivos de aprendizagem:

A Bioestatística, propõe-se introduzir e desenvolver o conhecimento de técnicas de análise estatística, apresentando exemplos relevantes/situações realistas para ilustrar os conceitos, e desenvolver o espírito crítico e de análise dos resultados obtidos.

Conteúdos programáticos:

Conceitos estatísticos básicos. Estatística descritiva: classificação de variáveis, distibuições de frequência, medidas de tendência central, de partição, de dispersão, de assimetria e de curtose. Correlação e Regressão linear. Variáveis aleatórias discretas e contínuas, função massa de probabilidade, densidade de probabilidade e de distribuição. Algumas distribuições de probabilidade teóricas para v.a. discretas e contínuas. Estimação por intervalo de confiança: valor médio, variância, proporção populacional, RR e OR. Dimensionamento de amostras. Ensaios de hipóteses paramétricos e não paramétricos: procedimento envolvido em ensaios de hipóteses, análise de erros, testes mais comuns. Leitura crítica de artigos.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A bioestatística funciona como ferramenta auxiliar da investigação científica em saúde; Os conteúdos programáticos selecionados são os de análise de dados base exploratória e de inferência de qualquer investigação quantitativa.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Avaliação periódica com 2 testes. A avaliação final desta unidade curricular será expressa através de uma classificação na escala numérica inteira de 0 a 20 com a ponderação de 50% para cada prova.
A falta de comparência a uma prova de avaliação implica a não atribuição dos ECTS da unidade curricular, ie, a ida a exame. A percentagem mínima de frequência nas aulas teóricas e teórico-práticas desta unidade curricular é a mínima exigida segundo o regime das horas de contacto de ensino que constam do Regulamento Pedagógico em vigor na UFP. As datas das provas de avaliação serão marcadas no início do semestre.
Os alunos que em avaliação contínua apresentem classificação final inferior a 9,5 valores são considerados não aprovados e têm direito a realizar um exame de recurso, de toda a matéria da unidade curricular, em data a estipular pela UFP.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas privilegiam os métodos activos e participativos, com vista a uma aplicação prática crítica dos conteúdos abordados nas aulas. A leitura crítica de artigos, com foco na secção de materiais e métodos e na de resultados, permite perceber como se escreve sobre os métodos de análise de dados e como se vê o resultado desses métodos através dos indicadores estatísticos obtidos.

Bibliografia:

[1] DANIEL, WW; Cross, CL. Biostatistics: A Foundation for Analysis in the Health Sciences, 10th ed., John Wiley and Sons, 2013.
[2] DAWSON, B; Trapp, RG. Basic & Clinical Biostatistics, 4th ed., McGraw-Hill, 2004. [DAWSON, B; Trapp, RG. Bioestatística Básica e Clínica, 3ª ed., McGraw-Hill, 2003.]
[3] Gouveia de Oliveira, A. Bioestatística Descodificada. 2ª edição, LIDEL, 2014.
[4] Loura, LCC, Martins, MEG, Dossiê XIII - Estatística Descritiva com Excel - Complementos, ALEA - Instituto Nacional de Estatística, 2012. http://www.alea.pt/html/statofic/html/dossier/doc/dossie13a.pdf

Objetivos de aprendizagem:

OA1 – Introduzir conhecimentos sobre métodos e ferramentas básicas para o estudo da biofísica.
OA2 – Adquirir conceitos, capacidade de análise qualitativa e quantitativa de princípios físicos em aplicações de Medicina.
OA3 – Aplicar conceitos físicos sobre biomecânica ao corpo humano, em particular, ao sistema músculo-esquelético dentário.
OA4 – Apresentar as técnicas de análise quantitativa de estados de equilíbrio estático biomecânico.
OA5 – Apresentar as técnicas de análise quantitativa de estados da dinâmica biomecânica.
OA6 – Conceptualizar e aplicar análise quantitativa da elasticidade e deformação mecânica dos materiais.
OA7 – Obter conhecimento genérico sobre os princípios de funcionamento de alguma tecnologia médica, em particular, da área da imagiologia clínica.
OA8 – Obter conhecimento sobre o laser e sua aplicação em medicina dentária, bem como os seus aspectos de utilização em segurança.

Conteúdos programáticos:

1. Considerações Gerais em Biofísica
2. Introdução à Biomecânica.
3. Propriedades dos Materiais.
4. Lasers e Imagiologia em Medicina Dentária

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os capítulos apresentados no programa da unidade curricular corresponderão aos seguintes objectivos e competências a atingir (OA):
Capítulo 1: OA1
Capítulo 2: OA1, OA2, OA3, OA4 e OA5
Capítulo 3: OA1, OA2, OA3, OA4, OA5 e OA6
Capitulo 4: OA1, OA7, OA8.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

M1 – Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático que será disponibilizado ao aluno.
M2 – Material pedagógico com problemas teórico-práticos selecionados e que servem como ferramenta de aprendizagem.
M3 – Actividades de pesquisa autónoma baseados em artigos científicos.
M4 – Utilização de demonstrações laboratoriais e/ou simulações computacionais para compreensão de fenómenos físicos e princípios de funcionamento de tecnologia.
A avaliação é realizada através de: um teste escrito (com peso de 60% na classificação final) e 2 ou 3 questionários de avaliação (com peso de 40% na classificação final).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

M1 – Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático que será disponibilizado ao aluno, que serve de apoio para orientação no estudo das matérias lecionadas.
M2 – Material pedagógico com problemas teórico-práticos selecionados e que servem como ferramenta de aprendizagem para prossecução dos objectivos OA2, OA3, OA4, OA5, OA6 e OA7
M3 – Actividades de pesquisa autónoma baseados em artigos científicos para prossecução dos objectivos OA4, OA5, OA6, OA7, e OA8.
M4 – Utilização de demonstrações laboratoriais e/ou simulações computacionais para compreensão de fenómenos físicos e princípios de funcionamento de tecnologia médica para prossecução de todos os objectivos de aprendizagem.

Bibliografia:

[1] J. D. Cutnell, K. W. Johnson, D. Young and S. Stadler, Physics, 10Ed. John Wiley & Sons, 2015 (ISBN: 9781118486894).
[2] J. A. Tuszynski and J. M. Dixon, Biomedical Applications of Introductory Physics, John Wiley & Sons, 2002 (ISBN: 9780471412953).
[3] J. G. Webster, Medical Instrumentation – Application and Design, 4Ed., John Wiley & Sons, 2010 (ISBN: 9780471676003).

Objetivos de aprendizagem:

Pretende-se que o aluno domine as técnicas de investigação e de produção com vista à correcta execução do trabalho científico e desenvolva competências estruturantes de natureza teórico-prática que lhe permitam conhecer e aplicar estruturas discursivas utilizáveis na sua área de formação.
Para dotar os alunos das competências específicas a desenvolver no âmbito desta unidade curricular, existe uma correspondência direta entre os conteúdos de cada capítulo lecionado e as competências específicas a desenvolver.

Conteúdos programáticos:

I - A terminologia médica
1.1. Objeto, conceito, termo
1.2. Importância e características da terminologia médica
2. Termos médicos e respetivos constituintes
2.1. Tipos de termos médicos
2.2. Etimologia dos constituintes que integram os termos médicos
3. Processos de formação de palavras
II – Metodologia do trabalho científico
1.O texto científico
1.1 – Bases de dados
1.2. O plágio
1.3. Etapas de um trabalho científico
1.4. Recolha de informação
1.5. Fichas de leitura
1.6. Normas para a elaboração de uma referência bibliográfica
1.7. Plano de trabalho e organização da informação recolhida
1.8. Redação (linguagem, citações, notas de rodapé)

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos incidem na eficaz aquisição e utilização da terminologia médica bem como na metodologia do trabalho científico com vista à produção textual

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Desenvolver-se-ão diferentes atividades de leitura, escrita, compreensão e produção discursivas inerentes ao desenvolvimento da competência de comunicação, direcionado para a área de formação dos alunos. Dar-se-á prioridade a atividades que instiguem a participação efetiva dos alunos, tais como trabalhos individuais, de pares e em grupo e a resolução de problemas práticos simulados tendo em conta as competências a desenvolver.
Avaliação
2 frequências (50% + 50%)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objetivos formulados para a unidade curricular dado que apostam no desenvolvimento de estudo orientado e na participação ativa do aluno de modo a que este experimente e adquira ferramentas que otimizem a sua expressão no campo da comunicação científica e da terminologia específica do curso.
Pretende-se o desenvolvimento das capacidades produtivas, críticas, relacionais e avaliativas de questões gerais.

Bibliografia:

Cohen, B. J., & Jones, S. A. (2021). Medical Terminology: An Illustrated Guide. Jones & Bartlett Learning.
Dicionário de Termos Médicos (2020). https://www.infopedia.pt/dicionarios/termos-medicos
Dicionário de Língua Portuguesa (2020) https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa
Collins, C. Edward (2008). A Short Course in MedicalTerminology. Philadelphia, Wolters Kluwer Health / Lippincott Williams &Wilkins.Lopes, E. J. M. (2016). “Plágio”. In Dicionário Crime,Justiça e Sociedade. Lisboa: Sílabo: 362-364.
Manual de elaboração de trabalhos científicos daUniversidade Fernando Pessoa. [Em linha]. Disponível em http://ufp.ufp.pt.[Consultado em 11/09/2014].
Pitney, W. P., J, M., S, P., K. (2020), QualitativeResearch in the Health Professions. Chicago: Slack Incorporated.
Severino, A. (2000). Metodologia do trabalho científico. SãoPaulo, Cortez.

Objetivos de aprendizagem:

Aquisição de conhecimentos sobre a evolução da actividade médica ao longo das civilizações e dos conceitos de saúde e de doença nas populações.

Conteúdos programáticos:

Introdução
Paradigmas da epistemologia das Ciências Médicas
I Parte - A arqueologia da Medicina: da génese à consolidação
1. Mesopotâmia e Antigo Egito
2. A Medicina na Grécia Antiga: Hipócrates fez escola
3. O prestígio grego em Roma
4. A(s) Idade(s) Média(s): mundo árabe e mundo cristão
5. As Universidades de medicina e a dissecação
6. O Renascimento: migração de doenças e remédios
II Parte - As Ciências Médicas na Contemporaneidade
1. Medicina e terapêutica nos séculos XIX e XX:
2. Evolução vacinação: da descoberta à atualidade
3. Origens, desenvolvimento e aplicações dos antibióticos
4. Vírus e outros agentes infeciosos
5. A Radiologia nas Ciências Médicas
Balanço

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aquisição de conhecimentos sobre a evolução da atividade médica ao longo das civilizações e conceitos de saúde e doença em populações.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Exame de avaliação e frequência.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Descrição das temáticas da evolução das mentalidades, do conceito de saúde e de doença, com a análise das principais figuras da história das ciências médicas ao longo da história da humanidade. Exemplificação de casos clínicos e das patologias mais prevalentes que dizimaram a humanidade.

Bibliografia:

CARWRIGHT, Frederick F. e BIDDISS, Michael (2003), As Doenças e a História, Mem Martins: Europa-América.
FREDE, Michael (2006), "Philosophy and Medicine in Antiquity", Human Nature and Natural Knowledge, UPC, pp 211-232.
GARCÍA BALLESTER, Luis (2004), “Galen and Galenism Theory and Medical Practice From Antiquity to the European Renaissance”, Early Science and Medicine, 9 (4):362-363.
MICHELI-SERRA, Alfredo de (2004), “Algunos enfoques epistemológicos en medicina”, Gaceta Médica de México, vol. 104, nº 5, pp. 557-561.
POPPER, K.R. (1959), The Logic of Scientific Discovery, Hutchinson, London.
SOARES M. L. C. (1999), Hipócrates e a Arte da Medicina. Lisboa : Colibri.
SOURNIA, Jean-Charles (1992), História da Medicina. Lisboa: Instituto Piaget.

Objetivos de aprendizagem:

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objectivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

Conteúdos programáticos:

1. Situações socioprofissionais
1.1.Socializar
1.2. Viajar
1.3. Importância do inglês na área da saúde
2. Saúde
2.1. Ambiente Hospitalar
2.2. Corpo Humano
2.3. Problemas de Saúde
2.4. Diálogos Médico-paciente
3. Trabalho de Projeto

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os items temáticos dos conteúdos programáticos visam como competências genéricas que os alunos comuniquem, compreendam e produzam mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais, devendo ser capazes de utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Para este efeito, nesta unidade curricular, os estudantes são incentivados a adoptar uma atitude introspetiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e profissional na área da saúde.
É objetivo da unidade curricular levar os estudantes a melhorar as suas competências comunicacionais em inglês, de modo a que consigam utilizar esta língua na realização de diversos contactos interpessoais, em diferentes contextos socioprofissionais, de forma a permitir o desempenho profissional em contexto internacional. Com a componente de 'Trabalho de Projeto', pretende-se melhorar o trabalho de equipa, com utilização de uma segunda língua, especificamente em inglês.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teórico-práticas, com ênfase nas competências instrumentais: dialogar, ouvir, ler, compreender e produzir mensagens em língua inglesa.
Avaliação contínua OU exame. A avaliação contínua é constituída por um teste escrito e por um trabalho oral, a apresentar no final do semestre. A nota final resulta da ponderação das várias prestações escritas e orais do estudante, bem como da sua participação nas actividades propostas. O exame é constituído por 2 partes: escrito e oral. A oral é obrigatória sempre que o aluno obtiver 7,5 ou mais na componente escrita.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

De forma a potenciar as competências específicas dos estudantes, a metodologia adoptada (com ênfase na avaliação contínua de conhecimento) incentiva as aquisições de tipo instrumental, designadamente comunicar oralmente e por escrito, identificar e compreender mensagens, utilizando a língua inglesa num conjunto de situações socioprofissionais, bem como no acesso ao conhecimento.
A metodologia eminentemente prática e centrada no aluno permite que este possa simular a participação em diferentes contextos comunicacionais e culturais, adquirindo experiência na recolha, identificação e interpretação de informação proveniente desses contextos. Para além disso, a metodologia adotada promove a autonomia de trabalho em diferentes contextos culturais. A aquisição de competências interculturais contribui para uma maior capacidade de comunicação em língua inglesa, assumindo que a aprendizagem de uma língua sem a aquisição dessas competências será menos eficaz.

Bibliografia:

Cobuild English Grammar. 4th Ed. (2017). Glasgow, Harper Collins Publishers.
Redman, S. (2017). English Vocabulary in Use Pre-intermediate and Intermediate Book with Answers: Vocabulary Reference and Practice. Cambridge: C.U.P.
Eastwood, J. (2011). Oxford Practice Grammar – Intermediate. Oxford, Oxford University Press.
Glendinning, E.H. & Howard, R. (2007). Professional English in Use: Medicine. Cambridge, Cambridge University Press.
Glendinning, E.H. & Holmström, B. (2005). English in Medicine – 3rd Edition. Cambridge, Cambridge University Press.
Grice, T. (2007).Oxford English for Careers: Nursing 1. Oxford, Oxford University Press.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

O ensino/ aprendizagem de Anatomia Humana é estrutural num curso da área médica, alicerce fundamental para uma melhor compreensão das Unidades Curriculares profissionalizantes.
Fornece as bases do raciocínio médico, promotor do desenvolvimento de competências relacionadas com a observação, descrição e adopção de terminologia anatómica e médica conveniente.
Esta Unidade Curricular tem por objectivo a transmissão e consequentemente a aquisição de conhecimentos sólidos relativos à anatomia do corpo humano e suas implicações funcionais.

O aluno deverá ser capaz de pronunciar e definir os termos anatómicos usados. Deverá ainda ser capaz de descrever anatomicamente, localizar e relacionar estruturas anatómicas relacionadas com os capítulos: Angiologia, Pele e estratos faciais; Sistema Respiratório; Sistema Digestivo; Sistema Urinário; Sistema Reprodutor Feminino; Sistema Reprodutor Masculino; Sistema Endócrino; Sistema Nervoso.

Conteúdos programáticos:

Angiologia
-O coração
-A circulação sistémica, pulmonar e coronária
Pele e estratos faciais
Aparelho respiratório
-Fossas nasais
-Nariz
-Faringe
-Laringe
-Traqueia
-Brônquios e árvore brônquica
-Pulmões
-Pleura
Aparelho digestivo
-Tubo digestivo
-Anexos do tubo digestivo
-Peritoneu
Aparelho urinário
-Rim
-Aparelho excretor do rim
-Cálices
-Bacinete
-Ureteres
-Bexiga
-Uretra
Aparelho reprodutor
-Órgãos genitais masculinos
-Órgãos genitais femininos
Glândulas endócrinas
-Glândulas endócrinas e hormonas
-Mecanismo de atuação hormonal
-Eixo hipotálamo-hipofisário
-Hipófise
-Glândula Pineal
-Tiróide
-Paratiroides
-Glândulas Supra- renais
-Glândulas sexuais
-Timo
Neurologia
-Sistema Nervoso Central
-Sistema Nervoso Periférico
-Os órgãos dos sentidos

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A componente teórica (CT) e teórico-prática (CTP) consiste em aulas expositivas de 45 minutos iniciadas por uma apresentação do sumário e finalizadas com uma síntese do tema e uma sessão de esclarecimento de dúvidas.
A componente prática (CP), estruturada em articulação com a componente teórica consiste em aulas semanais de 90 minutos. Consta em ensino tutorial aberto à participação dos alunos e trabalho laboratorial com modelos anatómicos no regime presencial.
No regime de ensino à distância incluir-se-á sessões síncronas e assíncronas.
A avaliação de cada componente é contínua e tem em consideração: assiduidade, pontualidade e atitude do aluno em sala de aula (a). Consiste ainda em 2 momentos de avaliação escrita de conhecimentos (b,c). As ponderações de cada componente (CT+CTP e CP)incluem: 20% (a)+40% (b) +40% (c)
A nota final será uma nota quantitativa de 0-20 valores. Os alunos aprovam com classificação igual ou superior a 10 valores.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A componente teórica (CT) e teórico-prática (CTP) consiste em aulas expositivas de 45 minutos iniciadas por uma apresentação do sumário e finalizadas com uma síntese do tema e uma sessão de esclarecimento de dúvidas.
A componente prática (CP), estruturada em articulação com a componente teórica consiste em aulas semanais de 90 minutos. Consta em ensino tutorial aberto à participação dos alunos e trabalho laboratorial com modelos anatómicos no regime presencial.
No regime de ensino à distância incluirá sessões síncronas e assíncronas.
A avaliação de cada componente é contínua e tem em consideração: assiduidade, pontualidade e atitude do aluno em sala de aula (a). Consiste ainda em 2 momentos de avaliação escrita de conhecimentos (b,c). As ponderações de cada componente (CT+CTP e CP)incluem: 20% (a)+40% (b) +40% (c)
A nota final será uma nota quantitativa de 0-20 valores. Os alunos aprovam com classificação igual ou superior a 10 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A CT e CTP desenvolve os capítulos: Angiologia, Sistema Respiratório; Sistema Digestivo; Sistema Urinário; Sistema Reprodutor Feminino; Sistema Reprodutor Masculino; Sistema Endócrino; Sistema Nervoso.
Nas sessões teóricas e teórico- práticas serão lecionados os conteúdos programáticos recorrendo ao apoio de dispositivos multimédia. Serão expostos e debatidos os conceitos teóricos relevantes em sala de aula e orientado o estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada. A aquisição, compreensão e aplicação de conhecimentos através de aulas presenciais será privilegiada.
Na primeira aula será apresentado o guião das aulas teóricas com a planificação das aulas por semana, os objectivos gerais e específicos por aula e competências a adquirir.
A organização geral da unidade curricular (distribuição de conteúdos programáticos, orientação pedagógica e monitorização de objetivos e qualidade ) é da responsabilidade da Prof. Doutora Augusta Silveira. Serão realizadas reuniões periódicas com os docentes da componente prática de forma a acompanhar e promover a constante articulação entre as componentes.
A avaliação contínua da CT terá em conta a assiduidade e a pontualidade do aluno e a sua atitude em sala de aula.
Consta ainda de 2 momentos de avaliação escrita de conhecimentos cuja prova é composta por perguntas de escolha múltipla, verdadeiros e falsos para comentários e perguntas abertas.
A nota final terá em conta todos os parâmetros de avaliação, e será uma nota quantitativa de 0-20 valores.
Os alunos são aprovados com classificação igual ou superior a 10 valores. Os alunos com nota inferior a 10 valores terão acesso ao exame final da Unidade Curricular, realizado em data a definir pela Universidade na época destacada para esse fim.
A CP desenvolve os capítulos: Angiologia, Sistema Respiratório; Sistema Digestivo; Sistema Urinário; Sistema Reprodutor Feminino; Sistema Reprodutor Masculino; Sistema Endócrino; Sistema Nervoso.
A avaliação contínua da CP decorrerá semanalmente sendo solicitado ao aluno a exposição de temas já lecionados e de acordo com o sumário previsto para a aula.
Será tida em consideração a assiduidade e a pontualidade, a sua motivação e empenho e a sua capacidade de dinamização.
Os estudantes são incentivados a expor oralmente tópicos do programa. As exposições orais têm também o objetivo de promover o estudo contínuo e desenvolver a capacidade de comunicação.
Haverá 2 momentos de avaliação escrita de conhecimentos em formato de gincana, para identificação de estruturas anatómicas em imagens e modelos anatómicos.
A nota final será uma nota quantitativa de 0-20 valores. Os alunos são aprovados com classificação igual ou superior a 10 valores. Os alunos com nota inferior a 10 valores terão de repetir a CP da unidade curricular no ano lectivo seguinte.

Bibliografia:

Stranding, S. (2020). Gray’s Anatomy, 42 th edition , Elsevier.
Drake, R.L., Vogl, W., Mitchell, A. (2019). Gray´s Anatomy for students, 4nd edition. Elsevier.
Pina,J. A. E. (2017) Anatomia Humana Da Locomoção, 5ª edição,Lidel Edições Técnicas Ltda.
Friedrich Paulsen & Jens Waschke (2018) Sobbota; Atlas of Human Anatomy. 24th edition, Elsevier
Netter,F.H. (2018) Atlas of Human Anatomy , 7th edition, Elsevier.
Splittberger, R. (2018) Snell’s clinical neuroanatomy. 8th edition. Wolters Kluwer.
Vanputte, C.; Regan, J.; Russo, A.; Seeley, R. (2020) Seeley’s anatomy & phisiology. 12th edition, McGraw-Hill.
Serão ainda colocados ao dispor do aluno os recursos pedagógicos da Unidade Curricular (na Plataforma e-learning).

Objetivos de aprendizagem:

Esta Unidade Curricular explora as estruturas básicas e os processos fundamentais da vida a nível molecular e celular. A nível dos conhecimentos visa a compreensão do funcionamento dinâmico da célula sublinhando a importância de relações estrutura-função e de interações moleculares na saúde e na doença. Esta aprendizagem confere aptidões científicas genéricas, designadamente no âmbito da (i) Execução de técnicas analíticas básicas para a identificação de moléculas, processos celulares ou estruturas celuares, (ii) Seleção, interpretação, validação e comunicação de informação técnico-científica, e (iii) Atualização contínua e autónoma dos conhecimentos. Globalmente, o processo de aprendizagem confere competências para o futuro profissional reconhecer e entender o papel da célula na saúde e na doença em áreas de intervenção clínica ou de investigação.

Conteúdos programáticos:

Componente teórica: Perspetiva histórica, Matriz dos sistemas biológicos (célula e água), Biomembranas (composição, organização estrutural e função), Transporte transmembranar e não transmembranar, Compartimentos associados à membrana plasmática (citoesqueleto, matriz extracelular e especializações de superfície), Organelos celulares (ultraestrutura, biogénese e fisiopatologia), Proteostase, Biosssinalização (tipos e mecanismos), Proliferação, senescência celular e morte celular. Componente prática: Microscopia ótica, micrometria e técnicas de contraste, Preparações extemporâneas de tecidos vegetais e animais, e de células procarióticas (estudo morfológico e estrutural), Proteínas (isolamento, análise qualitativa, processo de desnaturação e estudos de estrutura-função), Fracionamento celular, Permeabilidade de biomembranas, Ciclo celular (mitose).

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A componente teórica aprofunda a ultra-estrutura e a interligação/interdependência funcional entre compartimentos celulares, explorando processos básicos (e.g. expressão génica/biossíntese/folding/tráfego/função de proteínas) e a complexidade das interações moleculares para a homeostasia celular. A sua importância é ilustrada com doenças organelares causadas pela perda de função de proteínas específicas. Deste modo, os conteúdos não só promovem uma compreensão integrada sobre a fisiopatologia celular, como também permitem compreender a génese das estratégias moleculares de diagnóstico ou tratamento. A componente prática é focada na resolução de problemas, essencialmente através de uma abordagem experimental, e no desenvolvimento do hábito de pesquisa bibliográfica, em articulação com os conteúdos da componente teórica. Deste modo, a execução do programa irá produzir os resultados pretendidos em termos de aprendizagem.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Componente teórica: compreende aulas teóricas e a aprovação é certificada através da realização de 2 testes escritos (classificação média de, pelo menos, 10/20 valores; ponderação na nota final, 80%) com inclusão de uma questão aberta direcionada para o domínio de atuação do futuro profissional. A não aprovação em avaliação contínua remete o aluno para a realização de exame. O exame tem a duração de 2 horas e incide sobre a totalidade do programa. Componente prática: integra aulas práticas e aulas prático-laboratorias. A aprovação é certificada através da realização de 2 testes escritos (ponderação 50%), classificação de, pelo menos, 10/20 valores para aprovação (ponderação na nota final, 20%). Material didático e artigos científicos, ou outros de utilização livre, estarão disponíveis através do canvas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Componente teórica: Esta componente é desenvolvida a partir da exposição descritiva e integrada dos conceitos, teorias e mecanismos subjacentes ao programa teórico. A sua progressão ocorre de forma articulada com o material didático e a bibliografia. Em vários momentos é efetuada a síntese e integração de aspetos fulcrais do programa envolvendo o aluno nas atividades de resolução de problemas específicos. Para a aquisição dos conhecimentos são aplicadas metodologias de ensino diretas e indiretas uma vez que a sua aplicação simultânea agiliza os processos de compreensão e autoaprendizagem. Componente prática: A aprendizagem é baseada na resolução de problemas práticos recorrendo a uma abordagem experimental ou teórica-prática. A autoaprendizagem é estimulada de forma contínua ao longo do semestre através da preparação prévia semanal das atividades experimentais, conjuntamente com a resolução de problemas práticos para promover o processo de integração dos conceitos. Material didático, incluindo material de ensino assistido por computador e textos de apoio (e.g. Manual Teórico com o enquadramento da informação científica, os objetivos específicos de cada módulo do programa e exercícios resolvidos, e Manual Prático-Laboratorial, com a informação técnico-científica e questões para análise crítica e discussão), e artigos científicos ou outros de utilização livre, são disponibilizados ao aluno através da plataforma institucional canvas. Adicionalmente às horas de contacto, o processo de aprendizagem poderá ser complementado presencialmente, durante o horário de atendimento do docente, ou utilizando as ferramentas de comunicação digital institucionais (e-mail/canvas). A utilização desses recursos informáticos é, também, um importante contributo para a promoção e estímulo do processo de autoaprendizagem.

Bibliografia:

1.Quintas A., Freire A.P., Halpern M.J. – Bioquímica: Organização molecular da vida/Lidel, 2008.
2. Alberts B, Johnson A, Lewis J, Morgan D, Raff M, Roberts K, Walter P. Molecular Biology of the Cell. Garland Science, 5th Edition, 2014. ISBN: 9780815344322. (existe a 4ª edição, 2002)
3. Lodish H, Berk A, Kaiser CA, Krieger M, Bretscher A, Ploegh H, Martin KC, Yaffe M. Molecular Cell Biology. WH Freeman, 9th Edition, 2021. ISBN: 9781319208523. (existe a 3ª edição, 1995, e a 4ª edição, 2000)
4. Cooper GM. The Cell, a Molecular Approach. Sinauer Associates, 8th Edition, 2018. ISBN-10:1605357073; ISBN-13:978-1605357072
5. Sunkel CE, Azevedo C. - Biologia Molecular e Celular, Lidel eds. Técnicas, 5ª Edição, 2012 ISBN: 9789727576920 (existe 4ª edição, 2010)
6. Ribeiro MG – Biologia molecular e celular: manual de apoio à componente teórica, 2020.
7. Castro A, Castro R, Coelho MJ, Ribeiro MG – Biologia Molecular e Celular: manual de trabalhos laboratoriais, 2014.

Objetivos de aprendizagem:

Na Unidade Curricular de Bioquímica Fisiológica, o aluno terá de obter aprovação a todas as componentes programáticas às quais tenham sido indexados ECTS.
Obter aprovação à unidade curricular numa escala numérica de 10 a 20 valores é condição necessária mas não suficiente para creditação do total de ECTS e inscrição da Unidade Curricular no diploma do aluno.
A unidade curricular tem associados 4 ECTS, indexados às seguintes componentes: 2,0 ECTS para as unidades lectivas correspondentes às vertentes teórica e teórica/prática e 2 ECTS para a componente prático-laboratorial.

Conteúdos programáticos:

Metabolismo: metabolismo dos hidratos de carbono; metabolismo lipídico; metabolismo dos aminoácidos; interrelações metabólicas. Digestão e absorção gastrointestinal. Sistema endócrino.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos que integram a unidade curricular vão de encontro às necessidades que são estabelecidas nos objetivos, pois fornece aos alunos os ensinamentos necessários (conceitos, técnicas, metodologias) para que sejam capazes de atingir os objetivos enunciados anteriormente.
Toda a informação fornecida tem como objetivo sensibilizar os alunos para a importância de: Metabolismo das principais biomoléculas; Digestão e absorção gastrointestinal; Sistema endócrino.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

As metodologias a utilizar são os métodos expositivo, dedutivo e indutivo. É utilizada também a metodologia por simulação pedagógica, isto é, o processo de ensino/aprendizagem é realizado em condições próximas da realidade laboratorial. Os alunos resolverão casos práticos, semelhantes às situações que irão ter na sua vida profissional, os quais permitirão, recorrendo a diversas técnicas analíticas, desenvolver o seu espírito crítico.
A avaliação da unidade curricular integra, além de uma avaliação contínua, o desempenho do aluno no laboratório.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os objetivos da unidade curricular são alcançados pela utilização da metodologia referida uma vez que a componente expositiva confere uma orientação na sistematização do estudo e a exercitação prática promove a aplicação prática dos conceitos e das teorias estudadas no âmbito da unidade curricular. Para além disso, a utilização de um conjunto de materiais de estudo criado propositadamente, assim como as sessões de apoio para esclarecimento de dúvidas e as atividades de avaliação de conhecimentos, permitem um elevado nível de ajustamento entre as metodologias utilizadas e os objetivos da unidade curricular.
A adoção das metodologias preconizadas permitirá aos alunos: adquirir conhecimentos; descobrir métodos de trabalho a utilizar; assumir comportamentos profissionais; detetar a importância da atividade desenvolvida no contexto laboratorial; aplicar os conhecimentos em situações novas; suscitar uma discussão permanente nas aulas.

Bibliografia:

1) Devlin T.M., 2010, “Textbook of Biochemistry with clinical correlations”, 7.ª edição, Wiley-Liss.
2) Leal F, Lopes Cardoso I., 2013, “Casos Clínicos em Bioquímica” edições Universidade Fernando Pessoa.
3) Lopes Cardoso I. et al., 2013, “Trabalhos Laboratoriais de Bioquímica”, 2ª ed., edições Universidade Fernando Pessoa.
4) Lopes Cardoso I., Leal F., 2013, “Manual de exercícios de Bioquímica”, edições Universidade Fernando Pessoa.
5) Nelson D.L., Cox M.M., 2017, “Lehninger Principles of Biochemistry”, 7.ª edição, W.H. Freeman and Company, N.Y.
6) Mckee T., McKee JR, 2016, “Biochemistry: the molecular bases of life”, 6.ª edição, Oxford University Press.
7) Wildmaier E, Raff H, Strang KT, 2016, “Vander’s Human Physiology”, 14.ª edição, McGraw-Hill.
8) Gardner D.G., Shoback D, 2017, “Greenspan’s Basic & Clinical Endocrinology”, 10.ª edição, McGraw-Hill.
9) Leal F., Lopes Cardoso I., 2018, “Sistema Endócrino e Patologias Associadas”, Lusodidacta, ISBN: 978-989-8075-83-3.

Objetivos de aprendizagem:

São objectivos desta unidade curricular:
1) transmitir a importância do estudo da embriologia, histologia e citologia na formação do médico dentista;
2) compreender a morfologia numa perspectiva funcional;
3) proporcionar as bases para a interpretação crítica da histopatologia e citopatologia.

Conteúdos programáticos:

Tecidos básicos: tecido epitelial, conjuntivos (tecidos conjuntivos propriamente ditos, tecido adiposo, tecido cartilagíneo, tecido ósseo, tecido sanguíneo), muscular e nervoso. Sistema linfóide: características gerais e organização histológica (tecidos e nódulos linfóides, órgãos linfóides primários e secundários). Sistema cardiovascular: características gerais e organização. Sistema respiratório: características gerais e organização histológica (traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos). Pele e anexos: estrutura e funções. Mucosa oral: organização histológica; variações estruturais (revestimento, mastigatória, especializada), estrutura e função. Glândulas salivares; glândulas salivares maiores. Sistema digestivo: organização geral do tubo digestivo. Histofisiologia do esófago, estômago, intestino delgado e intestino grosso.
Bases da embriologia humana: gametogénese e desenvolvimento embrionário geral - 1ª, 2ª 3ª e 4ª semanas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Em cada um dos temas do programa curricular, serão apresentados e discutidos conhecimentos básicos, importantes para a sua formação académica, dando particular ênfase à estreita relação entre as alterações morfológicas e as alterações funcionais, quer a nível celular quer a nível tecidular. Estes aspectos são fundamentais para a sua ação, enquanto médico dentista, facultando-lhe o espírito crítico necessário para poder aplicar correctamente os conhecimentos adquiridos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A UC tem 5 ECTS: 30 horas contacto na componente teórica (CT), 30 horas na prática laboratorial (PL), 7,5 horas na Orientação tutorial (OT), 7,5 horas em outras (O).
A CT consiste em aulas expositivas dos tópicos definidos nos conteúdos programáticos. A componente PL consta de sessões de observação e interpretação de imagens histológicas relativas aos conteúdos da CT.
O ensino à distância integrará sessões síncronas via plataforma Colibri – Zoom e sessões assíncronas, com material de apoio ao estudo autónomo.
A avaliação é contínua. Serão realizadas 2 avaliações escritas na CT e 2 avaliações na PL. O aluno é aprovado a cada componente se obtiver uma classificação igual ou superior a 10 (dez) valores.
A classificação final resulta da ponderação de 75% CT e 25% PL.
A Orientação Tutorial e Outras (OT/O) pretende orientar o estudo e gestão dos tempos letivos do aluno - é incentivada a utilização da bibliografia e promovido o desenvolvimento de métodos de pesquisa científica.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Na CT serão lecionados os conteúdos programáticos recorrendo ao apoio de dispositivos multimédia, sendo a aula teórica (versão PowerPoint) disponibilizada antes da sua lecionação. Os alunos têm ainda acesso a um documento, elaborado pelos docentes, Profª Doutora Teresa Sequeira & Prof Doutor Carlos Palmeira (Manual de Estudo) onde, para cada aula encontram: i) os objectivos claramente identificados em cada tema, ii) o sumário detalhado e iii) e um conjunto de questões relativas a esse tema para orientação do seu estudo que se pretende mais autónomo.
Serão expostos e debatidos em sala de aula os conceitos teóricos relevantes, passando pela discussão baseada em “questões problema”. Estas diferentes abordagens pedagógicas, visam desenvolver no aluno a capacidade de criar o seu próprio modelo de aprendizagem, adaptado a cada conteúdo programático.
Será orientado o estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada.
A PL é estruturada em articulação com a CT e consiste numa aula semanal. É disponibilizado no início do semestre um documento (Roteiro das Aulas Práticas) – elaborado pela equipa – onde consta, para cada aula, os objectivos a atingir bem como a indicação de todas as imagens que irão ser estudadas em cada aula. Semanalmente é ainda disponibilizada uma ficha de auto-avaliação, corrigida depois na aula prática seguinte.
Serão realizadas reuniões periódicas com os docentes da componente prática de forma a acompanhar e promover a constante articulação entre as componentes.
Atendendo às características próprias da unidade curricular, os alunos, serão incentivados a desenvolverem um tipo de estudo contínuo (recorrendo a sites recomendados, à consulta de livros de texto e atlas de embriologia e histologia disponíveis na Universidade Fernando Pessoa) de forma a estimular a auto-aprendizagem
As sessões de OT consistem em momentos de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar corretamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica relativos a temas descritos no programa da unidade curricular, fomentando a leitura científica, contacto com nomenclatura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica bem como a motivação para elaboração de apresentações científicas com metodologia de revisão.
As sessões O são livres e destinam-se a possibilitar ao aluno esclarecer estratégias de apresentação científica dos resultados da pesquisa efetuada no âmbito da Unidade curricular.
Serão realizadas reuniões periódicas entre os docentes da Unidade Curricular de forma a promover a constante articulação da equipa.

Bibliografia:

GARTNER, L.P. (2020). Textbook of Histology. 5th ed, Elvesier.
KIERSZENBAUM, A.L. & TRES, L. (2019). Histology and Cell Biology: an introduction to pathology. 5th ed, Saunders.
PAWLINA W. & ROSS M.H. (2018). Histology: a text and atlas – with correlated cell and molecular biology. 8th ed, LW&W.
MESCHER, A. (2021). Junqueira’s Basic Histology: Text and Atlas. 16th ed, McGraw-Hill Medical.
SADLER, TW. (2018). Langman’s medical embryology. 14th ed, Williams & Wilkins.
• Serão ainda colocados ao dispor do aluno os recursos pedagógicos da Unidade Curricular todas as semanas (Plataforma Canvas). The student will also have access to pedagogical resources of the curricular unit every week (in the Canvas platform).

Objetivos de aprendizagem:

Dar a conhecer as ferramentas básicas indispensáveis para orientação de um leque variado de situações relacionadas com a saúde humana que ocorrem no dia a dia e que devem aprender independentemente do seu campo de actuação. Tem ainda como objectivo ensinar as atitudes que deverão saber executar na sua missão de promover a saúde no seu todo, adquirindo nomeadamente as seguintes competências:
- Saber efectuar medidas básicas de socorrismo adequadas às situações emergentes mais usuais.
- Reconhecer o material indicado para as diferentes situações.
- Desenvolver estratégias de comunicação
-Reconhecimento da clínica típica das principais patologías face à atuaçao primária
- Conhecer os principais fatores de risco das doenças máis frequentes e modo de prevenir

Conteúdos programáticos:

Esta disciplina visa dotar os futuros profissionais de saúde com conhecimentos básicas sobre saúde em geral, de modo a que possam tomar as atitudes necessárias para enfrentar situações correntes, na sua missão de promover a saúde no seu todo. Tópicos: noções gerais de socorrismo; suporte básico de vida; gestos relacionados com o diagnóstico; gestos relacionados com o tratamento: gestos relacionados com situações específicas do dia-a-dia profissional; Conhecimento da principal semiología clínica por aparelhos.; Medidas Universais de Protecção; relações humanas, técnicas de comunicação, ética, deontologia.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O conteudo programático desta disciplina pretende disponibilizar conhecimentos que permitam utilizá-los pelos discentes na sua futura atividade profissional

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Escrita + Expositiva + Qualitativa/Quantitativa. Avaliaçao : avaliaçao continuada com uma prova/test da materia teórica -50% do valor global da nota final e as correspondentes provas práticas cuja média constituirá o outro- 50% do valor global da nota final. Avaliaçao continua. (alunos diurno- nota cotaçao avaliaçao assistência e assiduidade-participaçao- 0 a12 valores/ 50% T: 45% test freq. escrito + 5%assiduidade,participaçao,trabalho). A componente laboratorial- 50%. Uma parte dos conteúdos serao propriamente explicados nas aulas teóricas e os de conteúdo fundamentalmente prático, nas aulas práticas, face a facilitar a compreenssao e aprendizagem por parte do aluno.A avaliaçao prática será realizada de acordó com o método próprio do conteúdo da materia.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Utilizando uma metodologia assente numa aprendizagem prática e uma avaliação contínua dos conhecimentos, os alunos ficam aptos a aplicar esses conhecimentos da sua futura atividade profisional

Bibliografia:

1. Carneiro AV. Técnicas Médicas Essenciais. Lidel 1999.
2. Carneiro AH, Nunes F, Lopes G, Santos LA, Campello G. Manual de Suporte Básico de Vida. Edição do Conselho Português de Ressuscitação, 2004.
3. European Ressuscitation Council (2006). Basic Life Support & Automated external Desfibrillation. 2ª Edição
4.Harrison. Medicina Interna. 16ª Edição (tradução brasileira). McGraw Hill, 2006.
5. Merck Manual, Merck Sharp and Dohme, 2006
6.Way KW, Doherty GM. Cirurgia. Diagnóstico e Tratamento. 11ª Edição (tradução brasileira). McGraw Hill e Guanabara Koogan 2003.
7. Cline B. Emergências Médicas. McGraw Hill, 2000.
8. Serra, L. (2001). Critérios Fundamentais em Fracturas e Ortopedia. 2ª Edição. Lidel.
9. Website: www.erc.edu
10. Material fornecido pelos docentes

Objetivos de aprendizagem:

Desenvolvimento da competência linguística e comunicativa dos alunos com o objectivo de assegurar uma comunicação eficaz numa pluralidade de situações sócio-profissionais. Consolidação de estruturas gramaticais e padrões previamente adquiridos. Identificação, crítica, comentário e produção de vários tipos de texto, através do desenvolvimento das capacidades de ouvir, compreender, analisar, discutir e resolver problemas em inglês. Desenvolvimento das capacidades críticas e reflexivas dos alunos, através de uma aprendizagem e gestão autónomas.

Conteúdos programáticos:

1. Anatomia Humana
1.1. Sistemas do Corpo
1.2. Terminologia médica
2. Medicina Dentária
2.1. Anatomia do dente
2.2. Especialidades em medicina dentária
2.3.Equipamento do Dentista
2.4. Saúde Oral
2.5. Problemas Dentários
2.6. Terminologia médica
3. Trabalho de Projeto

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os itens temáticos dos conteúdos programáticos visam como competências genéricas que os alunos comuniquem, compreendam e produzam mensagens em língua inglesa, tanto em contextos sociais, como profissionais, devendo ser capazes de utilizar a língua inglesa num conjunto de situações reais. Para este efeito, nesta unidade curricular, os estudantes são incentivados a adoptar uma atitude introspetiva e reflexiva, tendo em conta a realidade social e profissional na área da saúde.
É objetivo da unidade curricular levar os estudantes a melhorar as suas competências comunicacionais em inglês, de modo a que consigam utilizar esta língua na realização de diversos contactos interpessoais, em diferentes contextos socioprofissionais, de forma a permitir o desempenho profissional em contexto internacional. Com a componente de 'Trabalho de Projeto', pretende-se melhorar o trabalho de equipa, com utilização de uma segunda língua, especificamente em inglês.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teórico-práticas, com ênfase nas competências instrumentais: dialogar, ouvir, ler, compreender e produzir mensagens em língua inglesa. Avaliação contínua OU exame. A avaliação contínua é constituída por dois testes escritos e por um trabalho oral, a apresentar no final do semestre. A nota final resulta da ponderação das várias prestações escritas e orais do estudante, bem como da sua participação nas actividades propostas. O exame é constituído por 2 partes: escrito e oral. A oral é obrigatória sempre que o aluno obtiver 7,5 ou mais na componente escrita.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

De forma a potenciar as competências específicas dos estudantes, a metodologia adoptada (com ênfase na avaliação contínua de conhecimento) incentiva as aquisições de tipo instrumental, designadamente comunicar oralmente e por escrito, identificar e compreender mensagens, utilizando a língua inglesa num conjunto de situações socioprofissionais, bem como no acesso ao conhecimento.
As metodologias eminentemente práticas desta disciplina têm como objetivo levar os alunos a interpretar circunstâncias e fenómenos comunicacionais relativos aos diferentes contextos culturais e linguísticos, adquirindo experiência na recolha, identificação e interpretação de informação proveniente de diferentes contextos culturais, desenvolver deste modo a autonomia de trabalho em diferentes contextos culturais, levando a uma maior compreensão e adaptação a diferentes ambientes culturais em que a comunicação seja efectuada em língua inglesa.

Bibliografia:

Glendinning, E.H. and Holmström, B. (2005) English in Medicine – 3rd Edition. Cambridge: Cambridge University Press.
Glendinning, E.H. and Howard, R. (2007). Professional English in Use: Medicine. Cambridge, Cambridge University Press.
Grice, T. (2007).Oxford English for Careers: Nursing 1. Oxford, Oxford University Press.
Milner, M. (2006). English for Health Sciences. Boston, Thomson.
Murphy, R. (2019). English Grammar In Use Book With Answers And Interactive Ebook. A Self-Study Reference And Practice Book For Intermediate Learners Of English. Cambridge, Cambridge University Press.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

A Anatomia e Histologia Oral é estrutural num curso de Medicina Dentária, alicerce fundamental para o desenvolvimento de conveniente prática clínica.
Fornece bases para o raciocínio médico, favorece o desenvolvimento de competências relacionadas com a observação, descrição, interpretação e adopção de terminologia médica conveniente.
Pretende-se transmitir conhecimentos sólidos relativos à histologia oral e anatomia de cabeça e pescoço, sempre num contexto funcional.
O aluno deverá ser capaz de:
- utilizar termos anatómicos adequados;
- descrever, localizar e relacionar estruturas anatómicas relativas a: morfologia dentária, esplancnologia, osteologia, artrologia, miologia e neurologia de cabeça e pescoço;
- conhecer a formação da face e cavidade oral;
- descrever as diferentes fases do desenvolvimento dentário;
- descrever e interpretar a organização histológica do esmalte, dentina, polpa e periodonto, relacionando-a com as funções e características exibidas.

Conteúdos programáticos:

Anatomia oral (descrição de estruturas, localização e relações anatómicas)
Morfologia Dentária (Características dentárias internas e externas da dentição permanente e decídua).
Anatomia da cavidade oral/ Anatomia do Sorriso.
Osteologia da cabeça e pescoço; artrologia da cabeça e pescoço; miologia da cabeça e pescoço; Angiologia da cabeça e pescoço; Neurologia da cabeça e pescoço; Noções médico-legais das estruturas anatómicas da cavidade oral; Anatomia aplicada à medicina dentária.
Desenvolvimento e Histologia Oral
Desenvolvimento da face e cavidade oral. Desenvolvimento do dente e dos seus tecidos de sustentação; amelogénese; dentinogénese.
Estrutura dos tecidos orais: histologia do esmalte, dentina e do complexo pulpodentinário; alterações com a idade. Histologia do periodonto: cimento, ligamento periodontal e osso alveolar.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O conhecimento da Anatomia e Histologia Oral contribui para as bases do raciocínio em medicina dentária - é impossível a compreensão da anomalia ou variação sem um amplo conhecimento da normalidade.
Os conteúdos programáticos suportam os objectivos – a aquisição de conhecimentos sólidos no domínio da Anatomia e Histologia Oral – permitindo a correcta descrição anatómica dos diversos tecidos e estruturas orais, relacionando a sua estrutura com a sua organização histológica, bem como o conhecimento da sua evolução ao longo do tempo.
Sendo os conteúdos da unidade curricular extensos, será importante o desenvolvimento da capacidade observação, estruturação e esquematização de conhecimentos para uma rigorosa descrição/interpretação anatómica e histológica. O corpo docente propõe-se a apoiar este desenvolvimento junto de cada aluno. É proposto o início de um percurso científico no universo das Ciências Biomédicas e Dentárias, incentivando-se um espírito rigoroso, crítico e criativo.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A Unidade Curricular tem 5 créditos ECTS e as horas de contacto distribuídas por componente teórica (CT, 30 horas), prática laboratorial (PL, 30 horas), Orientação tutorial (OT, 15 horas) e outras (O, 15 horas).
CT consiste em aulas expositivas, descritivas e demonstrativas dos tópicos definidos nos conteúdos programáticos. PL consta de sessões de ensino em que serão observadas e interpretadas laminas histológicas, elaboradas esculturas e identificados dentes.
O regime de avaliação da unidade curricular é de avaliação contínua. Consiste i) realização 2 provas escritas, individuais e um trabalho de grupo em CT; ii) realização de 3 provas em PL. O aluno será declarado aprovado a cada componente se obtiver uma classificação final igual ou superior a 10 (dez) valores.
Serão consideradas a assiduidade do aluno de acordo com a Normativa Académica da Universidade Fernando Pessoa e a participação na sala de aula.
A classificação final resulta da ponderação de 80% de CT e de 20% PL.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Na CT serão lecionados os conteúdos programáticos recorrendo ao apoio de dispositivos multimédia. Serão expostos e debatidos em sala de aula os conceitos teóricos relevantes e orientado o estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada. Consiste em aulas expositivas de 90 minutos iniciadas por uma apresentação do sumário e finalizadas com uma síntese do tema e uma sessão de esclarecimento de dúvidas. Na primeira aula será apresentado o guião das aulas teóricas com a planificação das aulas por semana, os objectivos gerais e específicos por aula e competências a adquirir.
A PL é estruturada em articulação com a CT e consiste em aulas semanais de 90 minutos. Atendendo às características próprias da unidade curricular, os alunos, serão incentivados a desenvolverem um tipo de estudo contínuo (recorrendo à consulta de livros de texto e atlas de anatomia e histologia disponíveis na Universidade Fernando Pessoa) de forma a estimular a auto-aprendizagem.
As sessões de OT consistem em momentos de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar corretamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica relativos a temas descritos no programa da unidade curricular, fomentando a leitura científica, contacto com nomenclatura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica bem como a motivação para elaboração de apresentações científicas com metodologia de revisão.
As sessões O são livres e destinam-se a possibilitar ao aluno esclarecer estratégias de apresentação científica dos resultados da pesquisa efetuada no âmbito da Unidade curricular.
Serão realizadas reuniões periódicas entre os docentes da Unidade Curricular de forma a promover a constante articulação da equipa.

Bibliografia:

GOMES DE FERRARIS, CANPOS MUNOZ. (2019). Histologia, Embriologia e Ingenieria Tisular Bucodental, 4ª ed. Panamericana.
SHEID, R. & WEISS, G. (2020). Woelfel's Dental Anatomy , 9th ed. Jones e Bartlett Publishers Inc
SADLER, TW. (2018). Langman’s medical embryology, 14th ed.LWW.
BERKOVITZ, B., HOLLAND, G.R. & MOXHAM, B.J. (2017). Oral Anatomy, Histology and Embryology, 5th ed. Elsevier..
NANCI, A. (2017). Ten Cate's Oral Histology: Development, Structure, and Function, 9th ed. Elsevier.
MADEIRA, M. & RIZZOLOIO, R. (2014). Anatomia do dente. Sarvier.
FÍGUN, M.E. & GARINO, R.R. (2008). Dental Anatomy: functional and applied. Editorial El Ateneo.
FRIEDRICH PAULSEN & JENS WASCHKE (2018) Sobbota; Atlas of Human Anatomy. 24th edition, Elsevier
STRANDING, S. (2020). Gray’s Anatomy, 42 th edition , Elsevier.
DRAKE, R.L., VOGL, W., MITCHELL, A. (2019). Gray´s Anatomy for students, 4nd edition. Elsevier.

Objetivos de aprendizagem:

A unidade curricular de Fisiologia Geral estuda a função desempenhada no organismo humano pelos diferentes órgãos, aparelhos e sistemas que formam no seu conjunto o organismo e a forma como estes interagem na manutenção da homeostasia corporal. É objectivo da Fisiologia Humana transmitir aos estudantes uma terminologia, linguagem e conceitos novos, de modo a que eles adquiram uma base de conhecimentos que possam utilizar nos vários campos fisiológicos e aplicar posteriormente em unidades curriculares posteriores do curso e na futura vivência clínica.

Conteúdos programáticos:

1. Sistema Nervoso.
2. Sistema Cardiovascular.
3. Sistema Respiratório.
4. Sistema Digestivo.
5. Sistema Urinário.
6. Sistema Reprodutor.
7. Sistema Endócrino.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Com este programa pretende-se que o aluno se familiarize com os conceitos básicos anatómicos e funcionais da fisiologia humana: órgão e sistemas. O aluno deve ser capaz, progressivamente, de ir sistematizando estes conceitos e reconhecendo as propriedades básicas de cada sistema, e como é que este se comporta para manter a homeostasia orgânica. Será capaz também, de compreender a variedade de respostas fisiológicas a agressões diárias e algumas fisiopatologias associadas. Em paralelo com a apresentação global destes conceitos, de um ponto de vista prático o aluno deverá ser capaz de os integrar no contexto de técnicas básicas de regulação fisiológica e avaliação da integridade dos sistemas apontando as variadas alterações.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O período letivo compreenderá aulas teóricas e práticas laboratoriais. Para estas aulas recorrer-se-á à utilização de material didático, incluindo material de ensino assistido por computador (programas de simulação), textos de apoio desenvolvidos pelos docentes e outras ferramentas disponibilizadas através da plataforma de e-learning.
A aprovação à componente teórica será certificada através da realização de dois testes escritos, cuja classificação média terá que ser de 10 valores, no mínimo e terá uma ponderação de 80% da nota final da unidade curricular. A aprovação à componente prática laboratorial será certificada pela realização de 2 testes escritos a realizar durante as aulas práticas. A classificação mínima para a sua aprovação será de 10 valores e terá uma ponderação de 20% na nota final da unidade curricular.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Componente teórica: Visam a aquisição do conhecimento técnico-científico geral e específico desta UC, bom nível de comunicação escrita e uma boa capacidade de relacionamento de conceitos. O aluno e a docente irão discutir a informação contida no livro de texto adoptado, e os conceitos transmitidos; serão colocadas questões curtas e feita a avaliação do progresso dos alunos com o recurso a testes. Componente prática: Visam melhorar a compreensão e aprofundar o conhecimento técnico-científico do aluno sobre tópicos específicos do programa, bem como melhorar a capacidade de operacionalidade, quer nos processos de organização e execução do trabalho quer do raciocínio laboratorial.

Bibliografia:

1. Barret KE, Boitano S, Barman SM, Brooks HL (2012) Ganong`s Review of Medical Physiology. 24th Ed. McGraw-Hill Lange.
2. Fox SI (2018) Human Physiology. 15th Ed. New York: McGraw-Hill.
3. Guyton AC; Hall JE (2011) Textbook of Medical Physiology. 12th Ed. London: Elsevier.
4. Stanton BA e Koeppen BM (2017) Berne and Levy Physiology 7th Ed Elsevier
5. Zao P, Stabler T, ,Smith L, Lokuta A, Griff E (2013) PhysioEx 9.1 for Human Physiology: Laboratory Simulations in Physiology. Pearson Benjamin Cummings.

Objetivos de aprendizagem:

Faz uma abordagem detalhada da importância biológica do DNA como material genético, o seu papel fulcral nos processos biológicos, e a sua importância fundamental na determinação das características do organismo e na transmissão genética. Pretende-se assim focar os principais mecanismos envolvidos nos eventos que conduzem à perpetuação da vida - replicação, transcrição e tradução - em seres procariotas e eucariotas. Dá-se, ainda, a conhecer os meios causadores de alterações genéticas e os sistemas celulares de reparação dessas alterações, assim como o modo de regulação da expressão dos genes em procariotas e eucariotas.
Relaciona ainda a transmissão genética com as leis que governam a transmissão de características de pais para filhos. Explica os vários tipos de hereditariedade mendeliana ou poligénica, ligada ou não ao sexo, com influência ou não de outros fatores para além do genoma.

Conteúdos programáticos:

Introdução. Material genético: estrutura e replicação. Estrutura do DNA e dos cromossomas e replicação. Mutações cromossómicas e doenças associadas. Propriedades moleculares dos genes. Transcrição e modificações do RNA. Tradução. Regulação da expressão genética em procariotas e em eucariotas. Mutação genética e reparação do DNA. Tipos de Hereditariedade. Transmissão de características: Herança Mendeliana. Extensões e exceções às leis de Mendel. Relação com o sexo. Análise genética de indivíduos e populações. Genética quantitativa. Genética populacional. Tecnologia de DNA recombinante. Biotecnologia.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos que integram a unidade curricular vão de encontro às necessidades que são estabelecidas nos objetivos, pois fornece aos alunos os ensinamentos necessários (conceitos, técnicas, metodologias) para que sejam capazes de atingir os objetivos enunciados anteriormente.
Toda a informação fornecida tem como objetivo sensibilizar os alunos para a importância dos tipos de herança de doenças genéticas e de como identificá-las, assim como o conhecimento detalhado da estrutura dos ácidos nucleicos e do seu papel no organismo.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

As metodologias a utilizar são os métodos expositivo, dedutivo e indutivo. É utilizada também a metodologia por simulação pedagógica, isto é, o processo de ensino/aprendizagem é realizado em condições próximas da realidade laboratorial. Os alunos resolverão casos práticos, semelhantes às situações que irão ter na sua vida profissional, os quais permitirão, recorrendo a diversas técnicas analíticas, desenvolver o seu espírito crítico.
A avaliação da unidade curricular integra, além de uma avaliação contínua, o desempenho do aluno no laboratório.
70% teórica (2 testes) e 30% avaliação prática

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os objetivos da unidade curricular são alcançados pela utilização da metodologia referida uma vez que a componente expositiva confere uma orientação na sistematização do estudo e a exercitação prática promove a aplicação prática dos conceitos e das teorias estudadas no âmbito da unidade curricular. Para além disso, a utilização de um conjunto de materiais de estudo criado propositadamente, assim como as sessões de apoio para esclarecimento de dúvidas e as atividades de avaliação de conhecimentos, permitem um elevado nível de ajustamento entre as metodologias utilizadas e os objetivos da unidade curricular.
A adoção das metodologias preconizadas permitirá aos alunos: adquirir conhecimentos; descobrir métodos de trabalho a utilizar; assumir comportamentos profissionais; detetar a importância da atividade desenvolvida no contexto laboratorial; aplicar os conhecimentos em situações novas; suscitar uma discussão permanente nas aulas.

Bibliografia:

(1) Brooker R.J., 2012, “Genetics: analysis and principles”, 4.ª edição, McGraw Hill.
(2) Griffiths A.J.F. et al., 2007, “Introduction to genetic analysis”, 9.ª edição, Freeman and Company, New York.
(3) Lewis R., 2012, “Human Genetics: concepts and applications”, 10.ª edição, McGraw Hill.
(4) Read A., Donnai D., 2007, “New Clinical Genetics”, 1.ª edição, Scion Publishing Ltd.
(5) Regateiro F.J., 2003, “Manual de Genética Médica”, 1.ª edição, Imprensa da Universidade de Coimbra.
(6) Turnpenny P., Ellard S, 2017, “Emery's Elements of Medical Genetics”, 15ª edição, Elsevier.

Objetivos de aprendizagem:

- Compreender a definição de microrganismo
- Relacionar a importância da Microbiologia na MED e em outras áreas
– Distinguir um microrganismo procariótico de um eucariótico, identificando as características estruturais e funcionais dos microrganismos procarióticos versus eucarióticos.
– Compreender a importância dos fungos em medicina dentária (MED) e identificar os mecanismos dos antifúngicos em MED: Caracterização da candidose oral.
–Identificar as características gerais dos vírus.
–Identificar os fatores que influenciam o crescimento e metabolismo dos microrganismos.
–Identificar e descrever os mecanismos de ação dos diferentes agentes antimicrobianos e suas resistências.
–Caracterização do microbioma Humano.
–Compreender a ecologia oral: o microbioma oral.
–Caracterizar microbiologicamente os principais agentes das infeções orais: cárie, doença periodontal.
–Compreender a importância das infeções cruzadas em MED e caracterizá-las.

Conteúdos programáticos:

O programa da disciplina de Microbiologia Geral irá abordar os conceitos base e fundamentais sobre o mundo microbiológico e da ecologia oral na microbiologia das infecções da cavidade oral.
- Importância da Microbiologia no mundo e nas diferentes áreas de aplicação
- História da Microbiologia e a Taxonomia microbiana
-Diferenciar e identificar as características estruturais dos microrganismos eucariotas e procariotas e dos virus
-Identificar os factores que influenciam o crescimento e nutrição dos microrganismos
-Identificar os factores de virulência microbianos
- O microbioma humano.
- Identificar e diferenciar as defesas inatas e adquiridas do Hospedeiro
- Os agentes antimicrobianos e os mecanismos de resistência bacterianos.
- O Microbioma oral
- As infecções microbianas da cavidade oral: cáries e doença periodontal. A candidose oral.
- As infecções cruzadas em Medicina dentária

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos estão totalmente de acordo com os objetivos da unidade curricular. A carga horária de cada um dos conteúdos está também adequada à aprendizagem dos objetivos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Exposição e debates dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula, e orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada. Pesquisa orientada sobre questões pertinentes relacionadas com a matéria exposta em sala de aula. Realização de dois testes teóricos de avaliação contínua. Relativamente à componente laboratorial a aprendizagem resulta da execução laboratorial dos trabalhos que reforçam a aprendizagem teórica. Realização de dois testes laboratoriais de avaliação contínua.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino (exposição teórica, debate e orientação do estudo autónomo e trabalho laboratorial) estão totalmente de acordo com o objetivo da unidade curricular. A carga horária de cada um dos conteúdos está também adequada à aprendizagem dos objetivos.

Bibliografia:

Ferreira, W.F.C. and Sousa, J.C. – Microbiologia LIDEL, 2010
Barroso, H., Silvestre A., Taveira, N. Microbiologia Médica, Vol. 1 e Vol.2. 2014. LIDEL
Madigan, M. T., Martinko, J. M., Parker, J. 2017. BROCK BIOLOGY OF MICROORGANISMS. Global ed. Prentice Hall. International edition.
Prescott, L., Harley, J.P., Klein, D.A .2010 – Microbiology. 8ª ed. McGraw-Hill. .
Sousa, J.C. – Manual de antibióticos antibacterianos – 2ª edição – Edições UFP, 2007
Ferreira, W.F.C. and Sousa, J.C. – Microbiologia (vol. 2) – LIDEL, 2000
Ferreira, W.F.C. and Sousa, J.C. – Microbiologia (vol. 3) – LIDEL, 2002
Sousa, J.C., Cerqueira, F., Abreu, C. – Microbiologia. Protocolos laboratoriais – Edições UFP, 2012
Samaranayake, L., Essential Microbiology for Dentistry. 5ª Ed. 2018. Elsevier.

Objetivos de aprendizagem:

OA1- Compreender o papel da epidemiologia na prática clínica e na saúde pública e das medidas profiláticas, a nível individual e coletivo;
OA2- Descrever as medidas de saúde e doença, saber calculá-las e aplicá-las de forma correta;
OA3- Descrever os principais desenhos epidemiológicos, indicar a sua correta aplicabilidade e interpretar seus resultados. Saber diferenciar na prática os principais desenhos epidemiológicos;
OA4- Conhecer os passos de uma investigação epidemiológica. Diferenciar os tipos de erros mais comuns; compreender o conceito de validade dos dados; explicar o conceito de variável de confusão. Reconhecer os erros mais comuns em estudos epidemiológicos;
OA5- Definir os conceitos e as aplicações mais comuns de associação estatística e de causalidade. Compreender o significado dos diferentes postulados no estudo da causalidade;
OA6- Descrever as características de um programa de deteção precoce. Estimar os principais índices de provas diagnósticas e de deteção precoce.

Conteúdos programáticos:

CP1. Importância da epidemiologia na saúde. História e conceito. Objetivos e usos da epidemiologia. História natural da doença. Profilaxia e medidas profiláticas. Epidemiologia na prática clínica e na saúde pública.
CP2. Medir saúde e doença: medidas de frequência (prevalências; probabilidade de incidência e taxa de incidência); medidas de associação (OR, RR e r).
CP3. Tipologia de investigação epidemiológica: Estudos experimentais, quase-experimentais e observacionais (descritivos e analíticos). Atuação profissional baseada na prova científica (evidência).
CP4. Planeamento dos estudos - alguns desafios: erros sistemáticos; erros aleatórios; confundimento. Validade da informação.
CP5. Inferência causal. Modelos e critérios de causalidade.
CP6. Introdução à epidemiologia clínica. Diagnóstico e provas de diagnóstico: características operacionais do teste e valores preditivos positivo e negativo. Rastreio: definição e critérios.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

CP1. Importância da epidemiologia e da profilaxia na saúde.
Visa atingir OA1
CP2. Medir saúde e doença.
Visa atingir OA2
CP3. Tipologia de investigação epidemiológica.
Visa atingir OA3
CP4. Planeamento dos estudos.
Visa atingir OA4
CP5. Inferência causal.
Visa atingir OA5
CP6. Introdução à epidemiologia clínica.
Visa atingir OA6.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

M1 - Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático (textos de apoio desenvolvidos pelo docente, artigos científicos ou outros de utilização livre e fichas de trabalho) que será disponibilizado aos alunos.
M2 - O material disponibilizado servirá de apoio para os estudos baseados em problemas que se introduzirá como ferramenta de ensino-aprendizagem.
M3 - Atividades de pesquisa autónoma que serão baseadas em questões de desenvolvimento e pesquisa.
M4 - Desenvolvimento de atividades de síntese dos conteúdos básicos, após exposição oral, onde os alunos terão um envolvimento pró-ativo.
Avaliação
Será constituída por 2 provas de avaliação sumativas (50% cada da classificação final), com ambas as componentes (T+TP, de igual ponderação). O aluno deverá obter média final igual ou superior a 9,5 valores. A percentagem mínima de frequência nas aulas é a estabelecida no Regulamento Pedagógico.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

M1 - Utilização da plataforma de e-learning para armazenar material didático (textos de apoio desenvolvidos pelo docente, artigos científicos ou outros de utilização livre e fichas de trabalho) que será disponibilizado aos alunos. Para a prossecução de todos os objetivos.
M2 - O material disponibilizado servirá de apoio para os estudos baseados em problemas que se introduzirá como ferramenta de ensino-aprendizagem. Para a prossecução dos OA2, OA3 e OA6
M3 - Atividades de pesquisa autónoma que serão baseadas em questões de desenvolvimento e pesquisa. Para a prossecução dos OA1, OA4, OA5
M4 - Desenvolvimento de atividades de síntese dos conteúdos básicos, após exposição oral, onde os alunos terão um envolvimento pró-ativo. Para a prossecução de todos os objetivos.
A. Aulas Teóricas
A.1. Descrição: Exposição de forma atualizada, descritiva e organizativa (tipo “lectures”) apoiada em bibliografia (“material de estímulo”) sobre conceitos, teorias e postulados que estão na base dos conteúdos programáticos. Os alunos são convidados a responder a questões, a expressarem e fundamentarem a sua opinião e a contribuir, sendo a sua criatividade estimulada.
A.2. Objetivo: Fornecimento de conhecimentos para o desenvolvimento das competências da unidade curricular.
A aplicação das metodologias de ensino adotada para a componente teórica visa a aquisição e consolidação de conhecimento no domínio técnico-científico da unidade curricular, a melhoria da capacidade de aplicação dos conceitos à resolução de problemas práticos e a orientação do aluno para a aprendizagem autónoma.
B. Aulas Teórico-Práticas
B.1. Descrição: Combinam a dimensão teórica com a dimensão empírica no sentido de conjugar, sempre que possível, as conceções teóricas com a aplicabilidade prática.
B.2. Objetivo: Desenvolver aprendizagens contextualizadas em torno de questões fulcrais.
A aplicação das metodologias de ensino adotadas para a componente teórico-prática visa melhorar especificamente a capacidade de resolução de problemas, o treino dos cálculos implícitos e a identificação dos conceitos em cenário real. Adicionalmente, pretende-se também melhorar a interpretação e a análise crítica de resultados e da literatura científica, estimular os hábitos de pesquisa e a autoaprendizagem.
Deste modo, a interligação e complementaridade entre as componentes desta unidade curricular proporcionam um balanço ajustado entre os princípios teóricos e a sua aplicação mais prática permitindo o desenvolvimento integrado de aptidões e competências na área da epidemiologia. A abordagem dos temas articulando momentos de intervenção estruturada por parte dos docentes com períodos de apreciação coletiva em torno das questões em estudo e, de trabalho individual, pretende acentuar o facto de o desenvolvimento de aptidões e competências ser um processo holístico e contínuo de aprendizagem com um forte contributo de empenho e reflexão pessoal.

Bibliografia:

1. Gordis L. Epidemiology. 6 th ed., Elsevier Saunders, 2018. ISBN: 9780323552295.
2. Greenberg RS et al. Medical Epidemiology: Population Health and effective health care, 5th ed., McGraw Hill, 2015.
3. International Epidemiological Association. A Dictionary of Epidemiology. Porta M (Editor). 6th ed., Oxford University Press. 2014. ISBN-13: 978-0199976737.
4. Friedman, GD. Primer of Epidemiology, 5th ed. McGraw-Hill, 2004.
5. Beaglehole, R; Bonita, R; Kjellström, T. Basic Epidemiology, 2nd ed., WHO, 2006.
6. Hernández-Aguado, I; Gil, MA; Delgado-Rodriguez, M; Bolumar-Montrull, F. Manual de Epidemiologia y Salud Publica para Licenciaturas y Diplomaturas en Ciencia de la Salud, 2ª ed., Editorial Médica Panamericana, 2011.

Objetivos de aprendizagem:

A unidade curricular visa preparar os alunos para (OA1) identificar e compreender os fatores e processos psicológicos determinantes do comportamento humano e (OA2) conhecer as especificidades de alguns quadros clínicos importantes para a atuação do médico dentista. Pretende-se, ainda, (OA3) sensibilizar os alunos com as questões da comunicação e desenvolver competências promotoras da relação médico-paciente.
Quanto às competências, a unidade curricular pretende aumentar e melhorar a capacidade de compreensão e articulação dos aspetos psicológicos e de comunicação do comportamento humano presentes na relação do profissional da saúde com o seu paciente, em consultório ou clínica.

Conteúdos programáticos:

CP1. Comunicação em contextos de saúde
1.1. Comunicação verbal e não-verbal
1.2. Estilos de comunicação e relação interpessoal
1.3. Comunicação eficiente em Medicina Dentária
CP2. Psicopatologia da infância e adolescência
2.1. II/PDI – Incapacidade Intelectual/Perturbação do Desenvolvimento Intelectual – a trissomia 21
2.2. PEA - Perturbação do Espetro do Autismo
2.3. PHDA – Perturbação de Hiperatividade /Défice de Atenção
2.4. PEC - Perturbações Emocionais e do Comportamento (Depressão e Ansiedade; Perturbação Desafiante de Oposição)
CP3. Psicopatologia e neuropatologia da idade adulta e da terceira idade
3.1. Perturbações mais comuns da idade adulta
3.1.1. Perturbações da ansiedade
3.1.2. Perturbações depressivas
3.1.3. Perturbações da adição e perturbações relacionadas com substâncias
3.2. Perturbações mais comuns da terceira idade
3.2.1. Perturbações neurocognitivas
3.2.2. Perturbações depressivas
3.2.3. Perturbações da ansiedade

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos (CP) foram delineados em função dos objetivos de aprendizagem (OA) da unidade curricular no sentido de promover junto dos alunos o desenvolvimento de competências que lhes permitam aprofundar conhecimentos, bem como analisar e refletir de modo crítico sobre a intervenção médico dentista junto de pacientes com psicopatologia. Assim:
O CP1 corresponde ao OA3.
Os CP2 e CP3 correspondem aos OA1 e OA2.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teóricas e teórico-práticas - Metodologia expositiva e participativa com apresentação de casos clínicos. Apresentação, análise e discussão dos temas nas aulas, orientação nas reflexões críticas e na pesquisa e leitura de bibliografia especializada.
O regime de avaliação nesta unidade curricular é o de avaliação contínua. Consiste na realização de duas avaliações escritas, com uma ponderação de 50% cada. Serão consideradas a assiduidade do aluno de acordo com a Normativa Académica do Funcionamento das Licenciaturas e Mestrados Integrados da Universidade Fernando Pessoa e a participação na sala de aula. O aluno será declarado aprovado se obtiver uma classificação final igual ou superior a 10 (dez) valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A metodologia utilizada nas aulas teóricas e teórico-práticas permite obter junto dos alunos um aprofundamento de conhecimentos, bem como uma maior compreensão e capacidade de discussão sobre os conteúdos abordados, facilitando o relacionamento dos mesmos para a atuação do médico dentista no atendimento de pacientes com psicopatologia ou neuropatologia.

Bibliografia:

APA (2014). DSM-5 Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais. Climepsi.
Hussain et al. (2013). Dental Management of Patients with a History of Substance Abuse with Special Consideration for Addicted Pregnant Women and Addicted Dental Care Providers. Disponível em www.oralhealthgroup.com
IHI – Institute for Healthcare Improvement (2020). Ask Me 3: Good Questions for Good Health. Disponível em http://ihi.org/resources/Pages/Tools/Ask-Me-3-Good-Questions-for-Your_Good-Health-aspx
Kurtz, S. et al. (2005). Teaching and learning communication skills in medicine(2nd ed.). Radcliffe Publishing.
Norton et al (2016). Saúde oral em crianças portadoras de problemas de neurodesenvolvimento. Project: Oral Health in Special Patients.
Santiago, E. (2008). A saúde oral na doença de Alzheimer. Arquivos de Medicina, 22(6):189-93.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

(i) Adquirir as bases teóricas e metodológicas de trabalho/investigação em Antropologia e sociologia da saúde;
(ii) Adquirir, desenvolver e aprofundar conhecimentos e capacidades que permitam discutir e avaliar a alteração de paradigma na análise da saúde e da doença, tanto nos espaços sanitários como nas comunidades sociais.
(iii) Ser capaz de trabalhar o corpo, as diferentes partes que o compõem e sua simbólica, no âmbito cultural e social.
(iv) Desenvolver uma capacidade critica em relação às politicas de saúde, discernindo nelas as suas bases ideológicas, culturais, para a construção

Conteúdos programáticos:

1ª Unidade - Introdução. Apresentação da Unidade Curricular. Metodologias de Trabalho e de Avaliação. 1. Antropologia, Sociologia e Saúde. 1.1. Uma abordagem critica ao conceito de Saúde como legitimação da pertinência da Antropossociologia da Saúde.1.2. Os principais conceitos e os fundamentos da Antropologia e da Sociologia. As metodologias de investigação e trabalho nas ciências sociais e a sua utiização no campo sanitário.1.3. A Antropologia e a Sociologia no campo da Saúde. 1.3.1 Os fundamentos. 1.3.2.Uma perspetiva histórica. 1.3.3. O modelo biomédico. 1.3.4. O modelo sociomédico. 1.3.5. A dimensão social e cultural dos conceitos de saúde e doença
2ª Unidade – 2. A centralidade do corpo. Uma antropologia e sociologia do corpo. 2.1. a perspectiva naturalista. 2.2. a perspectiva construtivista. 2.3. a perspectiva fenomenológica. 2.4. O corpo e as emoções; a dor e o sofrimento. 2.4. o corpo enquanto projecto.
3.ª Unidade – 3. A experiência social da doença. 3.1. A influência da

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

"Unidade. 1 O seu conteúdo privilegia o aprofundamento de matérias teóricas específicas da antropologia e sociologia da saúde. Os discentes adquirem assim os conceitos básicos e um campo de reflexão mais vasto para a abordagem da problemática da saúde.
Unidade 2 – O seu conteúdo contempla os grandes temas que tratam a relação entre o corpo, a doença, a prática médica e as expressões socioculturais e emocionais.
Unidade 3 – O seu conteúdo transmite aos discentes os principais problemas que enfrenta a sociedade na sua relação com a saúde nas Instituições médicas. Tem-se em particular atenção a influência das estruturas sociais, bem como a experiência vivida da doença.
Unidade 4 – O seu conteúdo dará atenção às teorias que informam os sistemas de saúde e às politicas sociais de acesso à saúde.
Unidade 5 – Esta unidade ajuda os discentes a ter uma análise crítica à organização institucional da saúde, desde as estruturas hospitalares às profissões que actuam no campo sanitário.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova escrita de avaliação, na execução de um trabalho prático, na apresentação e discussão oral desse trabalho, assim como na pontualidade e a assiduidade do aluno.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1- Exposição teórica de conteúdos caracterizadores da área de trabalho; Debate individual e em grupo de casos para distintas problemáticas da saúde.
Unidade 2 - Exposição teórica de conteúdos para caracterização de cada temática. Discussão e apresentação oral de fichas de leitura. Integrar exemplos e situações que esclareçam os assuntos em análise. Revelar capacidade de comunicação oral e escrita dos conteúdos trabalhados
Unidade 3 – Exposição teórica de conteúdos para caracterização de cada temática. Discussão e apresentação oral de fichas de leitura. Integrar exemplos e situações que esclareçam os assuntos em análise. Revelar capacidade de comunicação oral e escrita dos conteúdos trabalhados
Unidade 4 – Exposição teórica de conteúdos para caracterização de cada temática. Discussão e apresentação oral de fichas de leitura. Integrar exemplos e situações que esclareçam os assuntos em análise. Revelar capacidade de comunicação oral e escrita dos conteúdos trabalhados
Unidade 5 – Exposição teórica de conteúdos para caracterização de cada temática. Discussão e apresentação oral de fichas de leitura. Integrar exemplos e situações que esclareçam os assuntos em análise. Revelar capacidade de comunicação oral e escrita dos conteúdos trabalhados.

Bibliografia:

ABREU, W.C. (2003). Saúde, doença e diversidade cultural. Lisboa: Piaget
ALVES, F. (2013), Saúde, Medicina e Sociedade. Uma visão sociológica, Lisboa, Pactor.
BARROS, P. (2013), Pela sua Saúde, Lisboa. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.
BISSONNETTE, L. et al. (2012). Neighbourhoods and potential access to health care: The role of spatial and aspatial factors. Health & Place 18: 841–853.
Campelo, A.(2020). Preschool Children’s Emotional Understanding of Death: A Forgotten Dimension. Acta Médica Portuguesa, Vol. 33 (10), pp. 649-656.
- 2020. Como se faz o corpo. A construção da Antropologia: da antropologia física à antropologia da saúde.In V.O. Jorge (Coord,). Modos de Fazer / Ways of Making. Porto: Universidade do Porto - CITCEM. pp. 137-158.
- 2016. "Da mortificação do corpo sadio, à exibição do corpo monstruoso.", A Falar de Viana 5, 5: 137 - 149.
Varela, R. (2019). História do Serviço Nacional de saúde em Portugal. Lisboa. ED. Âncora.

Objetivos de aprendizagem:

Com esta unidade curricular pretende-se aprofundar os conhecimentos de anatomia do Aparelho Estomatognático e relacioná-los com a aprendizagem das funções normais e a mecânica do mesmo. Pretende-se, ainda, a aquisição de conceitos básicos de oclusão dentária e a teoria e prática relativas ao uso de articuladores em Medicina Dentária.

Conteúdos programáticos:

Anatomia Funcional e Biomecânica do Sistema Estomatognático.
Neuroanatomia funcional e Fisiologia do Sistema Estomatognático.
Posicionamento e Oclusão Dentária.
Mecânica do Movimento Mandibular. Tipos de movimento.
Critérios para uma oclusão funcional ideal.
Determianntes da morfologia oclusal.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teórica serão ministradas tendo em vista a obtenção do maior conhecimento sobre anatomia e fisiologia do aparelho estomatognático, assim como sobre oclusão dentária.
Nas aulas práticas laboratoriais, os conhecimentos adquiridos na teórica são postos em prática através de trabalhos e exercícios variados.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Ensino teórico (T) complementado por prática laboratorial (PL). Este ensino será apoiado por ensino tutorial (OT) de acompanhamento aos conhecimentos adquiridos em ambas as componentes e por outras actividades (O) entre elas de investigação.
A componente Teórica será avaliada por uma prova escrita no final do semestre ou por exame final. A avaliação na componente Prática Laboratorial será realizada de forma contínua. Nesta unidade curricular a avaliação teórica tem uma ponderação de 80% na nota final e a avaliação prática laboratorial de 20% da nota final. A classificação mínima de aprovação em cada uma destas componentes é de 10 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas com carácter expositivo e complementadas por bibliografia adequada, têm como objectivos que o aluno adquira os conhecimentos básicos de anatomia do Aparelho Estomatognático e relacioná-los com a aprendizagem das funções normais e a mecânica do mesmo, assim como obtenção de conhecimentos básicos de oclusão dentária.
As aulas práticas laboratoriais com carácter demonstrativo, seguida pela realização pré-clínica dos diferentes trabalhos pelos alunos, têm como objectivo que o aluno seja capaz de identificar estruturas anatómicas em crânios artificiais, realizar montagem de modelos em articulador semi-ajustável, analisar contactos oclusais e realizar enceramentos dentários. As aulas de Orientação tutorial (OT) consistem em sessões de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar corretamente bibliografias e desenvolver métodos de pesquisa científica para suporte dos conteúdos leccionados nas outras componentes. As outras (O) sessões, são livres, e destinam-se a possibilitar ao aluno, se quiser, a aprofundar metodologia de investigação científica no âmbito do Aparelho Estomatognático.

Bibliografia:

1. Avery JK, Steele PF. Essentials of Oral Histology and Embriology – a clinical approach. St. Louis: Mosby-Year Book, 2000.
2. Guyton AC, Hall JE. Textbook of Medical Physiology.12th ed. McGraw-Hill, 2011.
3. Ide Y, Yoshinobu, Nakazawa K. Anatomical Atlas of Temporomandibular Joint. Tokyo: Quintessence.
4. Miles TS, Nauntofte B, Svensson P. Clinical Oral Physiology. Copenhagen : Quintessence, 2004.
5. Okeson JP. Management of Temporomandibular Disorders and Occlusion. 7th ed. St. Louis: Mosby-Year Book, 2013.
6. Santos Jr J. Oclusão clínica – Atlas colorido. São Paulo: Livraria Santos.
7. Sobotta Atlas de Anatomia Humana – 23ª ed. vol.1. Guanabara-Koogan. 2013.
8. Williams P, Warwick RD, Dyson M, Bannister LH. Gray Anatomia - 40ª ed. Guanabara-Koogan. 2010.

Objetivos de aprendizagem:

Identificar os principais momentos de evolução da Saúde Pública e integrar o conceito de Cuidados de Saúde Primários. Identificar os principais mecanismos de controlo químico e mecânico dos biofilmes orais e sua relação com a saúde oral. Conhecimento de métodos e técnicas preventivas e terapêuticas de contenção de lesões de cárie e erosão. Identificar e reconhecer a patologia cárie e erosão, como entidades: patológica epidemiológica e clínica. Reconhecer o processo de desmineralização e remineralização dos tecidos dentários duros. Adquirir conhecimento, competências e aptidões particularmente quanto às evidências atuais sobre etiologia, fatores e indicadores de risco, patogénese, fisiopatologia, fatores de modelação que envolvem o hospedeiro, o biofilme, os agentes microbianos, os fatores nutricionais/ambientais, características físico-químicas para deteção de lesões e métodos de atuação quanto a agentes remineralizantes das estruturas dentárias duras.

Conteúdos programáticos:

Introdução à Saúde Pública. Evolução das principais medidas de prevenção das doenças. Controlo químico e mecânico dos biofilmes orais. Selantes de fissuras; Conceitos sobre desenvolvimento e crescimento das estruturas dentárias duras (macroscópico, microscópico e molecular). Etiologia, patogénese e fatores modificadores das desordens dos tecidos dentários duros (cárie e erosão). Fisiopatologia das desordens dos tecidos dentários duros. Mecanismos e processos dinâmicos (resposta do hospedeiro à carie e erosão) ao nível macroscópico, microscópico e biomolecular. Eventos bioquímicos no biofilme relacionados com a cárie dentária. Interferência da dieta e nutrição. Relação entre os fatores etiológicos primários. Fluoretos. Epidemiologia das desordens dos tecidos duros dentários e diagnóstico epidemiológico. Princípios fundamentais da avaliação e deteção do risco de desordens dos tecidos dentários duros.Educação para a saúde e Literacia em saúde.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade Letiva I-Teórica e Outras (2 ECTS)- Desenvolvimento e crescimento das estruturas orais. Etiologia, patogénese e fatores modificadores das desordens dos tecidos dentários duros: Cárie Dentária e Lesões químico-mecânicas. Eventos bioquímicos no biofilme. Susceptibilidade do Hospedeiro. Eventos bioquímicos na Saliva. Epidemiologia e diagnóstico clínico. Unidade Letiva II-Teórico-prática e Orientação Tutorial (3 ECTS) Evolução das principais medidas de prevenção das doenças e marcos históricos da saúde pública. A moderna saúde pública. Intervenção em Saúde Pública Oral e em Medicina Dentária Preventiva e Comunitária, Promoção da Saúde-Educação para a Saúde-Literacia Sanitária. Fluoretos: administração sistémica, aplicação tópica e toxicologia. Selantes de fissuras: evidência científica e protocolos de aplicação clínica. Controlo químico e mecânico dos biofilmes orais: características, funções e indicações terapêuticas. Técnicas de escovagem dentária.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A unidade curricular estará dividida nas componentes Teórica:15h, Teórico-prática:30h Orientação Tutorial: 7,5h e Outros 7,5h. O sistema de avaliação contínua compreende a realização de 1 teste escrito para a avaliação dos conhecimentos adquiridos sobre os conteúdos teóricos (40%) e teórico-práticos (60%) lecionados durante o semestre. A classificação mínima de aprovação por avaliação contínua é de 9,5 valores. A não obtenção de classificação mínima de 9,5 V no teste escrito remete o aluno para exame de fim de semestre em data a ser fixada no cronograma académico. A distribuição de créditos é de 5 ECTS. As competências a atingir em cariologia correspondem a 2 ECTS e em higiene e cuidados primários: 3 ECTS. O regime de assistência às aulas é o adotado no Regulamento Pedagógico em vigor.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas (T; 15 horas; 1 hora semanal) destinam-se a expor e a atualizar, de forma descritiva e organizativa, os conceitos, teorias e postulados fundamentados nos conteúdos programáticos que, apoiados numa bibliografia, visam desenvolver competências científicas, no âmbito de patologias dos tecidos dentários duros, em particular da cariologia, e futuramente competências profissionais nos alunos;
As aulas teórico-práticas (TP; 30 horas; 2 horas semanais) pretendem desenvolver por método expositivo e ilustrativo um conjunto de conhecimentos, enquadradas com actividades práticas que permitam identificar os diferentes dispositivos e compostos disponíveis para o controlo da higiene oral, bem como, capacitar o aluno para a mais adequada decisão sobre a prescrição clínica dos mesmos.
As aulas de Orientação tutorial (OT; 7.5 horas) consistem em sessões de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar corretamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica temas descritos no programa desta unidade curricular, fomentando a leitura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica e contacto com nomenclatura científica, bem como a motivação para elaboração de apresentações científicas com metodologia de revisão. As outras (O; 7.5 horas) sessões, são livres, e destinam-se a possibilitar ao aluno esclarecer metodologias de apresentação científica dos resultados de pesquisa que efetua no âmbito da Unidade curricular.

Bibliografia:

Harris, N. et al. Primary Preventive Dentistry. Person Health Science, 7thEdition. 2009.New Jersey. Mason, J. Concepts of Dental Public Health. Williams &Walkings Ed. 2004. Oxford.Pine CM., Harris, R. Community Oral Health. Ed. Quintessence, 2007. London. Wilkins, EM. Clinical Practice of the Dental Hygienist. Lippincott Williams & Walkings Ed. 9th ed. 2016. Oxford. Williams R. et al. An evaluation of a school-based dental sealant programme. In J Dent Hyg. 2018;16(2):e65-e72. Wright JT. et al. Evidence-based Clinical Practice Guideline for the Use of Pit-and-Fissure Sealants. AAPD, ADA. Pediatr Dent 2016;38(5):E120-E36. Hara et al. The caries Environment: Saliva, pellicle, diet, and hard tissue ultrastructure. Dent Clin N Am. (2010) 455-467. Fejerskov O. and Nyvad B. Dental caries: The disease and its clinical management. Edwina Kidd, 2015. Wiley-Blackwell. Andersen P. et al. A European Core Curriculum in Cariology: the knowledge base. Eur J Dent Educ.(2011):18–22.

Objetivos de aprendizagem:

Demonstração de conhecimento das propriedades, produção e interações das radiações ionizantes e da radioproteção, efeitos biológicos e riscos associados aos raios X, valores e unidades de dose de radiação. Aquisição de conhecimentos de semiologia radiográfica, relativamente à ampla variação da normalidade, interpretação de patologias da área e controlo pos-operatório de ratamentos realizados. Proporcionar competências no estudo e recolha de imagens através de técnicas imagiológicas intra-orais. Integração das técnicas imagiológicas no diagnóstico e tratamento do paciente em medicina dentária.

Conteúdos programáticos:

História da radiologia. Física atómica e radioatividade. Interação da radiação com a matéria. Geometria da Projeção das Imagens. Efeitos Físicos das Radiações Ionizantes. Radioproteção e possíveis efeitos biológicos nocivos da utilização da radiação ionizante. Protecção radiológica: princípios gerias, pacientes e trabalhadores.Técnicas radiográficas Intra-orais. Acessórios Radiográficos e Química da Revelação/Processamento laboratorial. Anatomia radiográfica da maxila e mandíbula. Erros e artefatos. Critérios de qualidade.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos são coerentes com os objetivos da aprendizagem nesta unidade curricular na medida em que permitem a aquisição de conhecimento e o desenvolvimento de competências clínicas que são exigíveis para todas as atividades em que estão envolvidos lesões de patologia oral.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A UC tem 4 créditos ECTS: componente teórica (CT, 15 horas), Teórico-prática (TP, 15 horas), Orientação tutorial (OT, 7.5 horas) e outras (O, 7.5 horas).
Nas aulas serão lecionados os conteúdos programáticos recorrendo ao apoio de dispositivos multimédia. Serão expostos e debatidos em sala de aula os conceitos teóricos relevantes e orientado o estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada.
O regime de avaliação nesta unidade curricular é o de avaliação contínua. Consiste na realização de uma avaliação escrita teórica a CT e relatório sobre radiografias periapicais a TP.
Será considerada a assiduidade do aluno de acordo com a Normativa Académica da Universidade Fernando Pessoa.
O aluno será declarado aprovado à unidade curricular se obtiver uma classificação final igual ou superior a 10 (dez) valores. A classificação final resulta da ponderação de 50% de T e de 50% TP. Não sendo necessário nota mínima a cada uma das componentes.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

"Os métodos de ensino foram desenvolvidos no sentido de tornarem a passagem de conhecimento mais eficaz e mais direta, permitindo uma interação docente-discente mais eficaz, visando a aquisição de conhecimentos e competências essenciais na prática diária de um médico-dentista.
As sessões OT consistem em momentos de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar corretamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica relativos a temas descritos no programa da unidade curricular, fomentando a leitura científica, contacto com nomenclatura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica bem como a motivação para elaboração de apresentações científicas com metodologia de revisão.
As sessões O são livres e destinam-se a possibilitar ao aluno esclarecer estratégias de apresentação científica dos resultados da pesquisa efetuada no âmbito da unidade curricular.

Bibliografia:

Eric Whaites. (2009). Princípios de Radiologia Odontológica, 4ª Ed. Elsevier.
Stuart C. White & Michael J. Pharoah. (2009). Oral Radiology Principles and Interpretation, 6ª Ed. Mosby.
Luis Casati Alves & Orivaldo Tavano. (1998). Curso de Radiologia em Odontologia. 4ª Ed.
Pasler F. & Visser H. (2001). Radiologia odontológica: procedimentos ilustrados.São Paulo, Artmed
Olaf E. Langland, Robert P. Langlais, John W. Preece. (2002). Principles of Dental Imaging. Lippincott Williams & Wilkins.
Luis Casati Alves - Orivaldo Tavano. (1998). Curso de Radiologia em Odontologia, 4ª Ed.
Radiologia Odontológica. (1998). Aguinaldo Freitas, José Edu Rosa, Icléo Faria e Sousa, 4ª Ed.
Paul W. Goaz, Stuart White. (1995). Radiologia Oral - princípios y interpretácion. 3ª Ed.
Artmed
Olaf E. Langland, Robert P. Langlais, John W. Preece. (2002). Principles of Dental Imaging. Lippincott Williams & Wilkins.

Objetivos de aprendizagem:

Proporcionar compreensão dos mecanismos da resposta imunológica, à agressão exógena e endógena; conhecimento dos órgãos do sistema Imunológico (SI), sua anatomia e principais constituintes celulares; conhecimento dos principais componentes humorais do SI, sua estrutura molecular, função e mecanismo de ação; compreensão dos mecanismos imunológicos de proteção à infeção; compreensão das imunodeficiências, hipersensibilidades, autoimunidades, e da ação do SI em tumores e transplantes; compreender as principais formas de imunização e imunossupressão; compreender as estratégias de manipulação terapêutica da resposta imunológica. Compreender os principais métodos analíticos para estudo do SI bem como os métodos que utilizam células ou componentes do SI para análises laboratoriais. Competências e Aptidões: Proporcionar as competências práticas para desenhar, executar, interpretar e validar resultados laboratoriais na área da Imunologia clínica e de investigação científica.

Conteúdos programáticos:

Programa Teórico: Noções Gerais do Sistema Imunológico (SI) : Inflamação, Proteínas de Fase Aguda e Sistema do Complemento; Linfócitos T e B- maturação , activação e diferenciação; Populações T e B; Imunoglobulinas; Conceito de células apresentadoras de antigénio (APC) e células dendríticas; MHC - funções, estrutura e modulação; Citoquinas : actuação e funções principais; Visão integrada do SI; Resposta a infecções; Imunização – passiva e activa; Imunodeficiências I e II; Hipersensibilidades; Tumores ;Tolerância e Autoimunidade; Patologias da cavidade oral; Programa prático: culturas celulares e técnicas de separação celular;anticorpos como ferramentas de diagnóstico laboratorial; técnicas de diagnóstico citológico e serológicas; Separação de células mononucleares de sangue periférico imunofluorescência; Imunocitoquimica; ELISA indirecta e detecção de anticorpos; separação de proteínas plasmáticas; Citometria de Fluxo; diagnóstico de patologias da cavidade Oral.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Com este programa pretende-se que o aluno se familiarize com os conceitos básicos, anatómicos e funcionais do sistema Imunitário envolvidos na resposta imune: células e órgãos. O aluno deve ser capaz, progressivamente, de ir sistematizando estes conceitos e reconhecendo as propriedades básicas dos antigénios e dos seus receptores, e como ser capaz de manipular /modular esta resposta imune. Será capaz de compreender a variedade de respostas imunológicas e as imunopatologias associadas: imunodeficiências, hipersensibilidades, tumores, autoimunidade e transplantes. Em paralelo com a apresentação global destes conceitos, de um ponto de vista teórico-prático o aluno deverá ser capaz de os integrar no contexto de técnicas básicas de diagnóstico imunológico e avaliação da resposta imune, diagnosticando variadas patologias. Devem ser capazes de contextualizar a investigação cientifica moderna em dentária, no âmbito da disciplina.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

As aulas teóricas cobrirão a totalidade do conteúdo programático, recorrendo ao método expositivo. Durante as sessões teóricas será incentivada a participação dos alunos relacionando os conceitos a apresentar com aspectos éticos e aspectos práticos da vida social e da sua futura vida profissional; será realizada a transmissão dos conhecimentos teóricos do programa, de modo progressivo e encadeado. Nas aulas Teórico-Praticas serão apresentadas técnicas imunológicas utilizada em diagnóstico clínico e investigação.
Sistema avaliação: O sistema de avaliação a utilizar será o constante do regulamento pedagógico em vigor: 70% da nota final será resultante da média ponderada de 2 avaliações escritas sobre a matéria lecionada nas aulas teóricas (média mínima de 8 valores); 15% nota final será atribuída por uma avaliação escrita sobre as matérias lecionadas nas aulas teórico-práticas; 15% da nota final será atribuída pela apresentação de um artigo científico em grupo.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Componente teórica: O aluno e a docente irão discutir a informação contida no livro de texto adoptado, e os conceitos transmitidos; serão colocadas questões curtas e feita a avaliação do progresso dos alunos com o recurso a testes. As aulas serão apoiadas por períodos de atendimento individual e sessões tutoriais que irão acompanhar o aluno de acordo com as suas necessidades individuais
Componente Teórico-Pratica: O aluno deverá ser capaz de responder a questões básicas de avaliação contínua sobre técnicas de imunologia e desenvolver técnicas de apresentação oral de trabalhos científicos, nomeadamente na sua área; o aluno deve ser capaz de analisar a literatura científica recente e de explicar a importância da investigação no contexto da disciplina

Bibliografia:

Abbas, A.K., Lichtman A.H., Pillai, S. (2017) “Cellular and Molecular Immunology”, 9th ed., Saunders – Elsevier, Philadelphia.
Fundamentos de Imunologia (2012)Autor(es) Fernando A. Arosa, Elsa M. Cardoso e Francisco C. Pacheco Arosa et al. Lidel, (2ª Edição)
Kuby Immunology (2004)Autores Richard A. Goldsby, Thomas J. Kindt, Barbara A. Osborne, Janis. Freeman (5ª edição)
Medical Immunology (2001) Autores Tristram G. Parslow, Daniel P. Stites, Abba I. Terr, John B. Imboden, McGraw-Hill (10º edição)

Objetivos de aprendizagem:

O conteúdo programático desta unidade curricular (UC) foi elaborado de modo a transmitir conhecimentos sobre Materiais Dentários.
O objectivo é o de capacitar os alunos para a obtenção dos conhecimentos suficientes para identificação dos diferentes materiais dentários, suas propriedades, limitações e técnicas de manipulação, inter-relacionando a actividade laboratorial com a actividade clínica nas diversas áreas médico-dentárias.
Na componente prática da UC, o aluno deverá manipular correctamente os materiais segundo as técnicas e princípios actualmente conhecidos.

Conteúdos programáticos:

Introdução aos Materiais Dentários.
Propriedades físicas e mecânicas dos Materiais Dentários.
Biocompatibilidade dos Materiais Dentários.
Introdução aos Materiais de Impressão.
Hidrocolóides irreversíveis e reversíveis.
Produtos de gesso.
Materiais de impressão elastoméricos.
Pastas de impressão de óxido de Zinco/Eugenol.
Ceras dentárias e godivas.
Cimento de Fosfato de Zinco.
Cimento de Policarboxilato de Zinco.
Cimento de óxido de Zinco-Eugenol.
Pasta e cimneto de Hidróxido de Cálcio.
Cimentos Endodônticos. Guta-percha.
Amálgama de Prata. Sistemas adesivos.
Resinas compostas para restaurações dentárias.
Cimentos de Resina.
Cimentos de Ionómero de Vidro.
Ionómero de Vidro Modificado por resina.
Compómeros e Selantes de fissura.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A UC de Materiais Dentários pretende dotar o aluno do conhecimento teórico e prático sobre os principais materiais usados na prática clinica da medicina dentária. Nesta unidade, a prática laboratorial possibilita o contacto com diferentes materiais dentários de forma a preparar o aluno para um correto atendimento clínico.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Ensino teórico (T), 80%, complementado por prática laboratorial (PL), 20% e apoiada por ensino tutorial (OT) e outros (O), tarefas adicionais.
A avaliação de componente teórica é contínua e tem em consideração 1 teste escrito de avaliação de conhecimentos, com a ponderação de 100%.
A avaliação de componente PL é contínua (assiduidade, pontualidade e postura do aluno; organizacão e limpeza do espaço; aquisicão de material necessário; motivacão e participacão nas tarefas e domínio dos assuntos; trabalhos de grupo e 2 testes de avaliação de conhecimentos.
A classificação mínima de aprovação na avaliação teórica e prática, numa escala quantitativa de 0-20 valores, será de 9,5 valores em cada uma das unidades lectivas, para aquisição de aprovação da UC.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Nesta fase de aprendizagem os conteúdos teóricos revelam-se de primordial importância, possibilitando ao aluno o conhecimento sobre propriedades mecânicas, químicas e comportamento biológico dos principais materiais dentários utilizados na prática clínica. Nas aulas práticas laboratoriais predomina o método demonstrativo das referidas propriedades e realização de prática laboratorial, pelos alunos, do manuseamento pré-clínico dos materiais.

Bibliografia:

1 - Craig R.G., Powers J.M., Wataha J.C., Dental Materials: Properties and Manipulation, 10th ed., The C.V. Mosby Company, 2013.
2 - Anusavice K.J., Phillips, Science of Dental Materials, 12ª ed., Elsevier Saunders, 2012.
3 - Júnior, J.G., Materiais Dentários: o essencial para o estudante e o clínico geral, 1º ed., Livraria Santos Editora Ltda., 1999
4 - Darvell,, R.W. Ciência dos Materiais para Odontologia Restauradora, 9ª ed. Editora Santos, 2012.
5 – Reis, A. Materiais Dentários Restauradores Diretos: dos Fundamentos à Aplicação Clínica, Editora Santos, 2007.
6 - Artigos científicos referenciados aos alunos de acordo com a distribuição temática curricular, na frequência das aulas teóricas.

Objetivos de aprendizagem:

Procura-se proporcionar aos alunos a compreensão das relações dinâmicas da resposta do organismo aos principais mecanismos de agressão celular com os aspetos clínicos e o desenvolvimento do raciocínio clínico para compreender conceitos fundamentais na área de Medicina Dentária.

Conteúdos programáticos:

Patofisiologia, Epidemiologia, Semiologia e Princípios Terapêuticos das seguintes patologias:
Hipertensão Arterial, Diabetes, Insuficiência Renal Crónica, Enfarte Agudo do Miocárdio, Doença Cardíaca Isquémica, Acidente Vascular Cerebral, Fibrilhação Auricular, Alergia, Asma, Anafilaxia, Hepatites Víricas.
Trauma: tipos, abordagem pré-hospitalar, hospitalar e pós-hospitalar
Neoplasia: Nomenclatura (tumores benignos e malignos); Características das neoplasias benignas e malignas; Conceitos básicos do estadiamento e classificação TNM; Estudo epidemiológico do cancro.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A construção dos conteúdos programáticos, mediante a abordagem dos diversos processos patológicos sistémicos com correlação com a patologia oral, através de informação teórica e teórico-prática dos temas abordados e utilização de recursos didáticos apropriados como a discussão de casos clínicos, está ajustada ao processo de aprendizagem da unidade curricular de Patologia Geral no plano curricular de Medicina Dentária.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A CT consiste em aulas expositivas de 60 minutos, abordando os diferentes tópicos definidos nos conteúdos programáticos. A CTP, estruturada em articulação com a componente teórica consiste em aulas semanais de 90 minutos. Consta em ensino tutorial aberto à participação dos alunos. No regime de ensino à distância incluir-se-á sessões síncronas e sessões assíncronas.
O modelo de avaliação é contínuo. Na CT serão realizados 2 testes ao longo do semestre sobre o conteúdo programático lecionado, cuja média define a nota à CT. A avaliação da CTP tem em consideração: assiduidade, pontualidade, atitude, relatório semestral e apresentação de trabalho realizado em grupo (a). Consiste, ainda, num teste escrito (b). As ponderações são: 50% (a)+50% (b). A nota final à UC será obtida pela soma das notas da CT (50%) e CTP (50%). Esta será uma nota quantitativa de 0-20 valores. O aluno é considerado "Aprovado" com classificação igual ou superior a 10 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A metodologia de ensino centrada na informação teórico e teórico-prática dos temas abordados, incluindo a utilização de recursos didáticos apropriados, está devidamente adequada ao processo de aprendizagem da disciplina de Patologia Geral no plano curricular de Medicina Dentária. Os conceitos teóricos abordados e discutidos na CT são complementados e contextualizados mediante a discussão e apresentação de casos clínicos na CTP, ilustrativos dos vários temas incluídos no conteúdo programático. Esta metodologia visa a assimilação e construção progressiva do conhecimento teórico e prático incentivando o pensamento crítico e autónomo do aluno.

Bibliografia:

Kasper, D.L., Fauci, A.S., Longo,D. (2018). Harrison's Principles of Internal Medicine 20/E (Vol.1 & Vol.2), 20th Edition, Macgraw Hill.
Goldman, L., Schafer,A.I .(2020). Goldman- Cecil Medicine, 26th Edition, Elsevier
Kumar, V.; Abbas A.K.; Aster, J.C. (2020). Robbins & Cotran Pathologic Basis of Disease, (Robbins Pathology), 10th Edition, Elsevier.
James W. Little; Craig Miller, Nelson Rhodus. Dental management of the medically compromised patient, 9th edition, 2018. Elsevier.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

O aluno deverá ser capaz de:
- reconhecer a importância da anatomia patológica para o estudo clínico de diferentes patologias
- realizar e perceber os passos que vão desde o pedido de exame anatomopatológico até à recepção de um diagnóstico
- identificar e descrever características das patologias abordados
- dominar os conceitos e fundamentos de anatomia patológica para a resolução de problemas em contextos diversificados

Conteúdos programáticos:

1- Lesão celular - lesão celular reversível - edema; reações morfológicas ao stress persistente - atrofia, hipertrofia, hiperpasia, metaplasia, displasia, armazenamento intracelular; lesão celular irreversível - necrose, apoptose.
2- Inflamação - aguda, crónica e granulomatosa.
3- Cicatrização - processo de cicatrização de feridas; contracção de feridas; reparação; regeneração; cicatrização por intenção primária e secundária; factores que influenciam a cicatrização de feridas; complicação da cicatrização de feridas.
4- Neoplasia - classificação; características histopatológicas; carcinogénese; invasão; metástase.
5- Métodos de avaliação do material histopatológico no laboratório de patologia.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Ao perceber os métodos de estudo do material patológico no laboratório de anatomia patológica o aluno poderá realizar as etapas que vão desde o pedido de exame anatomopatológico até à receção de um diagnóstico
Compreendendo e identificando as alterações histológicas inerentes a diferentes patologias, o aluno poderá reconhecer a importância da anatomia patológica para o estudo clínico das mesmas

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas expositivas demonstrativas e interativas docente-aluno.
O aluno é considerado "Aprovado",à unidade curricular obtendo a classificação igual ou superior a 9,5 valores.
A classificação final da unidade curricular resulta da ponderação de 60% da componente Teórico e 40% da componente Teórico-Prática.
Na componente Teórica será realizado um teste.
Na componente teórico-prática serão realizados 2 testes cada um com a ponderação de 50%. A nota mínima para a componente T e TP é de 7,0 valores, abaixo da qual o aluno será remetido para exame global (T+TP).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A exposição e debate dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula, orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada irá permitir ao aluno resolução de problemas em contextos diversificados, reconhecendo a importância da anatomia patológica para o estudo clínico de diferentes patologias
Através das sessões práticas, o aluno irá realizar e perceber as etapas que vão desde o pedido de exame anatomopatológico até à recepção de um diagnóstico. Por observação e interpretação de lâminas anatomopatológicas, o aluno irá identificar e descrever características das patologias abordadas, consolidando os principais conceitos expostos nas sessões teóricas através da apresentação e discussão de casos anátomo-clínicos.

Bibliografia:

- Suvarna S, Layton C, Bancroft J. Bancroft’s Theory and Practice of Histological Techniques. 8th ed, Churchill- Livingstone. 2019.
- Kumar, V.; Abbas A.K.; Aster, J.C. Robbins & Cotran Pathologic Basis of Disease, (Robbins Pathology), 10th Edition, Elsevier, 2020
- Rubin's Pathology: Mechanisms of Human Diseases, 8th Ed., 2019
- Stevens, Lowe. Patologia. 2ª ed. Editora Manole, 2002
- Stevens, Lowe, Young. Wheater's Basic histopathology - a colour atlas and text. 4ª ed. Churchill- Livingstone. 2002.
- C Costa, S Pereira. Atlas de apoio às aulas de Anatomia Patológica. ed UFP. 2008. (CD ROM)

Objetivos de aprendizagem:

A disciplina de Cirurgia Geral e Anestesiologia, tem como objectivo ensinar a abordagem do doente do foro cirúrgico na sua globalidade. Assim, pretende-se fornecer aos alunos as bases para uma correcta avaliação dos doentes, para que possam prever as possibilidades de êxito do tratamento a ser instituído; prevenir a interferência de doenças pré-existentes com o tratamento a efectuar.
Pretende-se também ensinar-lhes a técnica anestésica e cirúrgica, desde a assepsia, aos gestos básicos.

Conteúdos programáticos:

1- Abordagem do doente cirúrgico
2- Patologia do esófago
3- Patologia gastro-duodenal
4- Patologia hepato-biliopancreatica
5- Patologia colo-rectal e proctológica
6- Hemorragias digestivas
7- Traumatismos abdominais
8- Abdómen agudo
9- Feridas
10- Materiais de sutura
11- Infecções em cirurgia
12- Anestesia - conceitos gerais
13- Dor
14- Anestesia local
15- Anestesia geral

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A construção dos conteúdos programáticos, com a abordagem dos temas das patologias cirúrgicas e fundamentos e técnicas anestésicas, contando com informação teórico e prática dos temas abordados, incluindo a utilização de recursos didáticos apropriados, como imagens e vídeos, está devidamente adequada ao processo de aprendizagem da unidade curricular.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas teóricas e teórico-práticas.
A metodologia de ensino conta com a utilização de recursos didáticos, como material em power-point e apresentação de vídeos.
Serão realizados testes teóricos e testes teórico-práticos , ao longo do semestre, envolvendo o conteúdo programático lecionado, cuja média final será construída com a participação de 70% da componente teórica e 30% da componente teórico-prática. Na componente prática, para além de teste, os alunos poderão ser mandados apresentar trabalho/com indicado pelo docent e/ou executar gestos técnicos.
O aluno é considerado "Aprovado" com classificação igual ou superior a 10 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A metodologia de ensino centrada na informação teórico e prática dos temas abordados, incluindo a utilização de recursos didáticos apropriados, como vídeos e manipulação de modelos, está devidamente adequada ao processo de aprendizagem da disciplina.

Bibliografia:

CIRÚRGIA – Patologia e Clínica
C. Alves Pereira
Mc Graw Hill
• PRINCIPLES OF INTERNAL MEDICINE
Harrison´s
Mc Graw Hill
• PRINCIPLES OF SURGERY
Schwartz
Mc Graw Hill
• GASTROENTEROLOGY
Henry L. Bockus
Saunders
• MAINGOT´S ABDOMINAL OPERATIONS
Seymour I. Schwartz; Harold Ellis
Appleton Century Crofts

Objetivos de aprendizagem:

A Dentística I visa: Revisão de conceitos acerca das principais patologias que afectam os tecidos dentários duros, por processos de desmineralização, por acção de condições ambientais, genéticas, ou de factores de risco associados aos indivíduos; Descrever e ilustrar os princípios de identificação e reacção do complexo dentinho-pulpar; Exemplificar e descrever os principais dispositivos médicos usados para detecção de lesões dos tecidos dentários duros, os usados na metodologia operatória para corte de esmalte e de dentina e ainda descrever os principais conceitos de base da dentistica quanto ao desenho cavitário e princípios gerais de preparação cavitária; Demostrar e desenvolver aptidões e competências na prática técnicas operatórias/cirúrgicas com base nos princípios gerais de preparação cavitária das coroas anatómicas dentárias.

Conteúdos programáticos:

Considerações gerais e Fundamentos de dentística; Princípios fundamentais do preparo cavitário; Dispositivos Médicos: Instrumental e turbinas; Isolamento do campo operatório; Diagnóstico de cárie dentária; ICDAS; CPOD; Lesões químico-mecânicas dos dentes; Desgaste Dentário; BEWE; Complexo dentina e polpa; Alterações do desenvolvimento dentário; Técnica dos preparos cavitários para amálgama e resinas compostas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórica (T: 1hora por semana): Considerações gerais; Fundamentos de dentística; Diagnóstico de cárie dentária;ICDAS; Lesões físicas, químico-mecânicas dos dentes; BEWE; Complexo dentina-polpa; Alterações do desenvolvimento dentário. Teórico-prática (TP: 1 hora por semana) + Orientação Tutorial (8 horas) + Outras (8 horas): Nomenclatura e classificação das cavidades; Princípios gerais do preparo cavitário; Dispositivos médicos: Instrumental e equipe. Isolamento do campo operatório. Prática Laboratorial (PL: 2 horas por semana): Técnicas dos preparos cavitários para amálgama e resinas compostas: Classes I, II, III, IV, V, VI.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A distribuição total de créditos atribuídos é de 5 ECTS. A avaliação resulta da ponderação de 50% da componente (T) teórica,de 20% das componentes teórico-prática (TP) e de 30% da prática laboratorial (PL). O regime de avaliação compreende: na componente (T) uma prova escrita; Na TP, uma prova escrita acerca dos conteúdos abordados; na componente PL, duas provas práticas de desenho e preparação de cavidades em dentes frasaco. A classificação mínima de aprovação nas provas escritas e práticas será de 10 valores. A não obtenção de classificação mínima de 10 valores na componente teórica e teórico-prática (T+TP) remete o aluno para exame de recurso em época para o efeito, fixada no cronograma académico. O regime de assistência às aulas é o adoptado no Regulamento Pedagógico da Universidade, em vigor. Para obter a creditação desta unidade curricular o aluno terá de garantir a obtenção dos 5 ECTS previstos no sistema de avaliação descrito.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A temática de Dentística I pretende dotar o aluno do conhecimento de meios que possibilitam o diagnóstico de cárie e o diagnóstico de outras patologias que afectam os tecidos dentários duros, tais como patologias químico-mecânicas de origem não bacteriana que geram perdas e desgaste de esmalte e dentina, anomalias dentárias do desenvolvimento (forma, número, tamanho) e anomalias hereditárias e adquiridas que promovem alterações estruturais do esmalte e dentina. Pretende ainda descrever o complexo-dentino pulpar, como parte integrante da coroa dentária afectada em sinais e sintomas, pelas desordens dos tecidos dentários duros. Na tipologia teórica (T) predominam os métodos expositivos e participativos. Nas aulas teórico-prática (TP) predomina o método expositivo, ilustrativo e participativo quanto à descrição principal dos princípios gerais do preparo cavitário, Instrumentos de corte rotativo e dispositivos médicos usados no diagnóstico de lesões coronais, e técnicas de isolamento campo operatório, com a finalidade de dotar os alunos para capacidades de utilização de instrumentos e técnicas operatória. Nas aulas prática laboratoriais (PL) predomina o método demonstrativo quanto à técnica operatória de elaboração de preparações cavitárias, para possibilitar o aluno no desenvolvimento de competências técnicas, quanto ao corte e desenho cavitário segundo os princípios fundamentais de Black. Na componente prática laboratorial, o aluno deverá desenvolver competências técnicas para realizar preparos cavitários de classe I, II, III, IV, V e VI em dentes de frasaco, com recurso a instrumentos de corte rotativos e manuais, para treino e análise da destreza manual. As orientações tutoriais (OT; 8 horas) constam de sessões de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar corretamente bibliografias; desenvolver métodos de pesquisa científica; organizar leituras; aprofundar capacidades de análise, de síntese e de sistematização de conhecimentos no âmbito dos conteúdos programáticos da dentística I. As outras (O; 8 horas) sessões possibilitam ao aluno identificar e usar corretamente dispositivos médicos (turbinas, instrumentos) e recursos didáticos com aplicabilidade prática no âmbito da unidade curricular.

Bibliografia:

BARATIERI et al. Dentística. Procedimentos preventivos e restauradores. Quintessence, 2000. NETTO G. et al. Dentística Restauradora. Diagnóstico, prevenção, protecção da polpa, hiperssensibilidade dentinária, adesão. Santos Livraria Editora, 2003. MONDELLI et al. Dentística. Procedimentos pré-clínicos. Editorial Premier, 1ª ed, 2002. STURDEVANT et al. Arte y ciencia operatoria dental. Mosby, 3ª ed, 1996. REID/ CALLIS/ PATTERSON. Rubber dam in clinical practice. Quintessence Books, 1990. SAPP, J.P., EVERSOLE, L.R., WYSOCHI, G.P. Patologia oral e maxilofacial contemporânea. Lusociência, 1999. Realites Cliniques vol. 10 nº 4 1999. P. Andersen et al. A European Core Curriculum in Cariology: the knowledge base. Eur J Dent Educ 15 (Suppl. 1) (2011) 18–22. “European Core Curriculum in Cariology for undergraduate dental students”. Artigos científicos no âmbito da temática da Unidade Curricular

Objetivos de aprendizagem:

Capacitar os alunos para a obtenção dos conhecimentos suficientes para a execução do protocolo clínico do tratamento endodôntico não-cirúrgico.

Conteúdos programáticos:

Revisão da Anatomia Dentária e da Morfologia Pulpar. Tratamento Endodôntico Não-Cirúrgico (TENC): conceito e Fases. Instrumental endodôntico - organização da mesa de trabalho. Cavidade de acesso (CA): conceito, relevância e normas de execução. CA em dentes monocanales. Comprimento de Trabalho (CT): Método radiográfico. Conceito de permeabilidade apical.
Instrumentação - conceito, relevância e técnicas usadas (princípios gerais).
Seque^ncia da preparac¸a~o canalar: divisão em terços. Instrumentação manual dos canais radiculares: Técnica de Roane, “Crown-Down” e “Step-Back”.
Calibragem apical. Pré-requisitos de forma e de limpeza para a obturação.
Obturação – conceito, relevância e protocolo clínico da Técnica de Condensação Lateral.
Radiologia em Endodontia – revisão de técnicas, identificação de estruturas normais e patológicas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A Endodontia I pretende dotar o aluno de conhecimentos e capacidade quanto à abordagem e correta execução do Tratamento Endodôntico Não-Cirúrgico. Para tal, a componente teórica aborda fundamentalmente o protocolo do tratamento endodôntico assim como os conceitos inerentes à anatomia, morfologia e fisiologia dentária e do sistema de canais radiculares. Nesta unidade, a componente práctica orientada possibilita a execução do TENC em dentes anteriores e pré-molares (por serem dentes monocanalares).
É orientada a pesquisa e a seleção de bibliografia científica adequada no âmbito dos temas descritos no programa desta unidade curricular, fomentando assim a leitura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica e contacto com nomenclatura científica.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A avaliação desta unidade curricular resulta da ponderação de 60% da componente teórico (T) e de 40% da componente práctica e será efectuada de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor. A não obtenção de classificação mínima de 9,5 valores na componente teórica remete o aluno para exame de recurso em época para o efeito, fixada no cronograma académico. A classificação mínima de aprovação da avaliação da prática será de 9,5 valores. O aluno com classificac¸a~o inferior a 9,5 valores na componente pra´ctica é declarado “na~o aprovado”.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas privilegiam os métodos expositivo e participativo, com vista a uma interrelação de conteúdos das ciências da anatomia, radiologia, cariologia e da endodontia. Privilegia-se a pesquisa bibliográfica sobre a atualidade dos conteúdos expostos, sobretudo quanto a ensaios in vitro e in vivo, e restantes evidências da literatura sobre os mesmos. Nas aulas práticas predomina o método demonstrativo e prática pelos alunos, quanto à execução do tratamento endodôntico não-cirúrgico.

Bibliografia:

Cohen S, Burns RC. Pathways of the Pulp. 11ª ed. Mosby, Inc., 2011
Ingle JL. Endodontics. 6ª ed. Lea e Febiger, 2008
Gutmann JL, Dumsha TC, Lovdahl PE, Hovland EJ. Problem solving in Endodontics. 5ª ed. Mosby, Inc.. 2011
European Society of Endodontology (2006), Quality guidelines for endodontic treatment: consensus report of the European Society of Endodontology. International Endodontic Journal, 39: 921–930. doi: 10.1111/j.1365-2591.2006.01180.x
Siqueira JF Jr. Treatment of endodontic infections. 1st ed. London: Quintessence Publishing, 2011
Artigos científicos recomendáveis em função dos conteúdos programáticos.

Objetivos de aprendizagem:

Aquisição de conhecimentos de farmacologia geral, nomeadamente as caraterísticas farmacocinéticas dos fármacos, as vias de administração, os mecanismos de ação, os efeitos adversos, as interações medicamentosas mais relevantes e as indicações clínicas. Adaptação destes conhecimentos à prática clínica, incidindo sobre os medicamentos prescritos e manuseados pelos médicos dentistas.

Conteúdos programáticos:

1.Noções gerais de Farmacologia
2. Fármacos utilizados no controlo da dor
3. Fármacos com ação no sistema nervoso central
4. Fármacos com ação na coagulação
5. Antibióticos em medicina dentária
6. Prescrição de medicamentos a grupos especiais
7. Medicamentos usados em situações especiais
8. Medicamentos que interferem na consulta de medicina dentária
9. Análise e discussão de casos clínicos

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O programa teórico visa a transmissão de conhecimentos gerais e específicos dos medicamentos mais utilizados na clínica dentária, nomeadamente o seu mecanismo de ação, os seus efeitos terapêuticos e adversos, as suas interações medicamentosas e limitações à sua utilização nos procedimentos dentários. O programa teórico-prático da unidade curricular procura fornecer uma sólida formação sobre os princípios fundamentais referentes à utilização destes medicamentos na prática clínica. Assim os alunos têm a possibilidade de desenvolver competências que lhes permitem obter melhores resultados, diminuindo os riscos e aumentando a eficácia do tratamento dos doentes.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Na componente teórica da Unidade Curricular de Farmacologia e Terapêutica, recorrendo a imagens e outros materiais de estudo, os fundamentos básicos da farmacologia geral são expostos em sala de aula. Recorrendo às mesmas metodologias, os principais fármacos usados em medicina dentária, assim como os fármacos que interferem nos tratamentos dentários, serão aqui analisados e discutidos. A avaliação da componente teórica da unidade será efetuada através da realização de duas frequências (com um coeficiente de ponderação de 50% cada). Na componente teórico-prática os conceitos estudados na componente teórica serão depois desenvolvidos e aplicados por recurso a uma série casos clínicos e discussão de artigos científicos. A aprovação à componente teórico-prática compreenderá a execução de duas provas escritas de índole prática (ponderação de 50% cada prova). A classificação final da unidade curricular será 80% nota da componente teórica e 20% da nota teórico-prática.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

No final desta unidade curricular, os alunos deverão ter adquirido os conhecimentos sobre os fármacos de forma a os poder utilizar para o tratamento das diversas situações clínicas, de uma forma segura e eficaz. Neste sentido, a unidade curricular de Farmacologia e Terapêutica encontra-se dividida em duas componentes essenciais. Na componente teórica são ministrados os conceitos inerentes à farmacologia geral e especial. Na componente teórico-prática, o estudante vai ser chamado a discutir e criticar os artigos científicos e os casos práticos.

Bibliografia:

[1] Rang and Dale's pharmacology, J Ritter, R Flower, G Henderson, Y Loke, D MacEwan e H Rang. (Eds), 9th edition, Churchill Livingstone Elsevier, 2019. ISBN: 9780702074486.
[2] Terapêutica Medicamentosa e suas Bases Farmacológicas (Manual de Farmacologia e Farmacoterapia), S Guimarães, D Moura e P Soares da Silva (Eds), 6ª edição, Porto Editora, 2014. ISBN: 9789720017949.
[3] Goodman & Gilman´s The Pharmacological Basis of Therapeutics, L Brunton, B Knollmann e R Hilal-Dandan (Eds), 13th edition, McGraw-Hill, 2018. ISBN: 9781259584732.
[4] Terapêutica Medicamentosa em Odontologia; Eduardo Dias de Andrade; 3ª Edição; Artes Médicas Lda; 2014. ISBN: 9788536702131
[5] Wannmacher e Ferreira; Farmacologia Clínica para Dentistas; 3ª edição; Guanabara Koogan; 2007. ISBN-13: 978-8527713269.

Objetivos de aprendizagem:

Desenvolvimento de competências em Medicina Dentária Preventiva e Comunitária, bem como de exames de rastreio e investigação em saúde comunitária.

Conteúdos programáticos:

1. Medicina dentária: evolução, princípios e aplicações;
2. Métodos/prevenção;
3. Métodos de controlo da placa bacteriana;
4. Dieta, nutrição e saúde oral;
5. Problemas em medicina dentária desportiva
6. Prevenção de distúrbios do hálito
7. Prevenção da doença Periodontal
8. Prevenção do Cancro Oral
9. Saúde oral comunitária: evolução histórica e conceitos
10. Indicadores sanitários em medicina dentária comunitária
11. Saúde Oral, saúde em geral e qualidade de vida
12. As desigualdades em saúde oral: intervenção e impactos
13. Administração e gestão em saúde pública oral
14. Intervenções específicas em Saúde Oral Comunitária
15. Perspetiva Internacional das intervenções preventivas
16. Programas de Saúde Oral (Nacionais)

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Testes teóricos: aferição de competências em Medicina Dentária Preventiva e Comunitária
Teste prático ou trabalho individual: aferição de competências em exames de rastreio e investigação em saúde comunitária

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Avaliações escritas por teste e avaliação prática a serem realizadas presencialmente

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A avaliação é contínua e aferida pelo desempenho nas aulas, bem como através dos diferentes momentos de avaliação. Se o aluno optar por este sistema de avaliação para a realização da componente teórica da disciplina será submetido a diferentes momentos de avaliação, momentos caracterizados pela realização de testes com a matéria previamente indicada pelo docente e com data definida no início de cada semestre.

Bibliografia:

OMS. Oral Health Surveys - Basic Methods. O.M.S. 4th Ed. 1997. Geneve.
John J, Murray, June H Nune, James G. Steele. Doenças Orais - Medidas preventivas. 2005. Guanabara Koogan Ed. 4ª ed.
Cynthia Pine, Rebecca Harris. Community Dental Health. 2007. Quintessence ed. 2ª ed.
Jill Mason, Concepts in Dental Public Health Lippincott Williams & Walkins Ed. 2ª edição. 2010.
Felton, A.; Chapman, A; Felton, S.; Basic Guide to Oral Health Education and Promotion (Basic Guide Dentistry Series) . By John Wiley & sons. 2014
Rafael Rioboo Garcia, Odontologia Preventiva y Odontologia Comunitaria Ed. Avances Vol.1 e 2, 2003.
Leo Kriger, Promoção de saúde bucal. ABOPREV. Ed. Artes Médicas. 3ª ed. 2003.
António Carlos Pereira, Odontologia em saúde comunitária Ed. Artmed. 2003.
Cuenca Sala E, Manau Navarro C, Serra Majem L. Odontologia preventiva y comunitária: principios, métodos y aplicaciones. Ed. Masson. 3ª Ed., Barcelona 2005.

Objetivos de aprendizagem:

Demonstração de conhecimentos e compreensão da área estudada, o que se traduz pela execução, interpretação e avaliação de exames imagiológicos e sua aplicação ao diagnóstico e tratamento. Conhecimento das técnicas radiográficas extraorais, com o entendimento das das suas indicações, contraindicações e limitações. Aquisição de noções concretas e aprofundadas de semiologia radiológica bem como da ampla variação de aspetos radiológicos normais e do uso da radiologia na avaliação pré e pós-tratamento dentário. Normas de prescrição e utilização de técnicas mais sofisticadas para o estudo imagiológico de estruturas do maciço craniofacial.

Conteúdos programáticos:

Ortopantomografia/Radiografia Digital/ Radioprotecção em Radiologia Dentária/ Diagnóstico Radiográfico Diferencial/ Interpretação radiográfica/ Imagiodos tecidos Periapicais/ Anomalias de Desenvolvimento/ Tomografia Computorizada/ Tomografia Computorizada de Feixe Cónico/ Imagem por Ressonância Magnética/ / Imagiologia em Implantologia

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos são coerentes com os objetivos da aprendizagem nesta unidade curricular na medida em que permitem a aquisição de conhecimento e o desenvolvimento de competências clínicas que são exigíveis para todas as atividades em que estão envolvidos atos de imagiologia intra oral.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O aluno será declarado aprovado à unidade curricular se obtiver uma classificação final igual ou superior a 10 (dez) valores. A classificação final resulta da ponderação de 50% de T e de 50% TP. Não sendo necessário nota mínima a cada uma das componentes.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os métodos de ensino foram desenvolvidos no sentido de o tornarem mais eficaz e mais directo, permitindo uma interação docente-discente mais eficaz, visando a aquisição de conhecimentos e competências essenciais na prática diária de um médico-dentista.

Bibliografia:

Eric Whaites. (2009). Princípios de Radiologia Odontológica, 4ª Ed. Elsevier.
Stuart C. White & Michael J. Pharoah. (2009). Oral Radiology Principles and Interpretation, 6ª Ed. Mosby.
Luis Casati Alves & Orivaldo Tavano. (1998). Curso de Radiologia em Odontologia. 4ª Ed.
Pasler F. & Visser H. (2001). Radiologia odontológica: procedimentos ilustrados.São Paulo, Artmed
Olaf E. Langland, Robert P. Langlais, John W. Preece. (2002). Principles of Dental Imaging. Lippincott Williams & Wilkins.
Luis Casati Alves - Orivaldo Tavano. (1998). Curso de Radiologia em Odontologia, 4ª Ed.
Radiologia Odontológica. (1998). Aguinaldo Freitas, José Edu Rosa, Icléo Faria e Sousa, 4ª Ed.
Paul W. Goaz, Stuart White. (1995). Radiologia Oral - princípios y interpretácion. 3ª Ed.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Adquirir conhecimentos dos materiais terapêuticos, preventivos e restauradores diretos utilizados na reabilitação estética e funcional das estruturas dentárias. Tem ainda como propósito enumerar e descrever as vantagens, desvantagens, indicações e limitações dos materiais dentários restauradores a utilizar na futura prática clínica. Fundamentar propriedades, vantagens e desvantagens dos diversos materiais terapêuticos, preventivos e restauradores diretos, e as principais indicações/ requisitos clínicos dos mesmos; Realizar preparos cavitários em dentes modelo, conforme princípios gerais, bem como manusear corretamente os materiais dentários a fim de restaurar os respectivos preparos, adoptando posições ergonómicas de trabalho; Identificar instrumentos manuais e rotatórios, fundamentais para o procedimento operatório na Dentística; Pesquisar/selecionar bibliografia científica adequada no âmbito dos temas descritos no programa desta unidade curricular.

Conteúdos programáticos:

Proteção do Complexo Dentina-Polpa. Níveis de proteção do Complexo Dentina-Polpa. Amálgama dentário. Utilização clínica de Ionómeros de Vidro, Compómeros, Sistemas adesivos e Técnicas adesivas. Resinas compostas. Etapas técnicas de restauração com resinas compostas. Fotopolimerização. Ficha clínica de Dentística. Preparação e restauração de cavidades em dentes modelo.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aulas Teóricas (T; Uma hora semanal): Níveis de proteção do complexo Dentina-Polpa (forros e tratamentos provisórios); Amálgama dentário (origens, constituição, indicações clínicas); Utilização clínica dos Ionómeros de Vidro, compómeros (origens, definição, vantagens e desvantagens, propriedades, aplicações clínicas); Princípios da Adesão, sistemas e técnicas adesivas; Resinas compostas (origem, constituição, propriedades, vantagens, classificação, recomendações, requisitos, evolução); Polimerização: técnicas e dispositivos fotopolimerização; Etapas clínicas na restauração com resinas compostas. Ficha Clinica de Dentística. Orientação tutorial (OT; 7.5 horas) + Outras sessões (O; 7.5 horas): Pesquisa bibliográfica individual na temática descrita. Prática laboratorial (PL; Duas horas semanais): Realização de preparos cavitários e sua restauração com IRM, IVMR, Resina composta e amálgama.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Avaliação da dentística II resulta da ponderação de 50% da componente teórica (T) e de 50% da prática laboratorial (PL). A avaliação da componente teórica é feita por uma prova escrita; A não obtenção de classificação mínima de 10 valores na tipologia teórica remete o aluno para exame de recurso em época para o efeito, fixada no cronograma académico. Componente prática laboratorial (PL) ponderação:40% nota das duas provas práticas parcelares+40% prova PL- global+ 15% nota média trabalhos PL(realização de preparos cavitários e restaurações em dentes de frasaco) + 5% nota da assiduidade, pontualidade, interesse e participação nas respectivas unidades curriculares. A classificação mínima de aprovação em cada componente (T e PL) é de 10 valores. O regime de assistência às aulas é o adoptado no Regulamento Pedagógico da Universidade, em vigor. A creditação desta unidade curricular requer a obtenção de 5 ECTS no sistema de avaliação descrito.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aulas teóricas (T; Uma hora, semanal) privilegiam os métodos expositivo e participativo, com vista a uma inter-relação de conteúdos das ciências médicas básicas e a intervenção profilática e terapêutica nos tecidos dentários duros. Abordam-se as várias patologias dos tecidos dentários duros, a identificação dos principais dispositivos médicos e meios de abordagem restauradora dos tecidos dentários duros dentários. Nas sessões de Orientação tutorial (OT; 7.5 horas) privilegia-se a pesquisa bibliográfica sobre a atualidade dos conteúdos expostos no programa da unidade, sobretudo quanto a ensaios in vitro e in vivo dos dispositivos médicos disponíveis na atualidade e evidências da literatura sobre os mesmos. Nas outras sessões (O; 7.5 horas) a redação individual de papers (facultativo). Nas aulas práticas (PL; Duas horas, semanal) predomina o método demonstrativo e prática laboratorial pelos alunos, quanto á elaboração de preparos cavitários, manipulação de dispositivos médicos (instrumental e materiais dentários de proteção complexo dentino-pulpar e restauradores definitivos) de restauração/reparação dentária, com materiais dentários, em dentes modelo.

Bibliografia:

1) NETTO G., NARCISO, et al. Dentística Restauradora. Diagnóstico, prevenção, protecção da polpa, hiperssensibilidade dentinária, adesão. Santos Livraria Editora, 2003.
2) MONDELLI et al. Dentística. Procedimentos pré-clínicos. Editorial Premier, 1ª ed, 2002.
3) BARATIERI et al. Odontologia restauradora – Fundamentos e possibilidades. Quintessence 1ª ed 2001
4) BARATIERI et al. Dentística. Procedimentos preventivos e restauradores. Quintessence 2000
5) Artigos científicos fornecidos aos alunos de acordo com a distribuição temática das aulas teóricas (ver distribuição dos tempos lectivos).
6) “European Core Curriculum in Cariology for undergraduate dental students”. AG Schulte, NB Pitts, MCDNJM Huysmans, C Splieth and W Buchalla. Eur J Dent Educ 15 (suppl. 1), 2011: 9-17 – dominio IV
7) Artigos Científicos evidencia – bibliografia atualizada em cada aula T e PL, fornecidos aos alunos.

Objetivos de aprendizagem:

As ciências básicas do curso médico e as restantes disciplinas da Medicina Dentária intimamente relacionadas com a Endodontia, assim como, o conhecimento pleno da cavidade pulpar permitirão a aprendizagem dos princípios endodônticos e das técnicas terapêuticas actualmente conhecidas.
O tratamento endodôntico não cirúrgico é a base da Endodontia e tem como finalidade a extirpação da polpa dentária e a posterior obturação do espaço por ela ocupado.

Conteúdos programáticos:

Normas de execução de cavidades de acesso em dentes pluricanalares.
Erros de cavidade de acesso- identificação, prognóstico e prevenção.
Erros na instrumentação - identificação, prognóstico e prevenção.
Erros na obturação - identificação, prognóstico e prevenção.
Irrigação Manual em Endodontia: material, soluções irrigantes e protocolos clínicos
Patologia pulpar e perirradicular: testes de diagnóstico.
Patologia pulpar: caracterização da etiologia e manifestações clínicas.
Patologia perirradicular: caracterização da etiologia e manifestações clínicas.
Discussão de Casos Clínicos.
Revisão do protocolo clínico do tratamento endodôntico não-cirúrgico.
Fim de consulta de sessão de tratamento endodôntico.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A Endodontia II pretende dotar o aluno de conhecimentos e capacidade quanto à abordagem e correta execução do tratamento endodôntico não cirúrgico em dentes plurirradiculares. Para tal, a componente teórica aborda fundamentalmente a fisiologia do complexo pulpo-dentinário que permite a realização de um correto diagnóstico, bem como aborda questões do protocolo clínico. Nesta UC, a componente prática possibilita o contacto com os diversos grupos de dentes e suas características anatómicas próprias, incentivando a execução do respectivo tratamento endodôntico não-cirúrgico.
É orientada a pesquisa e a seleção de bibliografia científica adequada no âmbito dos temas descritos no programa desta unidade curricular, fomentando assim a leitura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica e contacto com nomenclatura científica, bem como a motivação para a elaboração de trabalhos de investigação e apresentações científicas no âmbito da endodontia.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Ensino teórico (T), ponderação de 60%, complementado por prática laboratorial (PL), ponderação de 40%, e apoiada por ensino tutorial (OT) e outros (O), tarefas adicionais.
A avaliação de componente teórica é contínua: 1 teste de avaliação escrita de conhecimentos.
A avaliação de componente prática-laboratorial é contínua e tem em consideração: assiduidade, pontualidade e atitude do aluno e a execução de trabalhos pré-clínicos: qualidade das radiografias, aquisição de material necessário, relatórios semanais, mini-testes, cavidades de acesso em dentes molares e tratamentos endodônticos não-cirúrgicos completos.
A classificação mínima de aprovação na avaliação teórica e prática, numa escala quantitativa de 0-20 valores, será de 9,5 valores em cada uma das unidades lectivas, para aquisição de aprovação da UC.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas privilegiam os métodos expositivo e participativo, com vista a uma inter-relação de conteúdos das ciências interrelacionadas com a endodontia. Privilegia-se a pesquisa bibliográfica sobre a atualidade dos conteúdos expostos no programa da unidade, sobretudo quanto a ensaios in vitro e in vivo, e restantes evidências da literatura sobre os mesmos. Nas aulas práticas predomina o método demonstrativo e prática pelos alunos, quanto à execução do tratamento endodôntico.

Bibliografia:

- Cohen S, Burns RC. Pathways of the Pulp. 11ª ed. Mosby, Inc., 2011
- Ingle JL. Endodontics. 6ª ed. Lea e Febiger, 2008
- Gutmann JL, Dumsha TC, Lovdahl PE, Hovland EJ. Problem solving in Endodontics. 5ª ed. Mosby, Inc.. 2011
- Ørstavik, Dag and Pitt Ford. ESSENTIAL ENDODONTICS. Blackwell Science. London. 2009
- European Society of Endodontology (2006), Quality guidelines for endodontic treatment: consensus report of the European Society of Endodontology. International Endodontic Journal, 39: 921–930. doi: 10.1111/j.1365-2591.2006.01180.x
- International Journal of Endodontics, artigos que serão disponibilizados na página do e-learning
- Journal of Endodontics, artigos que serão disponibilizados na página do e-learning
- Siqueira JF Jr. Treatment of endodontic infections. 1st ed. London: Quintessence Publishing, 2011

Objetivos de aprendizagem:

Pretende dar-se aos alunos as ferramentas que os irão ajudar na aquisição dos diagnósticos que se virão a realizar
com o decurso da sua aprendizagem e da aplicação prática.
A ginástica mental para atingirem os ditos diagnósticos começa com a mobilidade do conhecimento que a
disciplina de Especialidades Médicas lhes irá fornecer e, será com estas bases que se iniciarão à semiologia e à propedeutica e
terapeuticas médicas e cirúrgicas, subsequentemente

Conteúdos programáticos:

Entrevista clínica
Patologia do aparelho respiratório
Patologia do aparelho digestivo
Patologia do aparelho genito-urinário
Patologia do Sistema hemolinfopoiético
Patologia do Sistema endócrino
Patologia do Sistema Nervoso
Patologia do Sistema Articular

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A aula teórica-prática tem a duração de 2 horas por semana; juntamente com a Orientação Tutorial (7,5h)+ Outras
(7,5h) irá permitir o estudo de diversas patologias, nomeadamente do aparelho respiratório, do aparelho digestivo,
do aparelho genito-urinário, do Sistema hemolinfopoiético, do Sistema endócrino, do Sistema Nervoso e do
Sistema Articular.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Nas sessões TP, os alunos debaterão com o docente a abrangência de cada sintomatologia e dos sinais
correspondentes a cada aparelho e sistema, distribuindo-se entre si em grupos os alunos e colhendo as histórias de cada um dos membros do grupo, com elucidação de todas as eventuais sinais e sintomas. Farão um interrogatório exaustivo e apresentarão uma história bem articulada e bem estruturada . No fim do mesmo haverá um momento de avaliação escrito sobre a matéria até aí debatida, sendo o teste sobre a matéria debatida no semestre. Avaliaçao : avaliaçao continuada mas uma prova teórica. Realizara-se uma segunda prova escrita para alunos que nao tenham alcançado os 10 valores na primeira prova.
A nota final da disciplina é a da avaliaçao escrita e o valor correspondente ao apartado assiduidade-participaçao. em cada uma delas terá o aluno que atingir a avaliação mínima de dez valores. A nota final corresponderá na avaliação teórica . A disciplina proporciona 4 ECTS.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Nesta unidade, a componente teórica (TP; 30h) pretende ensinar a abordagem do doente na sua globalidade; assim sendo, pretende-se fornecer aos alunos as bases para uma correcta avaliação dos doentes, podendo assim prever as possibilidades de êxito do tratamento a ser instituído e prevenir a interferência de doenças pré-existentes com o tratamento a efectuar; irão predominar os métodos demonstrativo e participativo, bem como o treino de avaliação de exemplos de casos clínicos. Na componente de Orientação Tutorial (OT: 7,5 h) serão desenvolvidas actividades que visam o uso e pesquisa de bibliografia científica. As restantes 7,5 horas (O) consistem em sessões que visam
proporcionar aos alunos a identificação e uso correto de recursos didáticos com aplicabilidade prática nesta unidade curricular.

Bibliografia:

[1] Carneiro AV. Técnicas Médicas Essenciais. Lidel 1999
[2] Carneiro AH, Nunes F, Lopes G, Santos LA, Campello G. Manual de Suporte Básico de Vida. Edição do Conselho
Português de Ressuscitação, 2004.
[3] Harrison. Medicina Interna – McGrawHill.
[4] CLINE,B. ( ). Emergências Médicas- Compêndio. McGraw Hill, Lisboa.
[5] SCHWARTZ (1989). Princípios de Cirurgia .Mc Graw Hill, Lisboa, 7ª edição. Grupo Editorial, New Jersey
[6] GRABB, W.C. ( ). Plastic Surgery. Salvat editores
[7] MASSON (1998). Dicionário Médico. Salvat editores
[8] Fisiopatologia , Fundamentos e Aplicações – Anabela Mota Pinto ; Lidel

Objetivos de aprendizagem:

O objectivo principal do ensino desta Unidade Curricular (UC) é de estimular no aluno a estruturação de uma metodologia de actuação clínica baseada no constante enquadramento bioético e deontológico da profissão.

Conteúdos programáticos:

O principal objetivo do ensino deste Curso (UC) é estimular o aluno a estruturar uma metodologia baseada no desempenho clínico constante da estrutura bioética e ética da profissão.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aquisição dos conhecimentos sobre os conceitos com base na discussão de situações enquadradas no foro da ética e deontologia profissional.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Enquadramento de Casos + Teste de avaliação final em plataforma própria

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aquisição dos conhecimentos sobre os conceitos com base na discussão de situações enquadradas no foro da ética e deontologia profissional.

Bibliografia:

1-Código Deontológico da Ordem dos Médicos Dentistas.
2-Estatuto da Ordem dos Médicos Dentistas.
3-Deliberações do Conselho Deontológico e de Disciplina da OMD
4-Recomendações do Conselho Deontológico e de Disciplina da OMD

Objetivos de aprendizagem:

Pertencendo esta disciplina ao semestre em que se inicia a prática clínica, o seu principal objectivo é capacitar o aluno para a realização de actos cirúrgicos simples, através da abordagem teórica dos conhecimentos básicos e essenciais em cirurgia oral menor.

Conteúdos programáticos:

História da Cirurgia Oral. Semiologia e Exame Clínico do Doente, Imagiologia em Cirurgia Oral, Instrumental Utilizado em Cirurgia Oral, Princípios e Técnicas de Anestesia Local, Princípios do Acto Cirúrgico, Incisões e Suturas, Exodontia de Dentes Normalmente Implantados, Acidentes e Complicações Pós-extraccionais. Infecções Odontogénicas. Comportamento em clínica.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas privilegiam os métodos expositivo com vista a uma inter-relação dos vários conteúdos.Privilegia-se a pesquisa bibliográfica sobre a actualidade dos conteúdos expostos no programa da unidade. Nas aulas praticas-laboratoriais predominam os métodos expositivo, participativo e demonstrativo, quando possível realizada pelos alunos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A nota é obtida pela seguinte ponderação 50% teórica, 50% clínica. Nenhuma das componentes pode ter classificação inferior a 9,5 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas privilegiam os métodos expositivo com vista a uma inter-relação dos vários conteúdos.Privilegia-se a pesquisa bibliográfica sobre a actualidade dos conteúdos expostos no programa da unidade. Nas aulas praticas laboratoriais predominam os métodos expositivo, participativo e demonstrativo, quando possível realizada pelos alunos.

Bibliografia:

1. Bagán JV e col. Medicina Oral. Barcelona: Masson, 1995.
2. Boraks S. Diagnóstico Bucal. S. Paulo: Ed. Artes Médicas, 1999.
3. Cawson RA, Odell EW. Essentials of Oral Pathology and Oral Medicine, 6th Ed. London: Churchill Livingstone, 1999.
4. Donado M. Cirurgia Bucal – Patología y Técnica. Madrid: Manuel Donado Rodríguez, 1990.
5. Mano Azul A e col. Atlas de Patología da Mucosa Oral. Porto: AEFMDUP, 1992.
6. Porter S, Scully c. Innovations and Developments in Orofacial Health Care. London: Science Reviews, 1996.
7. Sapp JP, Eversole LR, Wysocki GP. Patología Oral y Maxilofacial Contemporánea. Madrid: Harcourt Brace de España, SA, 1998.

Objetivos de aprendizagem:

O aluno deverá estar apto a reconhecer a anatomia dos tecidos periodontais, entender as suas particularidades morfológicas e vinculá-las aos aspectos funcionais. Em adição, deverá contextualizar a existência do periodonto e de sua fisiologia às características do Sistema Estomatognático. A partir deste reconhecimento, será reforçada a percepção da necessidade de adopção de posturas preventivas que resultem na prevalência do quadro de saúde frente ao binómio saúde-doença. Para tanto, o conhecimento da etiopatogenia e fisiopatologia das doenças periodontais deverá coexistir, assim como, o da possível correlação entre estados sistémicos e saúde oral. Ademais, além de reforçar o estado de saúde e reconhecer o estado de doença, deverá saber classificar as doenças periodontais, indicar os principais métodos de diagnóstico clínico e imagiológico , estabelecer um plano de tratamento coerente com a severidade da doença e promover a interacção com as demais áreas da Medicina Dentária.

Conteúdos programáticos:

Anatomia do Periodonto; Epidemiologia da Doença Periodontal; Microbiologia da Doença Periodontal: Biofilmes e Cálculos Orais; Microbiologia da Doença Periodontal: Infecções Periodontais; Interacções Hospedeiro – Parasita; Classificação das Doenças Periodontais; Patologia Periodontal: Doenças Gengivais; Patologia Periodontal: Periodontite Crônica; Patologia Periodontal: Periodontite Agressiva e Necrosante; Patologia Periodontal: Abscesso Periodontal e Lesão Endo-Pério; Doença Periodontal como Risco para Doença Sistémicas; Trauma de Oclusão;

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Sessões pré-clínicas de simulação do atendimento ao paciente em Periodontia. Abordagem, anamnese, estabelecimento de diagnóstico e plano de tratamento. Escolha de instrumentais e afiação prévia ao seu emprego. Técnicas de Raspagem e alisamento radiculares com curetas periodontais. Utilização de Ultrassons e jactos de bicarbonato. Visão directa e indirecta.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O sistema de avaliação compreende a avaliação dos conhecimentos teóricos e teórico-práticos com os seguintes pesos relativos: 60% na nota teórica e 40% na nota teórico-prática.
Para tanto, o aluno deverá obter classificação mínima de 9,5 valores em cada uma das componentes separadamente para que a classificação final entre as mesmas possa ser calculada.
A obtenção das notas da componente teórica e teórico-prática dar-se-á pela realização de dois testes objectivos, com questões de múltipla escolha, de verdadeiro e falso e de desenvolvimento, os quais respondem por 95% do valor final. Os 5% restantes são afectos à avaliação contínua (assiduidade, pontualidade, colaboração e interesse científico). O valor final corresponde ao obtido pela média aritmética entre o primeiro e o segundo teste.
Na componente prática, o aproveitamento positivo diz respeito a realização das sessões pré-clínicas e aos momentos de avaliação: dois testes teórico-práticos e um teste prático.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O aluno deverá estar apto a reconhecer a anatomia dos tecidos periodontais, entender as suas particularidades morfológicas e vinculá-las aos aspectos funcionais. Em adição, deverá contextualizar a existência do periodonto e de sua fisiologia às características do Sistema Estomatognático. Também, conhecer a epidemiologia da doença periodontal, a etiopatogénese da placa bacteriana e do cálculo dentário, saber classificar as doenças periodontais, elaborar de forma adequada os planos de tratamento, abordar, recepcionar e preencher a ficha clínica, assim como, identificar os recursos instrumentais utilizados em Periodontia.

Bibliografia:

Lindhe J. Tratado de Periodontia Clínica e Implantologia Oral. 5ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. 1304p;
Wolf HF, Edith M, Rateitschak KH. Periodontia. 3 ed. rev. e ampl. Porto Alegre: Artmed Editora SA, 2006. 532p.
Carranza, F. A.,Klokkevold, P. R.; Takei, H. H.; Newman, M. G. Periodontia Clínica. 10ª Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. 1286p.

Objetivos de aprendizagem:

O conteúdo programático desta unidade curricular foi elaborado de modo a transmitir conhecimentos de prostodontia removível obedecendo a cinco aspectos fundamentais da reabilitação oral: respeito pelos aspectos biológicos no processo de reabilitação, construção de próteses que agridam o menos possível as estruturas anatómicas remanescentes; enfase às técnicas de impressão, ao registo correcto da oclusão e ao traçado equilibrado e biológico de uma prótese; obtenção da harmonia ocluso-articular; realce do êxito a longo prazo que está condicionado pela instrução e motivação do paciente.

Conteúdos programáticos:

Apresentação de conteúdos a lecionar e metodologia de avaliação da UC nas diferentes componentes
Considerações gerais sobre PR
Estruturas anatómicas e de suporte protético
Classificação das desdentações: Princípios biomecânicos da Prótese Parcial Removível esquelética
Componentes da PPR esquelética
Componentes da PPR esquelética
Componentes da PPR esquelética
Discussão de situações práticas como preparação para o ensino do desenho biológico
Desenho biológico
Desenho em PPR- Preparações pré-protéticas
Registos intermaxilares em PPR
Registos intermaxilares em PT
Esquemas oclusais em PPR e PT
Prova de estrutura metálica
Prova estética e funcional
Discussão dos conteúdos teóricos lecionados com integração na prática clínica

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O respeito pelos aspectos biológicos no processo de reabilitação e a construção de próteses que agridam o menos possível as estruturas anatómicas remanescentes, estão relacionados com o conhecimento dos tipos de próteses, tipos de desdentações e indicações do desenho em cada uma das situações clínicas apresentadas. O uso de instrumentos como o paralelómetro para a sistemática da reabilitação protética e o perfeito conhecimento de uma oclusão equilibrada, numa reabilitação, permitem ao aluno os conhecimentos necessários para o início do trabalho clínico na área da reabilitação oral com prótese removível.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Ensino teórico (T), complementado por prática laboratorial (PL) e apoiada por ensino tutorial (OT) e outros (O), tarefas adicionais.

A avaliação desta unidade curricular resulta da ponderação de 80% da componente teórica e de 20% da componente prática laboratorial e será efectuada de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor (normativa académica).
A classificação mínima de aprovação é de 10 valores em cada uma das componentes letivas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A componente teórica permite a aquisição dos fundamentos básicos para o planeamento protético e ao mesmo tempo permite que o aluno, na componente laboratorial, execute fases laboratoriais inerentes à construção de uma prótese. Deste modo e tendo como base os fundamentos teóricos, a obtenção de conhecimentos é adquirida de forma sistematizada e integrada, sendo estes aspectos as bases fundamentais do planeamento em reabilitação.

Bibliografia:

Removable Partial Prosthodontics-McCracken. Glen P.McGivney; Alan B. Carr; 13th ed; 2016,Mosby
Protesis Parcial Removible; David Loza Fernandes;Act. Médico Odontol CA
Prótesis Dental I; Guía de Práticas;Ediciones Universitat de Barcelona
Treatment for Edentulous Patients Bouchers. Zarb G., John Hobkirk, et al.. Prosthodontic;13th ed.(2013) Mosby . USA
The Journal of Prosthetic Dentistry;
The International Journal of Prosthodontics .
The Complete Denture : A Clinical Pathway; MacEntee M ;Quintessence Publishing Co. USA

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Adquirir conhecimentos dos materiais terapêuticos, preventivos e restauradores diretos utilizados na reabilitação estética, biológica e funcional das estruturas dentárias. Enumerar e descrever as vantagens, desvantagens, indicações e limitações dos materiais dentários restauradores a utilizar na prática clínica. Execução em clínica de procedimentos operatórios simples e avançados de Dentística, em pacientes; Elaboração de exames clínicos e meios auxiliares de diagnóstico, mediante ferramentas próprias, como inspeção e meios imagiológicos, em dentística clínica; Determinar diagnóstico e planear as prioridades de tratamento terapêutico e profilático em dentística; Avaliar a informação recolhida do paciente e ser capaz de dar resposta clínica, com postura e meios de comunicação adequados na reabilitação dentística.

Conteúdos programáticos:

Ficha clínica de Dentística.Protocolo e normas de atendimento de pacientes. Passos fundamentais para a elaboração de um diagnóstico em Dentística. Materiais restauradores provisórios. Materiais restauradores utilizados em Dentística e suas indicações clínicas. Matrizes e Cunhas. Técnicas de restauração com resinas compostas para dentes posteriores: técnicas incrementais e em bloco. Técnica incremental oblíqua; técnica incremental horizontal e técnica incremental modificada. Fundamentos clínicos para obtenção de pontos de contacto em restaurações com compósito de Classe II. Cáries cervicais. Sensibilidade dentária pós-operatória. Grandes restaurações com amálgama. Dentística Minimamente Invasiva. Atendimento clínico pacientes em dentística.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórica (T; Uma hora semanal): Ficha clínica de Dentística. Protocolo de dentística; Passos fundamentais para a elaboração de um diagnóstico em Dentística. Materiais restauradores provisórios. Materiais restauradores utilizados em Dentística e suas indicações clínicas. Matrizes; Cunhas. Técnicas de restauração com resinas compostas em dentes posteriores. Obtenção de pontos de contacto. Cáries cervicais. Grandes restaurações com amálgama. Sensibilidade dentária pós-operatória. Dentística Minimamente Invasiva. Prática Laboratorial (PL; Três horas semanais em ambiente clínico): Atendimento de pacientes no âmbito da dentística III, em ambiente clínico. Orientação tutorial (OT; 7.5 horas)+Outras sessões (O; 7.5 horas): Pesquisa orientada para casos clínicos; uso adequado de meios de diagnóstico auxiliares (ex. Fotografia, imagiologia) e dispositivos médicos com aplicabilidade clínica no âmbito da dentística.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A avaliação resulta da ponderação de 50% da componente teórica (T) e de 50% da componente prática laboratorial (PL) em clínica e será efectuada de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor. O regime de avaliação da componente (T) compreende a realização de uma prova escrita de acordo com o programa. A classificação mínima de aprovação na prova escrita será de 10 valores. A não obtenção de classificação mínima na prova escrita remete o aluno para exame de recurso em época para o efeito, fixada no cronograma académico. A avaliação prática laboratorial (PL) em clínica inclui assiduidade (90%), pontualidade e postura no atendimento ao paciente, competências científicas, técnicas e relacionais, qualidade do trabalho clínico, organização e limpeza do espaço de trabalho. O regime de assistência às aulas é o adoptado no Regulamento Pedagógico em vigor. Para obter a creditação o aluno terá de garantir a obtenção de 4 ECTS previstos, cumprindo o descrito na avaliação.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aulas teóricas (T; 16 Horas; Uma hora semanal) -destinam-se a expor e a atualizar, de forma descritiva e organizativa, os conceitos, teorias e postulados descritos nos conteúdos programáticos da Dentística III que, apoiados numa bibliografia, visam desenvolver competências científicas e profissionais nos alunos. Aulas práticas laboratoriais (PL; 48 Horas; Três horas semanais)- Sessões realizadas na clínica semanalmente, onde será efectuado atendimento de pacientes pelos alunos, que serão supervisionados e monitorizados pelos docentes responsáveis. Serão efectuados examinação intra-oral, diagnóstico, tratamento e reabilitação da estrutura dentária com materiais restauradores diretos, conforme os protocolos e normas de boas práticas clínicas, para desenvolvimento de competências terapêuticas e o aperfeiçoamento de técnicas operatórias em Dentística, promovendo o atendimento clínico de pacientes com postura, qualidade e segurança. Aulas OT (7.5 Horas): Sessões de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir atingir os seguintes objectivos: usar corretamente bibliografias; desenvolver métodos de pesquisa científica para suporte de casos observados na prática clínica de dentística. Aulas O (7.5 Horas): Sessões livres, no sentido de possibilitar ao aluno usar corretamente meios de diagnóstico auxiliares (ex. Fotografia, imagiologia) e dispositivos médicos com aplicabilidade clínica no âmbito da dentística.

Bibliografia:

1) NETTO G, NARCISO, et al. Dentística Restauradora. Diagnóstico, prevenção, protecção da polpa, hiperssensibilidade dentinária, adesão. Santos Livraria Editora, 2003.
2) BARATIERI, et al. Odontologia restauradora – Fundamentos e possibilidades. Quintessence 1ª ed 2001
3) BARATIERI et al. Dentística. Procedimentos preventivos e restauradores. Quintessence 2000
4) Artigos científicos recomendáveis em função dos conteúdos programáticos e prática clínica da Dentística.
5) Schulte AG, Pitts NB, Huysmans MCDNJM, Splieth C and Buchalla W. European Core Curriculum in Cariology for undergraduate dental students. Eur J Dent Educ 15 (suppl. 1), 2011: 9-17 – Domínio II e Domínio IV.

Objetivos de aprendizagem:

A temática desta unidade curricular (UC) visa capacitar os alunos para a execução, em clínica, de procedimentos de Endodontia em pacientes. A UC pretende proporcionar um suporte científico, tanto no âmbito dos materiais dentários terapêuticos/endodônticos, para a compreensão dos princípios essenciais e técnicas, simples e avançadas, fundamentais no âmbito do tratamento da patologia pulpar e perirradicular.

Conteúdos programáticos:

Indicações e contra-indicações do Tratamento Endodôntico Não-Cirúrgico. Protocolo clínico de tratamento endodôntico não-cirúrgico: fim de consulta. Isolamento absoluto em Endodontia: conceito, instrumental, técnicas e protocolo clínico. Pré-tratamento endodôntico e Isolamento absoluto em casos clínicos simples e complexos. Determinação do comprimento de trabalho pelo método electrónico (localizador electrónico do ápice). Revisão Protocolo Irrigação e soluções Irrigantes alternativas. Obturação termoplástica versus condensação lateral. Diagnóstico em Endodontia: discussão de casos clínicos. Controlo da infecção cruzada na consulta de Endodontia. Sessão única versus sessões múltiplas. Medicação Intracanalar: conceito, propriedades, indicação de uso e protocolo clínico. Radiologia em Endodontia – revisão de técnicas, identificação de estruturas normais e patológicas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os temas são aqueles que permitem aos alunos adquirir o conhecimento necessário para atender eficientemente casos endodônticos monocanalares de grau de dificuldade e risco baixo.
Esta UC visa, também, na componente prática clínica, a aquisição de competências no que se refere ao senso clínico necessário relativamente ao diagnóstico da patologia pulpar e periapical, bem como às intervenções clínicas necessárias para conservar o dente, em função, na cavidade oral.
Na componente teórica (T) expositiva há orientação para a pesquisa e seleção bibliográfica científica adequada no âmbito dos temas descritos no programa desta UC, fomentando, assim, a leitura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica e o contacto com a nomenclatura científica.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A avaliação contínua ao longo do semestre resulta da ponderação de 50% de cada uma das componentes. A componente Teórica compreende uma prova escrita; na componente Prática-Laboratorial, em sessões semanais, serão efectuados, pelos alunos, tratamentos endodônticos em dentes monocanalares em pacientes, tratamentos endodônticos in vitro em dentes multicanalares e a actividades diversas relacionadas com o protocolo da consulta de Endodontia.
A classificação mínima de aprovação em cada componente será de 9,5 valores. A não obtenção dessa classificação mínima, na componente teórica remete o aluno para exame de recurso em época para o efeito, fixada no cronograma académico. O aluno com classificac¸a~o inferior a 9,5 valores na componente pra´ctica é declarado “na~o aprovado”.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A componente teórica (T; 15h) permite a integração dos princípios de Endodontia e a componente prática-laboratorial (PL; 45h), a execução do protocolo clínico do Tratamento Endodôntico Não-Cirúrgico, pretendendo-se que a aquisição de competências seja feita de forma sistematizada e integrada. Na tipologia T predominam os métodos expositivo, ilustrativo e participativo; já na PL, predomina o método demonstrativo e a prática clínica e pré-clínica do aluno para lhe possibilitar o desenvolvimento de competências técnicas e científicas bem como treino e análise da destreza manual, individual e em equipa.
Na componente Orientação Tutorial (OT; 7,5h) serão desenvolvidas actividades que visam o uso de bibliografia, a pesquisa científica e organização de leituras para aprofundamento dos conteúdos transmitidos assim como a sua actualização.
As outras (O; 7.5 horas) consistem em sessões livres que proporcionam, ao aluno, identificar e usar corretamente recursos didáticos com aplicabilidade prática no âmbito da unidade curricular.

Bibliografia:

Cohen S, Burns RC. Pathways of the Pulp. 11ª ed. Mosby, Inc., 2011
Ingle JL. Endodontics. 6ª ed. Lea e Febiger, 2008
Gutmann JL, Dumsha TC, Lovdahl PE, Hovland EJ. Problem solving in Endodontics. 5ª ed. Mosby, Inc.. 2011
European Society of Endodontology (2006), Quality guidelines for endodontic treatment: consensus report of the European Society of Endodontology. International Endodontic Journal, 39: 921–930. doi: 10.1111/j.1365-2591.2006.01180.x
Siqueira JF Jr. Treatment of endodontic infections. 1st ed. London: Quintessence Publishing, 2011
Artigos científicos recomendáveis em função dos conteúdos programáticos.

Objetivos de aprendizagem:

Desenvolver competências para gerir de forma adequada os recursos farmacológicos em função da natureza da intervenção. Reconhecer condições especiais de saúde e as suas limitações nas abordagens terapêuticas. Diagnosticar inclusões e implicações associadas, elaborando planos de tratamento cirúrgicos, não-cirúrgicos e combinados. Diagnosticar condições clínicas dos tecidos moles e as suas soluções cirúrgicas. Capacitar para a realização de uma correta Anamnese e Exame Físico/ Conhecimento dos Métodos de Diagnóstico em Medicina e Cirurgia Oral/ Conhecimento dos Exames Complementares/ Conhecimento de histopatologia / Reconhecimento de alterações de desenvolvimento maxilo-facial/ Diagnóstico e tratamento das patologias mais frequentes médico-cirúrgicas da cavidade oral

Conteúdos programáticos:

Farmacologia e Terapeutica em Cirurgia Oral/ Cirurgia Oral em Doentes especiais/ Exodontia Complicada/ Princípios gerais da Inclusão dentária/ 3º Molar Incluso/ Canino Incluso/ Outras Inclusões e Supranumerários/ Cirurgia de tecidos moles. Anamnese e Exame Físico/ Diagnóstico em Medicina Oral/ Alterações de desenvolvimento/ Histopatologia/ Lesões provocadas por agentes físicos, químicos, radioterapia, quimioterapia. Infecções da Mucosa Oral/Infecção HIV/Ulcerações Orais recorrentes.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos são coerentes com os objectivos da aprendizagem nesta unidade curricular, na medida em que permitem a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de competências clínicas que são exigíveis para todas as actividades em que estão envolvidas a Medicina e a Cirurgia Orais. A prática laboratorial (clínica) orientada possibilita o contacto com situações usuais na prática diária de Medicina Dentária.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A unidade curricular estará dividida nas componentes Teórica (15h), Prática Laboratorial (45h), Orientação Tutorial (7,5 h) e Outras (7,5h). Os conhecimentos são ministrados por aulas teóricas (que valem 50% da nota final, ou seja 3 ECTS, com uma nota mínima de aprovação igual ou superior a 10 valores). A parte prática será ministrada em 45 horas, que valem a outra metade da nota (3 ECTS também com valor mínimo de aprovação de 10 valores). A aprovação desta unidade curricular atribui 6 ECTS, sendo obrigatória a nota mínima de 10 valores em cada uma das componentes avaliadas (T e PL). A componente prática/clínica tem como objetivo pedagógico, para cada discente, a realização de uma cirurgia dentoalveolar e duas consultas de triagem/diagnóstico. O regime de assistência às aulas reporta ao regulamento pedagógico em vigor.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As várias componentes permitirão a aquisição de conhecimentos teóricos dos temas abordados que serão treinados nas Práticas Clínicas. Nas componentes Orientação Tutorial e Outras serão desenvolvidas actividades que permitam aos alunos aprender a usar correctamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica e organizar leituras para permitir o aprofundamento dos conteúdos transmitidos assim como a sua actualização.

Bibliografia:

M. Donado. Cirugía Bucal – Patología y Técnica. Elsevier Masson. 3ª Ed. 2005
M A Pogrel, K E Kahnberg, L Andresson. Essentials of Oral ans Maxillofacial Surgery
Ed. Wiley Blackwell, 2014
J R Hupp, E Ellis III, M R Tucker. Cirurgía Oral Y Maxillofacial- Contemporánea. 5ª Ed. Elsevier españa.2014

Objetivos de aprendizagem:

Os alunos deverão adquirir um conhecimento teórico sólido dos temas básicos de Odontopediatria. Deverão conhecer as características específicas do paciente infantil em desenvolvimento e diagnosticar as patologias mais frequentemente observadas em Odontopediatria. No final do semestre os alunos deverão estar aptos a realizar, de forma independente, os tratamentos básicos em dentição temporária e permanente jovem.

Conteúdos programáticos:

Odontopediatria. Introdução e conceito
História e exploração clínica
Princípios fisiológicos e medicação
Anestesia local
Cronologia de erupção e análise da oclusão da dentição temporária e permanente
Morfologia dos dentes temporários
Outras considerações morfológicas
Desenvolvimento psicológico da criança
Técnicas básicas e avançadas de controlo do comportamento
Tratamentos sob anestesia geral
Isolamento do campo operatório
Dentisteria operatória em dentes decíduos e permanentes jovens
Considerações pulpares em dentes temporários e permanentes jóvens
Tratamentos pulpares em dentição decídua
Tratamento de grandes destruições
Coroas de aço inoxidável e coroas estéticas anteriores
Técnicas de apicogénese e apicoformação
Cirurgia oral em odontopediatria
Outros procedimentos cirúrgicos em Odontopediatria
Prótese dentária em Odontopediatria
Diagnóstico e plano de tratamento. Protocolo de atendimento
Introdução à clínica odontopediátrica

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os temas básicos de Odontopediatria são aqueles que permitem aos alunos adquirir o conhecimento mínimo necessário para atender eficientemente um paciente infantil. As características específicas do paciente infantil a abordar relacionam-se com o desenvolvimento fisiológico (e suas implicações a nível de medicação e anestesia local), psicológico (indicando as diversas técnicas de controlo de comportamento básicas e avançadas) e dentário (enfatizando as diferenças entre as dentições temporária e permanente, desenvolvimento da oclusão e substituição dentária). Os tratamentos básicos a realizar em Odontopediatria incluem os tratamentos restauradores em dentes temporários e permanentes jovens (dentisteria operatória e tratamento de grandes destruições), tratamentos pulpares (pulpotomia, pulpectomia, apicogénese e apicoformação), procedimentos cirúrgicos básicos (extrações dentárias e frenectomias) e reposição de dentes perdidos através de prótese, sempre que indicado.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A UC estará dividida nas componentes Teórica, Prática Laboratorial, Orientação Tutorial, e Outros. Componente Teórica: abordará temas básicos, com recurso a apresentações teóricas. Componente Prática Laboratorial: realização de práticas simuladas sincronizadas com temas das aulas teóricas, por fotografias de casos clínicos, modelos de estudo e tipodonto pediátrico, preparando para o futuro atendimento de pacientes reais. A avaliação será efetuada nas componentes Teórica e Prática Laboratorial (peso de 50% cada componente). Na componente Teórica será realizada uma prova escrita no final do semestre. A avaliação na Prática Laboratorial será contínua e também com 4 testes de realização obrigatória. A aprovação desta UC atribui 4 ECTS, sendo obrigatória a nota mínima de 10 valores em cada uma das componentes. O regime de assistência às aulas reporta ao regulamento pedagógico em vigor.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As várias componentes permitirão a aquisição de conhecimentos teóricos dos temas abordados que serão treinados, em clínica simulada, nas Praticas Laboratoriais. O material de apoio a utilizar nas aulas (fotografias de casos clínicos, modelos de estudo e tipodonto) permite o desenvolvimento de competências para a realização dos tratamentos básicos de uma consulta de Odontopediatria, dotando cada aluno da capacidade da sua realização de forma autónoma. A avaliação contínua permite que o aluno tenha conhecimento da sua progressão nas matérias. Nas componentes Orientação Tutorial e Outra serão desenvolvidas actividades que permitam aos alunos aprender a usar correctamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica e organizar leituras para permitir o aprofundamento dos conteúdos transmitidos assim como a sua actualização.

Bibliografia:

Barbería, E. (2014). Atlas de Odontología infantil para Pediatras y Odontólogos. Madrid. (2ª edição). Ripano.
Barbería, E. (1997). Lesiones traumáticas en odontopediatría – Dientes temporales y permanentes jóvenes. Barcelona. Masson.
Barbería E. et alli. (1995). Odontopediatría. Barcelona. Masson.
Boj, JR. e Ferreira, LP. (2010). Atlas de Odontopediatria. Madrid. Ripano.
Boj, JR. et alli. (2004). Odontopediatría. Barcelona. Masson.
Laskaris, G. (2000). Color Atlas of Oral Diseases in Children and Adolescents. New York. Thieme e Stuttgart.
McDonald, RE. e Avery, DR. (1995). Odontopediatria. Rio de Janeiro. (6ªedição). Guanabara Koogan.
Millet, D. e Welbury, R. (2000). Orthodontics and Paediatric Dentistry. Churchill Livingstone.
Kramer, PF., Feldens, CA. e Romano, AR. (1997). Promoção de Saúde Bucal em Odontopediatria- diagnóstico, prevenção e tratamento da cárie oclusal. São Paulo. Ed. Artes Médicas.
Pereira, A. et alli. (2001). Cáries Precoces da Infância. Medisa.

Objetivos de aprendizagem:

Dotar os alunos com a capacidade de interpretar o que é normal e anormal em cada passo do crescimento e desenvolvimento do aparelho estomatognático, para que possam atuar com medidas preventivas, intercetivas e corretivas oportunas.
Informar circunstanciadamente sobre os fatores etiológicos de caráter geral e local, endógenos e exógenos, suscetíveis de deter ou alterar o normal desenvolvimento das estruturas dentoalveolares, bem como esclarecer os seus caminhos etiopatogénicos.

Conteúdos programáticos:

- Definição e divisões da Ortodontia
- Importância da ortodontia intercetiva.
- Movimento dentário e suas bases biológicas
- Fases do desenvolvimento da dentição

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O programa contém a informação que integra a ortodontia no contexto da medicina dentária, dotando o aluno de conhecimentos sobre a movimentação dentária e crescimento craniofacial. Permite a aquisição de conhecimentos e protocolos para o diagnóstico completo integrado e entendimento das situações normais e anormais de cada momento do desenvolvimento da dentição, que guiem as atitudes clínicas e terapêuticas ajustadas.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A unidade curricular estará dividida nas componentes teórica (15h), prática laboratorial (30h) e orientação tutorial (7,5h). A componente teórica terá uma uma frequência no final do semestre.
A componente laboratorial será composta por quatro avaliações práticas no decorrer do semestre, a par da avaliação do interesse pela aprendizagem e das relações humanas e responsabilidade.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Informar os alunos sobre a contextualização da ortodontia no âmbito da medicina dentária e das suas áreas de intervenção.
Proporcionar conhecimentos sobre a movimentação dentária sob condições fisiológicas, patológicas e conduzida por sistemas artificiais, bem como sobre os desequilíbrios fisiológicos e bioquímicos por esta induzidos.
Assegurar as noções básicas das etapas do desenvolvimento da dentição, como forma de diagnosticar e agir oportuna e adequadamente

Bibliografia:

- Proffit, W., Fields, H., Larson, B., Sarver, D. (2018) Contemporary Orthodontics. 6th edition. Mosby Elsevier. St. Louis, Missouri, USA.
- Graber, L., Vanarsdall, R., Vig, K., Huang, G. (2016). Orthodontics. 6th edition. Mosby Elsevier. St. Louis, Missouri, USA.
- Silva, C. (2007). O Movimento Dentário Ortodôntico. Editora Facies. Porto, Portugal.
- Wilson, B., Warunek, S. (2004).Practical Guide to Orthodontic Appliances. Great Lakes Orthodontics, Ltd. Buffalo, New York, USA.
- Nakajima, E. (2010). Manual of Wire Bending Techniques. Quintessence Publishing Co, Inc. Illinois, USA.

Objetivos de aprendizagem:

No final da unidade curricular o aluno deverá:
•Saber aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridas, de forma a evidenciar uma abordagem profissional.
•Mostrar capacidade de recolher, seleccionar e interpretar informação relevante para o estabelecimento do diagnóstico e do respectivo plano de tratamento periodontal, com componentes não cirúrgicas e cirúrgicas. Deverá ainda possuir conhecimentos que lhe permitam determinar o prognóstico de cada peça dentária.
•Saber aplicar conhecimentos teóricos e demonstrar capacidades de execução de diferentes actos clínicos de tratamento periodontal não cirúrgico, com diferentes graus de dificuldade.
•Ser capaz de fundamentar as soluções que preconize e os juízos que emite, incluindo na análise os aspectos sociais científicos e éticos relevantes.

Conteúdos programáticos:

. Planeamento do tratamento de doentes com doença periodontal e prognóstico.
. Exame de pacientes com doença periodontal e Métodos de diagnóstico em Periodontia
. Tratamento dirigido à causa
. Tratamento Periodontal Cirúrgico
. Cirurgia mucogengival – Cirurgia Plástica Periodontal
. Cirurgia regenerativa em Periodontia
. Tratamento das lesões de furca
. Tratamento Periodontal de Suporte
. Avaliação continua
. Bases científicas do tratamento periodontal

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O conhecimento do aluno será certificado através de uma avaliação dos conhecimentos teórico-práticos e clínicos. À componente teórico-prática da disciplina corresponderão dois ECTS e à componente clínica dois ECTS.
Descrição: Exame de Pacientes Periodontais. Métodos tradicionais e novos métodos de diagnóstico em Periodontia. Plano de tratamento dirigido à causa. Princípios gerais de Cirurgia Periodontal. Tratamento das lesões de furca. Cirurgia Mucogengival. Cirurgia regenerativa em Periodontia. Tratamento Periodontal de Suporte.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O conhecimento do aluno será certificado através de uma avaliação dos conhecimentos teórico e clínicos na seguinte percentagem: 50% nota teórico e 50% nota da avaliação do trabalho clínico desenvolvido com pacientes.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

À componente clínica da disciplina corresponderão dois ECTS. A obtenção dos dois ECTS depende do cumprimento dos seguintes parâmetros:
• Pontualidade e assiduidade (10%)
• Apresentação e postura do aluno nas aulas clínicas. Relacionamento com os colegas, com os funcionários e com os doentes (10%)
• Posição de trabalho, organização e limpeza do espaço de trabalho (10%)
• Conhecimentos teóricos sobre matérias relacionadas com a prática clínica (20%)
• Capacidade de estabelecer um diagnóstico periodontal correcto e o respectivo plano de tratamento (25%)
• Capacidade de execução dos actos clínicos tendo em conta o grau de dificuldade (25%)

Bibliografia:

Lindhe, J., Lang, N., – Sixth edition (2015). Clinical Periodontology and Implant Dentistry. Blackwell Munksgaard.

Objetivos de aprendizagem:

Com esta unidade curricular, pretende-se que os alunos consolidem os conhecimentos de Prostodontia Removível, adquiridos na disciplina de Prostodontia I e, ao mesmo tempo, novos conhecimentos que lhes permitam usar na sua prática clínica a aprendizagem, adquirida. O objectivo desta disciplina é assim permitir aos alunos a prática clinica, na confecção de Prótese Parcial Removível (PPR) e Prótese Total Removível (PTR), através da aquisição de conhecimentos para o Diagnóstico e Plano de Tratamento para uma Reabilitação Removível, assim como, interpretar e aplicar os protocolos de atendimento clínico.

Conteúdos programáticos:

Componente Teóricas
Relações com o Laboratório e com o técnico de prótese- Funções legais de cada profissional
Suporte para uma base protética de extremo livre
Prótese imediata-Protocolo clínico
Rebasamentos- Indicações dos rebasamentos
Consertos, assistência e manutenção de PR
Eixo rotacional em PPR
Estética em PPR
Sobredentadura dentosuportada
Síndrome Kelly - Caracteristicas, Causas, Tratamento , Prevenção
Problemas pós-inserção ao nível de conforto, função, estética, fonética em prótese total
Lesões causadas pelo uso de PPR
Apresentação de casos Clínicos
Componente PL (clínica):
Exame e ficha clínica
Protocolos clínicos de PPR
Protocolo clínico na confecção de PPR ePT
Materiais utilizados em clínica

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos da unidade curricular relacionados com a reabilitação oral com prótese removível, tem como objectivo permitir que o aluno desenvolva tratamentos reabilitadores em pacientes, iniciando com casos clínicos de baixa complexidade e simultaneamente à aquisição teórica de novos conhecimentos, resolva situações mais complexas de desdentados totais ou mesmo parciais. Estes casos relacionados com particularidades anatómicas da cavidade oral ou mesmo o desenvolvimento de síndromas levam a alteração de protocolos de execução na tentativa de reabilitar situações limites.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Ensino teórico (T), complementado por prática laboratorial (PL) em execução pré-clínica/clínica de iniciação e apoiada por ensino tutorial (OT) e por outras actividades (O) entre elas a discussão de casos clínicos.

A avaliação desta unidade curricular resulta da ponderação de 50% da componente teórica e de 50% da componente prática laboratorial e será efectuada de acordo com os parâmetros definidos na Normativa Académica
A classificação mínima de aprovação é de 10 valores em cada uma das componentes definidas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas (T) têm como objectivo a aquisição de conhecimentos por parte dos alunos relativos a situações clínicas particulares e de complexidade mais elevada. Simultaneamente a consolidação dos conhecimentos adquiridos anteriormente, que permitem a resolução de situações clínicas. Serão ministrados conhecimentos de prática laboratorial (PL) dos trabalhos a realizar em clínica como preparação prévia às aulas em clínica de atendimento de pacientes. As tipologias (O) e (OT) contemplam a realização de trabalhos laboratoriais e a discussão de casos clínicos a realizar pelos alunos.

Bibliografia:

Carr AB, McGivney GP, Brown DT (2016). McCracken's Removable Partial Prosthodontics, 13 th ed. Michigan: Elsevier.
Zarb GA, Hobkirk J , et al. (2013). Treatment for Edentulous Patients Boucher’s;13th ed. Michigan: Mosby.
Davenport JC, Basker RM, Heath JR (2000). A clinical guide to removable partial denture design (BDJ books). London: BDA.
Davenport JC, Basker RM, Heath JR, Talph JP, Glantz PO (2000). A clinical guide to removable partial dentures (BDJ books). London: BDA.
Jagger D, Harrison A (1999). Complete dentures: problem solving (BDJ books). London: BDA.
McCord JF, Grant AA (2000) . A clinical guide to complete dental prosthetics (BDJ books). London: BDA.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

As principais competências a atingir com a disciplina são:
- Reconhecimento dos diferentes tipos de dores orofaciais, tendo especial atenção às características clínicas associadas às dores orofaciais crónicas
- Reconhecimento dos sinais e sintomas característicos das diferentes Disfunções temporomandibulares (DTMs), diagnósticos diferenciais e técnicas a utilizar no seu tratamento;
- Reconhecimento de distúrbios do sono com impacto no sistema estomatognático, em especial o bruxismo do sono;
- Utilização laboratorial e clínica de um articulador semi-ajustável e obtenção de esquema oclusal terapêutico.
- Realização de uma avaliação clínica (história, exame clínico e exames auxiliares de diagnóstico) com vista ao diagnóstico clínico de DTMs;
- Implementação dos protocolos terapêuticos nas DTMs mais frequentes.

Conteúdos programáticos:

Teóricas
Mecanismos de dor orofacial
Diferentes tipos de dor orofacial e diagnóstico diferencial
Etiologia e epidemiologia geral das DTMs
DTMs articulares- características clínicas e fisiopatologia
DTMs musculares- características clínicas e fisiopatologia
Outras DTMs: hipomobilidade crónica mandibular e disfunções de crescimento
Distúrbios do sono: bruxismo e apneia do sono
Exames auxiliares de diagnóstico nas DTMs
Tratamento das DTMs- diferentes técnicas terapêuticas utilizadas e suas indicações
Práticas-laboratoriais
Montagem de modelos em articulador semi-ajustável (PIM e RC) e técnicas de individualização deste
Estudo oclusal no articulador
Técnica de desgaste selectivos no articulador
História e exame clínico em oclusão
Exames auxiliares de diagnóstico
Diagnóstico de DTMs
Protocolos terapêuticos nas DTMs

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas serão leccionadas com vista aos alunos terem a noção dos mecanismos neurofisiológicos subjacentes às diferentes dores orofaciais, com especial relevo para as dores orofaciais crónicas. Obtenção de conhecimentos no âmbito da etiologia e fisiopatologia das DTMs, bem como, do diagnóstico (clínico e meios auxiliares de diagnóstico) e das diferentes modalidades terapêuticas utilizadas. Diagnóstico dos distúrbios do sono com repercussões na cavidade oral.
As aulas práticas laboratoriais serão ministradas de modo a que a preparação para a componente clínica seja máxima, permitindo aos alunos utilizarem técnicas essenciais à elaboração de diagnósticos e de planos de tratamento, no âmbito da reabilitação oclusal e tratamento das DTMs.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Ensino teórico (T) complementado por prática laboratorial (PL) Este ensino será apoiado por ensino tutorial (OT) de acompanhamento aos conhecimentos adquiridos em ambas as componentes e por outras actividades (O) entre elas de investigação.
Nesta unidade curricular a avaliação teórica e PL1 de suporte à PL tem uma ponderação de 80% na nota final é avaliada em avaliação contínua por um teste pela plataforma de e-learning (30% - nota mínima 8 valores) e um teste presencial (70%- nota mínima 9 valores). O somatório percentual de ambos os momentos tem de ser igual ou superior a 9,5 valores para que se obtenha aprovação à componente T e PL1. A avaliação prática laboratorial de 20% da nota final e é avaliada por um sistema de avaliação continua. A classificação mínima de aprovação em cada uma destas componentes é de 10 valores.
Sistema de créditos- Unidade Curricular com 5 créditos:
Teórica e PL1- 3 ECTS
Prática Laboratorial- 2 ECTS

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas com carácter expositivo e complementadas por bibliografia adequada, têm como objectivos que o aluno adquira os conhecimentos básicos para o diagnóstico dos diferentes tipos de dor orofacial. Compreenda a etiologia, reconheça os sinais e sintomas característicos das diferentes DTMs e saiba as indicações para os diferentes exames auxiliares de diagnóstico e abordagens terapêuticas das DTMs.
As aulas práticas laboratoriais com carácter demonstrativo, seguida pela realização pré-clínica dos diferentes trabalhos pelos alunos, têm como objectivo que o aluno seja capaz de realizar uma montagem e programação de um articulador semi-ajustável, analisar os parâmetros oclusais em modelos e realizar técnica de desgastes selectivos. Pretendem que o aluno em ambiente pré-clínico seja capaz de realizar uma história e exame clínicos para diagnóstico de DTMs, domine os principais meios auxiliares de diagnóstico e aplique os protocolos terapêuticos para as DTMs mais frequentes.

Bibliografia:

Okeson JP. Management of temporomandibular disorders and occlusion. 7th Edition, Mosby-Elsevier, 2013.
Okeson JP. Bell’s orofacial Pains-The Clinical Management of Orofacial Pain. 7th Ed, Quintessence Books, 2014.
Dawson PE. Funcional Occlusion- From TMJ to Smile Design, Mosby-Elsevier, 2007.

Objetivos de aprendizagem:

A temática desta unidade curricular visa adquirir conhecimentos e capacitar os alunos para a execução em clínica de procedimentos integrados de Endodontia e Dentística, em pacientes. A disciplina pretende proporcionar um suporte científico, tanto no âmbito dos materiais dentários terapêuticos e restauradores, para a compreensão dos princípios essenciais e técnicas, simples e avançadas, fundamentais na reabilitação das estruturas dentárias, como também no âmbito da patologia pulpar e perirradicular.
- Capacidade de elaborar o diagnóstico inerente à patologia que afecta a estrutura dentária, (complexo-dentino-pulpar e perirradicular)
- Avaliar o estado vital/ou não do dente
- Capacidade de elaborar o tratamento endodòntico adequado quando indicado e/ou a reabilitação restauradora provisória e/ou definitiva por técnicas directas da peça dentária, mediante uma adequada selecção de materiais e técnicas.

Conteúdos programáticos:

Meios auxiliares de retenção (pinos e espigões). Grandes restaurações em dentes anteriores. Branqueamento de dentes vitais e não vitais. Avaliação dos factores predisponentes, prevenção e tratamento da sensibilidade pós-operatória. Laser em Medicina Dentária. Abordagem minimamente invasiva dos tecidos dentários duros. Traumatologia Dentária. Controlo da dor e infecção em Endodontia. Sistemas de instrumentação e irrigação alternativos. Discussão de casos clínicos. Retratamento endodôntico não-cirúrgico / Microcirurgia endodôntica.MTA

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A componente teórica fundamenta as propriedades, vantagens e desvantagens dos diversos materiais e técnicas endodonticas e de restaurabilidade da porção coronal dentária. A pratica clínica (PL) possibilita o contacto com alterações do estado de vitalidade por patologias do complexo dentino-pulpar e/ou peri-radicular, com o propósito de avaliação e determinação de diagnóstico bem como elaboração de tratamento adequado conservador no paciente.
Na componente teórica (T) expositiva há orientação para a pesquisa e seleção bibliografia científica adequada no âmbito dos temas descritos no programa desta unidade curricular,fomentando assim a leitura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica e contacto com nomenclatura científica, bem como a motivação para a elaboração de trabalhos de investigação e apresentações científicas no âmbito da medicina dentária de conservação.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A avaliação desta unidade curricular resulta da ponderação de 20% da componente teórico (T) e de 80% da componente prática clínica (PL) e será efectuada de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor. Teste escrito (20%; Dentistica 0,5 ECTS+ Endodontia 0,5 ECTS)+ Prática Clinica (80%; Dentistica 2 ECTS+ Endodontia 2 ECTS); A não obtenção de classificação mínima de 9,5 valores (em dentistica e em endodontia) na tipologia teórica remete o aluno para exame de recurso em época para o efeito, fixada no cronograma académico. A classificação mínima de aprovação da avaliação da prática clínica será de 9,5 valores em actos clinicos de dentistica e 9,5 valores em actos clinicos de endodontia, para aquisição da componente prática (PL) desta unidade curricular.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas teóricas (T) privilegiam os métodos expositivo e participativo, com vista a uma inter-relação de conteúdos das ciências da cariologia, dentística e do endodonto bem como das patologias que afectam os tecidos dentários duros, que promovem reacção do complexo dentino-pulpar, que comprometem a vitalidade dos dentes, que afectam os tecidos radiculares e os peri-radiculares. Privilegia-se a pesquisa bibliográfica sobre a actualidade dos conteúdos expostos no programa da unidade, sobretudo quanto a ensaios in vitro e in vivo, e restantes evidências da literatura sobre os mesmos. Nas aulas práticas (PL) predomina o método demonstrativo e prática clínica pelos alunos, quanto á elaboração do exame clínico, testes de sensibilidade/vitalidade dentárias, exames radiográficos, determinação do diagnóstico e intervenção endodôntica e/ou de dentística operatória restauradora. Na prática clínica com pacientes, são recolhidos e analisados os dados necessários para a reabilitação das estruturas dentárias (raiz e coroa dentária), são executados tratamentos endodônticos de dentes mono e pluri-radiculares, bem como os restantes tratamentos restauradores, segundo protocolos de actuação conservadores, promovendo-se ainda o atendimento do paciente com postura clínica, qualidade e segurança para o paciente e equipa de medicina dentária.

Bibliografia:

1) NETTO G., NARCISO, et al. Dentística Restauradora. Diagnóstico, prevenção, protecção da polpa, hipersensibilidade dentinária, adesão. Santos Livraria Editora, 2003.
2) Artigos científicos fornecidos aos alunos de acordo com a distribuição temática das aulas teóricas (ver distribuição dos tempos lectivos).
3) “European Core Curriculum in Cariology for undergraduate dental students”. AG Schulte, NB Pitts, MCDNJM Huysmans, C Splieth and W Buchalla. Eur J Dent Educ 15 (suppl. 1), 2011: 9-17 – Domínios I, II, III, IV e V
4) Cohen’s Pathways of the pulp, Cohen, 11ª Edição, Elsevier 2016 – Cap 4, 6, 8, 11, 14, 15, 18, 19, 20
5) Textbook and color atlas of traumatic injuries to the teeth. Andreasen, Andreasen, Andersson, 4ª Edição, Blackwell 2007 – Cap. 8, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17
6) Problem Solving in endodontics. Gutmann, Lovdahl, 5ª Edição, Elsevier 2011 – Cap 5, 10, 14, 15.

Objetivos de aprendizagem:

Capacidade de estabelecer diagnósticos diferenciais de patologias complexas/ Capacidade de seleccionar meios auxiliares de diagnóstico/ Capacidade de estabelecer plano de tratamento, monitorizar o paciente e intervir em pacientes medicamente comprometidos/ Capacidade de diagnosticar lesões potencialmente malignas e lesões malignas/ Entender o papel do médico dentista na identificação de fatores de risco, prevenção e diagnóstico de cancro oral/ Consolidar os conhecimentos de Cirurgia Oral / Abordar teoricamente temas de Cirurgia Oral mais avançada.

Conteúdos programáticos:

Líquen plano oral, Doenças vesículo-bolhosas da cavidade oral, Doenças inflamatórias do tecido conjuntivo, Patologia da língua e dos lábios, Manifestações orais de doenças hematológicas, Neoplasias benignas da mucosa oral, Lesões pré-malignas da cavidade oral, Patologia das glândulas salivares. Princípios e técnica de Biópsia na Cavidade Oral, Patologia quística dos maxilares, Patologias dos Seios Maxilares, Patologias da Articulação Temporomandibular, Traumatismos dento-alveolares, Reimplantes, Transplantes e Implantes Dentários, Cirurgia Oral e Ortodontia, Cirurgia Pré-Protética, Enxertos Ósseos, Distracção Óssea, Laser em Cirurgia Oral

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos teóricos são coerentes com os objectivos da aprendizagem nesta unidade curricular, na medida em que permitem a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de competências clínicas que são exigíveis para todas as actividades em que estão envolvidas a Medicina e a Cirurgia Orais. A prática laboratorial em execução clínica possibilita o contacto com situações usuais na prática diária de Medicina Dentária. Os conteúdos programáticos teóricos são coerentes com os objectivos da aprendizagem nesta unidade curricular, na medida em que permitem a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de competências clínicas que são exigíveis para todas as actividades em que estão envolvidas a Medicina e a Cirurgia Orais. A prática laboratorial em execução clínica possibilita o contacto com situações usuais na prática diária de Medicina Dentária.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Os conhecimentos são ministrados por aulas teóricas (T - 15 horas) (50% da nota final, ou seja 2 ECTS, com uma nota mínima de aprovação igual ou superior a 10 valores em cada momento de avaliação). A PL em execução clínica (45 horas), que vale outros 50% da nota (2 ECTS, também com valor mínimo de aprovação de 10 valores, com os actos mínimos por aluno de uma exodontia e uma consulta de triagem, ambos com aprovação obrigatória). As aulas tutoriais (OT - 7,5 horas) e outras (O - 7,5 horas) serão utilizadas para suplementar as noções explanadas na componente teórica e efectuar trabalho de investigação.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os métodos de ensino foram desenvolvidos no sentido de o tornarem mais eficaz e mais directo, permitindo uma interacção docente-discente mais eficaz, visando a aquisição de conhecimentos e competências essenciais na prática diária de um médico-dentista na área da medicina e cirurgia oral.

Bibliografia:

Donado. Cirugía Bucal – Patología y Técnica. Elsevier Masson. 3ª Ed. 2005
M A Pogrel, K E Kahnberg, L Andresson. Essentials of Oral and Maxillofacial Surgery Ed. Wiley Blackwell, 2014
J R Hupp, E Ellis III, M R Tucker. Cirurgía Oral Y Maxillofacial- Contemporánea. 5ª Ed. Elsevier españa, 2014
J Langdon, M Patel, R Ord, P Brenoran. Operative Oral and Maxillofacial Surgery- Second Edition. Hodder & Stoughton, Limited, 2011.
M Miloro, A Kolkythias. Management of Complications in Oral and Maxillofacial Surgery. Wiley-Blackwell, 2012.A13
Bagán JV e col. Medicina Oral. Barcelona: Masson, 1995.
Boraks S. Diagnóstico Bucal. S. Paulo: Ed. Artes Médicas, 1999.
Cawson RA, Odell EW. Essentials of Oral Pathology and Oral Medicine, 6th Ed. London: Churchill Livingstone, 1999.
Mano Azul A e col. Atlas de Patología da Mucosa Oral. Porto: AEFMDUP, 1992.
Porter S, Scully c. Innovations and Developments in Orofacial Health Care. London: Science Reviews, 1996.

Objetivos de aprendizagem:

Os alunos deverão adquirir um conhecimento teórico sólido de temas avançados de Odontopediatria. Com base nos conhecimentos teóricos previamente adquiridos, os alunos deverão incorporar novos conhecimentos relativos a temas relacionados com patologias não tão frequentes.
Serão realizados atos clínicos básicos em pacientes infantis, com supervisão docente.
No final do semestre os alunos deverão estar aptos a realizar, de forma independente, os tratamentos básicos em dentição temporária e permanente jovem, assim como ter presentes os conhecimentos teóricos que permitam a realização de tratamentos mais complexos no futuro.

Conteúdos programáticos:

Prevenção da endocardite bacteriana.
Emergências médicas em odontopediatria.
Anomalias do desenvolvimento dentário.
Hipomineralização incisivo-molar.
Problemas orais em crianças.
Patologia associada à erupção dentária.
Classificação de traumatismos dentários.
Lesões traumáticas em dentição decídua.
Lesões traumáticas em dentição permanente jovem.
Problemas periodontais em crianças e adolescentes.
A articulação temporo-mandibular no paciente infantil.
Medicina dentária em pacientes medicamente comprometidos.
Dentisteria minimamente invasiva.
Diagnóstico do abuso infantil em odontopediatria.
Saúde Oral pré e pós natal.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os temas avançados de Odontopediatria são aqueles que permitem aos alunos o diagnóstico de situações não fisiológicas (anomalias do desenvolvimento dentário, problemas orais e patologia associada à erupção dentária), o conhecimento teórico subjacente a procedimentos em situações urgentes (emergências médicas e lesões traumáticas em ambas as dentições) e outras patologias (associadas à erupção dentária, da articulação temporo-mandibular, problemas orais, periodontais e pacientes medicamente comprometidos).

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A unidade curricular estará dividida nas componentes Teórica (16h) Prática Laboratorial (54h). Na componente Teórica serão abordados temas avançados, com recurso a apresentações teóricas. A componente Prática Laboratorial consiste no atendimento clínico de crianças para realização de diagnóstico, fundamentado nos conhecimentos teóricos, e realização de um plano de tratamento. Serão realizados tratamentos básicos, com supervisão docente. A avaliação será efectuada nas componentes Teórica e Prática Laboratorial, com um peso de 50% cada componente. Na componente Teórica será realizada uma prova escrita do final do semestre. A avaliação na componente Prática Laboratorial será contínua e a nota final calculada através da média obtida nas consultas efectuadas. A aprovação desta unidade curricular atribui 4 ECTS, sendo obrigatória a nota mínima de 10 valores em cada uma das componentes avaliadas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As várias componentes permitirão o aprofundamento dos conhecimentos teóricos dos temas abordados nas aulas da componente Teórica.
Na componente Prática Laboratorial o aluno poderá aplicar os conhecimentos adquiridos na componente Teórica para a realização do diagnóstico e estabelecer um plano de tratamento nos pacientes que serão atendidos clinicamente.
Os atos clínicos anteriormente praticados em clínica simulada poderão agora ser efectuados em pacientes reais, com supervisão docente.
A avaliação contínua permite que o aluno tenha conhecimento da progressão das suas aptidões e competências na componente Prática Laboratorial, tendo como base o conhecimento teórico adquirido. Nas componentes Orientação Tutorial e Outra serão desenvolvidas actividades que permitam aos alunos exercitar a exposição oral e escrita, aprofundar a capacidades de análise, síntese e sistematização de conhecimentos, para desenvolvimento do espírito crítico e reflexivo.

Bibliografia:

Barbería, E. (2014). Atlas de Odontología infantil para Pediatras y Odontólogos. Madrid. (2ª edição). Ripano.
Barbería, E. (1997). Lesiones traumáticas en odontopediatría – Dientes temporales y permanentes jóvenes. Barcelona. Masson.
Barbería E. et alli. (1995). Odontopediatría. Barcelona. Masson.
Boj, JR. e Ferreira, LP. (2010). Atlas de Odontopediatria. Madrid. Ripano.
Boj, JR. et alli. (2004). Odontopediatría. Barcelona. Masson.
Laskaris, G. (2000). Color Atlas of Oral Diseases in Children and Adolescents. New York. Thieme e Stuttgart.
McDonald, RE. e Avery, DR. (1995). Odontopediatria. Rio de Janeiro. (6ªedição). Guanabara Koogan.
Millet, D. e Welbury, R. (2000). Orthodontics and Paediatric Dentistry. Churchill Livingstone.
Kramer, PF., Feldens, CA. e Romano, AR. (1997). Promoção de Saúde Bucal em Odontopediatria- diagnóstico, prevenção e tratamento da cárie oclusal. São Paulo. Ed. Artes Médicas.
Pereira, A. et alli. (2001). Cáries Precoces da Infância. Medisa.

Objetivos de aprendizagem:

A disciplina tem por objetivos capacitar o aluno para:
1.- compreender o processo normal de crescimento e desenvolvimento craniofacial e reconhecer desvios ao padrão normal no indivíduo;
2.- reconhecer a morfologia e fisiologia da A.T.M., dos músculos da mastigação, o funcionamento neuromuscular e a biomecânica do aparelho estomatognático;
3.- conhecer as caraterísticas dos principais tipos de má oclusão, numa perspetiva etiológica, sintomatológica, de diagnóstico integrado, tratamento e prognóstico em relação com a idade e o tipo de aparelhagem ortodôntica;
4.- interpretar a informação e os meios complementares de diagnóstico necessários para efetuar o diagnóstico ortodôntico.

Conteúdos programáticos:

Programa teórico:
A.- Crescimento e desenvolvimento craniofacial
B.- Fisiologia e funções do aparelho estomatognático
C.- Diagnóstico clínico
D.- Anomalias da oclusão

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Para atingir os objetivos de aprendizagem da UC de Ortodontia II, o aluno deverá frequentar as aulas de ensino teórico e de ensino prático, que são complementares.
O programa integra a ortodontia no contexto da medicina dentária, habilitando o estudante a conhecer os fenómenos relativos ao crescimento crâniofacial e às anomalias da oclusão. Permite a aquisição de conhecimentos, aptidões e atitudes que capacitam para o diagnóstico completo dos casos e para o reconhecimento das situações normais e anormais de cada momento do desenvolvimento do complexo craniofacial, que possam favorecer decisões e procedimentos clínicos adequados.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O programa teórico tem uma carga horária de 15 horas, distribuídas por quatro áreas: Crescimento e desenvolvimento do crânio e da face (5 horas), Fisiologia e funções do aparelho estomatognático (2 horas), Diagnóstico clínico (2 horas) e Anomalias da oclusão (7 horas).
O programa prático (prática laboratorial) tem uma carga horária de 30h e orientação tutorial (7,5h). Nas aulas práticas, os alunos encontram-se divididos em vários em grupos, existindo sempre um docente responsável por implementar formas ativas de ensino e incentivar o desenvolvimento de capacidades críticas dos estudantes.
A componente teórica terá uma uma frequência no final do semestre.
A componente laboratorial será composta por quatro avaliações práticas no decorrer do semestre.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino incluem aulas expositivas para cada tópico específico e visam proporcionar conhecimentos sobre crescimento e desenvolvimento do complexo crâniofacial, detalhando os diversos eventos relevantes para a ortodontia, assim como a transmissão dos conhecimentos indispensáveis para o reconhecimento das diferentes formas de má oclusão.
As aulas práticas de pequenos grupos permitem desenvolver nos estudantes capacidades de comunicação e de trabalho em grupo. O docente responsável pela aula modera a atividade dos grupos, assegurando a participação de cada aluno.

Bibliografia:

-Enlow, H., Hans, G. (1996). Essentials of Facial Growth. Philadelphia, USA. WB Saunders.
-Graber, L. et alii. (2016). Orthodontics. 6th edition. St. Louis, Missouri, USA. Mosby Elsevier.
-Gregoret, J., et alii. (1997). Ortodoncia y cirugía ortognática. Diagnóstico y planificación. Barcelona, Espaxs.
-Moyers, R. (1988). Handbook of Orthodontics. 4th edition. Chicago, USA. Year Book Medical Publishers.
-Proffit, W. et alii. (2018). Contemporary Orthodontics. 6th edition. St. Louis, Missouri, USA. Mosby Elsevier.
-Viazis, A. (1998). Atlas of Advanced Orthodontics. London, United Kingdom. Elsevier Health Sciences.

Objetivos de aprendizagem:

O conteúdo programático desta disciplina foi elaborado de modo a transmitir conhecimentos de Periodontia e tendo como objectivos obter:
Capacidade de elaboração de planos de tratamento da Doença Periodontal, com componentes não cirúrgicas e cirúrgicas.
. Conhecimento das distintas técnicas de regeneração periodontal.
. Capacidade de distinguir os objectivos que regem cada técnica , bem como suas indicações e contra-indicações.
. Compreensão das relações entre a Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária. Capacidade de aplicar esses conhecimentos.

Conteúdos programáticos:

1. Controlo químico da placa bacteriana
2. Antibióticos no tratamento Periodontal
3. Cirurgia regenerativa em Periodontia
4. Relação entre Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária: Oclusão
5. Relação entre Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária: Prostodontia e Estética

6. Relação entre Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária Ortodontia
7. Relação entre Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária: Endodontia

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

1. Controlo químico da placa bacteriana
2. Antibióticos no tratamento Periodontal
3. Cirurgia regenerativa em Periodontia
4. Relação entre Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária: Oclusão
5. Relação entre Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária: Prostodontia e Estética

6. Relação entre Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária Ortodontia
7. Relação entre Periodontia e outras áreas da Medicina Dentária: Endodontia

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O conhecimento do aluno será certificado através de uma avaliação dos conhecimentos teórico-práticos e clínicos na seguinte percentagem: 50% nota teórico-prática e 50% nota da avaliação do trabalho clínico desenvolvido com pacientes.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As datas do teste e da apresentação dos trabalhos serão agendadas pelo Departamento, sendo que o aluno deverá comparecer 15 minutos antes de início. O exame e o teste constarão de perguntas de escolha múltipla e perguntas de resposta rápida. As provas terão a duração prevista de 1 hora. As datas dos testes serão marcadas pelo Departamento, sendo que o aluno deverá comparecer 15 minutos antes de início do teste.

Bibliografia:

Lindhe, J., Lang, N., Karring, T.: Clinical Periodontology and Implants Dentistry. Munksgaard, 2008

Objetivos de aprendizagem:

O objectivo terapêutico do tratamento de um desdentado parcial e total deve ser prioritariamente o da manutenção e conservação das estruturas anatómicas remanescentes
Ter sempre presentes os aspectos biológicos, colocando próteses que agridam o menos possível as estruturas anatómicas remanescentes, respeitando o principio biológico básico.
Dar ênfase às técnicas de impressão, ao registo correcto da oclusão e ao traçado equilibrado e biológico de uma prótese.
Encarar o ensino na óptica da reabilitação oral, cujo objectivo é o da obtenção de harmonia ocluso articular.

Conteúdos programáticos:

Introdução à Prótese Fixa; Diagnóstico e Plano de Tratamento; Princípios do Preparo Dentário; Preparação dentária para Coroas Totais; Impressões e modelos de trabalho; Procedimentos de Laboratório em Prótese Fixa; Ligas metálicas em Prostodontia Fixa; Cerâmica em Prótese Fixa; Ligas Metálicas em Prótese Fixa; Restaurações Provisórias

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos estão organizados de forma integrada, visando permitir ao aluno aplicar na componente clínica os conteúdos programáticos ministrados nas unidades curriculares de Prostodontia I e II. A componente teórica inicia o aluno no campo da Prostondontia Fixa e a componente pré-clinica/laboratorial permite que este aplique de forma simulada os princípios mecânicos e biológicos na elaboração de uma prótese fixa.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O tipo de avaliação a realizar será contínua. A avaliação teórica será efetuada através de um teste de avaliação de conhecimentos. A classificação prática irá obedecer aos critérios estabelecidos e comunicados aos alunos em documento anexo a este programa. O coeficiente de ponderação para cada avaliação será o seguinte:- 1/2 para a avaliação teórica
- 1/2 para a avaliação clínica
A classificação mínima de aprovação na prova escrita será de 10 valores para aquisição das respectivas unidades curriculares.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino e de aprendizagem visam o desenvolvimento integrado nos estudantes dos conhecimentos referidos nos conteúdos programáticos e a concretização dos objetivos e competências estabelecidos.

Bibliografia:

1- Schillinburg H. et al. Princípios básicos en las preparaciones dentárias. Quintessence books 2000.
2- Schillinburg H. et al. Fundamentos essenciales en Protesis Fija. 3º ed. Quintessence books 2000.
3- Pegoraro L. F. Prótese Fixa. Série APCD. Artes médicas-divisão odontológica.
4- Chiche G. Prótesis fija estética en dientes anteriores. Ed. Masson 1998.
5- Craig R. Materiales de odontologia restauradora. 10ªed. Harcourt Brace 1998.
6- Santana Penín U. Restauración prostodóncica del complejo dentina-raíz. Quintesence books 1999
7- Artigos diversos a fornecer pelo docente responsável durante as aulas teóricas

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

No final da frequência da disciplina e tendo obtido aprovação em todos os momentos previstos, o discente deverá ter adquirido as competências necessárias à prática segura das mais frequentes técnicas de anestesia e sedação necessárias na medicina dentária actual. Deverá possuir conhecimentos teóricos suficientes que lhe permitam conhecer os diferentes tipos de abordagem ao paciente, no que diz respeito à anestesia, à analgesia e à sedação nos casos em que exista indicação clínica
Deverá também ser capaz de estratificar os pacientes consoante o seu perfil e os seus antecedentes clínicos, de forma a equacionar com segurança qual a abordagem anestésica mais adequada e, no caso da sedação, avaliar as indicações e contra indicações, os fármacos, as doses e as técnicas mais adequadas e compreender a sedação nos seus diferentes graus, da sedação ligeira à anestesia geral com recurso em casos específicos, ao apoio de outros profissionais como os médicos anestesiologistas.

Conteúdos programáticos:

Sistema nervoso autónomo e periférico. Metabolismo hepático e renal. Fisiopatologia e mecanismos da Dor; dor aguda e crónica. O que é a Anestesia e a Analgesia. Definição de sedação; Níveis de sedação: Sedação Minor/Ansiolise, Moderada/Consciente, Profunda, Anestesia Geral. Recurso à sedação em Medicina Dentária: Sedação no adulto; Vias de administração; Sedação no Paciente Pediátrico. Adequabilidade da sedação em consultório; fármacos mais utilizados em sedação para Medicina Dentária: benzodiazepinas, opióides e gases. O protóxido de azoto; princípios gerais; vantagens, desvantagens, indicações, contraindicacões para os pacientes e para os médicos dentistas; riscos associados. Estratificação do risco e selecção de pacientes; classificação ASA; noções básicas acerca da via aérea e da ventilação; diversas abordagens, métodos e técnicas e suas indicações clínicas. Fármacos utilizados; Situações de Emergência mais frequentes em medicina dentária: seu reconhecimento e abordagem.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Do processo de aprendizagem resultará a capacidade de utilizar as técnicas e fármacos que melhor resultado permitirão em termos de conforto e segurança do paciente bem como perceber que pacientes deverão ser abordados em ambiente ambulatorial no consultório e quais os que necessitarão de cuidados em meio hospitalar. Pretende-se que os alunos percebam as vantagens para determinados pacientes do recurso a práticas de sedação, as quais deverão conhecer e estar aptos para recorrer das que pertencem também ao seu domínio técnico.
Das competências a atingir, consta ainda o conhecimento das situações de emergência mais frequentes na prática médico-dentária ambulatorial, o seu reconhecimento e abordagem inicial.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

As aulas são teórico-práticas de carácter expositivo, demonstrativo, com discussão de casos clínicos concretos e reais. Pretende-se que os alunos compreendam os conteúdos de forma interactiva, discutam casos que considerem interessantes e de relevo.
A avaliação é contínua e baseia-se nas competências adquiridas pelos discentes, sendo valorizada qualitativamente a sua motivação para o processo educativo e pela sua aplicabilidade clínica. As aulas permitem avaliar a performance e interesse dos alunos de modo continuado e as provas escritas constituem um reforço quantitativo.
Assim, a avaliação será constituída por duas provas escritas, com 60 minutos de duração cada e constituindo cada uma delas 45% da nota final. Os restantes 10% são atribuídos atendendo ao desempenho, motivação e interesse demonstrado ao longo das actividades lectivas. Existe a possibilidade de realizar exame final, assim como as demais provas de carácter extraordinário legalmente previstas.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino adoptadas permitem a aquisição das competências previstas e expectáveis e os métodos de avaliação permitem estimular o aluno a adquirir essas competências de forma gradual e progressiva enquadrando-se no quadro legal e no regulamento interno da UFP.

Bibliografia:

1.Emergency Medicine; Current Diagnosis and Treatment; C. Keith Stone; McGraw-Hill
2.Oxford Handbook of Emergency Medicine; Wyatt Jonathan et al; Oxford Medical Publishing
3.Morgan, G. E. (Jr.), Mikhail, M. S. E Murray, M. J (2006). Clinical Anesthesiology. 4ª edição. Nova Iorque. Lange
4.O´Halloran, M. (2013). The use of anaesthetic agents to provide anxiolysis and sedation in dentistry and oral surgery, Australian Medical Journal, 6(12), pp.713-718
5. M Matsuura H. Analysis of systemic complications and deaths during dental treatment in Japan. Anes Prog. 1989;36:223–225. [PMC free article] [PubMed]
6. Material distribuído nas aulas.

Objetivos de aprendizagem:

Dotar os alunos com os conhecimentos básicos de crescimento e desenvolvimento do aparelho estomatognático e a capacidade de interpretar o que é normal e anormal em cada momento, por forma a agir com atitudes preventivas, intercetivas e corretivas oportunas.
Proporcionar aos alunos a capacidade de diagnosticar clinicamente síndromas oclusais, bem como o conhecimento da sua etiologia, sintomatologia e princípios terapêuticos genéricos.
Proporcionar aos alunos a capacidade de atendimento clínico de pacientes com necessidades especiais: Pacientes com perturbação do espetro do autismo, Paralisia cerebral e Perturbação de hiperatividade e défice de atenção.
Informação e utilização de exames subsidiários no diagnóstico ortodôntico (radiografias e modelos).
Informação e utilização de exames subsidiários no diagnóstico odontopediátrico: determinação do risco de cárie e definição de programa preventivo.
Conhecer as técnicas avançadas de controlo de comportamento.

Conteúdos programáticos:

Programa T: Fatores Etiológicos da Má Oclusão: Classificação. Evolução das diversas nomenclaturas em relação com a predominância da genética ou fatores ambientais. Fatores Gerais: Hereditariedade, Defeitos congénitos, Fatores ambientais, Hábitos de pressão anormal. Fatores Locais: Anomalias de número, de tamanho, de forma, Freio labial anormal, Diastemas falsos e hereditários, Extrações precoces, Retenção prolongada, Erupção tardia, Via eruptiva anormal, Anquilose, Lesões de cárie, Reconstruções inadequadas. Pacientes especiais: PEA, Paralisia cerebral e PHDA.
Determinação de risco de cárie e Definição de programa preventivo.
Sedação consciente com protóxido de azoto e anestesia geral em Odontopediatria.
Materiais bioativos em ODP: remoção de cárie (seletiva/não seletiva).
Programa Prático: Diagnóstico ortodôntico integrado: Avaliação radiográfica. Traçados cefalométricos. Discussão dos casos e opções terapêuticas. Atendimento clínico de pacientes.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Matérias sequencialmente ordenadas e continuamente atualizadas para, gradativamente e numa sequência lógica, introduzir aos alunos conceitos cada vez mais elaborados, desde o diagnóstico à ação terapêutica, no atendimento integral de pacientes odontopediátricos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A UC estará dividida nas componentes Teórica, Prática Clínica, Orientação Tutorial, e Outros. Componente Teórica: abordará temas básicos, com recurso a apresentações teóricas. Componente Prática clínica: realização de práticas simuladas de diagnóstico ortodôntico e atendimento clínico de pacientes infantis. A avaliação será efetuada nas componentes Teórica e Prática Clínica (peso de 50% cada componente). Na componente Teórica será realizada uma prova escrita no final do semestre. A avaliação na Prática clínica será contínua e realizada em ambas as componentes da UC: Odontopediatria e Ortodontia. A aprovação desta UC atribui 3 ECTS, sendo obrigatória a nota mínima de 10 valores em cada uma das componentes. O regime de assistência às aulas reporta ao regulamento pedagógico em vigor.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As várias componentes permitirão a aquisição de conhecimentos teóricos dos temas abordados que serão aplicados no atendimento clínico de pacientes.
A avaliação dos conhecimentos práticos da componente ortodontia será efetuada com base num mínimo de 2 apreciações por aluno. Estas apreciações, podem consistir na execução de trabalhos previamente realizados, acompanhados ou não de um questionário relativo ao trabalho em avaliação, num questionário teórico-prático ou numa apreciação de técnica individual. Podem ser efetuadas avaliações de natureza prática para além das previstas, não sendo, necessariamente, antecedidas de prévio aviso. A avaliação contínua permite que o aluno tenha conhecimento da sua progressão nas matérias. Nas componentes Orientação Tutorial e Outra serão desenvolvidas atividades que permitam aos alunos aprender a usar corretamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica e organizar leituras para permitir o aprofundamento dos conteúdos transmitidos assim como a sua atualização.

Bibliografia:

-Contemporary Orthodontics. William R. Proffit Ed: Mosby Year Book, Inc., St Louis, Missouri (2ª Ed), 1993
-Ortodoncia – Teoria e Practica. T.M. Graber. Ed: Interamericana
-Handbook of Orthodontics. Robert E. Moyers. Ed: Year Book Medical Publishers, Inc.
-Manual Sobre Crescimento Facial. Donald H. Enlow. Ed: Inter-Médica
-Anatomie céphalique téléradiographique norma lateralis, norma frontalis, norma axialis. Pierre E. Vion. Ed. Vanves Éditions SID DL 1997.
-Barbería E. et alli. (1995). Odontopediatría. Barcelona. Masson.
-Boj, JR. et alli. (2004). Odontopediatría. Barcelona. Masson.
-McDonald, RE. e Avery, DR. (1995). Odontopediatria. Rio de Janeiro. (6ªedição). Guanabara Koogan.
-Kramer, PF., Feldens, CA. e Romano, AR. (1997). Promoção de Saúde Bucal em Odontopediatria- diagnóstico, prevenção e tratamento da cárie oclusal. São Paulo. Ed. Artes Médicas.
-Pereira, A. et alli. (2001). Cáries Precoces da Infância. Medisa.

Objetivos de aprendizagem:

No seguimento dos temas abordados na disciplina de Prostodontia III, a unidade curricular pretende fornecer conhecimentos teóricos aos alunos que lhes permitam planificar e realizar tratamentos de prótese fixa de uma forma integrada com outras disciplinas da Medicina Dentária.
A Prostodontia constitui uma área fundamental da Medicina Dentária actual e temas como a estética, a oclusão ou as técnicas de laboratório em prótese fixa são aspectos extremamente importantes e muito actuais que o aluno deverá dominar de forma a sentir-se preparado para que, em clínica saiba como planificar um tratamento reabilitador com prótese fixa.
A disciplina envolve uma componente clínica, na qual são realizados tratamentos de prostodontia removível parcial e total, assim como tratamentos de prostodontia fixa, de forma a permitir a aplicação dos conhecimentos teóricos e práticos ministrados nas disciplinas de Prostodontia I, II e III.

Conteúdos programáticos:

Cerâmica em Prostodontia Fixa; A cor em Prostodontia Fixa; Restaurações aderidas de cerâmica – facetas; Restaurações aderidas de cerâmica – incrustações; Prótese fixa totalmente cerâmica – pontes; Restauração de dentes muito destruídos endodonciados; Pônticos em Prostodontia Fixa; Cimentação em Prostodontia Fixa;

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos estão organizados de forma integrada, visando permitir ao aluno aplicar na componente clínica os conteúdos programáticos ministrados nas unidades curriculares de Prostodontia I, II e III. A componente teórica inicia o aluno no campo da Prostondontia Fixa e a componente pré-clinica/laboratorial permite que este aplique de forma simulada os princípios mecânicos e biológicos na elaboração de uma prótese fixa.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O tipo de avaliação a realizar será contínua. A avaliação teórica será efetuada através de um teste de avaliação de conhecimentos. A classificação prática irá obedecer aos critérios estabelecidos e comunicados aos alunos em documento anexo a este programa. O coeficiente de ponderação para cada avaliação será o seguinte:
- 1/3 para a avaliação teórica
- 1/3 para a avaliação prática
- 1/3 para a avaliação clínica
A classificação mínima de aprovação na prova escrita será de 10 valores para aquisição das respectivas unidades curriculares.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino e de aprendizagem visam o desenvolvimento integrado nos estudantes dos conhecimentos referidos nos conteúdos programáticos e a concretização dos objetivos e competências estabelecidos.

Bibliografia:

1- Schillinburg H. et al. Princípios básicos en las preparaciones dentárias. Quintessence books 2000.
2- Schillinburg H. et al. Fundamentos essenciales en Protesis Fija. 3º ed. Quintessence books 2000.
3- Pegoraro L. F. Prótese Fixa. Série APCD. Artes médicas-divisão odontológica.
4- Chiche G. Prótesis fija estética en dientes anteriores. Ed. Masson 1998.
5- Craig R. Materiales de odontologia restauradora. 10ªed. Harcourt Brace 1998.
6- Santana Penín U. Restauración prostodóncica del complejo dentina-raíz. Quintesence books 1999
7- Artigos diversos a fornecer pelo docente responsável durante as aulas teóricas

Objetivos de aprendizagem:

Adquirir conhecimentos e permitir o desenvolvimento de competências que permita aos alunos avaliar a informação recolhida do paciente e ser capaz de dar resposta clínica, com postura e meios de comunicação adequados nas áreas da medicina dentária de conservação, cirurgia oral, periodontia, imagiologia, farmacologia, bem como proporcionar um suporte científico para a compreensão das técnicas e materiais, simples e avançadas, fundamentais para o diagnóstico, planeamento e execução do tratamento, sempre com orientação do docente. Nesta UC pretende-se que o aluno consiga elaborar exames clínicos e recorrer a meios auxiliares de diagnóstico, sendo capaz, de elaborar um diagnóstico e planear as prioridades de tratamento terapêutico e profilático nas diferentes áreas.

Conteúdos programáticos:

Fissuras e Fraturas Dentárias
Prescrição medicamentosa: regras práticas dos diversos métodos
RGPD na prática clínica diária
Deficiências nutricionais com manifestações orais
Circuito do medicamento e dos dispositivos médicos
Estabelecimento de critérios para planificar tratamentos fisioterápicos em medicina dentária
Medicina Dentária versus Terapia da fala
Harmonização facial - Limites de intervenção do médico dentista
Conhecimentos básicos sobre técnicas fotográficas mais utilizadas em Medicina dentária
Ergonomia em Medicina Dentária
Antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos
Antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos/Guidelines de prescrição
Ansiedade no consultório Médico Dentário
Burnout em Medicina Dentária

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teórica (T; Uma hora semanal; Total: 15h): Abordagem de temas teóricos nas áreas de endodontia, cirurgia oral, ortodontia, imagiologia, farmacologia (antibióticos e anti-inflamatórios), regulamento geral de proteção de dados e ciclo de desinfeção dos instrumentos. Prática Laboratorial (PL; seis horas semanais em ambiente clínico; Total: 90h): Atendimento de pacientes no âmbito da clínica integrada I, em ambiente clínico. Orientação tutorial (OT; 7.5 horas)+Outras sessões (O; 7.5 horas): Pesquisa orientada para casos clínicos. É incentivada a orientação, pesquisa e a seleção bibliografia científica adequada no âmbito dos temas descritos no programa desta unidade curricular, fomentando assim a leitura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica e contacto com nomenclatura científica, bem como a motivação para a elaboração de trabalhos de investigação e apresentações científicas no âmbito da disciplina.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A avaliação resulta da ponderação de 20% da componente teórica (T) e de 80% da componente prática laboratorial (PL) em clínica e será efetuada de acordo com a normativa académica. O regime de avaliação da componente (T) compreende a realização de uma prova escrita de acordo com o programa. A classificação mínima de aprovação na prova escrita será de 10 valores. A não obtenção de classificação mínima na prova escrita remete o aluno para exame de recurso em época para o efeito, fixada no cronograma académico. A avaliação prática laboratorial (PL) em clínica inclui assiduidade (90%), pontualidade e postura no atendimento ao paciente, competências científicas, técnicas e relacionais, qualidade do trabalho clínico, organização e limpeza do espaço de trabalho. O regime de assistência às aulas é o adotado na normativa académica em vigor. Para obter a creditação o aluno terá de garantir a obtenção de 6 ECTS previstos, cumprindo o descrito na avaliação.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Aulas teóricas (T; 15 Horas; Uma hora semanal) - destinam-se a expor e a atualizar, de forma descritiva e organizativa, os conceitos, teorias e postulados descritos nos conteúdos programáticos da clínica integrada I que, apoiados numa bibliografia, visam desenvolver competências científicas e profissionais nos alunos. Aulas práticas laboratoriais (PL; 90 Horas; seis horas semanais) - Sessões realizadas na clínica semanalmente, onde será efetuado atendimento de pacientes pelos alunos, que serão supervisionados e monitorizados pelos docentes responsáveis. Serão efetuados diagnósticos e tratamentos, nas áreas de dentística, cirurgia, endodontia e periodontia, conforme os protocolos e normas de boas práticas clínicas, para desenvolvimento de competências terapêuticas e o aperfeiçoamento de diversas técnicas operatórias, promovendo o atendimento clínico de pacientes com postura, qualidade e segurança. Aulas OT (7.5 Horas): Sessões de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir atingir os seguintes objetivos: usar corretamente bibliografias; desenvolver métodos de pesquisa científica para suporte de casos observados na prática clínica da UC. Aulas O (7.5 Horas): Sessões livres, no sentido de possibilitar ao aluno usar corretamente meios de diagnóstico auxiliares (ex. Fotografia, imagiologia) e dispositivos médicos com aplicabilidade clínica no âmbito da clínica integrada I.

Bibliografia:

1. Cohen’s Pathways of the Pulp” Eleventh Edition, Elsevier, Pag 793- 815; 2. Antibióticos, autor J.C.Sousa e cols. Ed. U.F.Pessoa; 3. Goodman and Gilman - The pharmacological basis of therapeutics - 13ª edição; 4. Susanibar, F. et al. (2016). Motricidad Orofacial - fundamentos basados en evidencia - volumen 2. Madrid Editorial EOS; 5. Hokwerda O, Ruijter R, Shaw S. Adopting a healthy sitting working posture during patient treatment. 1ªe.d. Groningen, NL; 2006; 6. REGIS FILHO, Gilsée Ivan et al. Ergonomia aplicada à Odontologia:as doenças de caráter ocupacional e o cirurgião-dentista. Curitiba:DTI, 2007; 7. Biasotto-Gonzalez, DA. (2005). Abordagem Interdisciplinar das disfunções temporomandibulares. São Paulo. Editora Manole; 8. Insel P., Ross D., Bernstein M. (eds.). Nutrition. Jones and Bartlett Publishers, 2018 (6th edition); 9. Drake, R.L., Vogl, W., Mitchell, A. W. M. (2014). Gray´s Anatomy for students, 3nd edition. Elsevier.

Objetivos de aprendizagem:

Princípios fundamentais na recolha das informações clínicas. Noções sobre a elaboração do diagnóstico. Considerações acerca de como tomar decisões sobre o tratamento. Organização do plano de tratamento. Apresentação de exemplos de casos clínicos de diagnóstico e planeamento.
Considerações gerais sobre os objectivos do diagnóstico e planeamento.

Conteúdos programáticos:

Conceitos básicos sobre o planeamento dos tratamentos dentários e análise das expectativas do paciente em relação ao médico dentista.
- Princípios fundamentais na recolha das informações clínicas
História clínica geral actual
História clínica dentária
- Noções sobre a elaboração do diagnóstico integrado
- Diferentes fases para a elaboração do plano de tratamento em medicina dentária

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

No âmbito do curso de Medicina Dentária, o ensino da disciplina de diagnóstico e planeamento I visa sobretudo a aquisição de conhecimentos para que os alunos possam elaborar o diagnóstico e o respetivo plano de tratamento dos pacientes. A disciplina visa ainda o conhecimento, prática de métodos e técnicas alternativas de tratamento integrando nas diferentes áreas da Medicina Dentária, que possibilitam a reabilitação oral, total, de um paciente, na perspectiva da actual Medicina Dentária. Tem ainda como propósito, a análise de casos clínicos e a orientação na elaboração do plano de tratamento de um caso clínico.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A avaliação desta unidade curricular será efectuada de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor.
A avaliação final será contabilizada pela avaliação teórico-Prática.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A avaliação da componente teórico-prática inclui a avaliação contínua, nomeadamente a assiduidade, pontualidade, participação e desempenho na discussão dos casos clínicos das aulas teóricas e a realização de uma prova teórica escrita. A prova teórica terá a duração prevista, máxima, de 60 minutos.
Os alunos que na avaliação da disciplina tiverem obtido uma classificação inferior a 10 valores, poderão apresentar-se aos exames de recurso, em época para o efeito fixada no cronograma, desde que tenham cumprido as percentagens de frequência obrigatória conforme o Regulamento Pedagógico em vigor.

Bibliografia:

1. MELLOR A, SHEARER A. Treatment Planning in Primary Dental care. Oxford University Press, 1ª ed, 2003.
2. EPTEIN, OWEN, PERHIN GD, COOHSON J. Exame clínico. Elsevier, 3ª Ed, Rio de Janeiro, 2004.
3. WELBSY PD. História e exame clínico. Churchill Livingstone, Euromédica, Edições Médicas, 1998.
4. ROBLEE, R. Interdisciplinary Dentofacial Therapy. Quintessence.1994
5. STEFANAC J, NESBIT S, Treatment Planning in Dentistry, 2ª ed, 2006
6. Artigos Científicos, atuais credíveis, pesquisados pelos alunos, sob orientação dos docentes da disciplina.

Objetivos de aprendizagem:

O aluno deverá ser capaz de:
Realizar o diagnóstico de lesões potencialmente malignas e malignas da cavidade oral.
Orientar o tratamento e a referenciação dos doentes.

Conteúdos programáticos:

Carcinogénese oral
Classificação por estádios
Epidemiologia oncológica
Diagnóstico de lesões potencialmente malignas e seu tratamento
Diagnóstico do cancro oral
Bases da cirurgia oncológica, radioterapia e quimioterapia
Novas estratégias terapêuticas: terapias alvo e imunoterapia
Diagnóstico e tratamento das glândulas salivares
Conduta das complicações orais associadas aos tratamentos oncológicos
Manifestações orais das doenças hematológicas malignas
Tumores odontogénicos

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Ao ensinar os estudantes o processo de cancerização, vias de disseminação, aspectos epidemiológicos e formas de diagnóstico precoce e controlo das neoplasias da cavidade oral, estes ganham competências para, na sua prática clínica pós-licenciatura, poderem exercer a sua actividade de médicos dentistas numa sociedade em que o envelhecimento e os hábitos de risco têm predominância.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Componentes teórica e teórico-prática.
Forma de execução pedagógica: exposição e debate dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula, orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada.
Haverá dois momentos de avaliação. A nota para aprovação deve ser 10 valores. Caso haja num teste nota inferior a 7,5 valores o aluno vai a exame.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A exposição das matérias, aliada a exemplos de casos clínicos, permitem ao estudante integrar de forma mais proficiente os conteúdos abordados, atingindo os objectivos propostas na unidade curricular.

Bibliografia:

Oral Cancer (American Cancer Society Atlas of Clinical Oncology) by Sol Silverman
American Cancer Society Management of Oral Cancer (Oxford Medical Publications) by Nicholas Stafford and John Waldron
Oral Cancer: The Dentist's Role in Diagnosis, Management, Rehabilitation, and Prevention by Robert A. Ord and Remy H. Blanchaer
Oncologia oral by Santos LL and Teixeira LM (Lidel)
Update on Head and Neck Cancer: Current Knowledge on Epidemiology, Risk Factors, Molecular Features and Novel Therapies. By Pezzuto et al, 2014

Objetivos de aprendizagem:

O objectivo da disciplina é o de capacitar os alunos para a obtenção dos conhecimentos básicos fundamentais para a abordagem de um paciente candidato à colocação de implantes, inter-relacionando a actividade laboratorial com a clínica nas diversas áreas médico-dentárias.

Conteúdos programáticos:

O conteúdo programático desta disciplina foi elaborado de modo a transmitir conhecimentos sobre implantologia e as suas aplicações clínicas.
1. Implantologia oral: Conceitos gerais
2.Osteointegração
3. Tecidos moles peri-implantares
4. Características gerais dos implantes
5. Planeamento cirúrgico do tratamento com implantes
6. Planeamento Prostodontico do tratamento com implantes
7. Procedimento cirúrgico
8. Tipos de Reabilitação protética
9. Biomecânica
10. Estética em implantologia
11. Critérios de êxito e factores de risco em implantologia
12. Tratamento de suporte Implantes. Tratamento das mucosites e periimplantites

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Foram escolhidos temas de informação relativamente aos materiais, e temas que se prendem com o trajecto desde o planeamento à reabilitação final.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Ensino Teórico.
Discussão sobre o tema.
Avaliação escrita.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os métodos de ensino foram desenvolvidos no sentido de o tornarem mais eficaz e mais directo, permitindo uma interação docente-discente mais eficaz, visando a aquisição de conhecimentos e competências essenciais em implantologia.

Bibliografia:

(1) - Lindhe, J., Karring, T., Lang, N.: Clinical Periodontology and Implants Dentistry.
Munksgaard, 2003
(2) - Palacci P., Ericsson I.: Odontologia Implantologica Estética. Quintessence Books 1994
(3) - Buser, D., Dahlin C., Schenk R.: Guided Boné Regeneration in Implant Dentistry. Quintessence Books 1994; Capitulo 3: Pag. 49-100.
(4) - Renouard F., Rangert B.: Factores de Riesgo en implantología oral. Quintessence books. 2000.
(5) - Ricardo de Souza Magini, Júlio César Matias de Souza e Cesar Augusto Magalhães Benfatti: Noções de Implantodontia Cirúrgica. Abeno, Artes Médicas. 2016. (ISBN: 9788536702582)

Objetivos de aprendizagem:

Esta unidade curricular pretende reforçar os conhecimentos para a participação e realização de projetos de investigação, e constituir uma ferramenta base para a planificação da Dissertação:
1. Entender o planeamento de uma estratégia de investigação com base num problema e numa hipótese a investigar.
2. Tomar consciência da importância da ética na conduta científica e no desenho de experiências envolvendo pessoas, material humano ou animais de laboratório, ou ainda experiências in vitro.
3. Ser capaz de realizar uma pesquisa bibliográfica extensa e de corretamente organizar as referências bibliográficas
4. Desenvolver aptidões para uma comunicação eficaz dos resultados científicos, quer escrita, quer oral.
5. Desenvolver o conhecimento de técnicas de análise estatística, através de exemplos e situações práticas.
6. Construir uma base sólida de conhecimento para o tratamento de dados experimentais.
7. Desenvolver o espírito crítico.

Conteúdos programáticos:

1-Regulamento Dissertação MD-UFP.
2-Metodologia de Investigação. Objetivos; Ética; Comunicação Científica.
3-O desenho da pesquisa (metodologia / tipo de estudos).
4-Pesquisa bibliográfica e gestão de referências bibliográficas.
5-Metodologia de análise de dados e sua interpretação.
6-Que análise pretendo/preciso fazer? Análise descritiva ou/e Análise inferencial.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos estão de acordo com os objetivos de aprendizagem que se pretendem cumprir. Abaixo estão descritos os componentes programáticos correspondentes a cada objetivo proposto:
- Conteúdo programático 2, 3 e 5 relativo ao Objetivo 1.
- Conteúdo programático 2 relativo ao Objetivo 2.
- Conteúdo programático 4 relativo ao Objetivo 3.
- Conteúdo programático 1 e 2 relativo ao Objetivo 4.
- Conteúdo programático 5 e 6 relativo aos Objetivos 5 e 6.
- Todos os conteúdos programáticos relativos ao Objetivo 7.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Execução pedagógica: Exposição e debate/brainstorming dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula, orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada. A componente de análise de dados será enquadrada no âmbito do mestrado.
A avaliação será realizada por um teste escrito, que contabiliza 100% da classificação. Um complemento adicional que poderá acrescentar até ao máximo de 1val (enviar à docente):
- Se o tema/orientador da Dissertação estiver validado até dia 8/dez/2019, acresce-se 1 valor na classificação à nota da prova da UC (classif máx de 20val);
- Se estiver validado no período entre 9/dez/2019-10/jan/2020, acresce-se 0,5val.
Os alunos que em avaliação na prova escrita durante o semestre letivo apresentem classificação final <9,5 valores são considerados não aprovados e têm direito a realizar exame de toda a matéria da unidade curricular, em data a estipular pela UFP.
Deve consultar Regulamento Pedagógico da UFP em vigor.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O teste será importante para avaliar o conhecimento individual, permitindo confirmar o cumprimento dos objetivos propostos. O início da preparação da escrita da tese (artigo científico) que continuará durante o segundo semestre na UC Dissertação) contribuirá para estimular a curiosidade científica, para promover a aprendizagem da pesquisa bibliográfica e gestão de referências, e para treinar competências de comunicação científica.

As metodologias de ensino (exposição teórica prática, debate e orientação do estudo autónomo) estão totalmente de acordo com o objetivo da unidade curricular. A carga horária de cada um dos conteúdos está também adequada à aprendizagem dos objetivos pretendidos, sendo a seguinte:
Avaliação: 1 hora
1. Regulamento Dissertação MD-UFP
Horas previstas: 1h de contacto (C); 0 h Orientação Tutorial (OT); 1 h Outras (O); 1 h de estudo individual (EI)
2. Metodologia de Investigação
Horas previstas: 4h C; 2 h OT; 1 h O; 1 h EI
3. O desenho da pesquisa (metodologia / tipo de estudos)
Horas previstas: 2h C; 1h O; 1 h EI
4. Pesquisa bibliográfica e gestão de referências bibliográficas
Horas previstas: 3h C; 2 h OT; 1 h O; 6 h EI
5. Metodologia de análise de dados e sua interpretação
Horas previstas: 3h C; 2 h O; 5 h EI
6. Que análise pretendo/preciso fazer? Análise descritiva ou/e Análise inferencial.
Horas previstas: 2h C; 3,5 h OT; 2,5 h O; 9 h EI

Bibliografia:

(1) Laake, P., Benestad, H.B., Olson, B.R. Research in Medical and Biological Sciences. Elsevier/Academic Press, 2015
(2) Wisker, G. The Postgraduate Research Handbook, 2nd Ed. Palgrave MacMillan, 2007
(3) Dawson, B., Robert G.T. Basic & Clinical Biostatistics, 4th Ed. McGraw-Hill, 2004.
(4) Gouveia de Oliveira, A. Bioestatística Descodificada. 2ª edição, LIDEL, 2014.
(5) Maroco, J.. Análise Estatística - Com Utilização do SPSS. Edições Sílabo, Lda., 3ª edição, 2007.
(6) Artigos científicos (a fornecer).

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Permitir ao futuro médico dentista, como área essencial da sua formação, a revisão e a transmissão dos conhecimentos da esfera da Cirurgia Maxilo-Facial com especial importância para a Medina Dentária, de forma a permitir um melhor tratamento e orientação dos doentes assim como uma melhor compreensão dos gestos cirúrgicos realizados.

Conteúdos programáticos:

Traumatologia craniomaxilofacial
Classificação e diagnóstico de fracturas
Tratamento cirúrgico de fracturas
Traumatologia na infância e no idoso
Cirurgia Ortognática
Definição, indicações e contraindicações
Planeamento e análise facial
Técnica cirúrgica
Preparação pré-operatória e cuidados no pós-operatório
Mentoplastia e outras técnicas cirúrgicas adjuvantes
Cirurgia Ortognática e SAOS
Complicações
Articulação temporomandibular
Anatomia, etiologia e diagnóstico em DTM
Tratamento conservador e cirúrgico
Glândulas salivares e patologia benigna da cabeça e pescoço
Patologia maligna de cabeça e pescoço
Infecções oro-maxilo-faciais

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O programa contém toda a informação necessária e indispensável para que o aluno possa identificar e lidar com situações traumatológicas, articulares, infecciosas, patologia benigna e maligna da cavidade oral e glândulas salivares e o tratamento conjunto em casos de cirurgia ortognática.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A unidade curricular é exclusivamente Teórica (15h). A avaliação da componente Teórica consiste na realização de um teste escrito. A aprovação desta unidade curricular atribui 2 ECTS, sendo obrigatória a nota mínima de 10 valores. O regime de assistência às aulas reporta ao regulamento pedagógico em vigor.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Nesta unidade curricular, através da componente teórica, é efetuada a transmissão de conhecimentos da área da Cirurgia Maxilo-Facial com especial importância para a Medina Dentária, permitindo aos alunos um tratamento adequado dos seus doentes.

Bibliografia:

Peterson's principles of oral and maxillofacial surgery, 3rd edition, Mosby
Oral and Maxillofacial Surgery, 3rd Edition, Elsevier
Principles of Internal Fixation of the Craniomaxillofacial Skeleton – Trauma and Orthognathic Surgery, Thieme

Objetivos de aprendizagem:

Os alunos deverão adquirir um conhecimento teórico sólido de temas avançados de Odontopediatria. Com base nos conhecimentos teóricos previamente adquiridos, os alunos deverão incorporar novos conhecimentos relativos a temas relacionados com patologias não tão frequentes.
Dotar os alunos com os conhecimentos básicos sobre a etiologia de anomalias craniofaciais e anomalias dos maxilares (factores sistémicos e locais) e a capacidade de distinguir o normal da alteração, adoptando atitudes terapêuticas oportunas e adequadas.
Utilização de exames subsidiários no diagnóstico ortodôntico (radiografias e modelos), instituição de planos de tratamento, selecção de meios terapêuticos e prognóstico.
Os alunos deverão desenvolver a capacidade de realizar diagnósticos corretos e efectuar atos clínicos básicos e avançados em pacientes infantis, com supervisão docente.

Conteúdos programáticos:

Discrepância exame clínico e cefalométrico. Origem dos erros nas cefalometrias
Posição Natural da cabeça (PNC)
Análises cefalométricas convencionais: Erros de diagnóstico, Condicionantes específicas e genéricas
Análise Geométrica Individualizada da Harmonia Facial (AGIHF)
Procedimentos Moorrees e Kean
Análise Geométrica Individualizada da Harmonia Facial (continuação)
Determinação da altura Facial Inferior
Crescimento e rotação mandibular
Relação osteo-dento- tegumentar do 1/3 inferior da face
Relação sagital esquelética
Anomalias da Oclusão: Classe I, Classe II,div.1; Classe II,div.2 e Classe III
Atendimento transdisciplinar de crianças com fenda lábio-palatina.
Bruxismo em Odontopediatria.
Consulta do bebé.
Tratamento de maloclusão na infância.
Determinação de risco de cárie e Definição de programa preventivo.
Materiais bioativos em ODP; Alimentação e Nutrição
Sedação consciente e anestesia geral em ODP
Atendimento de pacientes com necessidades especiais.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O programa contém a informação que integra o sistema estomatognático no todo orgânico na perspectiva da incidência de anomalias dento-maxilo-faciais e os seus métodos de acção, assim como a aquisição de conhecimentos e protocolos para o diagnóstico completo integrado e entendimento das condições existentes no paciente, que guiem as atitudes clínicas e terapêuticas mais ajustadas a cada paciente.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A unidade curricular estará dividida nas componentes Teórica (15h) Prática Laboratorial (60h) Orientação Tutorial (7,5 h) e Outra (7,5h). A Teórica consiste na apresentação de casos clínicos, discussão e esclarecimento de dúvidas. Na componente Prática Laboratorial será realizado o atendimento clínico de pacientes pediátricos para realização de diagnóstico, elaboração de um plano de tratamento integral e discussão com os docentes e realização dos tratamentos básicos e avançados necessários. Serão também realizadas atividades de diagnóstico ortodôntico.
A avaliação será efectuada nas componentes Teórica e Prática Laboratorial, com um peso de 50% cada componente. Na componente Teórica serão realizados testes. A avaliação na componente Prática Laboratorial será contínua. A aprovação desta unidade curricular atribui 6 ECTS, sendo obrigatória a nota mínima de 10 valores em cada uma das componentes avaliadas. O regime de assistência às aulas reporta ao regulamento pedagógico em vigor.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Nesta unidade curricular, através das componentes Teórica e Prática Laboratorial, os alunos adquirem a informação essencial para serem guiados na observação clínica de crianças, efectuarem o diagnóstico clínico, requerer meios complementares de diagnóstico quando conveniente, efectuarem um diagnóstico completo integrado e aplicar o tratamento adequado aos desvios das situações de normalidade, no seu âmbito de acção. Serão realizados atos clínicos básicos e avançados, com supervisão docente. A avaliação contínua permite que o aluno tenha conhecimento da progressão das suas aptidões e competências nas diversas componentes. Nas componentes Orientação Tutorial e Outra serão desenvolvidas actividades que permitam aos alunos melhorar a utilização de instrumental clinico através de sessões de esclarecimento.

Bibliografia:

Contemporary Orthodontics. William R. Proffit Ed: Mosby Year Book, Inc., St Louis, Missouri ( 2ª Ed), 1993
The Biology of Tooth Movement. Louis A. Norton e Charles G. Burstone; Ed: CRC Press, Inc., Boca Reton, Florida-U.S.A.
Ortodoncia – Teoria e Practica. T.M. Graber. Ed: Interamericana
Handbook of Orthodontics. Robert E. Moyers. Ed: Year Book Medical Publishers, Inc.
Manual Sobre Crescimento Facial. Donald H. Enlow. Ed: Inter-Médica
The Design, Constrution and Use of Removable. Orthodontic Appliances
C. Philip Adams; W. John S. Kerr. Ed: Butterworth-HeinemannBoj, JR., Catalá M., García-Ballesta C., Mendonza A. (2004). Odontopediatría. Masson.
Barbería E., Boj J.R., Catalá M., García C., Mendoza A. (1995). Odontopediatría. Masson.
Jeffrey A., David R.A., Ralph E. M. (2010). McDonald and Avery Dentistry for the Child and Adolescent. Mosby.
Barbería E. (2014). Atlas de Odontologia infantil para pediatras y odontólogos. (2ª edição). Ripano.

Objetivos de aprendizagem:

Esta disciplina destina-se a dotar os alunos de medicina dentária de competências que assegurem cuidados proficientes a doentes com síndromas, deficiências ou patologias que determinam risco especial os ou impeçam de colaborar nos tratamentos dentários convencionais

Conteúdos programáticos:

Definição de doente com necessidades especiais
Importância da História Clínica
Características das consultas a doentes com necessidades especiais
O plano de cuidados
Doente com défices neurológicos e cognitivos
Doente com patologia: respiratória, cardíaca, digestiva, renal, imunológica, hematológica e oncológica.
O doente diabético
O doente idoso
Complicações da cirurgia oncológica, da radioterapia e da quimioterapia na cavidade oral
A grávida
Suporte básico de vida e recursos necessários no consultório médico-dentário

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Com a aprendizagem e discussão dos temas incluídos nos Conteúdos Programáticos, os alunos deverão saber atuar de forma adequada perante doentes com défices e/ou patologias associadas que obriguem a cuidados especiais.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A Unidade Curricular possui uma componente teórica (CT) e uma componente prática (CP). Na CT são utilizados métodos expositivos, interrogativos e demonstrativos, sobre os tópicos definidos nos conteúdos programáticos. A orientação do estudo autónomo por consulta da bibliografia recomendada é igualmente disponibilizada ao aluno. A CP constará de sessões práticas na Clínica de Medicina Dentária da FCS- UFP.
O regime de avaliação é de avaliação contínua. Na CT será realizado um teste escrito e na CP os alunos serão avaliados de acordo com o seu desempenho prático. O aluno será declarado aprovado a cada componente se obtiver uma classificação final igual ou superior a 10 (dez) valores. A classificação final resulta da ponderação de 50% para cada uma das componentes

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino empregues, incluem desde o estudo de manuais teóricos à transmissão de experiências pessoais e profissionais, passando pela discussão de conhecimentos em aula, baseada em “questões problema” e discussão de casos clínicos. Estas diferentes abordagens pedagógicas, visam desenvolver no aluno a capacidade de criar o seu próprio modelo de aprendizagem, adaptado a cada conteúdo programático

Bibliografia:

HARRISON’S Principles of Internal Medicine 19 Ed.
Santos LL e Teixeira LM. Oncologia Oral. Lidel

Objetivos de aprendizagem:

Adquirir conhecimentos e permitir o desenvolvimento de competências que permita aos alunos a execução em clínica de procedimentos integrados em diferentes áreas de ação de Medicina Dentária, bem como proporcionar um suporte científico para a compreensão das técnicas e materiais, simples e avançadas, fundamentais para o diagnóstico, planeamento e execução do tratamento, sempre com orientação do docente. A disciplina enquadra-se no curriculum como corolário do curso de Medicina Dentária de forma a simular a prática clínica de um consultório de Medicina Dentária, aproximando o aluno o mais possível da realidade exterior.

Conteúdos programáticos:

Abordagem de temas nas áreas de endodontia, controlo de infeção no consultório dentário, deficiências nutricionais com manifestações orais, gestão e marketing em Medicina Dentária, síndromes demenciais e parkinsónicos e suas implicações na consulta de Medicina Dentária, estratégias de intervenção preventiva em odontogeriatria, cirurgia.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A Clínica Integrada II pretende dotar o aluno de conhecimentos e capacidades técnicas necessárias a uma abordagem pluridisciplinar nas diferentes áreas da Medicina Dentária. Esta unidade visa ainda formar o aluno quanto ao desenvolvimento do senso clínico necessário, relativamente ao diagnóstico e à elaboração de um correto plano de tratamento, visando em última análise a reabilitação integrada do paciente. Para tal a componente teórica vai fundamentar os conhecimentos científicos para que na prática clínica o aluno seja capaz de tecnicamente conseguir realizar o plano de tratamento idealizado. É orientada a pesquisar e a seleção bibliografia científica adequada no âmbito dos temas descritos no programa desta unidade curricular, fomentando assim a leitura científica, o desenvolvimento de capacidade crítica e contacto com nomenclatura científica, bem como a motivação para a elaboração de trabalhos de investigação e apresentações científicas no âmbito da disciplina.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

T (15h), PL (90h), OT (7,5h) e O (7,5h).
A T permite ao aluno adquirir conhecimentos e permitir o desenvolvimento de competências para a execução em clínica de procedimentos integrados nas principais áreas da Medicina Dentária.
Na PL será realizado o atendimento clínico de pacientes para realização de diagnóstico, elaboração de um plano de tratamento integral e discussão com os docentes e realização dos tratamentos básicos e avançados necessários.
Componente teórica: 20%
Componente prática: 80%
A aprovação desta unidade curricular atribui 5 ECTS, sendo obrigatória a nota mínima de 10 valores em cada uma das componentes avaliadas. O regime de assistência às aulas reporta ao regulamento pedagógico em vigor.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Nesta unidade curricular, através das componentes Teórica e Prática Laboratorial, os alunos adquirem a informação essencial para serem guiados na observação clínica de pacientes, efetuarem o diagnóstico clínico integrado, requerer meios complementares de diagnóstico quando conveniente e aplicar o tratamento adequado aos desvios das situações de normalidade. Serão realizados atos clínicos básicos e avançados, com supervisão do docente. A avaliação contínua permite que o aluno tenha conhecimento da progressão das suas aptidões e competências nas diversas componentes. Nas componentes Orientação Tutorial e Outras serão realizadas sessões de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar adequadamente bibliografias, desenvolver métodos de pesquisa científica, exercitar a exposição oral e escrita e aprofundar capacidades de análise, de síntese e de sistematização de conhecimentos no âmbito da unidade curricular.

Bibliografia:

1.Netto G., Narciso, et al. Dentística Restauradora. Diagnóstico, prevenção, protecção da polpa, hipersensibilidade dentinária, adesão. Santos Livraria Editora, 2003. 2.“European Core Curriculum in Cariology for undergraduate dental students”. AG Schulte, NB Pitts, MCDNJM Huysmans, C Splieth and W Buchalla. Eur J Dent Educ 15 (suppl. 1), 2011: 9-17 – Domínios I, II, III, IV e V. 3.Gay Escoda, Cosme e Berini Aytes, Leonardo “Tratado de Cirurgia Bucal”, Edições Ergon, S.A., 1ª Edição, 2003. 4.Peterson.L.J. et al, “Comtemporary Oral and Maxillofacial Surgery”, Edição Mosby, 4ª Edição, 2003. 5.Lindhe, J., Lang, N. & Karring, T. (2008) Clinical Periodontology and Implant Dentistry, 5th edition. 6.Okeson JP. Management of temporomandibular disorders and occlusion. 7th Edition, Mosby-Elsevier, 2012. 7.Wright, EF. Manual of Temporomandibular Disorders. 3rd Edition, Wiley-Blackwell, 2014.

Objetivos de aprendizagem:

Princípios fundamentais na recolha das informações clínicas. Noções sobre a elaboração do diagnóstico. Considerações acerca de como tomar decisões sobre o tratamento. Organização do plano de tratamento. Apresentação de exemplos de casos clínicos de diagnóstico e planeamento.
Considerações gerais sobre os objectivos do diagnóstico e planeamento.

Conteúdos programáticos:

- O planeamento do tratamento em pacientes com necessidade especiais
- Diagnóstico diferencial de dor orofacial (na perspectiva da endodontica, periodontica, cirúrgica, osteoarticular, miologica e neurológica)
- Apresentação de exemplos de casos clínicos de diagnóstico e planeamento

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

No âmbito do curso de Medicina Dentária, o ensino da disciplina de diagnóstico e planeamento visa sobretudo o atendimento e a selecção de pacientes na consulta de triagem a fim de possibilitar aos alunos, com carácter individual, elaborarem o diagnóstico, plano de tratamento e acompanhamento de cada paciente nos tratamentos a efectuar. A disciplina visa ainda o conhecimento, prática de métodos e técnicas alternativas de tratamento integrando nas diferentes áreas da Medicina Dentária, que possibilitam a reabilitação oral, total, de um paciente, na perspectiva da actual Medicina Dentária. Tem ainda como propósito, a análise dos casos clínicos de cada paciente e a orientação na elaboração e na apresentação científica de um caso clínico real analisado na prática clínica.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A avaliação desta unidade curricular será efectuada de acordo com o Regulamento Pedagógico em vigor.
A avaliação final será contabilizada pela avaliação teórica (30%) e avaliação prática clínica (70%)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A avaliação da componente teórica (30%) inclui a avaliação contínua, nomeadamente a assiduidade, pontualidade, participação e desempenho na discussão dos casos clínicos das aulas teóricas e a realização de uma prova teórica escrita (30%). A prova teórica terá a duração prevista, máxima, de 60 minutos.
A avaliação da componente prática clínica (70%) inclui a avaliação clínica contínua, semanal, dos alunos (25%) e a avaliação qualitativa/quantitativa dos formulários dos casos clínicos registados pelos alunos (5%) e a elaboração e apresentação em “power point” de um caso clínico analisado pelo aluno na disciplina clínica de diagnóstico e planeamento (40%).
Os alunos que na avaliação da componente teórica da disciplina tiverem obtido uma classificação inferior a 10 valores, poderão apresentar-se aos exames de recurso, em época para o efeito fixada no cronograma, desde que tenham cumprido as percentagens de frequência obrigatória conforme o Regulamento Pedagógico em vigor.

Bibliografia:

1. MELLOR A, SHEARER A. Treatment Planning in Primary Dental care. Oxford University Press, 1ª ed, 2003.
2. EPTEIN, OWEN, PERHIN GD, COOHSON J. Exame clínico. Elsevier, 3ª Ed, Rio de Janeiro, 2004.
3. WELBSY PD. História e exame clínico. Churchill Livingstone, Euromédica, Edições Médicas, 1998.
4. ROBLEE, R. Interdisciplinary Dentofacial Therapy. Quintessence.1994
5. STEFANAC J, NESBIT S, Treatment Planning in Dentistry, 2ª ed, 2006
6. Artigos Científicos, actuais credíveis, pesquisados pelos alunos, sob orientação dos docentes da disciplina.

Objetivos de aprendizagem:

A Unidade Curricular (UC) tem por objetivo a realização de um trabalho de índole técnico-científica, de cariz inovador, no domínio da Medicina Dentária. Envolve a redação de uma tese, elaborada com rigor técnico-científico, que será avaliada em provas públicas. As principais competências a desenvolver são:
1. Entender o planeamento de uma estratégia de investigação com base num problema e numa hipótese a investigar.
2. Fazer investigação de forma Ética
3. Ser capaz de realizar uma pesquisa bibliográfica extensa e de corretamente organizar as referências bibliográficas
4. Construir uma base sólida de conhecimento para o tratamento de dados experimentais.
5. Desenvolver o espírito crítico.

Conteúdos programáticos:

1. Normas de elaboração da dissertação (Manual de Estilo de Elaboração de Trabalhos Científicos UFP; Bibliografia/referências);
2. Ética (Questões éticas; Execução da pesquisa (patrocinador da pesquisa, limitação de riscos, proteção de dados, conflito de interesses));
3. Comunicação científica (Elaboração de um artigo científico ou tese; Preparação de uma apresentação oral do trabalho);
4. Análise de dados (Comparação de informação presente em artigos científicos; Análise de bases de dados).

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos estão de acordo com os objetivos de aprendizagem que se pretendem cumprir.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Forma de execução pedagógica: Exposição e debate dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula, orientação do estudo autónomo dos alunos por consulta da bibliografia recomendada. Brainstorming sobre questões pertinentes relacionadas com a matéria exposta em sala de aula.
Adicionalmente às horas de contacto previstas no período letivo, o processo de aprendizagem pode ser orientado pelo docente presencialmente (horário de atendimento) ou utilizando as ferramentas de comunicação digital institucionais (e-mail/e-learning).
A avaliação será realizada através da avaliação da tese (trabalho escrito) e da sua defesa pública, que contabiliza 100% da classificação final da UC.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino (exposição teórica prática, debate e orientação do estudo autónomo) estão de acordo com o objetivo da unidade curricular. A carga horária de cada um dos conteúdos está também adequada à aprendizagem dos objetivos pretendidos, sendo a seguinte:
Apresentação/defesa da dissertação: 1 hora
1. Normas de elaboração da dissertação
Horas previstas: 2 h de contacto (C); 1 h Orientação Tutorial (OT)
2. Ética
Horas previstas: 1 h de contacto (C); 1 h Orientação Tutorial (OT)
3. Redação e apresentação da Investigação / Comunicação científica
Horas previstas: 2 h C; 3 h OT
4. Análise de dados
Horas previstas: 9 h C; 10 h OT
Estudo individual: 170horas
Oito ECTS (número de horas total = 200)

Bibliografia:

1- Laake, P., Benestad, H.B., Olson, B.R. Research in Medical and Biological Sciences. Elsevier/Academic Press, 2015. [Laake, P., Benestad, H.B., Olson, B.R. Research Methodology in the Medical and Biological Sciences. Academic Press, 2007. Free download https://epdf.pub/research-methodology-in-the-medical-and-biological-sciencesc158aa49588fb6a9f43128755cdfd15636270.html]
2- Wisker, G. The Postgraduate Research Handbook, 2nd Ed. Palgrave MacMillan, 2007.
3- Dawson, B., Robert G.T. Basic & Clinical Biostatistics, 4th Ed. McGraw-Hill, 2004.
4- Gouveia de Oliveira, A. Bioestatística Descodificada. 2ª edição, LIDEL, 2014.
5- Maroco, J. Análise Estatística com o SPSS Statistics. Edicões Sílabo, Lda., 7ª edição, 2018.
6- Artigos científicos (a fornecer pelas docentes, por outros docentes e/ou orientadores, ou recolhidos pelos alunos).

Objetivos de aprendizagem:

Reconhecer a Medicina Dentária Forense como ramo da Medicina Legal; Introdução às Ciências Forenses: noções básicas e conceitos gerais; Medicina Dentária Forense: definição, dados históricos e objetivos. Identificação humana pelos sinais dentários; Técnicas dentárias e não dentárias de identificação; Reconhecer a utilidade da queiloscopia e rugoscopia na identificação humana; Identificação humana em situação de desastres em massa; Aspetos médico-legais da violência (maus tratos/abusos em crianças e idosos); Técnicas de autópsias médico-legais da cavidade oral; A importância do ADN obtido de tecidos dentários para identificação humana e Identificar as alterações orais associadas ao consumo de álcool e drogas de abuso.

Conteúdos programáticos:

Organização Médico-Legal em Portugal. Atribuições dos Serviços Técnicos das Delegações e Gabinetes Médico-Legais. Tipos de perícias realizadas. Introdução histórica à Medicina Dentária Forense e sua constituição como ciência independente. Técnicas dentárias e não dentárias de identificação. Importância dos registos dentários na identificação humana. Queiloscopia e Rugoscopia palatina. Técnicas de autópsias orofaciais. Identificação humana em desastres em massa. Aspetos médico-legais da violência (maus tratos/abusos em crianças e idosos). Utilização do ADN obtido de tecidos dentários para identificação humana. Metodologia de extração e análise de ADN. Alterações bucais associadas ao consumo de álcool e drogas de abuso.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A coerência entre os conteúdos programáticos e os objetivos da unidade curricular traduz-se pela aquisição segmentada e orientada dos diversos conceitos e áreas específicas de aplicação da Medicina Dentária Forense fomentando o desenvolvimento do espírito crítico e a capacidade de aplicação dos conhecimentos adquiridos na realização de perícias médico-legais no âmbito da Medicina Dentária e na resolução de questões do foro médico-legal. A solicitação de atividades de cariz prático ajuda ao cumprimento dos objetivos estabelecidos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A execução pedagógica consta de aulas teórico-práticas com (1) exposição e debate dos conceitos teóricos relevantes em sala de aula; (2) demonstração da aplicação prática dos conceitos apresentados; e (3) orientação do estudo autónomo dos(as) alunos(as) por consulta da bibliografia recomendada.
A avaliação consta de uma prova escrita de aferição de conhecimentos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino são concordantes com os objetivos da unidade curricular na medida em que procuram dotar os(as) alunos(as) de conhecimentos relativos à área específica da Medicina Dentária Forense no que respeita ao seu âmbito, objetivos e modo de realização de perícias médico-legais. Pretende-se que os(as) alunos(as) desenvolvam espírito crítico e reflexivo e adquiram competências que permitam a atualização e o progresso no domínio científico e sua aplicação prática. Além da bibliografia essencial em anexo, cada tópico será acompanhado por leituras específicas que serão debatidas nas aulas de modo a estimular a compreensão da problemática e formação de um espírito crítico.
A avaliação da componente teórico-prática inclui a realização de uma prova teórica escrita. Os(as) alunos(as) que na avaliação da disciplina tiverem obtido uma classificação inferior a 10 valores, poderão apresentar-se aos exames de recurso, em época para o efeito fixada no cronograma.

Bibliografia:

Bowers. (2010) Forensic Dental Evidence: An Investigator’s Handbook, Academic Press.
Brand et al. (2008). Cocaine and oral health. British Dental Journal 204: 365-9.
Guimarães et al. (2020) “Dental Diversity Patterns: Relevance in Portuguese Military Population”. Acta Scientific Dental Sciences 4.1: 91-9.
Guimarães et al. (2018) Diversity in dental clinical characteristics in Portuguese and Spanish military populations Spanish Journal of Legal Medicine 44(3): 99-107.
Guimarães et al. (2017) Forensic medicine and the military population: identification concerns, Acta Med Port 30(2):100-7.
Higgins & Austin. (2013) Teeth as a source of DNA for forensic identification of human remains: A Review. Sci Justice 53(4):433-41.
Hughes & Bartold. (2018) Periodontal complications of prescription and recreational drugs. Periodontology 2000 78(1):47-58.
Silver & Souviron. (2009) Dental Autopsy. CRC Press.
Stimson & Mertz. (1997) Forensic Dentistry, CRC.

Objetivos de aprendizagem:

A Medicina Dentária Hospitalar é uma especialidade da Medicina Dentária em evolução, tem como base a sinergia inclusiva de todas as áreas da Medicina Dentária e acrescenta a componente do ambiente hospitalar e de emergência. A diversidade do quadro clínico entre os doentes, e a multiplicidade das suas necessidades de tratamento, caracterizam os pacientes em ambiente hospitalar. De facto, ao médico dentista pode ser solicitado o acompanhamento médico dentário de pacientes com cancro, com complicações médicas, necessidades especiais, reabilitação de resseções mandibulares totais e parciais, traumatismos dentários e situações de emergência. A Medicina Dentária Hospitalar pode também beneficiar significativamente a crescente comunidade geriátrica, que muitas vezes requer cuidados médico-dentários mais frequentes e complexos, e o futuro médico dentista pode ter um papel na prevenção de complicações médicas secundárias aos procedimentos médico dentários necessários.

Conteúdos programáticos:

Conceitos de atendimento ambulatório, permanente, cuidados primários, cuidados paliativos. Atendimento de urgência e emergência médica. Quadros clínicos inflamatórios séticos/infeciosos de origem dentária. Anestesia e sedação consciente. Tratamento médico-dentário de pacientes vulneráveis sob anestesia geral. Cirurgia Oral no bloco operatório. Traumatologia e Medicina Dentária Hospitalar. Complicações orais e reabilitação oral complexa após cirurgia oncológica da cavidade oral. Necessidades de cuidados de saúde oral em doentes internados, ou em ambulatório. Abordagem médico-dentária de pacientes medicamente comprometidos. Abordagem de pacientes com necessidades de cuidados de saúde oral especiais.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Teóricas (T; 15H; Uma hora semanal): nas aulas teóricas serão abordadas aquelas temáticas e serão apresentados casos clínicos para uma aprendizagem, por parte do aluno, sobre os procedimentos realizados por um médico dentista na dinâmica clínica quotidiana de um ambiente hospitalar. Adicionalmente, esse conhecimento promoverá que o futuro médico dentista galvanize a prevenção juntamente com o tratamento.
Os diferentes contextos do paciente também serão abordados no sentido de adequar as práticas clínicas às suas necessidades especificas.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A avaliação desta unidade curricular (5ECTS) resulta da ponderação de 100% da componente teórica, mediante a realização de teste escrito. A não obtenção de classificação mínima de 10 valores na tipologia teórica remete o aluno para exame de recurso em época para o efeito, fixada no cronograma académico.
Componente teórica (T) com ponderação: 100% nota da prova escrita. Os alunos terão orientação (O) e Orientação tutorial (OT) nos horários de atendimento definidos pelo docente e via plataforma Canvas, sobre as temáticas em estudo, de modo continuo durante a avaliação por frequência do semestre.
A classificação mínima de aprovação na UC é de 10 valores. O regime de assistência às aulas é o adotado nas Normativas académicas da UFP e demais normas nacionais em vigor. Para obter a creditação desta unidade curricular o aluno terá de garantir a obtenção dos 2 ECTS previstos no sistema de avaliação descrito.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A metodologia desta unidade curricular inter-relaciona os conceitos e atos profissionais da Medicina Dentária enquadrada, em termos de formação e profissionais, com outras especialidades médicas, respeitando as normas e condutas de boas práticas clínicas e regulamentos de unidades funcionais e organizacionais de saúde locais, como Hospitais públicos ou privados.
Aulas teóricas (T; 15 Horas; Uma hora semanal) -destinam-se a expor e a atualizar, de forma descritiva e organizativa, os conceitos, teorias e postulados descritos nos conteúdos programáticos da Medicina Dentária Hospitalar, que, apoiados numa bibliografia, visam desenvolver competências científicas e profissionais nos alunos.
Aulas OT (7.5 Horas)
Sessões de orientação dos alunos, no sentido de lhes permitir usar adequadamente bibliografias; desenvolver métodos de pesquisa científica; organizar leituras; exercitar a exposição oral e escrita; aprofundar capacidades de análise, de síntese e de sistematização de conhecimentos no âmbito da Medicina Dentária Hospitalar.
Aulas O (7.5 Horas)
Sessões livres, no sentido de possibilitar ao aluno o contacto com unidades funcionais, mediante visita guiada, ao Serviço de Medicina Dentária do HE-UFP; Importância da formação integrada e formação contínua no Centro de Anatomia e Cirurgia Experimental (CACE-HE-UFP).

Bibliografia:

1) James W. Little, Donald A. Falace, Craig S. Miller, Nelson L. Rhodus. Dental Management of the Medically Compromised Patient. 9th Edition. Mosby Elsevier. Paperback ISBN: 9780323443555; eBook ISBN: 9780323443845
2) Robert E. Marx, Diane Stern. Oral and Maxillofacial Pathology. Second Edition. Quintessence Publishing Co, Inc. ISBN 978-0-86715-512-9.
3) Paulo Sérgio dos Santos. Medicina Bucal - A Prática na Odontologia Hospitalar. Editora Santos, 2012. ISBN:9788572888929.
4) Crispian Scully. Medical Problems in Dentistry, 7th edition.Churchill Livingstone, 2014.ISBN: 9780702054013
5) Artigos científicos recomendáveis em função dos conteúdos programáticos descritos.