UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Ao nível dos conhecimentos e capacidades de compreensão, espera-se que os alunos sejam capazes de identificar quais os fatores críticos de sucesso na gestão de organizações que operam no ambiente V.U.C.A.
Pretende-se também que, através da elaboração de trabalhos práticos e da sua apresentação oral, debates em sala de aula ou realização de recensões críticas em formato escrito, os formandos sejam capazes de:
- apresentar formas de aplicar os conhecimentos a situações novas e não familiares, em contextos alargados e multidisciplinares e, demonstrem a capacidade de desenvolver soluções aplicadas a organizações e/ou problemas do mundo real.
- comunicar as suas conclusões – e os conhecimentos e os raciocínios a elas subjacentes – quer a especialistas, quer a não especialistas, de uma forma clara e sem ambiguidades.

Conteúdos programáticos:

Alguns conceitos iniciais sobre Gestão e Estratégia.
O ambiente em que operam as organizações: Mundo V.U.C.A e o Mundo V.U.C.A.+COVID-19;
a 4ª Revolução industrial/a transformação digital.
Modelos de Gestão e de Organização com maior implementação: De Max Weber e Taylor ao Modelo Multidivisional | Modelo Burocrático. Meritocracia.
As 6 regras da competição do mundo em que vivemos
Modelos de gestão e de design organizacional “sincronizados” com o ambiente em que operam as organizações: Adhocracia; Ambidestria.
A teoria dos "jobs to be done" e as organizações centradas no cliente.
Desenvolvimento de modelos de negócio e dos experimentos que ajudem a diminuir os riscos e aumentar as condições de sucesso.
Plataformas e ecossistemas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Sendo uma disciplina de integração e aplicação de conhecimentos, pretende-se que os alunos compreendam o que é uma organização e quais os princípios de gestão mais relevantes para a sua existência e continuidade, como se desenvolve a estratégia no contexto da empresa e do mercado e suas principais teorias e escolas de pensamento. Estes objectivos estão devidamente tratados nos temas escolhidos para a leccionação da disciplina e aplicados na fase de gestão de projectos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O conteúdo programático terá um tratamento teórico (complementado através de diversas leituras, metodologia expositiva, interrogativa e demonstrativa), e um tratamento prático (através da execução, apresentação e discussão nas aulas de trabalhos práticos e casos empresariais aplicados (aulas teórico-práticas), o que exige a aplicação correcta dos conhecimentos teóricos adquiridos e sua correcta comunicação, potenciando a capacidade de auto-aprendizagem.
O método de avaliação baseia-se no modelo da avaliação contínua, incluindo:
um teste escrito [correspondendo a 35% (trinta e cinco por cento) da nota]; um trabalho individual com a correspondente apresentação oral [correspondendo a 35% (trinta e cinco por cento) da nota], e a qualidade da participação nas aulas e sessões tutoriais [correspondendo a 30% (trinta por cento) da nota].

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino visam um misto de aquisição de conceitos centrais e aplicação prática dos mesmos. Por essa razão se privilegia uma abordagem teórico-prática, com recurso a casos de estudo.
Aos estudante é também solicitada a realização de pequenos trabalhos de natureza prática para ilustrar os conceitos e explorar o uso do digital.

Bibliografia:

Birkinshaw, J. and Ridderstråle, J. (2017) Fast/Forward: Make Your Company Fit for the Future.
Charan, R. (2021) Rethinking Competitive Advantage: New Rules for the Digital Age.
Hamel, G. and Zanini, M. (2021) Humanocracia: Criando Organizações Tão Incríveis Quantos as Pessoas Que as Formam. Alta Books.
O’Reilly, C. A., & Tushman, M. L. (2018) Liderança e Disrupção. Como Resolver o Dilema do Inovador. Alta Books; 1ª edição.
Osterwalder, A. and Bland, D.J. (2020) Testing Bussiness Ideas: Este é um guia de campo de experimentação rápida. Use os 44 experimentos para acelerar a escalabilidade. Vença em grande estilo com pequenas apostas…: Volume 1. 1ª edição. Alta Books.
Savoia, A. (2019) The Right It: Why So Many Ideas Fail and How to Make Sure Yours Succeed. HarperOne.

Objetivos de aprendizagem:

Desenvolver competências ao nível do aprofundamento e desenvolvimento dos conhecimentos e aplicação dos mesmos de modo a resolver problemas e fundamentar os seus argumentos, capacidade de recolher, selecionar e interpretar informação relevante para fundamentação das soluções preconizadas, incluindo aspetos sociais, científicos e éticos relevantes;
Desenvolver capacidades de comunicação de informação, ideias, problemas e soluções para diversos públicos, tanto especialistas como não especialistas;
Desenvolver uma aprendizagem autónoma, que lhe permita uma aprendizagem ao longo da vida;
Desenvolver competências no domínio do conhecimento dos princípios que presidem à gestão dos resíduos sólidos e das últimas tecnologias envolvidas na sua recolha, transporte e tratamento, análise espacial dos impactes decorrentes da implantação de novas infraestruturas e alterações a infraestruturas existentes e análise espacial no transporte e gestão dos resíduos.

Conteúdos programáticos:

Introdução aos resíduos; Fontes, composição, propriedades e transformações dos resíduos; Fontes, tipos e propriedades dos resíduos perigosos; Taxas de geração e recolha de resíduos; Manuseamento e separação dos resíduos, armazenamento e processamento na fonte; Recolha de resíduos; Separação, processamento e transformação de resíduos; Resíduos Industriais; Resíduos Hospitalares; Legislação; Legislação nacional e comunitária de resíduos

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Introdução aos resíduos: pretende-se apresentar o aluno ao campo da gestão de resíduos sólidos e identificar as necessidades que devem ser satisfeitas por aqueles que exercem no campo.
Fontes, propriedades e transformações dos resíduos: abordam-se as características que permitem a identificação dos resíduos e seu tratamento.
Gestão e tratamento de resíduos sólidos: enquadrando-se na legislação mais recente, abordam-se os tópicos que permitem compreender como se faz a gestão e tratamento eficiente dos resíduos sólidos, tendo por finalidade alcançar a sustentabilidade ambiental.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizados seminários temáticos com oradores externos.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e dos trabalhos de pesquisa realizados.
1 Teste: 70%; Trabalho: 20%; Desempenho do aluno: 10%

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar a aplicação prática dos conceitos teóricos apreendidos. Pretende-se essencialmente que os alunos sejam capazes de identificar práticas operacionais adequadas ao nível da gestão de resíduos sólidos e desta forma contribuírem para um desenvolvimento sustentável. Desta forma, os seminários com oradores externos, e os estudos de caso analisados em aula, são instrumentos de aprendizagem e estudo orientado que permitem ao aluno percecionar a relevância destes assuntos na prática da gestão ambiental, bem como a relevância do papel que poderão assumir neste âmbito.

Bibliografia:

[1] TCHOBANOGLOUS, G, THEISEN, H and VIGIL, S. A. - Integrated Solid Waste Management - McGraw-Hill, 1993
[2] Richard T. Wright e Dorothy Boorse – Environmental Science: Toward a Sustainable Future 13/E – Pearson, 2017
[3] H.S. Bhatia – A Comprehensive Book on Industrial Waste and Its Management – The Readers Paradise, 2020
[4] Richard Wright – Environmental Science: Toward A Sustainable Future 13th Edition, 2022

Objetivos de aprendizagem:

O principal objetivo da unidade curricular Matemática no curso de Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança, é fornecer aos alunos bases e ferramentas matemáticas que promovam o raciocínio lógico e metódico, e permitam equacionar e resolver problemas aplicados.
No final desta unidade curricular o aluno deverá ser capaz de:
- Interpretar e equacionar matematicamente problemas reais, utilizando os conceitos de funções, derivadas e integrais;
- Selecionar e aplicar corretamente as ferramentas matemáticas disponíveis para a resolução desses problemas, incluindo matrizes e determinantes;
- Interpretar e analisar criticamente os resultados obtidos.

Conteúdos programáticos:

1. Matrizes e Determinantes.
1.1. Matrizes. Operações com matrizes. Operações elementares sobre linhas. Sistemas de equações lineares. Inversão de Matrizes
1.2. Determinantes. Cálculo de determinantes. Regra de Cramer.
2. Funções reais de variável real
2.1.Conceitos básicos. Domínio e zeros.
2.2. Funções: polinomiais, racionais, exponencial, logarítmica.
2.3. Derivabilidade. Regras de derivação.
2.4. Aplicações da derivação.
3. Cálculo Integral
3.1. Integral indefinido ou primitiva. Métodos de integração.
3.2. Integral definido. Teorema fundamental do cálculo.
3.3. Aplicações do cálculo integral: equações diferenciais ordinárias de 1ª ordem com variáveis separáveis

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos apresentados cobrem as áreas de conhecimento essenciais e coerentes para o atingir dos objetivos formulados, dado que os tópicos incluídos no programa como derivabilidade, integrais e primitivas, matrizes e determinantes, cobrem os principais aspetos do estudo que habilita o aluno a selecionar e aplicar corretamente as ferramentas matemáticas disponíveis para a resolução de problemas aplicados.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa. Recorre-se à resolução de problemas e estudo orientado de modo a permitir interpretar e equacionar matematicamente problemas reais e aplicar as ferramentas matemáticas disponíveis para a sua resolução. São propostos problemas e exercícios, em sala de aula e em horas de estudo autónomo. É dado particular ênfase à interpretação física dos fenómenos matemáticos estudados, procurando-se estabelecer um paralelismo entre a teoria e a prática.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, e inclui os seguintes elementos de avaliação:
• Provas escritas de avaliação individual,
• Trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo
• Desempenho do aluno (assiduidade, resolução de trabalhos ou exercícios propostos extra-aulas, postura e participação ativa nas aulas e no horário de atendimento do professor).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objectivos formulados para a unidade curricular dado que apostam na interpretação física dos fenómenos matemáticos estudados, procurando-se estabelecer um paralelismo entre a teoria e a prática aplicada a problemas reais, contribuindo deste modo para desenvolver a capacidade do aluno para aplicar este tipo de técnicas na resolução de problemas reais.

Bibliografia:

[1] Anton, H; Bivens, I.C.; Davis, S. Calculus: Early Transcendentals, 12th Edition, Wiley, 2021.
[2] Anton, H. Elementary Linear Algebra, 12th Edition, Wiley, 2020
[3] Ferreira, M.A.M.; Amaral, I.; Álgebra Linear – Matrizes e Determinantes – Vol. 1. 8ª edição. Edições Sílabo. 2018
[4] Ferreira, M.A.M.; Amaral, I.; Cálculo Diferencial em Rn. 5ª edição. Edições Sílabo. 2002
[5] Ferreira, M.A.M.; Amaral, I.; Primitivas e Integrais. 7ª edição. Edições Sílabo. 2018

Objetivos de aprendizagem:

No final da unidade curricular o aluno deve:
• compreender os princípios fundamentais da gestão da qualidade e desenvolvimento da função qualidade
• conhecer as ferramentas fundamentais de qualidade e compreender a metodologia de resolução de problemas;
• utilizar a metodologia estruturada de resolução de problemas e os métodos estatísticos de controlo de qualidade com recurso a programas de software específicos;
• utilizar ferramentas de controle estatístico do processo para reduzir a variabilidade dos processos e melhorar a sua capacidade.
• utilizar a ferramenta de desenvolvimento da função qualidade na conceção de serviços.

Conteúdos programáticos:

1.Organização e Gestão da Qualidade.
2.A qualidade na Conceção
3.Ferramentas Clássicas da Qualidade

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O ponto 1 do conteúdo programático introduz os termos e definições. O ponto 2 introduz os requisitos para o desenvolvimento da função qualidade. O ponto 3 introduz as ferramentas clássicas da qualidade. Os conteúdos adequam-se aos objectivos da unidade curricular, compreendendo conhecimentos na área da gestão da qualidade.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Recorre-se a uma metodologia expositiva, descritiva e demonstrativa, recorrendo à resolução de casos e ao estudo orientado, de modo a introduzir os conhecimentos e a facilitar a compreensão da Gestão da Qualidade
Dada a especificidade didática da disciplina, a avaliação consistirá de diferentes momentos que formam três componentes.
1 Componente A (50%)
Avaliação teórico prática (35%)
Trabalho de grupo (5%)
Portfolio do trabalho realizado em aula (5%)
Avaliação contínua (5%)
2 Componente B (25%): Um teste teórico relacionado com os vários temas do capítulo 3.
3. Componente C (25%): Um teste teórico relacionados com os vários temas do capítulo 2.
A nota final será 50% da média aritmética da componente A com B e a 50% da componente C.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objectivos de aprendizagem da unidade curricular, na medida em que estabelecem uma articulação estreita e contínua entre a introdução de conceitos teóricos e a apresentação de exemplos práticos. Esta abordagem permite a interpretação e aplicação prática dos conceitos e dos métodos envolvidos na Gestão da Qualidade

Bibliografia:

1. ASQ (American Society for Quality) (2019), The 7 Basic Quality Tools for Process Improvement [Em linha]. Disponível em https://asq.org/quality-resources/fishbone, [Consultado em 1/1/2018]-
2. Escola Superior de Biotecnologia Universidade Católica Portuguesa (2008), Gestão da Qualidade Total e Certificação de Empresas - as 7 Ferramentas Básicas da Qualidade. Porto, Escola Superior de Biotecnologia Universidade Católica Portuguesa.
3. Pillet e Duret(2010)”Qualidade na Produção – da ISO 9000 aos seis sigma”Lidel
4.Pinto,J.P.(2014)”Pensamento Lean”, Lidel.

Objetivos de aprendizagem:

O objectivo da unidade curricular Química é o de assegurar aos alunos a preparação de base em química necessária na sua actividade profissional futura. A unidade curricular irá funcionar procurando desenvolver nos alunos o espírito crítico e de análise de problemas numa óptica de PBL (Problem-Based Learning) e familiarizar os alunos com as regras de segurança e o trabalho com produtos químicos, com a interpretação e execução de trabalhos no âmbito da química experimental.

Conteúdos programáticos:

1.Conceitos básicos de química
1.1. Matéria, estados da Matéria.
1.2. Átomos, moléculas, iões.
1.3. A tabela periódica.
1.4. N.º de Advogadro e Massa Molar
1.5. Fórmulas químicas
1.6. Introdução à nomenclatura dos compostos inorgânicos.
2. Estados gasoso e líquido
2.1. Equação dos gases perfeitos.
2.2. Soluções líquidas. Concentração. Diluição.
3. Reacções químicas
3.1. Cálculos estequiométricos.
3.2. Noção de equilíbrio químico. Constante de equilíbrio. Princípio da Le Chatelier.
3.3. Ácidos e bases.
3.4. Reacções de precipitação. Produto de solubilidade.
3.4.1. Análise Gravimétrica e volumétrica.
3.5. Reações de oxidação-redução.
3.6. Eletroquímica.
4. Introdução à química orgânica.
4.1 Famílias de compostos orgânicos
4.2 Propriedades físicas dos compostos orgânicos
4.3 Reactividade dos compostos orgânicos

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os primeiros três capítulos têm por objectivo fornecer ao futuro gestor da qualidade, ambiente e segurança, conceitos fundamentais sobre a estrutura e transformação da matéria de forma que ele adquira uma visão microscópica da matéria, perceba de que forma essa estrutura microscópica se reflecte nas propriedades macroscópicas, e compreenda também como a matéria se transforma via reacções químicas (nomeadamente reacções em meios aquosos) e como essas reacções podem ser utilizadas para produzir produtos de interesse e em análise química.
No capítulo 4 é abordada a química dos compostos orgânicos. Estes compostos têm uma importância fundamental no nosso progresso tecnológico todavia muitos estão associados à sérios problemas de segurança e poluição ambiental.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa. Nas aulas teórico-práticas e sessões de orientação do estudo e durante as aulas práticas laboratoriais são propostos problemas, exercícios e trabalhos experimentais, quer para resolução em grupo quer individualmente, em sala de aula e em horas de estudo. O ensino da unidade curricular é complementado com períodos de atendimento aos alunos fora da sala de aula.
AVALIAÇÃO:
São fatores intervenientes na classificação desta componente os seguintes elementos:
• Testes escritos de avaliação individual (80%);
• Trabalhos/projetos propostos para resolução extra-aulas (10%).
• Desempenho em sala de aula (10%)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As aulas expositivas destinam-se a transmitir conhecimentos complexos que a área da química comporta e a orientar o estudo do discente. A resolução de problemas e o trabalho em laboratório permitem ao discente fazer uma auto-avaliação dos conhecimentos teóricos adquiridos e a aplicação desses conhecimentos procurando desenvolver nos alunos o espírito crítico e de análise de problemas numa ótica de PBL (Problem-Based Learning).

Bibliografia:

[1] Chang, R., Overby, J. Chemistry. McGraw-Hill. 13th Edition. 2019.
[2] Breck, W. E., Brown, R. J. C. and McCowan, J. D., Chemistry for Sciences and Engineering. McGraw-Hill Ryerson. 2ª Edição. 1983.
[3] Callister, W. D., Ciência e Engenharia de Materiais: Uma Introdução. Livros Téc. e Cient. Editora, 7ª edição, 2009.
[4] Solomons, T.W.G.; Fryhle, C.B. - Organic Chemistry - John Wiley & Sons, 8th Edition, 2004.
[5] Manahan S. E. - Environmental Chemistry, 10th Ed. CRC Press (2017).

Objetivos de aprendizagem:

• Identificar as principais barreiras do corpo para a ação de agentes tóxicos
• Compreender os principais mecanismos de defesa imunológico humano
• descrever os principais grupos de agentes biológicos
• Medidas para prevenir e proteger individual e coletiva
• Compreender e analisar documentos legais
• descrever os principais grupos de produtos químicos
• Compreender os efeitos das exposições combinadas
• Especificar os procedimentos de calibração de instrumentos para a leitura

Conteúdos programáticos:

1. Conceitos e definições
2. Princípios fundamentais da prevenção
3. Causas e consequências dos acidentes de trabalho e doenças profissionais.
4. Controlo de riscos associados a locais e postos de trabalho e equipamentos de trabalho
5. Segurança de equipamentos de trabalho
6. Trabalhos com riscos especiais
6.1 Trabalhos em espaços confinados
6.2 Trabalhos em altura
6.3 Trabalhos em escavações
6.4 Trabalhos de demolição
6.5 Trabalho no transporte de matérias perigosas
7. Transporte mecânico de cargas: riscos, medidas preventivas e de proteção
8. Transporte manual de cargas: riscos, medidas preventivas e de proteção
9. Armazenagem, utilização e eliminação de produtos químicos perigosos: riscos, medidas preventivas e de proteção.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos estão em coerência com os objetivos formulados para a unidade curricular dado que os tópicos incluídos no programa cobrem os principais aspetos em SST.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizados seminários temáticos com oradores externos.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e dos trabalhos de pesquisa realizados.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar a aplicação prática dos conceitos teóricos apreendidos. Desta forma, os seminários com oradores externos, e os estudos de caso analisados em aula, são instrumentos de aprendizagem e estudo orientado que permitem ao aluno percecionar a relevância destes assuntos na prática da gestão organizacional, bem como a relevância do papel que poderão assumir neste âmbito.

Bibliografia:

ASFAHL, C. R. (1999). Gestão de Segurança do Trabalhado e de saúde ocupacional. Reichman & Autores Editores
CABRAL, F. & ROXO, M. (2004). Segurança e Saúde no Trabalho. Legislação Anotada. Almedina, 3ª ed.
CABRAL, F. & VEIGA R. (2006). Higiene, Segurança, Saúde e Prevenção de Acidentes de Trabalho. Um guia prático imprescindível para a sua actividade diária. Verlag Dashöfer, Vol. 2, 23ª actualização
FREITAS, L. C. (2005). Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Vol. II
MACEDO, R. M. (1988). Manual de Higiene do Trabalho na Indústria. Fundação Callouste Gulbenkian
ROBERTS-PHELPS, G. (2001). Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho. Jogos para formadores. Monitor, 1ª ed.
MIGUEL, A. S. S. R. (2007). Manual de Higiene e Segurança do Trabalho. Porto Editora. 10ª edição. pp. 83-114, 299-364.
NUNES, F. M. D. O. (2009). Segurança e Higiene do Trabalho – Manual Técnico. Cooptécnica Gustave Eiffel. 2ª edição. pp. 41-96.

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

A aleatoriedade e a incerteza são características comuns a muitos fenómenos. Nesse âmbito, constituem objectivos da unidade curricular a introdução e o desenvolvimento de conhecimentos e técnicas de recolha e análise de dados e de inferência necessárias à modelação de variáveis aleatórias.
Os resultados de aprendizagem previstos para esta UC são os seguintes:
- descrever, analisar e estabelecer conclusões sobre dados uni e bi-variados
- calcular probabilidades e aplicar o conceito de probabilidade como medida de incerteza;
- identificar e aplicar os principais modelos teóricos de distribuição de probabilidades;
- estimar intervalos de confiança e testar hipóteses acerca dos parâmetros e do comportamento de uma determinada população.

Conteúdos programáticos:

1. Conceitos Básicos
2. Estatística Descritiva
3. Teoria Elementar da Probabilidade
4. Variáveis Aleatórias e Distribuições de Probabilidade
5. Estimação por Intervalo de Confiança
6. Testes de Hipóteses

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os pontos 1 e 2 dos conteúdos programáticos introduzem os conceitos e as técnicas de recolha, organização e análise de dados que permitem descrever, analisar e estabelecer conclusões sobre dados uni e bi-variados. Os pontos 3 e 4 introduzem os conceitos fundamentais relativos à teoria das probabilidades e das variáveis aleatórias, necessários ao cálculo de probabilidades de acontecimentos simples e compostos e à compreensão, conhecimento e aplicação dos principais modelos teóricos de distribuição de probabilidades. Os pontos 5 e 6 introduzem os métodos de inferência estatística essenciais à estima de parâmetros e ao teste de hipóteses. Os conteúdos adequam-se aos objectivos da unidade curricular, compreendendo conhecimentos e técnicas de recolha e análise de dados e de inferência necessárias à modelação de variáveis aleatórias.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Recorre-se a uma metodologia expositiva, descritiva e demonstrativa, recorrendo à resolução de problemas e ao estudo orientado, de modo a introduzir os conhecimentos e as técnicas e a facilitar a compreensão e a aplicação dos métodos fundamentais no âmbito da estatística descritiva e da inferência estatística.
O método de avaliação compreende:
• 3 Testes escritos de avaliação individual (90%)
• O desempenho do aluno, incluindo assiduidade, resolução de problemas e participação activa nas aulas (10%)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objectivos de aprendizagem da unidade curricular, na medida em que estabelecem uma articulação estreita e contínua entre a introdução de conceitos teóricos, a apresentação de exemplos práticos e a resolução de problemas e exercícios. Esta abordagem permite a interpretação e aplicação prática dos conceitos e dos métodos envolvidos em estatística.

Bibliografia:

[1] Dekkin, F.M., Karaikamp, C., Lopuhaã, H.P., Meester, L. E. (2010). A Modern Introduction to Probability and Statistics. Understanding Why and How. Springer.
[2] Guimarães, R.C. e Cabral, J. A. S. (2010) Estatística. Verlag Dashofer.
[3] Montgomery, D.C., Runger, G. C. (2014) Applied Statistics and Probability for Engineers. Wiley.
[4] Reis, E.; Melo, P; Andrade, R e Calapez, T. (2015) Estatística Aplicada. Vol. 1 e 2. Edições Sílabo.
[5] Lapponi, J.C. Estatística usando Excel, 4ª Edição, Campus - Elsevier, 2005. ISBN 85-352-1574-3

Objetivos de aprendizagem:

Actualmente, a qualidade é um elemento de sustentação da competitividade. São de assinalar algumas tendências genéricas que marcam a evolução da qualidade: adopção de novas filosofias organizacionais : TQM e Kaizen.
No final desta unidade curricular os alunos devem ser capazes de:
1 – Desenvolver conhecimentos e competências na metodologia Kaizen e na sua aplicação a diferentes contextos.
2- Perceber as diferentes etapas de definição e análise dos processos.
3- Analisar, compreender e ser capaz de utilizar um conjunto de ferramentas Kaizen de resolução dos principais problemas de gestão e melhoria dos processos e das operações;
4- Interpretar os desafios da gestão dos processos na busca da redução do desperdício e aumento da eficiência.

Conteúdos programáticos:

1.A Qualidade Total.
2.Metodologia Kaizen.
3.Outras formas de eliminação de desperdício.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O ponto 1 do conteúdo programático introduz os termos e definições da qualidade total. O ponto 2 introduz a metodologia kaizen. O ponto 3 introduz outras formas de eliminação do desperdício. Os conteúdos adequam-se aos objectivos da unidade curricular, compreendendo conhecimentos na área da qualidade total e Kaizen.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Recorre-se a uma metodologia expositiva, descritiva e demonstrativa, recorrendo à resolução de problemas e ao estudo orientado, de modo a introduzir os conhecimentos e as técnicas e a facilitar a compreensão e a aplicação dos métodos fundamentais no âmbito do Kaizen.
O método de avaliação compreende:
- 1 teste escrito de avaliação (80% da classificação final)
-1 trabalho grupo (20% da classificação final)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objectivos de aprendizagem da unidade curricular, na medida em que estabelecem uma articulação estreita e contínua entre a introdução de conceitos teóricos e a apresentação de exemplos práticos. Esta abordagem permite a interpretação e aplicação prática dos conceitos e dos métodos envolvidos na Qualidade Total e Kaizen.

Bibliografia:

1. Courtois, Martin e Pillet (2010),Gestão da Produção, 5ª Ed. LIDEL
2. Imai, M.(2014), Gemba Kaizen,Bookman
3. Pinto(2014),Pensamento Lean, 6ª Ed Lidel
4. Tânia e Carvalho(2019),Logística na Saúde,4ª Ed. Sílabo

Objetivos de aprendizagem:

Esta UC tem por objetivo transmitir o conhecimento das diversas formas de energia, bem como dos impactes ambientais resultantes da sua exploração e uso. É ainda objetivo da UC a apresentação da legislação em vigor de gestão de energia.
As competências transversais a ser trabalhadas:
• Trabalho autónomo e em equipa;
• Capacidade de Organização e de Planeamento;
• Capacidade para tomar decisões;
• Capacidade de auto-aprendizagem;
• Capacidade de aplicação de conhecimentos;
• Capacidade de adaptação a situações novas;
• Capacidade de Comunicação Oral e Escrita;
• Desenvolvimento de Relações interpessoais.
No final, o aluno deve possuir competências específicas como:
• Conhecer o papel da energia nos diversos modelos de desenvolvimento humano;
• Conhecer os diferentes recursos energéticos, formas de produção e impactes ambientais associados;
• Conhecer as políticas energéticas, nacionais e internacionais;
• Conhecer a legislação de gestão de energia (SGCIE e RGCEST).

Conteúdos programáticos:

Conceitos introdutórios: Conceito de energia e sua relação com o ambiente. Recursos energéticos: Energia: produção e impacte ambiental;Estatísticas de energia: Fornecimento de energia primária; Produção mundial de energia elétrica; Indicadores energéticos; Projeções futuras. Política energética da União Europeia: Resoluções Comunitárias na área energética. Sistema energético Português: Caracterização do sistema energético nacional; Balanço energético nacional; Sistema nacional de produção, transporte e distribuição de energia; Políticas nacionais para a energia. Apoio à gestão de energia: Conceito de Consumo específico de energia; Contabilidade e gestão energética; SGCIE - Sistema de Gestão dos Consumos Intensivos de Energia.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos cobrem os objetivos formulados para a unidade curricular incluindo os conceitos básicos de energia e ambiente, estatísticas sobre recursos e consumos, formas de produção e impacte ambiental, política nacional e europeia para energia, bem como a apresentação da legislação em vigor em matéria de gestão de energia.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizados seminários temáticos com oradores externos.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e dos trabalhos de pesquisa realizados.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar uma visão global dos problemas de energia e ambiente pelos alunos, bem como as políticas e as técnicas aplicáveis na sua resolução.
As metodologias de ensino estão em coerência com os objetivos da unidade curricular dado que a metodologia expositiva associada à análise de situações concretas e ao desenvolvimento de trabalhos sobre aspetos parcelares, permitem a compreensão dos desafios que se colocam aos futuros profissionais.

Bibliografia:

-Andrews, J. and Jelley, N. – Energy Science, Principles, technologies and impacts. Oxford University Press, 2007. ISBN: 978-0-19-928112-1.
-International Energy Agency. Em linha: www.iea.org/
-RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES. Relatório sobre os progressos no domínio das energias renováveis; {SWD(2013) 102 final.
-Decreto-Lei 71/2008, de 15 de Abril (Estabelece o Sistema de Gestão do Consumo de Energia por empresas e instalações consumidoras intensivas - SGCIE) e Decreto-Lei 118/2013; Despacho 17449/2008, de 27 de Julho (sistema de gestão dos consumos intensivos de energia – auditorias); -Despacho 17313/2008, de 26 de Julho (sistema de gestão dos consumos intensivos de energia – Fatores de Conversão;
-DGEG. Em linha: www.dgeg.pt
-APA, 2018. Relatório do Estado do ambiente 2018.

Objetivos de aprendizagem:

Os conteúdos programático desta unidade curricular, bem como os métodos de ensino-aprendizagem têm como objetivo permitir que os alunos adquiram as seguintes competências:
- Integrar conceitos, teorias, métodos e técnicas no domínio da gestão de Pessoas;
- Identificar características relevantes de indivíduos e de grupos através da administração de questionários, da realização de entrevistas e da observação;
- Aperfeiçoar competências de comunicação oral e escrita;
- Desenvolver uma atitude crítica, bem como adotar valores éticos e deontológicos.

Conteúdos programáticos:

Tópico I - Trabalho, pessoas e organizações: Constrangimentos associados ao trabalho; funções psicológicas e sociológicas do trabalho; Gestão de pessoas em contexto dinâmico: a gestão de pessoas em diferentes Eras.
Tópico II - Processos de gestão de pessoas e competências: analisar o trabalho; recrutar, selecionar e integrar; gerir o desempenho; formar e desenvolver; desvincular (o outplacement).

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Tópico I: O aluno deverá ser capaz de analisar os constrangimentos associados ao trabalho e as funções que o trabalho desempenha na vida das pessoas. Nesse sentido, os conteúdos propostos abordam as situações ‘negativas’ no contexto de trabalho (e.g., acidentes, ansiedade, burnout, mobbing), mas, também, as funções positivas que ele apresenta (e.g., dar significado à vida das pessoas, promover o desenvolvimento de competências, fornecer estatuto e prestigio).
Tópico II: O aluno deverá identificar, caraterizar e discutir a importância de diferentes processos de gestão de pessoas. Nesse sentido, os conteúdos propostos são os seguintes: analisar o trabalho; recrutar, selecionar e integrar; gerir o desempenho; formar e desenvolver; desvincular.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá pesquisa teórica, leitura, discussão de bibliografia específica, debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova escrita de conhecimentos, na execução de um trabalho teórico-prático, na apresentação e discussão oral desse trabalho, assim como na execução de tarefas teórico-práticas em sala de aula.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Tópicos I e II – No sentido de alcançar os objetivos pedagógicos definidos para os dois tópicos programáticos, as metodologias de ensino incluem os seguintes métodos e técnicas: exposição teórica de conteúdos; leituras individuais; debates, em grupo, de case studys; visionamento de vídeos; apresentações temáticas realizadas pelos alunos. Pretende-se com esta metodologia que o aluno adquira os conhecimentos teóricos relevantes sobre a temática e que, posteriormente, os aplique a casos práticos que poderão ocorrer na sua prática profissional futura.

Bibliografia:

[ ] Caetano, A (1997). Avaliação de Desempenho. Metáforas, Conceitos e Práticas. Lisboa: Editora RH.
[ ] Caetano, A., & Vala, J. (Eds.) (2002). Gestão de recursos humanos. Contextos, processos e técnicas. Lisboa: Editora RH.
[ ] Chiavenato, I. (Ed.) (1999). Gestão de pessoas. O novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Editora Campus.
[ ] Rego, A., Moreira, J. M., Felício, M. J., & Souto, S. (2003). As melhores organizações para trabalhar: um domínio específico de aplicação da responsabilidade social das empresas. Papeles de Ética, Economía y Dirección, 8.
[ ] Rego, A., & Souto, S. (2004). Comprometimento organizacional em organizações autentizóticas: um estudo luso-brasileiro. RAE, 44 (3), 30-43.
[ ] Salanova, Gracia, & Peiró (1996). Significado del trabajo y valores laborales. In J. M. Peiró & F. Prieto (Eds.), Tratado de psicología del trabajo. Vol. II, 35-63. Madrid: Editorial Síntesis, S.A.

Objetivos de aprendizagem:

• Conhecer os principais requisitos normativos e legais aplicáveis nas organizações em matéria de Segurança e Saúde do Trabalho;
• Avaliar a aplicabilidade de diplomas comunitários;
• Analisar diplomas legais aplicáveis e conhecer requisitos de vários sectores;
• Conhecer a Organização e funcionamento dos Serviços de segurança, higiene e saúde no trabalho;
• Compreender as principais atividades do Técnico Superior de Higiene e Segurança do Trabalho

Conteúdos programáticos:

1. Noções de legislação laboral
2. Noções de direito
3. Enquadramento legal dos Técnicos Superiores de Higiene e Segurança do Trabalho
4. Prevenção de riscos profissionais relativo à gestão de um sistema de prevenção na empresa
5. Organização e funcionamento dos serviços de segurança, higiene e saúde no trabalho
6. Legislação relativa à elaboração de planos detalhados de prevenção e proteção
7. Legislação de âmbito sectorial
8. Legislação relativa à segurança e saúde de grupos particularmente vulneráveis (jovens, mulheres)
9. Legislação relativa à prevenção de acidentes graves
10. Legislação aplicável ao licenciamento industrial e à segurança de produtos
11. Reparação de acidentes de trabalho e doenças profissionais

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

-Os conteúdos da unidade curricular: noções de legislação laboral, enquadramento legal dos técnicos superiores de SST, quadro normativo da prevenção de riscos profissionais, organização e funcionamento dos serviços de SST, legislação de âmbito setorial, legislação relativa à prevenção de acidentes graves, reparação de acidentes e doenças profissionais, etc. permitem ir ao encontro dos seguintes objetivos de aprendizagem: conhecer e avaliar a aplicabilidade dos principais requisitos normativos e legais, nacionais e comunitários, da área de Segurança e Saúde no trabalho nas organizações, bem como as principais atividades dos técnicos superiores de SST.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

-A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e participativa, durante as aulas teórico-práticas. Recorre-se à análise e discussão dos diplomas legais, de modo a permitir interpretar e aplicar os conhecimentos teórico-práticos. São propostos trabalhos práticos para realizar individualmente.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas e inclui as seguintes componentes de avaliação:
1. TE-Testes escritos de avaliação individual
2.TPI- Trabalhos práticos individuais
3. CP- Competências transversais: Empenhamento e Participação durante as aulas, incluindo assiduidade e pontualidade.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

-A utilização das metodologias, expositiva, interrogativa e participativa dos conteúdos, recorrendo à análise e discussão, bem como a realização de trabalho prático individual, permitem conhecer e avaliar a aplicabilidade dos principais requisitos normativos e legais, nacionais e comunitários, da área de Segurança e Saúde no trabalho nas organizações, assim como conhecer as principais atividades a desenvolver pelos Técnicos Superiores de SST

Bibliografia:

• www.dre.pt (Diário da República)
• www.act.gov.pt
• www.dgeep.mtss.gov.pt
• www.mtss.gov.pt
• www.oit.org (Organização Internacional do Trabalho);
• http://agency.osha.eu.int
• http://europa.eu.int

Objetivos de aprendizagem:

(i) Saber analisar e integrar os factores psicossociais na análise dos sistemas de trabalho;
(ii) Saber organizar, planear e aplicar estratégias de intervenção psicossocial nos sistemas de trabalho
(iii) Desenvolver a capacidade de análise e diagnóstico psicossocial nos contextos de trabalho.

Conteúdos programáticos:

Psicossociologia do Trabalho: fundamentos históricos e evolução. Psicossociologia do Trabalho Contemporânea: relações e evoluções. O estudo do homem no trabalho: factores físicos, psicossociais e organizacionais. Do Diagnóstico à Intervenção. Promoção da saúde e do bem-estar: fatores psicossociais de risco. Erro humano: acção preventiva. Intervenção Psicossocial: Metodologias e técnicas de avaliação dos factores psicossociais; Consequências na organização do trabalho e no indivíduo.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas específicas dos fundamentos da psicossociologia do trabalho permitindo compreender e integrar conceitos, modelos, teorias da psicossociologia do trabalho;
Unidade 2, 3 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas e práticas específicas da análise e integração dos fatores psicossociais na análise da atividade de trabalho permitindo integrar conhecimentos, capacidades e competências de forma a conceber, operacionalizar e avaliar os efeitos do trabalho na saúde, segurança e bem estar, através de uma actuação técnica e ética.
Unidade 4 - Os conteúdos programáticos privilegiam a aplicação prática dos conceitos e processos, permitindo saber articular e integrar as preocupações da psicossiologia com os instrumentos da gestão de qualidade e mostrar autonomia e conduta responsável na prática profissional.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova escrita de avaliação, na execução de um trabalho prático, na apresentação e discussão oral desse trabalho, assim como na execução de tarefas teórico-práticas em sala de aula.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1- Exposição teórica de conteúdos caracterizadores do quadro de análise da psicossociologia do trabalho; Apresentação e manuseamento de bibliografia fundamental; Debate individual e em grupo das distintas problemáticas que constituem os pilares do projecto da psicossociologia do trabalho;
Unidade 2, 3- Exposição prática de conteúdos caracterizadores das matérias teóricas e práticas específicas da área de actuação da psicossociologia do trabalho; Apresentação e discussão de casos práticos de avaliação e intervenção nos sistemas de trabalho; Debate individual e em grupo de casos práticos.
Unidade 4 – Reflexão teórico-prática de conteúdos para caracterização de diferentes ferramentas de articulação com a gestão da qualidade; Apresentação casos reais; Análise individual e discussão em grupo das análises respectivas para cada caso; mostrar autonomia e conduta responsável na prática profissional.
Pretende-se com esta metodologia que o aluno saiba aplicar os conhecimentos e a capacidade de compreensão adquiridos, de forma a evidenciar uma abordagem profissional na sua atividade futura, em contexto de trabalho. Os métodos de aprendizagem procuram, também, dotar os alunos de competências que lhes permitam comunicar informação, ideias, problemas e soluções, a públicos diversos (especialistas e não especialistas). Como objetivo major, procura-se potenciar as competências que permitam ao aluno uma aprendizagem ao longo da vida, com elevado grau de autonomia.

Bibliografia:

Barros, C. (2017). Fatores psicossociais de risco no trabalho de hoje (pp 141-159). In M.M. Roxo (Coord.). Trabalho sem fronteiras ? O papel da regulação. Coimbra : Almedina. ISBN 978-972-40-7051-3 ( 302pp)
Caetano, A. & Vala, J. (2002). Gestão de Recursos Humanos: Contextos, Processos e Técnicas. Lisboa: Editora RH.
Clot, Y. (2006). A função psicológica do trabalho. Petrópolis: Editora Vozes.
Ferreira, J.M.C., Neves, J. & Caetano, A., (2001). Manual de psicossociologia das organizações. Lisboa: McGraw-Hill.
Freire, J. (1993). Sociologia do trabalho: uma introdução. Porto: Afrontamento.
González Maestre, D. (2003). Ergonomía y Psicosociología. Madrid: Fundación Confemetal
Maggi, B. (2006). Do agir organizacional: um ponto de vista sobre o trabalho, o bem-estar, a aprendizagem. São Paulo: Edgard Blücher.
Pina e Cunha, M. & Braga Rodrigues, S. (2002). Manual de estudos organizacionais. Lisboa: RH Editora

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Esta unidade curricular tem como principal objetivo principal dotar os alunos dos conhecimentos e das ferramentas necessárias para o planeamento e gestão dos recursos hídricos de uma dada área considerando as suas múltiplas vertentes - ecológica, social, económica, tecnológica e legislativa) para um desenvolvimento sustentado
Deverão ainda:
• compreender os processos físico químicos, biológicos e sócio-económicos subjacentes à gestão da água;
• compreender a complexidade, incerteza e o carácter interdisciplinar da gestão da água, reconhecendo as suas múltiplas vertentes;
• selecionar e utilizar as metodologias e técnicas mais adequadas para analisar problemas do domínio da água;
• inventariar, caracterizar e diagnosticar problemas relacionados com a proteção, valorização, planeamento e gestão da água;
• conhecer políticas, estratégias, medidas e soluções para a resolução dos problemas e analisar consequências das soluções propostas.

Conteúdos programáticos:

1) A água:
a. Importância
b. Principais usos
c. Principais problemáticas associadas
2) O ciclo da água:
a. Principais reservatórios de água
b. Processos
c. Alterações antropogénicas ao ciclo da água
3) Principais ecossistemas aquáticos
a. Conceitos básicos de ecologia aquática
b. Caracterização geral dos diferentes ecossistemas
4) Qualidade da água
a. Definição
b. Principais elementos de qualidade
c. Metodologias de avaliação
5) Tratamento de água
a. Águas de abastecimento
b. Águas residuais
c. Processos físicos, químicos e biológicos
6) Instrumentos de Gestão da Água em Portugal

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O programa lecionado aborda conteúdos associados à gestão de recursos hídricos em contexto de abastecimento e saneamento urbano e industrial e usos agrícolas.
que permitem ao aluno perceber a importância da água na vida do Homem e de quais os principais riscos que advém da degradação e da utilização deste recurso quando a mesma é realizada não tendo em conta a sustentabilidade deste recurso. Permite ainda a tomada de contacto com alguns instrumentos que visam a sustentabilidade do uso da água e a colmatação de alguns dos problemas decorrentes da degradação da sua qualidade.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, serão organizadas visitas de estudo relacionadas com os temas abordados.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e dos trabalhos de pesquisa realizados.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar a aplicação prática dos conceitos teóricos apreendidos. Desta forma, os seminários com oradores externos, e os estudos de caso analisados em aula, são instrumentos de aprendizagem e estudo orientado que permitem ao aluno percecionar a relevância destes assuntos na prática da gestão organizacional, bem como a relevância do papel que poderão assumir neste âmbito.

Bibliografia:

.ADENE.2017. Guia Aqua eXperience. www.aquaexperience.pt/ebook
.APA, 2020. Instrumentos. https://apambiente.pt/index.php?ref=17&subref=826
.APA, 2012. Programa Nacional para o Uso Eficiente da agua
.IAPMEI, 2015. Guia do licenciamento industrial
.Jiménez Cisneros et al. 2015. Freshwater resources. https://www.ipcc.ch/site/assets/uploads/2018/02/WGIIAR5-Chap3_FINAL.pdf
.Clim. Chang. 2014 Impacts, Adapt. Vulnerability Part A. https://doi.org/10.1017/CBO9781107415379.008
. Marques, R.C., 2011. A regulação dos serviços de abastecimento de água e saneamento de águas residuais.
.Simões, C. et al. 2008. Guia para a Avaliação de Impacte Ambiental de Estações de Tratamento de Águas Residuais.
.United Nations, 2018. Sustainable Development Goal 6 Synthesis Report 2018 on Water and Sanitation. https://doi.org/10.18356/e8fc060b-en
.Lei n 58/2005, Lei da Água
.Decreto-Lei n 73/2015.Sistema da Indústria Responsável
.Portaria n 279/2015. O Sistema da Indústria Responsável

Objetivos de aprendizagem:

Espera -se que os alunos sejam capazes de demonstrar e desenvolver conceitos e conhecimento das técnicas de avaliação de risco e se oportuno, desenvolverem autonomamente capacidades de investigação e pesquisa.
Sejam capazes de identificar o contexto dos riscos em qualidade ambiente e segurança e desenvolverem a sua abordagem consentaneamente.
Sejam capazes de aplicar as técnicas de avaliação e gestão de risco, fazerem a sua interpretação em termos restritamente técnicos mas também no plano societal e ético.
Sejam capazes de comunicar a problemática da avaliação e gestão de riscos a não só para especialistas mas também para públicos não especializados.

Conteúdos programáticos:

1. Abordagem geral à gestão do risco
2. Normas e referenciais na área da gestão do risco
3. Conceitos e vocabulário na área da gestão do risco
4. Gestão do risco:
• Princípios
Estrutura
• Liderança e compromisso
• Integração
• Implementação
• Avaliação
• Melhoria
Processo
• Comunicação e consulta
• Âmbito, contexto e critérios
• Apreciação do risco
• Tratamento do risco
• Monitorização e revisão
• Registo e reporte
5. Apreciação do risco:
• Identificação do risco
• Análise do risco
• Avaliação do risco
6. Tratamento do risco
7. Implementação dos planos de tratamento do risco
8. Monitorização dos riscos
9. Revisão do sistema de gestão do risco
10. Técnicas da gestão do risco
• Hazop
• Root Cause Analyses
• Bow Tie
• Markov Analyses
• Cross Impact Analyses
• Value Risk Analyses
• Risk Matrix
• Decision Tree Analyse
11. Estudo de casos

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Risco e incerteza são inerentes a qualquer actividade objectificada da actividade humana., seja de natureza industrial ou serviços
O risco enquadrado no contexto do quadro de referência ISO (guidelines and risk assessment techniques), constituem uma abordagem sistemática ao objecto transdisciplinar Risco,
Ambas as abordagens oferecem uma linguagem pragmática e técnica de interpretação do risco e correlativa da dinâmica “ambiental”, permitindo ao profissional, identificar os contextos e as ferramentas que permitem geri-lo, explica-los e comunica-los.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

.Exposição oral, trabalho de grupo e estudo de casos.
A avaliação de conhecimentos será efetuada de forma contínua (AC), através da elaboração e apresentação de trabalhos realizados em grupo, a realizar em tempo de aula, incidindo sobre os temas lecionados; de forma periódica (AP), através de duas provas escritas com duração mínima de 1 hora e máxima de 1 hora e 30 minutos que se realizará em data a combinar com os alunos e que incidirá sobre os temas leccionados até ao momento de avaliação. A nota final (NF) da unidade curricular será calculada através de uma média ponderada entre a média aritmética simples da AC, a média aritmética simples da AP: NF = (0,30)AC+(0,70) AP

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino desenvolvem as capacidades de enquadramento e contextualização do risco em situações relacionadas com: qualidade, ambiente e segurança, em diferentes em actividades industriais e serviços, desenvolvidas através dos pilares ISO3100 Framework (clause 5) e Pinciples (clause 6).
Desta forma, para concretizar os objectivos são propostos aos alunos diferentes momentos pedagógicos, tais como aulas expositivas, casos práticos, resolução de exercícios tendo como matriz as normas ISO 31000e 31010. Com vista a identificar abordagens alternativas à gestão do riscos, testar a sua viabilidade e interpretar os resultados de simulações efetuadas.

Bibliografia:

NP ISO 31000:2018 Gestão do riscos. Linhas de orientação.
DNP Guia ISO 73-2011 Gestão do risco - Vocabulário
NP EN 31010-2016 Gestão do risco - Técnicas de apreciação do risco
KIMURA, Herbert. Ferramentas de análise de riscos em estratégias empresarias. RAE electron. [online]. 2002, vol.1, n.2 [cited 2020-10-10], pp.1-14. Available from: . ISSN 1676-5648. https://doi.org/10.1590/S1676-56482002000200018.
MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS DA AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR, Rio de Janeiro (http://www.ans.gov.br/images/stories/A_ANS/Transparencia_Institucional/gestao_de_riscos/manual-de-gestao-de-riscos-da-ans.pdf)
Kliemann, F, et.atl (2011). A GESTÃO DE RISCOS COMO FERRAMENTA PARA AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS. ResearchGate (https://www.researchgate.net/publication/305221662)

Objetivos de aprendizagem:

Pretende-se com esta unidade curricular dar a conhecer aos alunos os princípios fundamentais da implementação de um sistema de gestão ambiental. Pretende-se que os alunos desenvolvam competências que lhes permitam, na prática da sua vida profissional: reconhecer a importância da gestão ambiental, bem como do reconhecimento externo destas práticas de gestão; identificar os requisitos normativos associados com estes sistemas de gestão; responsabilizar-se por e/ou contribuir ativamente para a implementação de um SGA numa organização, nomeadamente ao nível da elaboração do inventário dos impactes das suas atividades sobre o ambiente, bem como da definição de mecanismos de controlo e monitorização que permitam a redução da significância desses impactes ambientais.

Conteúdos programáticos:

1. Gestão Ambiental: motivações
2. Sistemas de Gestão Ambiental: enquadramento normativo; certificação.
3. Implementação do Sistema de Gestão Ambiental seguindo a norma ISO 14001.
4. Implementação do Sistema de Gestão Ambiental seguindo o Regulamento EMAS.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

1. Gestão Ambiental: motivações - penquadrar a temática a desenvolver nesta unidade curricular: em que consiste a Gestão Ambiental, e quais as motivações para a sua prática ao nível organizacional.
2. Sistemas de Gestão Ambiental: enquadramento normativo e certificação: abordam-se os diversos referenciais normativos aplicáveis à Gestão Ambiental, sendo aqui também referido o processo de certificação de um sistema de gestão.
3. Implementação do Sistema de Gestão Ambiental seguindo a norma ISO 14001: requisitos desta norma e a sua aplicação prática. Os conteúdos teóricos serão acompanhados com casos de estudo e aplicações relacionadas com a realidade profissional.
4. Implementação do Sistema de Gestão Ambiental seguindo o Regulamento EMAS: requisitos deste regulamento e a sua aplicação prática. Os conteúdos teóricos serão acompanhados com casos de estudo e aplicações relacionadas com a realidade profissional.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizadas visitas de estudo.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e da apresentação e discussão dos trabalhos de pesquisa realizados.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar a aplicação prática dos conceitos teóricos apreendidos. Pretende-se que os alunos sejam capazes de identificar práticas operacionais adequadas ao nível da gestão ambiental para as quais possam contribuir ativamente. Desta forma, as visitas de estudo, e os estudos de caso analisados em aula, são instrumentos de aprendizagem e estudo orientado que permitem ao aluno percecionar a relevância destes assuntos na prática da gestão organizacional, bem como a relevância do papel que poderão assumir neste âmbito.

Bibliografia:

[1] Pinto, A. ISO 14001:2015 – um guia prático. Lisboa, Edições Sílabo, Lda, 2018.

Objetivos de aprendizagem:

No final desta Unidade Curricular pretende-se que os alunos fiquem a conhecer:
- conhecer a orgânica e atividades que se desenvolvem no âmbito do Sistema Português da Qualidade
- conhecer os 7 princípios da Gestão da qualidade
- conhecer o conjunto de normas internacionais relativas à gestão da qualidade e sistemas de gestão da qualidade
- compreender o conceito de processo e de abordagem por processos
- compreender a aplicação do pensamento baseado em risco no âmbito dos sistemas de gestão da qualidade
- ter uma noção da estrutura e conteúdo da norma ISO 9001:2015.

Conteúdos programáticos:

1. Conceitos gerais
2. O Sistema Português da Qualidade
2. Os 7 Princípios da Gestão da Qualidade
3. Normas internacionais relativas à gestão da qualidade e a sistemas de gestão da qualidade
3.1. Família das normas ISO 9000
3.2. Estrutura de alto nível
3.3. Abordagem por processos e ciclo PDCA
3.4. Pensamento baseado em risco
4. Analise dos requisitos da ISO 9001:2015 (introdução)

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os temas do programa estão estruturados de acordo com uma sequência lógica e de forma a permitir uma evolução dos conhecimentos do aluno.
O programa da unidade curricular está estruturado de forma a permitir aos estudantes adquirir competências necessárias e indispensáveis à compreensão e apreensão de conhecimentos essenciais no que respeita aos requisitos do referencial ISO 9001 que suporta a implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Exposição oral, trabalho individual e dinâmicas de grupo, estudo de casos.
Sistema de avaliação: contínua. Realização de um teste e de um trabalho (Teste: 70 %, Trabalho: 30 %)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os trabalhos individuais ou em grupo permitirão aos alunos a análise do referencial ISO 9001, interpretação dos seus requisitos bem como a sua aplicação a situações reais.

Bibliografia:

IPQ(2015) NP EN ISO 9000:2015 – Sistemas de gestão da qualidade; Fundamentos e vocabulário.
IPQ(2015) NP EN ISO 9001:2015 - Sistemas de gestão da qualidade; Requisitos
IPQ(2015) NP EN ISO 9004: 2018-en - Quality management; Quality of an organization; Guidance to achieve sustained success.
Pinto,A.(2017),"ISO 9001:2015 Guia Prático"Lidel
Pires, A. Ramos, “Sistemas de Gestão da Qualidade. Ambiente, segurança, responsabilidade social, indústria e serviços (2ª Edição – revista e atualizada), Edições Sílabo (2016)

Objetivos de aprendizagem:

1. Conhecer a importância do sistema de gestão da SST e sua certificação;
2. Identificar os benefícios da certificação de um sistema de Gestão da SST
3. Conhecer a estrutura e as exigências do referencial ISO 45001:2018;
4. Saber interpretar e implementar os requisitos do Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho, Norma ISO 45001:2008;
5. Ser capaz de contribuir para a implementação, certificação e manutenção dos sistemas de gestão da SST numa organização.

Conteúdos programáticos:

1. Importância da implementação de um sistema de gestão de segurança e saúde no trabalho
2. Benefícios da certificação do sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho
3. Objectivos de um sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho
4. Fatores chave para o sucesso de um sistema de gestão da SST
ISO45001:2018
1. Objectivo e campo de aplicação
2. Referências normativas
3. Termos e definições
4. Contexto da organização
5. Liderança e participação dos trabalhadores
6. Planeamento
7. Suporte
8. Operacionalização
9. Avaliação do desempenho
10. Melhoria

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Conteúdos:
1. Importância da implementação de um sistema de gestão de segurança e saúde no trabalho
2. Benefícios da certificação do sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho
3. Objectivos de um sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho
4. Fatores chave para o sucesso de um sistema de gestão da SST
Objetivos de aprendizagem:
1. Conhecer a importância do sistema de gestão da SST e sua certificação;
2. Identificar os benefícios da certificação de um sistema de Gestão da SST
Conteúdos:
Requisitos ISO 45001:2018
Objetivos de aprendizagem
1. Conhecer a estrutura e as exigências do referencial ISO 45001:2018;
2. Saber interpretar e implementar os requisitos do Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho, Norma ISO 45001:2008;
3. Ser capaz de contribuir para a implementação, certificação e manutenção dos sistemas de gestão da SST numa organização.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, demonstrativa e participativa durante as aulas teórico-práticas. Recorre-se à análise e discussão de exemplos concretos, de modo a permitir interpretar e aplicar os conhecimentos teórico-prático adquiridos em situações reais. São propostos trabalhos práticos, quer para apresentação em grupo quer individualmente.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas e inclui as seguintes componentes de avaliação:
1. Testes escritos de avaliação individual
2.Trabalhos práticos para elaboração individual
3.Trabalhos para elaboração em grupo
4.Atitudes: Participar ativamente na realização de tarefas e/ou discussão de estudo de casos, capacidade de trabalhar de forma independente e cooperação em trabalhos de grupo.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A utilização das metodologias expositiva e demonstrativa, apresentando exemplos reais e dados estatísticos relacionados com a segurança e saúde no trabalho, permite conhecer a importância do SG de SST e os benefícios da certificação do SG de SST
Objetivos:
1. Conhecer a importância do sistema de gestão da SST e sua certificação;
2. Identificar os benefícios da certificação de um sistema de Gestão da SST;
A metodologia expositiva utilizada permite dar a conhecer a estrutura e os requisitos do referencial ISO 45001:2018
Objetivo:
Conhecer a estrutura e as exigências do referencial ISO 45001:2018
A metodologia expositiva, demonstrativa e participativa utilizada, recorrendo a exemplos reais, consulta, análise e discussão de documentação, legislação aplicável e a realização e trabalhos práticos permite conhecer, saber Interpretar e implementar os requisitos do Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho.
3. Saber interpretar e implementar os requisitos do Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho, Norma ISO 45001:2008;
4. Ser capaz de contribuir para a implementação, certificação e manutenção dos sistemas de gestão da SST numa organização.

Bibliografia:

Norma ISO 45001:2018
https://osha.europa.eu/pt
http://www.act.gov.pt

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

No final da unidade curricular o aluno deve:
Ser capaz de identificar os custos da qualidade e da não qualidade.
Ser capaz de categorizar os custos da qualidade no contexto do referencial da qualidade (Feigenbaum).
Identificar as metodologias de custeio: sua operacionalização, características, vantagens e desvantagens.
Identificar as metodologias de estimação: sua operacionalização, características, vantagens e desvantagens.
Identificar as metodologias de de alocação de custos: sua operacionalização, características, vantagens e desvantagens.
Trabalhar os custos no contexto de projecto (PMBOK).

Conteúdos programáticos:

Enfoque teórico dos Custos da Qualidade
NP 4239
Metodologias de custeio
Estimação
Métodos de alocação de custos
Gestão de projecto e custos da qualidade.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A disciplina aporta em dois ramos de conhecimento e técnicas solidamente estabelecidos: as teorias da Contabilidade e da Qualidade.
A base teórica matricial metodologias dos custos da qualidade é o modelo Falhas/Avaliação/Prevenção, e a sua sistematização na “NP 4239, Bases para Quantificação dos Custos da Qualidade”, formando desta forma o quadro de referência para a integração dos restantes conceitos.
Tendo em consideração que, via de regra, os alunos desconhecem em absoluto o quadro teórico da Contabilidade, é feito primeiramente uma abordagem conceptual e posteriormente a seu enquadramento nas práticas e teorias da qualidade.
Sendo que os alunos que frequentam a licenciatura, são maioritariamente profissionais da área, o programa prevê a integração das suas práticas e/ou necessidades profissionais, na sua leccionação.
A operacionalização da disciplina consistirá em aulas expositivas seguidas de exercícios de aplicação dos conhecimentos.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O ensino basear-se-á essencialmente:
a) Componente teórica: onde são discutidos os conceitos relativos aos tópicos do programa.
b) Componente prática onde os alunos a partitir de casos práticos aplicarão os conceitos teóricos
Avaliação
Teste: 70%
Port-fólio:20%
Avaliação contínua: 10%

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A componente teórica visa dotar os alunos dos conhecimentos e capacidade de compreensão dos custos da qualidade e suas implecações, referindo os principais autores metodologias e técnicas.
A competente teórico-prática visa conduzir os alunos no sentido da aplicação dos conhecimentos, quer em casos práticos apresentados pelo docente, quer a partir das práticas profissionais dos alunos.
Tanto a dimensão prática como a teórico-prática, tem como complemento o sistema de avaliação, designadamente no que se refere aos trabalhos individuais, de grupo e avaliação contínua, onde os alunos sob tutoria dos docentes são solicitados a elaborar e apresentar trabalhos teórico e práticos, onde devem exercitar e potenciar a aplicação e compreensão de conhecimentos, a capacidade de julgamento e a recolha, análise e gestão de informação com vista à tomada de decisões informadas.
Complementarmente, a exposição oral e a elaboração de trabalhos escritos visam promover as competências necessárias para comunicar informação, ideias, problemas e soluções, tanto a públicos constituídos por especialistas como não especialistas.
Tratando-se a gestão do processo da qualidade de uma actividade de gestão multifacetada, será prestada a devida atenção aos aspectos sociais e éticos relevantes.

Bibliografia:

Castro, R.A. (2012) Lean Six Sigma, IST
IPQ(1994) NP 4239 , Bases para Quantificação dos Custos da Qualidade , IPQ
Wood, Douglas c.(2007), Quality Cost Programs, ASQ
Robles, A. (2003), Custos da Qualidade, Atlas
Custos da Qualidade e/ou Benefícios - Manual Prático para a gestao-qualidade (2009) Dashöfer Holding Lt.
Kim, Y. J., Roh, E. H., & Park, S. (2021). A literature review of quality, costs, process-associated with digital pathology. Journal of exercise rehabilitation, 17(1), 11–14. https://doi.org/10.12965/jer.2142018.009
Documentação e exercícios fornecidos pelos docentes

Objetivos de aprendizagem:

Esta unidade curricular visa fornecer um quadro conceptual, interdisciplinar e global que visa o desenvolvimento de conhecimentos, capacidades e competências no domínio da ergonomia do trabalho, em contexto organizacional.
Aptidões/Competências a desenvolver:
(i) Saber descrever e integrar os princípios da abordagem ergonómica;
(ii) Saber organizar, planear e aplicar de métodos e técnicas de análise ergonómica do trabalho;
(iii) Desenvolver a capacidade de intervenção ergonómica nos sistemas de trabalho.
(iv) Desenvolver a capacidade de comunicação interpessoal
(v) Demonstrar uma atitude de investigação e desenvolvimento auto-orientado

Conteúdos programáticos:

1ª Unidade. 1. Conceito de Ergonomia. 1.1. Introdução origens e desenvolvimento: evolução da ergonomia; 1.2. O projeto da ergonomia: conceito, objetivos e perspectivas.
2ª Unidade. 2. Análise ergonómica do trabalho. 2.1. Conceito de trabalho. 2.2. Atividade humana de trabalho. 2.3. Atividade de trabalho: variações, regulações e compromissos.
3ª Unidade. 3. Prática ergonómica: um método para compreender o trabalho; 3.1. Princípios centrais das metodologias ergonómicas; 3.2. Métodos e técnicas; 3.3. Intervenção ergonómica e análise do trabalho.
4ª Unidade. 4. Ergonomia e sistemas de trabalho. 4.1. Contributos da ergonomia na gestão e organização do trabalho. 4.2. Contextos de aplicação da ergonomia; 4.3. Do diagnóstico à intervenção

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas específicas dos fundamentos da ergonomia permitindo compreender e integrar conceitos, modelos e perspetivas;
Unidade 2 e 3 - Os conteúdos programáticos privilegiam as matérias teóricas e práticas específicas da análise ergonómica do trabalho permitindo integrar conhecimentos, capacidades e competências de forma a conceber, operacionalizar e avaliar as intervenções ergonómicas, através de uma actuação técnica e ética.
Unidade 4 - Os conteúdos programáticos privilegiam a aplicação prática dos conceitos e processos, permitindo saber articular e integrar as preocupações da ergonomia com os instrumentos da gestão de qualidade e manifestar autonomia e conduta responsável na prática profissional.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino incluirá exposição teórica, pesquisa, leitura e discussão de bibliografia específica bem como debates temáticos e reflexões críticas. A avaliação será contínua, baseando-se na realização da uma prova escrita de avaliação (60%), na execução de trabalho prático (30%), na apresentação e discussão oral desse trabalho assim como na execução de tarefas teórico-práticas em sala de aula (10%).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Unidade 1- Exposição teórica de conteúdos caracterizadores do quadro de análise da ergonomia; Apresentação e manuseamento de bibliografia fundamental; Debate individual e em grupo das distintas problemáticas que constituem os pilares do projeto da ergonomia;
Unidade 2 e 3 – Exposição de conteúdos caracterizadores das matérias teóricas e práticas específicas da área de actuação da ergonomia; Apresentação e discussão de casos práticos de avaliação e intervenção nos sistemas de trabalho; Debate individual e em grupo de casos práticos.
Unidade 4 - Reflexão teórico-prática de conteúdos para caracterização de diferentes ferramentas de articulação com a gestão da qualidade; Apresentação casos reais; Análise individual e discussão em grupo das análises respectivas para cada caso; desenvolvimento da autonomia e da conduta responsável na prática profissional.

Bibliografia:

Arezes, P. et al (2020). Occupational Safety and Hygiene. London: Taylor & Francis Group.
Bedny, G.Z., Bedny, I. S. (2019). Work Activity Studies Within the Framework of Ergonomics, Psychology, and Economics (Human Activity). Boca Raton: CRC Press.
Castillo, J. & Villena, J. (2005). Ergonomia: conceitos e métodos. Lisboa: Dinalivro.
Daniellou, F. (2004). A ergonomia em busca dos seus princípios: debates epistemológicos. São Paulo: Edgard Blucher.
Falzon, P. (2007). Ergonomia. São Paulo: Edgard Blücher
Guérin, F., Laville, A., Daniellou, F., Duraffoug, J., & Kerguelen, A. (2001). Compreender o trabalho para transformá-lo: a prática da ergonomia. São Paulo: Edgard Blucher.
Grandjean, E. (2004). Manual de Ergonomia: Adaptando o trabalho ao homem. Porto Alegre: Bookman.
Stuster, K. (2019). Task Analysis: How to Develop an Understanding of Work. Users' guides to human factors and ergonomics methods. Washington DC: Human Factors and Ergonomics Society.

Objetivos de aprendizagem:

Esta UC tem por objetivo explicar as condições que concorrer para uma boa qualidade do ambiente interior.
As competências transversais adicionais que serão trabalhadas serão:
• Trabalho autónomo e em equipa;
• Capacidade de Organização e de Planeamento;
• Capacidade para tomar decisões;
• Capacidade de auto-aprendizagem;
• Capacidade de aplicação de conhecimentos;
• Capacidade de adaptação a situações novas;
• Capacidade de Comunicação Oral e Escrita.
No fim desta unidade curricular os alunos devem ser capazes de:
• Identificar os forçadores da qualidade do ar interior
• Saber mitigar os principais problemas associados à qualidade do ar interior
• Conhecer a legislação aplicável
• Conhecer os parâmetros básicos associados à acústica de interiores
• Conhecer a legislação aplicável
• Saber quais as condições Térmicas do Ambiente para Ocupação Humana
• Compreender o comportamento higrotérmico dos edifícios
• Conhecer a regulamentação aplicável.

Conteúdos programáticos:

Capítulo 1 - Qualidade do Ar Interior
1.1. Introdução
1.2. Poluentes do ar interior e fontes emissoras
1.3. Efeitos na Saúde
1.4. Gestão da qualidade do ar interior (QAI)
1.5. Legislação aplicável
Capítulo 2 - Conforto Acústico
2.1. Som e Ruído: Definição e Diferenciação
2.2. Parâmetros Acústicos Básicos
2.3. Ruído Aéreo em Acústica de Interiores
2.4. Ruído de Percussão em Acústica de Interiores
2.5. Legislação, Normas e Regulamentos
Capítulo 3 - Conforto HigroTérmico
3.1. Condições Térmicas do Ambiente para Ocupação Humana
3.2.Caracterização Climática
3.3.Comportamento de Edifícios em Regime Permanente
3.4.Materiais de Isolamento
3.5. Regulamentação Aplicável

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos cobrem os objetivos previstos, estando organizados em unidades que cobrem as vertentes principais da Gestão da Qualidade Ambiental de Edifícios. Sendo uma unidade curricular de gestão integrada de espaços interiores, os conteúdos cobrem as três principais vertentes associadas ao conforto humano neste tipo de espaços. Cada capítulo trata uma das vertentes, tendo sempre o cuidado de fechar cada uma das vertentes com os normativos aplicáveis.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Recorre-se a uma metodologia expositiva, descritiva e demonstrativa no âmbito das aulas teórico-práticas, complementada com um trabalho temático real, em que o aluno é convidado a fazer uma análise crítica de um espaço público nas vertentes ambientais tratadas nas aulas expositivas. O trabalho temático é desenvolvido em grupos de dois ou três alunos, sendo o trabalho apresentado e defendido perante a turma no final do semestre. A componente escrita deste trabalho é redigido em formato de relatório técnico.
O método de avaliação compreende duas componentes:
A avaliação da componente teórico-prática inclui:
• Dois testes escritos de avaliação individual;
• O desempenho do aluno, incluindo assiduidade e participação ativa nas aulas.
A avaliação da componente de aplicação prática dos conhecimentos inclui:
• A entrega no final do semestre de um relatório técnico escrito sobre o trabalho proposto;
• A apresentação e defesa final do trabalho temático perante a turma e o docente.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os objetivos de aprendizagem estão centrados na compreensão do dos elementos forçadores da qualidade ambiental em edifícios. O desenvolvimento do trabalho temático, permite aos alunos complementarem as competências necessárias por via da aplicação prática dos conhecimento ministrados na componente expositiva da Unidade Curricular.

Bibliografia:

1. Building Acoustics Legislation:
- Decree Law 96/2008, of 9 of June - Regulation of the Acoustic Requirements of the Buildings
- Decree Law 9/2007, of 17 January - RGR with the Declaration of Rectification 18/2007, of 16 March and amendments contained in Decree-Law 278/2007, of 1 August.
2. Legislation - Buildings Thermal:
- Decree Law 118/2013 of 20 August and its amendments;
- Law 58/2013 of 20 August
3. Patrício, Jorge (2018); Acoustics in buildings; 7th edition, Engebook; Portugal.
4. WHO publications:
- WHO handbook on indoor radon: a public health perspective. 2009.
- WHO guidelines for IAQ: selected pollutants. 2010.
- WHO guidelines for IAQ: dampness and mold. 2009.

Objetivos de aprendizagem:

Dotar os alunos das bases indispensáveis em Marketing através da compreensão e operacionalização dos conceitos e instrumentos fundamentais do Marketing e compreender a sua função dentro das organizações como fator crítico de sucesso na fidelização dos clientes.
Competências: Desenvolver um raciocínio e uma atitude de orientação para os clientes e para o mercado.
Avaliar e potenciar o valor dos clientes e da sua fidelidade e lealdade
Segmentar o mercado e posicionar a oferta

Conteúdos programáticos:

1. Definição, Conceitos e Funções de Marketing.
2. Fidelização e Marketing Relacional
3. A Segmentação Diferenciação e Posicionamento.
4. A Gestão do Marketing Mix.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Sendo o objectivo primordial dotar os alunos das bases indispensáveis em Marketing através da compreensão e operacionalização dos conceitos e instrumentos fundamentais do Marketing e compreender a sua função dentro das organizações como fator crítico de sucesso na fidelização dos clientes. Os pontos do programa que foram definidos:
1. Definição, Conceitos e Funções de Marketing,
2. Fidelização e Marketing Relacional,
3. A Segmentação Diferenciação e Posicionamento,
4. A Gestão do Marketing Mix, permitem cobrir de forma integral esses objectivos

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Aulas Teórico-práticas e Práticas: exposição dos conteúdos seguida de exemplificações e demonstrações.
Discussão e resolução de casos práticos sobre situações reais.
Exercícios práticos de Aplicação.
Avaliação por frequência, trabalhos e participação.
1 testes (80% cada)
Participação (20%)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologia de ensino ao assentarem em:
Aulas Teórico-práticas e Práticas: exposição dos conteúdos seguida de exemplificação e demonstrações.
Discussão e resolução de casos práticos sobre situações reais.
Exercícios práticos de Aplicação.
Cobrem todos os objectivos e competências requeridas aos alunos.

Bibliografia:

Kotler, P. Keller K., Chernev, A. (2022). Marketing Management, 16th Edition, Pearson
Christopher, M., Payne, A., Ballantyne, D. (2013) Relationship Marketing, Taylor & Francis.
Bruhn M. (2003) Relationship Marketing: Management of Customer Relationships, Pearson Education.

Objetivos de aprendizagem:

Reconhecer a importância da sustentabilidade em contexto organizacional; reconhecer o papel da responsabilidade social e da Ética em Gestão na promoção da sustentabilidade organizacional; identificar os principais instrumentos de responsabilidade social empresarial e os principais valores norteadores de práticas éticas em contexto empresarial; conhecer os princípios da sua aplicação; responsabilizar-se por e/ou contribuir ativamente para a integração do conceito de Responsabilidade Social e Ética nos Sistemas de Gestão da empresa.

Conteúdos programáticos:

1. Sustentabilidade em contexto organizacional
2. Responsabilidade Social em contexto empresarial – definição e evolução histórica
3. Ética na Gestão – princípios e valores
4. Envolvimento com as Partes Interessadas.
5. Instrumentos de Responsabilidade Social Empresarial
6. Sistemas de Gestão da Responsabilidade Social.
7. Casos de estudo

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos abordados permitem a aquisição de conhecimentos relativos aos conceitos de Sustentabilidade, Responsabilidade Social e de Ética aplicados ao nível de uma organização/empresa, bem como o contacto com os instrumentos de RSE mais frequentemente aplicados na prática.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizadas visitas de estudo.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e da apresentação e discussão dos trabalhos de pesquisa realizados.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Nesta unidade curricular pretende-se explorar os conceitos de Sustentabilidade, Responsabilidade Social, e Ética, em contexto organizacional, bem como a forma como estes conceitos surgiram e evoluíram no tempo até aos dias de hoje. No capítulo sobre Sustentabilidade estudam-se as dimensões da Sustentabilidade e a sua importância em contexto organizacional. A componente de Responsabilidade Social empresarial (RSE) explora as motivações e as dificuldades da aplicação prática da RSE, bem como os instrumentos de que as empresas dispõem para a sua implementação. São também estudados os principais referenciais normativos aplicáveis à RSE, com o objetivo de potenciar a capacidade de os alunos promoverem na prática a integração do conceito de RSE na gestão organizacional. Serão frequentemente analisados casos de sucesso relativos a práticas de RSE, com o objetivo de demonstrar a viabilidade e o interesse prático de promover a RSE.

Bibliografia:

1. Comissão das Comunidades Europeias (2002). Corporate Social Responsibility - A Business Contribution to Sustainable Development.
2. Santos, M.J.N. (coord.) (2005). Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Empresarial. Celta Editora: Oeiras.
3. ISO (2018). ISO 26000 and the SDGs
4. KPMG (2020) International Survey of Corporate Responsibility Reporting
5. SDG Compass. Diretrizes para implementação dos ODS na estratégia dos negócios

Objetivos de aprendizagem:

No final desta Unidade Curricular os alunos devem ser capazes de:
1 – Desenvolver conhecimentos e competências na implementação de um sistema de gestão de acordo com a norma para acreditação de laboratórios – NP EN ISO/IEC17025:2018
2- Interpretar e implementar a norma de Acreditação de Laboratórios
3- Identificação, interpretação e aplicação, visando a acreditação, dos requisitos gerais de competência para realização de ensaios especificados na norma NP EN ISO/IEC 17025:2018

Conteúdos programáticos:

1.Termos e Definições
2.Requisitos Gerais
3.Requisitos de Estrutura
4.Requisitos dos processos
5.Requisitos do Sistema de Gestão

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os temas do programa estão estruturados de acordo com uma sequência lógica e de forma a permitir uma evolução dos conhecimentos do aluno.
O programa da unidade curricular está estruturado de forma a permitir aos estudantes adquirir competências necessárias e indispensáveis à compreensão e apreensão de conhecimentos essenciais no que respeita aos requisitos do referencial NP EN ISO/IEC 17025:2018.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Exposição oral, trabalho individual e dinâmicas de grupo, estudo de casos.
Sistema de avaliação: contínua. Realização de um teste e de um trabalho (Teste: 70 %, Trabalho: 30 %)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os trabalhos individuais ou em grupo permitirão aos alunos a análise do referencial ISO 17025, interpretação dos seus requisitos bem como a sua aplicação a situações reais.

Bibliografia:

IPAC (2018) OGC001-Guia para aplicação da NP EN ISO/IEC 17025:2018, IPAC
IPQ (2018) NP EN ISO/IEC 17025:2018 – Requisitos gerais de competência para laboratórios de ensaio e calibração, IPQ
IPQ(2017)VIML Vocabulário Internacional de Metrologia Legal, IPQ

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Objetivos de aprendizagem:
1.Conhecer as técnicas e metodologias para identificação de perigos e avaliação de riscos
2. Identificar as metodologias mais adequadas para identificação de perigos e avaliação de riscos
3. Saber aplicar as metodologias e técnicas de identificação de perigos e avaliação de riscos
4. Analisar e selecionar as medidas necessárias e mais adequadas para controlar os riscos

Conteúdos programáticos:

1. Conceitos e terminologia relativos ao processo de avaliação de riscos
2. Metodologias e técnicas de identificação de perigos
3. Metodologias de avaliação de riscos-Técnicas qualitativas e quantitativas de estimativa de riscos e técnicas de análise indutivas e dedutivas
4. Metodologias de avaliação dos riscos potenciais na fase de concepção
5. Critérios e valores de referência
6. Controlo de riscos profissionais: Princípios gerais de prevenção;Medidas de prevenção e de proteção e fase de projeto; Sinalização se segurança; Critérios para implementação de medidas de prevenção e proteção; Metodologias para acompanhamento da execução das medidas e avaliação da sua eficácia; Avaliação do custo/benefício

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Para alcançar os objetivos de aprendizagem 1. 2. e 3. estão previstos os conteúdos programáticos dos pontos 1 a 5 e para o objetivo 4 os conteúdos programáticos do ponto 6.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, demonstrativa e participativa durante as aulas teórico-práticas. Recorre-se à análise e discussão de exemplos concretos, de modo a permitir interpretar e aplicar os conhecimentos teórico-prático adquiridos em situações reais. São propostos trabalhos práticos, de pesquisa e estudos de casos, para apresentação em grupo e individual.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas e inclui as seguintes componentes de avaliação:
1.Teste escritos de avaliação individual
2.Trabalho prático para elaboração individual
3.Atitudes: Participar ativamente na realização de tarefas e/ou discussão de estudo de casos, capacidade de trabalhar de forma independente e cooperação em trabalhos de grupo.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A utilização das metodologias, expositiva dos conteúdos teóricos, demonstrativa, recorrendo a exemplos práticos, participativa na análise e discussão de casos reais e realização de trabalhos, permitem conhecer e aplicar as metodologias de identificação de perigos e avaliação de riscos e selecionar as medidas necessárias e mais adequadas para controlo dos riscos.

Bibliografia:

[1] Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho: https://osha.europa.eu/pt/publications
[2] Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho: https://osha.europa.eu/pt/legislation
[3] ACT-Autoridade para as Condições de Trabalho: https://www.act.gov.pt
[4] Legislação Nacional e Comunitária: https://dre.pt/

Objetivos de aprendizagem:

Nesta unidade curricular são aprofundados os conceitos e técnicas na área da metrologia.
Ao completar com sucesso esta unidade curricular os alunos devem ser capazes de:
• Identificar e gerir a função metrológica de uma organização;
• Identificar as áreas da metrologia aplicáveis por atividade;
• Selecionar os equipamentos de medição;
• Entender a cadeia metrológica aplicável;
• Conhecer e interpretar os regulamentos e legislação na área da metrologia;
• Gerir programas de calibração/verificação;
• Utilizar os equipamentos de medição e interpretar os dados.
As competências transversais adicionais que serão trabalhadas serão:
• Trabalho autónomo e em equipa;
• Capacidade de organização e de planeamento;
• Capacidade para tomar decisões;
• Capacidade de auto-aprendizagem;
• Capacidade de aplicação de conhecimentos;
• Capacidade de adaptação a situações novas.

Conteúdos programáticos:

Enquadramento da metrologia nos sistemas de gestão.
Recursos de monitorização e de medição. Análise da adequabilidade aos tipos específicos de atividades de monitorização e de medição.
Sistema internacional de unidades.
A norma NP EN ISO 10012:2005 "Sistemas de gestão da medição - Requisitos para processos de medição e equipamentos de medição".
Sistema de gestão da medição. Processo de medição. Característica metrológica. Confirmação metrológica. Função metrológica.
Requisitos gerais para processos de medição e equipamento de medição.
Confirmação metrológica e realização dos processos de medição.
Incerteza da medição e rastreabilidade.
Análise e melhoria do sistema de gestão da medição.
Metrologia legal. Controlo metrológico.
Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM). Conceitos fundamentais e gerais e termos associados. Vocabulário Internacional de Metrologia Legal (VIML). Atividades de metrologia legal.
Estudo de casos

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos cobrem os objetivos formulados para a unidade curricular incluindo os processos metodológicos associados à gestão de programas de calibração/verificação e a utilização e adequabilidade dos equipamentos de medição na função metrológica de uma organização.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. Quando aplicável, são organizadas visitas de estudo a laboratórios de metrologia.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos, bem como a realização de uma frequência de realização individual. A nota final é composta pela média da avaliação da frequência, ponderadas a 60%, 30% para o trabalho prático (que inclui a apresentação um relatório escrito) e 10% para o desempenho global do aluno, medido pela sua assiduidade, interesse e participação ativa nas aulas e trabalhos propostos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar uma visão global das questões da área da metrologia, bem como da regulamentação e legislação aplicáveis. As metodologias de ensino estão em coerência com os objetivos da unidade curricular dado que a metodologia expositiva associada à análise de situações concretas e ao desenvolvimento de trabalhos sobre aspetos parcelares, permitem a compreensão dos desafios que se colocam aos futuros profissionais. O processo de avaliação contínua, constituída por uma frequência e trabalho prático permite manter um equilíbrio entre o esforço dedicado a ambas as componentes, teórica e prática. O objetivo é formar profissionais conhecedores das técnicas e metodologias aplicadas a esta área, num quadro de conhecimento avançado e coerente com o estado do conhecimento.

Bibliografia:

Guidelines for the determination of calibration intervals of measuring instruments; OIML, 2007.
NP EN ISO 10012:2005 - Sistemas de gestão da medição. Requisitos para processos de medição e equipamento de medição; IPQ, 2005.
VIM Vocabulário Internacional de Metrologia, IPQ, 2012.
VIML Vocabulário Internacional de Metrologia Legal, IPQ 2017.
Legislação Portuguesa:
DL 291/90; DL 192/2006; DL 128/2010

Objetivos de aprendizagem:

No final desta Unidade Curricular os alunos devem ser capazes de:
- perceber a importância do recurso à gestão de projetos, apresentando os objetivos e as ferramentas mais usadas (planeamento e controlo do tempo, recursos e custos, estimação de custos, avaliação de projetos, análise de propostas...);
- Utilização de ferramentas de gestão de projetos, incluindo aplicações informáticas;
- Experimentação e simulação, procurando identificar soluções de projeto alternativas e testar a sua viabilidade;
- Interpretação de resultados de simulações efetuadas, comparando funções, custos e prazos de soluções alternativas
- fornecer aos alunos as competências na conceção de produtos e implementação de projetos.
- Desenvolvimento de competências no aluno da sua capacidade de conceber produtos e implementar o seu projeto, ensinando-o a definir metas, a determinar objetivos, a calcular o tempo necessário para a execução e a criar um calendário do projeto.

Conteúdos programáticos:

1. Organização e Gestão da Qualidade:
2. Gestão pelo Valor
2.1. As Fases de aplicação de uma ação de análise de valor
2.2. Plano de trabalho
Orientação
Informação
Análise funcional
Recolha de ideias
Avaliação das ideias
Desenvolvimento de propostas
Apresentação de propostas
Implementação
2.3. Grupo de estudo. Composição e funcionamento
2.4. Definição de conceitos correntes em análise de valor. A Norma Portuguesa EN 1325-1
3. Orientações sobre Gestão de Projetos (ISO 21500)/ Fluxo de Processos (PMBOK)
3.1. Áreas de conhecimento
Integração de projetos
Escopo do projeto
Gestão do Cronograma
Custos
Qualidade
Recursos
Comunicações
Riscos
Aquisições
Partes Interessadas
3.2 Fluxo de processos
Iniciação
Planeamento
Execução
Monitoramento e controlo
4. Métodos de planificação
4.1 Duração, recusos e caminho critico
4.2 Métodos PERT e CPM
4.3 Planeamento com restrição de recursos
4.5 Aceleração de projetos: relação custo versus tempo

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O planeamento da qualidade é caracterizada por uma frequente ocorrência de manifestações de falta de qualidade, incluindo defeitos e avarias em várias vertentes, desajustes face às exigências dos utilizadores, grandes desvios de custos e de prazos.Estes problemas resultam num descontentamento dos clientes. A unidade curricular de planeamento da qualidade procura apresentar e enquadrar a atividade da qualidade e os seus processos, em particular aqueles que se desenrolam a montante da fase de execução. Pretende-se ainda apresentar um conjunto de ferramentas de gestão de projetos de da qualidade.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Exposição oral, trabalho de grupo e estudo de casos.
A avaliação de conhecimentos será efetuada de forma contínua (AC), através da elaboração e apresentação de trabalhos realizados em grupo, a realizar em tempo de aula, incidindo sobre os temas lecionados; de forma periódica (AP), através de duas provas escritas com duração mínima de 1 hora e máxima de 1 hora e 30 minutos que se realizará em data a combinar com os alunos e que incidirá sobre os temas leccionados até ao momento de avaliação. A nota final (NF) da unidade curricular será calculada através de uma média ponderada entre a média aritmética simples da AC, a média aritmética simples da AP: NF = (0,30)AC+(0,70)AP

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino desenvolvem as capacidades de utilização de ferramentas de gestão de projetos, incluindo aplicações informáticas, experimentação e simulação, procurando identificar soluções de projeto alternativas e testar a sua viabilidade, interpretação de resultados de simulações efetuadas, comparando funções, custos e prazos de soluções alternativas.

Bibliografia:

Bulsara e Thakkar(2015) Product Design and Value Engineering,Second Edition, Charotar
Iver (2019) Value Engineering, Third Edition, New Age
KEZNER, H. (2006). Gestão de projetos : as melhores práticas, Porto Alegre : Bookman.
MIGUEL, A. (2006). Avaliação de Projectos, Lisboa : FCA.
PHILIPS, J. (2004). PMP : Project Management Professional : guia de estudo, Rio de Janeiro: Elsevier.
Project Management Institute, Inc. (2021) A Guide to the Project Management Body of Knowledge (PMBOK® Guide) , Pensilvânia, PMI, Inc.

Objetivos de aprendizagem:

No final desta Unidade Curricular os alunos devem ser capazes de:
1 – Desenvolver conhecimentos e competências na metodologia six sigma e na sua aplicação a diferentes contextos.
2- Perceber as diferentes etapas de definição e análise dos processos e suas funções associadas;
3- Analisar, compreender e ser capaz de utilizar um conjunto de ferramentas Lean Six Sigma de resolução dos principais problemas de gestão e melhoria dos processos e das operações;
4- Interpretar os desafios da gestão dos processos na busca da redução do desperdício e aumento da eficiência.
5- Construir um plano de experiências, conduzir uma experiência, analisar os resultados da experiência, planear a melhoria de produtos e processos robustos.

Conteúdos programáticos:

1.Conceitos gerais Lean/Six Sigma: valor six sigma, nível sigma, DPMO e DPU. Nível sigma e custo da qualidade
2. Funções Six Sigma: Champion,Black Belt,Green Belt e White Belt
3. Ciclos Dmaic e Dmadv
4. Ferramentas Six Sigma
4.1. Poka Yoke
4.2. Planeamento de experiências
4.3. Controlo estatístico
4.4. Outras ferramentas para redução da variabilidade.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O ponto 1 do conteúdo programático introduz Conceitos gerais Lean/Six Sigma. O ponto 2 introduz as funções Six Sigma. O ponto 3 os ciclos Dmaic e Dmadv e o ponto 4 as ferramentas Six Sigma. Os conteúdos adequam-se aos objectivos da unidade curricular, compreendendo conhecimentos na área do Lean/Six Sigma.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Recorre-se a uma metodologia expositiva, descritiva e demonstrativa, recorrendo à resolução de problemas e ao estudo orientado, de modo a introduzir os conhecimentos e as técnicas e a facilitar a compreensão e a aplicação dos métodos fundamentais no âmbito do Lean/Six sigma.
O método de avaliação compreende:
- 1 teste escrito de avaliação (70% da classificação final)
-1 trabalho grupo (30% da classificação final)

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias propostas estão em coerência com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular, na medida em que estabelecem uma articulação estreita e contínua entre a introdução de conceitos teóricos e a apresentação de exemplos práticos. Esta abordagem permite a interpretação e aplicação prática dos conceitos e dos métodos envolvidos no Lean/Six sigma.

Bibliografia:

1. Castro, R.A. (2016) Lean Six Sigma, 3ª Ed. ,IST
2. Pinto(2014)”Pensamento Lean”, 6ªEd. Lidel

Objetivos de aprendizagem:

O objetivo fundamental da unidade curricular consiste em promover os conhecimentos teóricos e práticos sobre conflito, negociação e mediação, com o intuito de possibilitar a sua resolução construtiva a nível da realidade organizacional.
Os objetivos são os seguintes:
1. Adquirir conhecimentos e capacidade de compreensão sobre o conflito e a gestão construtiva do mesmo no contexto organizacional;
2. Demonstrar conhecimentos teóricos no estudo do conflito e sua gestão, nomeadamente os procedimentos de negociação e mediação;
3. Saber identificar e problematizar as técnicas de gestão construtiva de conflitos em diferentes âmbitos organizacionais;
4. Ser capaz de aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos a casos práticos no contexto organizacional;
5. Ter uma atitude autocrítica e de crítica construtiva;
6. Revelar capacidade de comunicação oral e escrita.

Conteúdos programáticos:

1. Conflito interpessoal.
1.1. A complexa definição de conflito: conceitos, abordagens e tipologias.
1.2. A análise do conflito e sua articulação com a intervenção no contexto organizacional.
2. A gestão construtiva de conflitos no contexto organizacional.
2.1. Conceito, princípios e paradigmas de gestão de conflitos: a construção da pacificação.
2.2. Estilos e comportamentos de gestão de conflito.
2.3. Obstáculos e competências de gestão construtiva de conflitos em diferentes contextos organizacionais.
3. A negociação.
3.1. Natureza e características da negociação.
3.2. Potencialidades e limites nos processos de negociação individual e grupal.
4. Processos cognitivos e emocionais na negociação e na mediação.
4.1. Racionalidade e emoção em negociação e mediação.
4.2. Processamento de informação e tomada de decisão em conflito e negociação: enviesamentos e distorções cognitivas.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

O programa da UC foi elaborado tendo por referência o aprofundamento de conhecimentos e de competências necessários ao exercício profissional no contexto organizacional. Concretamente, e assente numa organização em 4 unidades letivas (CP), compreende conteúdos programáticos que, definidos a partir dos 6 objetivos de aprendizagem (OA) previamente estabelecidos, privilegiam o desenvolvimento e aprofundamento de conhecimentos e competências nas seguintes áreas: gestão de conflitos, negociação e mediação. Observa-se, deste modo, uma total coerência e correspondência entre os conteúdos programáticos e os OA, designadamente:
CP1 – OA1, AO2, OA5, OA6;
CP2 – OA1, AO2, OA3;
CP3 – OA1, AO2, OA3, OA4;
CP4 – OA2, OA4, OA5.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

No decurso das horas de contacto (distribuídas em aulas teórico-práticas, orientação tutorial e outros) são privilegiadas as metodologias de ensino expositiva, demonstrativa, participativa e ativa. As horas de não-contacto são dedicadas ao trabalho autónomo do aluno.
O regime de avaliação da UC pode ser contínuo ou por exame final (épocas de fim de semestre, recurso e especial). Na avaliação contínua, e garantida a percentagem mínima de assiduidade definida nas Normas Regulamentares, são considerados os seguintes elementos: participação ativa nas horas de contacto (10%), prova escrita (50%), trabalho de grupo (20%) e trabalho individual (20%). O aluno que não obtenha aprovação na avaliação contínua poderá realizar o exame escrito final (100%). Para a creditação dos ECTS, o aluno deverá demonstrar a aquisição dos objetivos e competências definidos, obtendo uma classificação final igual ou superior a 9,5 valores.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

A combinação entre estas diferentes metodologias permitirá ao aluno atingir os OA propostos para a UC, objetivos estes que, na sua maioria, articulam conhecimentos, capacidades e competências. Esta coerência entre os OA e as metodologias de ensino (e de avaliação) adotadas concretiza-se do seguinte modo:
OA1, OA2 e OA5 – Métodos expositivo, participativo e ativo (prova escrita, trabalho de grupo e participação ativa nas horas de contacto);
OA3 e OA4 – Métodos expositivo, demonstrativo, participativo e ativo (prova escrita, trabalho individual e participação ativa nas horas de contacto);
OA6 e OA7 – Métodos participativo e ativo (trabalho individual, trabalho de grupo e participação ativa nas horas de contacto).
As metodologias propostas estão em coerência com os objetivos formulados para a unidade curricular dado que apostam no desenvolvimento do estudo orientado, de modo a que os estudantes apliquem conhecimentos e demonstrem capacidade de compreensão sobre o conflito, a gestão construtiva do mesmo, a negociação e a mediação e a sua aplicação na Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança.
Por outro lado, procura-se que os alunos saibam selecionar as diferentes técnicas de gestão construtiva de conflitos em diferentes âmbitos, demonstrando serem capazes de aplicar os conhecimentos teóricos adquiridos a casos práticos.
Procura-se estabelecer um paralelismo entre a teoria e a prática aplicada a problemas reais, contribuindo deste modo para desenvolver a capacidade do aluno para uma atitude crítica e autocrítica.

Bibliografia:

Cronin, M. A. & Bezrukova, K. (2019). Conflict management through the lens of system dynamics. Academy of Management Annals, 13 (2), 122-146. B-on
Cunha, P., & Leitão, S. (2021). Manual de gestão construtiva de conflitos. Porto: Edições UFP, 4ª edição.
De Dreu, C. K. W. & Gelfand, M. J. (2008). The psychology of conflict and conflict management in organizations. New York: Lawrence Erlbaum. BFP
Jaca, L. M. & Díaz, F. J. M. (2009). Gestión del conflicto, negociación y mediación. Madrid: Pirámide. BFP
Redorta, J. (2007). Cómo analizar los conflictos. La tipología de conflictos como herramienta de mediación. Barcelona: Paidós. BFP
Thompson, L. (2008). A razão e o coração do negociador. Lisboa: Monitor. BFP
Thompson, L. (2017). A verdade sobre negociação. Lisboa: Actual. BFP
Rosenberg, M. B. (2006). Comunicação não-violenta. Técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais. São Paulo: Ágora. BFP

UNIDADES CURRICULARES ECTS

Objetivos de aprendizagem:

Esta UC tem como objetivo fornecer aos alunos as bases necessárias para a realização de auditorias internas a sistemas integrados de gestão, incluindo as fases de preparação, planeamento, execução e relato de resultados.
Os alunos devem ser capazes de demonstrar a aquisição dos seguintes objetivos de aprendizagem:
OA1: Reconhecer a importância da Auditoria Interna como ferramenta de monitorização e identificação de oportunidades de melhoria;
OA2: Conhecer, interpretar e aplicar as metodologias de auditoria previstas na norma ISO 19011:2018;
OA3: Planear e preparar a realização de uma Auditoria Interna;
OA4: Realizar Auditorias Internas a Sistemas de Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança;
OA5: Analisar e interpretar a informação recolhida e relatar adequadamente as constatações observadas durante uma Auditoria.
OA6: Trabalhar de forma autónoma e em equipa;
OA7: Comunicar adequadamente os seus argumentos e conclusões, oralmente e por escrito.

Conteúdos programáticos:

CP1. Conceitos básicos em Auditoria
CP2: Metodologias NP EN ISO 19011:2018
CP3: Aspetos comportamentais
CP4: Casos práticos
4.1. Auditorias a Sistemas de Gestão da Qualidade ISO 9001
4.2. Auditorias a Sistemas de Gestão Ambiental ISO 14001
4.3. Auditorias a Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde ISO 45001
4.4. Auditorias a Sistemas Integrados de Gestão

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos (CP) estão em coerência com os objetivos de aprendizagem (OA) formulados para a unidade curricular, uma vez que cobrem aspetos teóricos e práticos relevantes para as diferentes fases de uma auditoria interna a sistemas integrados de gestão.
Observa-se, deste modo, uma coerência e correspondência entre os conteúdos programáticos e os objetivos de aprendizagem, como se mostra de seguida:
CP1 - OA1, OA4, OA5
CP2 - OA2, OA3
CP3 - OA4, OA5
CP4 - OA4, OA5, OA6, OA7

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Nesta UC recorre-se a metodologias de ensino expositivas, exploratórias e aplicadas. As sessões expositivas têm como objetivo a transmissão de conhecimentos teóricos, que serão depois explorados através de exercícios práticos e análise de casos. Estão também previstas sessões de simulação de auditoria em contexto real.
O método de avaliação compreende as seguintes componentes:
• teste individual (pondera 40% na nota final)
• desempenho do aluno nas atividades propostas ao longo da unidade curricular (pondera 60% na nota final).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar a concretização dos objetivos de aprendizagem. Através da elaboração de exercícios e da análise, interpretação e discussão de casos de estudo, os alunos irão explorar e aprofundar os conhecimentos teóricos e desenvolver competências profissionais. As sessões de simulação de auditoria irão permitir aos alunos o contacto com situações reais e a avaliação das competências adquiridas.

Bibliografia:

NP EN ISO 19011:2018. Linhas de orientação para auditorias a sistemas de gestão.
NP EN ISO 9001:2015. Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos.
NP EN ISO 14001:2015. Sistemas de gestão ambiental – Requisitos e linhas de orientação para a sua utilização.
NP EN ISO 45001:2019. sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacionais – Requisitos e orientações para a sua utilização.
Pinto, A. (2018) Sistemas de Gestão da Qualidade – Guia para a sua implementação. Edições Sílabo, Lisboa.
Pinto, A. (2018) ISO 14001:2015 – Gestão Ambiental. Lidel, Lisboa.
Pinto, A. (2019) ISO 45001:2018 – Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho. Lidel, Lisboa.

Objetivos de aprendizagem:

Nesta UC serão aprofundados os processos e operações que integram os sistemas de avaliação do impacte ambiental de projetos, bem como a avaliação ambiental estratégica de planos e programas.
Ao completar com sucesso esta unidade curricular os alunos devem ser capazes de:
Estruturar e planear um procedimento de AIA ou de AAE;
Elaborar um EIA ou um RA;
Conhecer a legislação aplicável aos procedimentos de AIA e de AAE;
Aptos a aplicar metodologias de identificação, quantificação e mitigação de impactes ambientais no âmbito de um EIA;
Aptos a definir fatores críticos para tomada de decisão estratégica no âmbito de um RA;
Aptos a acompanhar um procedimento de AIA ou de AAE.

Conteúdos programáticos:

1. Introdução
1.1 Ambiente e desenvolvimento sustentável
1.2 A Avaliação de Impactes
2. O Sistema de AIA
2.1 Conceito e definições
2.2. Fases do procedimento de AIA
2.3. A Participação pública
3. Conteúdo técnico e metodologias para a elaboração de EIA
3.1. A responsabilidade pelo EIA
3.2. A constituição da equipa de EIA
3.3. Estrutura e elaboração do EIA
3.4. Preparação dos Documentos
4. Definição e objetivos da AAE
4.1 Requisitos legais e regulamentares para AAE
4.2 A AAE em planeamento e formulação de políticas em Portugal
4.3 Componentes do modelo de pensamento estratégico em AAE
5. Aplicação prática da AAE
5.1 Fontes de informação
5.2 Referência e evolução
5.3 Alternativas estratégicas
5.4 Avaliação das diferentes opções e incerteza
5.5 O seguimento
5.6 A comunicação

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos cobrem os objetivos formulados para a unidade curricular incluindo os processos metodológicos da Avaliação de Impactes e a apresentando da legislação em vigor sobre esta matéria.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

A metodologia de ensino-aprendizagem é expositiva, interrogativa e demonstrativa durante as aulas teórico-práticas e nas sessões de orientação do estudo. Recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos teóricos adquiridos a situações reais. São propostos trabalhos de pesquisa orientada sobre os temas abordados. Quando aplicável, são organizados seminários temáticos com oradores externos.
A avaliação desta unidade curricular realiza-se de forma contínua durante as aulas teórico-práticas, através da realização de trabalhos práticos/exercícios propostos para elaboração individual e/ou em grupo, e dos trabalhos de pesquisa realizados.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar uma visão global das questões da Avaliação de Impactes, bem como da legislação aplicável.
As metodologias de ensino estão em coerência com os objetivos da unidade curricular dado que a metodologia expositiva associada à análise de situações concretas e ao desenvolvimento de trabalhos sobre aspetos parcelares, permitem a compreensão dos desafios que se colocam aos futuros profissionais.

Bibliografia:

DGOTDU & APA (2008). Guia da Avaliação Ambiental dos Pl. Munic. Ord.Território.
DL152-B/2017, de 11 de dezembro; 4º alteração ao DL151-B/2013, de 31 de outubro
Glasson, J. Therivel, R. (2019) Introduction To Environmental Impact Assessment, Oxford Brooks University 5th edition.
Guias Metodológicos para a Elaboração de EIAs (https://apambiente.pt)
MacKinnon, A., Duinker, et al (2019) The Application of Science in Environmental Impact Assessment, Routledge.
OCDE (2012), Aplicação da avaliação ambiental estratégica: Guia de boas práticas na cooperação para o desenvolvimento, OECD Publishing.
Partidário, M.R. (2012). Guia de melhores práticas para AAE - orientações metodológicas para um pensamento estratégico em AAE. APA, Lisboa.
Partidário, M.R. e Jesus, J. (2003). Fundamentos de Avaliação de Impacte Ambiental, Eds. U. Aberta, Lisboa
Port.395/2015, de 4 de novembro.
Therivel, R., Wood, G. (2017) Methods of Environmental and Social Impact Assessment, Routledge.

Objetivos de aprendizagem:

Esta UC tem como objetivo a apresentação de casos de estudo na área da gestão da qualidade, gestão ambiental e gestão da segurança e saúde ocupacionais, de forma a complementar e aplicar os conhecimentos adquiridos no ciclo de estudos. Pretende-se desta forma proporcionar aos alunos o contacto com a prática profissional da área da Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança e Saúde Ocupacionais.
Ao completar com sucesso esta unidade curricular os alunos devem ser capazes de:
• Recolher informação através de leituras, observação de práticas e entrevistas;
• Interpretar informação e analisá-la à luz dos conhecimentos adquiridos;
• Identificar e ponderar diferentes alternativas na resolução de um problema específico;
• Aplicar conhecimentos face a situações novas;
• Trabalhar de forma autónoma e em equipa;
• Comunicar adequadamente os seus argumentos e conclusões, oralmente e por escrito.

Conteúdos programáticos:

1. Casos de estudo em Gestão da Qualidade
2. Casos de estudo em Gestão Ambiental
3. Casos de estudo em Gestão da Segurança e Saúde Ocupacionais
4. Casos de estudo em outras áreas da Gestão
5. Casos de estudo em Sistemas Integrados de Gestão

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Os conteúdos programáticos estão em coerência com os objetivos formulados para a unidade curricular, estando os conteúdos divididos pelas principais áreas de atuação de um profissional da área da Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança e Saúde Ocupacionais.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

Nesta UC recorre-se ao estudo orientado de casos, de modo a permitir interpretar e aplicar corretamente os conhecimentos adquiridos a situações reais. Será privilegiada a análise crítica a casos reais apresentados através de palestras, visitas de estudo, ou análise de bibliografia, e serão promovidos debates sobre os casos de estudo apresentados. Será proposto aos alunos que preparem um caso de estudo à sua escolha para apresentar aos colegas.
O método de avaliação compreende três componentes:
• avaliação contínua durante as aulas, através da realização de relatórios (individuais ou em grupo) sobre os casos de estudo apresentados (pondera 65% na nota final)
• desempenho do aluno através das suas intervenções e participações nos debates, palestras e visitas de estudo (pondera 10% na nota final)
• apresentação do seu caso de estudo (pondera 25% na nota final).

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino-aprendizagem desta unidade curricular foram programadas de forma a potenciar uma visão global e aplicada de questões relevantes na área da Gestão da Qualidade, Ambiente, e Segurança e Saúde Ocupacionais. Através da análise, interpretação e discussão conjunta de situações concretas, os alunos irão amadurecer os seus conhecimentos prévios, ficando mais habilitados a enfrentar, com sucesso, os desafios que se colocam na prática profissional desta área.

Bibliografia:

Pinto, A. (2018) Sistemas de Gestão da Qualidade – Guia para a sua implementação. Edições Sílabo, Lisboa.
Pinto, A. (2018) ISO 14001:2015 – Gestão Ambiental. Lidel, Lisboa.
Pinto, A. (2019) ISO 45001:2018 – Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho. Lidel, Lisboa.
Neves, J.G. e Vinagre, M.H. (2018) Qualidade de Serviço, Edições Sílabo.

Objetivos de aprendizagem:

Ao nível dos conhecimentos e capacidades de compreensão, espera-se que os alunos, sustentando-se nos conhecimentos resultantes da análise de diferentes estudos de caso e da leitura de diferentes artigos e capítulos de livros, sejam capazes de identificar quais os fatores críticos de sucesso na gestão da inovação de organizações que operam no ambiente V.U.C.A.
Pretende-se também que, através da elaboração de trabalhos práticos e da sua apresentação oral, os formandos sejam capazes de: (1)apresentar formas de aplicar os conhecimentos a situações novas e não familiares, em contextos alargados e multidisciplinares e, demonstrem a capacidade de desenvolver soluções aplicadas a organizações e/ou problemas do mundo real; (2) comunicar as suas conclusões—e os conhecimentos e os raciocínios a elas subjacentes, de uma forma clara e sem ambiguidades.

Conteúdos programáticos:

1. O ambiente em que operam as organizações.
1.1 Mundo V.U.C.A e o Mundo V.U.C.A.+COVID-19.
1.2 A 4ª Revolução industrial/a transformação digital.
1.3 As vantagens competitivas do nosso tempo.
2. Startups e Organizações inovadoras.
2.1 Os fatores críticos de sucesso: estratégia, gestão, cultura e design.
3.Os diferentes tipos de inovação, a inovação que origina empresas e a inovação em organizações existentes.
4. Os “Jobs to be done”: a teoria, o ciclo e o processo.
4.1Desenhar e testar propostas de valor.
5. Desenhar e testar modelos de negócio.
6. A gestão do portfólio da inovação
6.1 Utilização do “portfolio map” para o desenvolvimento de novos motores de crescimento. Explore Portfolio.
6.2 Utilização do “portfolio map” para proteger, melhorar e reinventar os modelos de negócio existentes, prevenindo que entrem em declínio. Exploit Portfolio.
7. Inovação aumentada.

Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

Com os conteúdos 1, 2 e 3, pretende-se que os alunos compreendam o meio envolvente em que se desenvolvem os processos de inovação, as diferentes tipologias de inovação e a sua importância para o surgimento e/ou continuidade de organizações, assim como, quais os fatores que influenciam o desenvolvimento da inovação. O conteúdo 4 pretende apresentar aos alunos as principais teorias sobre os motivos que levam as pessoas a necessitar de um determinado produto ou serviço. Os conteúdos 5 e 6, têm como finalidade familiarizar os alunos com uma série de metodologias e ferramentas destinadas a: (1) perceber as oportunidades de negócio; (2) planear e testar o desenvolvimento de ideias/projetos inovadores de uma forma em que o risco e o investimento vão evoluindo inversamente à medida que as hipóteses em que se sustentam os projetos vão sendo ou não validadas. O conteúdo 7 abordará de que forma a inteligência artificial e o machine learning poderão fazer parte dos processos de inovação.

Metodologias de ensino (avaliação incluída):

O conteúdo programático terá um tratamento teórico (complementado através de diversas leituras, metodologia expositiva, interrogativa e demonstrativa), e um tratamento prático (através da execução, apresentação e discussão nas aulas de trabalhos práticos e casos empresariais aplicados (aulas teórico-práticas), o que exige a aplicação correcta dos conhecimentos teóricos adquiridos e sua correcta comunicação, potenciando a capacidade de auto-aprendizagem.
O método de avaliação baseia-se no modelo da avaliação contínua e inclui, um teste escrito [correspondendo a 40% (quarenta por cento) da nota], micro trabalhos individuais práticos com a correspondente apresentação oral [correspondendo a 40% (quarenta por cento) da nota], e a qualidade da participação nas aulas e sessões tutoriais [correspondendo a 20% (vinte por cento) da nota].

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da unidade curricular:

As metodologias de ensino visam um misto de aquisição de conceitos centrais e aplicação prática dos mesmos. Por essa razão se privilegia uma abordagem teórico-prática, com recurso a casos de estudo.
Aos estudantes é também solicitada a realização de pequenos trabalhos de natureza prática para ilustrar os conceitos e explorar o uso do digital.

Bibliografia:

Dorf, B. and Blank, S. (2014) Startup: Manual do Empreendedor. 1a edição. Editora Alta Books.
Duncan, D.S. (2021) The Secret Lives of Customers: A Detective Story About Solving the Mystery of Customer Behavior. New York.
O’Reilly, C. A., & Tushman, M. L. (2016) Lead and Disrupt: How to Solve the Innovator's Dilemma. Stanford Business Books.
Osterwalder, A. et al. (2015) Criar Propostas de Valor. Dom Quixote.
Osterwalder, A. et al. (2020) The Invincible Company: How to Constantly Reinvent Your Organization with Inspiration From the World’s Best Business Models. 1st edition. Wiley.
Savoia, A. (2019) The Right It: Why So Many Ideas Fail and How to Make Sure Yours Succeed. HarperOne.
Siebel, T.M.(2019) Digital Transformation: Survive and Thrive in an Era of Mass Extinction.
Trigo, M.R. (2021). O que a pandemia acelerou?. Disponível em: https://www.linkedin.com/pulse/o-que-pandemia-acelerou-miguel-rombert-trigo/ (Acedido em 5 de fevereiro de 2022)